[Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Tohlee em Qua 16 Jun 2010 - 22:41



Feel the madness of the world,
Touch it with those crazed fingers of yours,
Embrace is with that insane mind that sits silenty in your skull.
Have you felt it yet?
Can you recognise the signs?

It'll be that faint whisper in your ear
Muttering words to you that have less than meaning
But these are words which still hold meaning none the less.
What way?
The mad way...

There is reason in madness,
What is that reason?
Nothing more than a simple choice;
It is either the Yes to act
Or the No to stay silent and still.

There is truth to madness,
The shroud of sanity and sense seems to be lifted
And what is really real shines through;
Just as there is a truth to madness
There is a madness in the world.

Feel the madness in your world,
Touch it with those sane fingers of yours,
Will your sane mind be able to embrace it?
Have you felt it yet?
Can you recognise the signs?


Inscrições abertas....


Aos interessados, postem com seus personagens. Inventem maneiras para que eles encontrem o bilhete abaixo. Acho que vocês conseguiram captar a situação a qual vocês vão se meter, portanto...Originalidade e madness no post!

As portas se abriram, as chaves se perderam, os heróis enlouqueceram, mas a sorte é seu triunfo.

Tohlee
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Nekuro em Qua 16 Jun 2010 - 22:53

Yami, enquanto queimava um pequeno bosque, próximo à uma plánicie, com suas chamas negras sem nenhum motivo além da diversão em ver algo queimando com seu fogo após tanto tempo, olhava para o céu pensando em alguma maneira de fazer o progresso de suas habilidades mais rápidamente. Tudo bem que lentamente ele aprenderia a controlar melhor sua insanidade e vontade de destruir e matar, mas não aguentava ter apenas uma transformação e seu fogo mágico.

O local onde estava era um pouquinho isolado. Após terminar sua ilusão de querer poder rápido, mesmo que isso significasse algo que seria perigoso, ele começa a pensar em quanto a sociedade tinha evoluído. Talvez houvesse coisas que realmente poderiam lhe causar danos, mas descobriria essas no decorrer de sua nova vida. O que mais lhe interessava eram as novas tecnologias criadas, que não existiam no tempo onde nasceu.


-Tsc. Realmente, começow a sentir falta daquele tempow.

Logo ele começou a caminhar pela plánicie. Estava distraído, mas isso não o impediu de encontrar algo: Um bilhete. Por que estaria ali? Quem poderia ter deixado cair? Não era uma rota de comércio ou viagem normal...De qualquer modo, resolveu ler.

As portas se abriram, as chaves se
perderam, os heróis enlouqueceram, mas a sorte é seu triunfo.

Sério, quem escreveria uma coisa destas? Não tinha entendido muita coisa dali além do fato de que poderia ser um enigma...E Kitsune estava cansado de ficar criando milhares de possibilidades de acontecimentos para tudo que acontecia ao seu redor, mas mesmo assim não iria parar do nada simplesmente por querer. Sendo assim, Yami sentou naquele mesmo lugar e ficou olhando para o bilhete querendo decifrar seja lá o que estivesse ali.
avatar
Nekuro
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Phantom em Qua 16 Jun 2010 - 23:24

Caminhando sem rumo pela cidade de Pejite, onde havia desembarcado a pouco tempo, Sohow procura mais informações sobre onde estava. Apesar de perdida, escolhia os piores e mais ermos locais para se vagar, como becos e ruelas vazias. Parecia distante da realidade, como se estivesse em transe e apenas andava como se fosse hipnotizada.

Apesar de tudo, sua pistola mágica, Sohkie, continuava falando com ela sem parar, contando alguns casos do passado para a lich.

Sohkie: E então, uma horda imensa de anjos apareceu, e nós, demônios, conseguimos fazê-los caírem numa emboscada. Quando então, um arcanjo apareceu e...

Sohow ignorava Sohkie, a ponto de nem prestar atenção no que ela falava. Apenas andava... andava... andava... e andava. Andou até chegar a um pequeno beco, onde um estranho papel pousou em sua cabeça. O papel a tirou do transe imediatamente, fazendo com que ela sacudisse o capuz e, como toda boa menina, gritasse.

- É BICHO!! TIRA DE MIM!! TIRA DE MIIIIIIIIIIIM!! MATA! MATA!!

Sohkie: Seja macho, Sohow!! P&%#@!!

Parecia que ela era "destinada" a encontrar esse papel. Coincidências a parte, a lich bufou ao ver que era só um mísero papel, bateu o pé e pegou o bilhete do chão, lendo-o em seguida.

"'As portas se abriram, as chaves se perderam, os heróis enlouqueceram, mas a sorte é seu triunfo'. Mhmm... O que isso quer dizer?"

Sohkie: O que está escrito, Senhorita Coragem?

Sohow, aos risos de sua pistola sarcástica, repete o verso com extrema má vontade.

Sohkie: Parece uma espécie de profecia. O que acha disso, Sohowy?

- Eu acho que isso é meramente lixo. Vamos continuar a caminhada.

Porém, a lich percebe que não consegue jogar o papel fora. Sua curiosidade era tanta a ponto de, ao invés de jogar o papel fora e ignorar, como havia pensado, ela voltou a ler o papel. Tentou encontrar uma lógica em tal bilhete... Ou até, porque ela havia encontrado... Mas não conseguiu pensar em absolutamente nada. A frase ficou marcada em sua mente, a ponto dela não conseguir parar de pensar a respeito... Afinal, o que significava isso?
avatar
Phantom
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Dio em Qui 17 Jun 2010 - 0:08

Noite de lua cheia, um momento singular. Várias são suas conotações.

Para os que vivem do mar, é sinal de maré alta;
Para os enamorados, o símbolo de seus amores eternos;
Para os supersticiosos, mau agouro;
Para os licantropos, dia de se recolher;
Para os sonhadores, um destino.

A esses últimos damos o nome também de lunáticos. Loucos. Pessoas que vivem no mundo da Lua, alheias à realidade, por opção ou por imposição.

Para mim, no entanto, essa noite era apenas o momento ideal de conseguir arrancar alguns segredos de Thule.

Desde que invadi sua "base de operações", não tive mais nenhum contato direto com a sociedade. Preciso se munir de alguma forma, para me preservar em novos encontros ocasionais.

Em minha última "pesquisa", encontrei este endereço. Era uma propriedade de um dos oficiais que me acompanhou em meu treinamento na guarda de Lenórien, Mathäus Röchkenbach - a raposa dourada. Ganhou seu apelido após ter sucessivamente ludibriado três chefes de Estado a renunciarem seu cargo, para colocar um outro favorável aos ideais da Sociedade. Foi responsável também por conseguir extrair informações valiosas de veteranos de guerra que resistiam às piores torturas, usando meios que muitos preferem simplesmente não saber.

A mansão tem muros altos, mas as trepadeiras permitiam uma escalada tranquila. Aparentemente não havia ninguém em casa naquele momento. Não havia nenhum vigia também.

"Se tudo estiver certo...parece que é aqui mesmo onde Mathäus esconde seus dossiês...estranho não ter ninguém vigiando."

Da última vez em que invadi uma mansão dessas nestas condições, acabei nas mãos da Thule, melhor tomar mais cuidado.

A escalada foi fácil. Do outro lado, não havia nada. Apenas um imenso jardim, com algumas fontes. Novamente sem vigias de nenhuma espécie.

"Isso tá estranho...mais estranho ainda da vez em que invadi a mansão dos Heinlein."

Quando finalmente dentro da mansão, um choque: Havia sinais de luta por todos os lados. O maior choque não era bem esse, mas sim o fato de não haver nenhuma gota de sangue, pedaço de roupa ou coisas do tipo.

A tensão foi quebrada por barulhos e gritos vindos de outros cômodos.

"Merda...cheguei em péssima hora."

Alheio a isso, apenas mantive meu foco e fui atrás do escritório de Mathäus. Sabia a planta daquela mansão muito bem, pois descobrira que os membros da Thule seguiam um padrão arquitetônico em suas casas.

Por azar, ou talvez sorte, a porta simplesmente não abria. Estava protegida por magia, e quanto a isso, nada posso fazer. Os gritos haviam cessado. Só me restava ver o que havia acontecido ali afinal de contas.

Ao chegar no saguão principal, finalmente me dou conta do acontecido. Não era uma surpresa, mas ainda assim, era uma surpresa. Um assassinato, brutal e quase despercebido. A surpresa dele residia no fato de que a vítima era ele - a raposa dourada.

Ao lado do corpo de Röchkenbach havia um pequeno bilhete. Talvez fosse dirigido para os parentes...o que não importava muito. Movido pela imensa curiosidade de saber quem assassinara um dos seres mais perigosos do continente, peguei-o e li.

As portas se abriram, as chaves se perderam, os heróis enlouqueceram, mas a sorte é seu triunfo.

"É o que? Mas...o que significa isso?" Óbvio que não faria a menor ideia...sequer conhecia o defunto direito...mas aquela mensagem...

-- Jin, volte para casa! -- Um voz imperativa me chamava. -- JIN, VOLTE PARA CASA AGORA!

Assim que me viro, minha terceira grande surpresa: era meu pai, ali parado, usando o mesmo uniforme que eu. Parecia tão real, tão vívido.

-- P...pai? mas...você...está morto!... -- Olho para o bilhete de relance e quando volto a sustentar o olhar a meu pai, ele não está mais lá.

-- Jin, por favor, não continue! -- Dessa vez, era uma voz feminina. -- Você tem que prometer para mim Jin, por favor! --

Era Ângela. Da mesma forma que meu pai.

-- O que está acontecendo...O QUE SÃO VOCÊS DOIS AGORA!? -- Uma reviravolta sem lógica. Em um momento, procurava informações, depois havia uma situação esquisita...um assassinato, e agora, visões de seu passado que o atormentava.

Ouviu outras vozes. Essas, dessa vez, pareciam bem reais, e vinham do lado de fora. Era um grupo de elfos que vinham verificar a barulheira que vinha da mansão. Sem pensar muito, guardei o bilhete e dei o fora, pelo mesmo lugar onde entrei. Não podia ser pego de jeito nenhum. Ser acusado de assassinato de um oficial, ainda por cima sendo da Thule, era morte certa.

Enquanto corria para longe, o vento guiava meus passos. Meu corpo estava quase em automático, bem preso à terra. Minha mente, no entanto, estava longe.

Ecoavam as palavras "As portas se abriram, as chaves se perderam, os heróis enlouqueceram, mas a sorte é seu triunfo.", enquanto a Lua abençoava minha loucura, ainda que momentânea, ou não.
avatar
Dio
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Blume em Qui 17 Jun 2010 - 14:42


No meio daquele imenso campo de margaridas seu aroma era abrandado pelo das flores. Mais do que isso, se misturava à elas. Ainda assim, persistia, fraco. Era como gás venenoso camuflado inutílmente por litros de perfume. Por mais que se disfarçasse, não era possível ignorar seus efeitos, ou seu perigo. Não que este pudesse realmente denunciar suas intenções, mas no caso coincidia de um cheiro tão ruim vir de alguém podre. Tirava as pétalas de uma flor arrancada, sentia certo prazer em lesar ou destruír a menor parte daquele enorme jardim. Existiam muitas coisas incríveis, recebendo admiração que deveria ser sua.

Chegou a repensar sobre isso por alguns instantes, ao ver, se aproximando, um homem robusto estraçalhando seu refúgio com seus pés pesados, calçados de botas metálicas. Os arrastava, e à medida que convertia o chão revestido de branco-amarelo em terra batida também o manchava com sangue gotejando de várias partes de seu corpo. Sem mais ter forças tombou ajoelhado, o barulho de seu grande peso foi abafado pelo solo fofo, e o tintilhar de sua armadura era o único barulho forte produzido, logo ele caiu por terra.

Ainda no chão se cortorcia, procurando exausto, mas desesperado, algo em sua bolsa de couro. Até que encontrou um envelope amassado. O estendeu em sua mão tremula numa ultima súplica. Que foi amparada pelas mãos macias do pequeno vagabundo. Blume sorriu amávelmente enquanto tomava a carta para sí. E com não menos boa-samaritanisse pronunciou um. - Mas é claro ...

Então o cavaleiro ferido finalmente se encontrava desacordado, tranquilo após ter a tarefa cumprida, sendo assim o sorriso branco se abriu, mostrando os dentes perfeitos como presas, a frase continuou - ... claro que não se pode confiar em um qualquer. - dito isso ignorou o nome do destinatário, rasgou o papel sem muita consideração e tomou o conteúdo de dentro para sí. Para sua decepção não se tratava de algo valioso, caro, ou grandes revelações. Era apenas um recado misterioso, que de fato não revelava muito.

"As portas se abriram, as chaves se perderam, os heróis enlouqueceram, mas a sorte é seu triunfo. "

- A Sorte será seu triunfo? Ha ha ha, só se for o meu. Alguém hoje ainda se apoia nessas coisas? Mas que falta de respeito.

avatar
Blume
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Tohlee em Dom 20 Jun 2010 - 9:04


Inscrições encerradas....


Welcome....to de madness

Tohlee
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por ADM Lil em Dom 16 Jan 2011 - 18:52



"Tick, tock!
Tickety, tockety!
Thus shall chime the broken clock!
As Time did make you nice and strong,
Now Time shall silence your song!
Tick, tock!
Tickery, tockery?




Inscrições Re-abertas....



Aos que já estavam na campanha... Postem aqui se querem continuar.

Aos interessados, postem com seus personagens. Vocês podem escolher duas situações...

Opção 1
Inventem maneiras para que eles recebam o bilhete abaixo
As portas se abriram, as chaves se perderam, os heróis enlouqueceram, mas a sorte é seu triunfo.

Opção 2
Interpretem o antes, durante e depois da cena abaixo.

Uma noite de luar, com uma luz mais intensa que o normal. O silêncio é mórbido, vento não há, e vocÊ começa a se sentir levemente embriagado, zonzo, sem muitos pensamentos claros. Seu corpo não te obedece mais com tanta destreza. A lua brilha, incomoda seus olhos, você desvia seu olhar. Você sente um perfume de rosas. Você ouve uma voz suave e doce.

Até que tudo seja feito, o tempo pára. Até que nada seja consertado, o tempo corre.

Você olha para a lua. Dois ponteiros vermelho sangue ali estão. Um maior, outro menor. Um relógio, prestes a meia noite.

Mas a loucura é um tudo feito incompreendido, visto como um nada consertado...

O ponteiro maior se une ao menor, marcando meia-noite em ponto. As badaladas de um sino inexistente soam em sua mente. Em suas mãos, uma rosa, roxa.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por GM Perfect Failure em Dom 16 Jan 2011 - 19:17

Do morro alto era possível ver um feixe estreito da luz da lua passar entre as nuvens e incidir na superfície calma de um lago. As folhas finas da grama viçosa se dobravam pela força constante dos ventos que ali passavam. Um pouco mais ao longe, na cidade, as mães já haviam colocado seus filhos para dormir, enquanto seus respectivos maridos caíam nas loucuras luxuriosas com prostitutas quaisquer. Os menos afortunados ainda bebiam nas tabernas, rindo ou chorando conforme o dia havia transcorrida para cada um. Os que ainda permaneciam na rua tinham pressa em ir para casa. De longe, o bardo criança observava a todos, encostado num carvalho grande e antigo, perdido em devaneios.

"Talvez nós aqui sejamos somente os reflexos de pessoas do outro lado do lago." – O vento parou de soprar. O som das folhas balançando, consequentemente, também parou. – "Talvez eu esteja sonhando, e todas as pessoas sejam fruto da minha imaginação.” – As luzes da cidade lá embaixo pareceram se apagar todas ao mesmo tempo. – “Talvez eu mesmo seja parte da imaginação de outra pessoa que está sonhando."
O alaúde, antes descansando ao seu lado, pareceu começar a se mexer. E então... o silêncio. Já não haviam mais gritos vindos das tabernas. Os grilos não mais cricrilavam. Sua respiração, que estava eufórica quando pensava nas possibilidades existenciais, aquietou-se.

Todas ao mesmo tempo, as nuvens convergiram girando para um mesmo ponto a medida que ficavam vermelhas, dissolvendo-se num turbilhão de fumaça. A lua imperou: não haviam estrelas.
O céu, mesmo que sem nuvens, estava cinzento. A planície abaixo do morro, banhada pela luz prateada do astro satélite, adquiriu uma cor também cinzenta. Tudo havia ficado sem cor. A vida pareceu ter se extinguido.

Até que tudo seja feito, o tempo pára. Até que nada seja consertado, o tempo corre
A voz ecoou em sua cabeça. Era feminina, mleodiosa.

Na lua, dois ponteiros vermelhos a transformaram num relógio. Era quase meia noite.
Ao olhar aquilo, sua mente entrou num estado de torpor quase sonâmbulo. Tentou levantar o braço para abraçar seu alaúde, mas a única coisa que conseguiu foi contorcê-lo. Suas pálpebras pesavam, sua cabeça girava.

Rosas?” – fungou, confuso com um novo cheiro que aparecera.

Mas a loucura é um tudo feito incompreendido, visto como um nada consertado...

A mesma voz de antes. Mais alta, mais forte, mais persuasiva.
A lua marcou meia-noite. Badaladas ouviram-se ao longe. Aproximando-se.
Tomou novamente o controle do seu corpo. Em suas mãos, uma rosa roxa.

O vento voltou a soprar, as luzes acenderam, os grilos voltaram a fazer barulho e, como se nunca tivessem ido embora, as nuvens haviam estavam lá de novo.
Tudo havia voltado ao normal, exceto por uma criança no topo de um morro, cuja mente estava a mil.

Acho que algo importante vai acontecer agora.


Última edição por GM Perfect Failure em Ter 18 Jan 2011 - 21:10, editado 2 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Still Rougy em Dom 16 Jan 2011 - 21:14

Por entre aquelas ruas, aquele Youkai caminhava. Tudo deserto, e o único som que podia ser ouvido era o de seus passos. Tinha como objetivo uma casa... Uma imensa casa nos arredores de Vale dos Ventos. Daqui a alguns minutos, ia realizar o seu trabalho, cujo objetivo, sempre foi dar um fim, as merdas que as pessoas tinham começado.
--------
Três dias atrás.
--------
O sol batia forte, mas ele estava na escuridão. Sempre viveu nela para ser sincero. Em um dos diversos becos em Vale dos Ventos, lá estava Yaki, com sua roupa negra de gola alta. Seus olhos fechados, sua audição "aberta".

Desde que chegou ali, não tinha conseguido um emprego decente, devido sua raça. Um Youkai nunca era bem vindo. Mas ele não se importava... Sempre tem um jeito de você conseguir ganhar seu próprio ganha pão onde quer que seja e com ele não foi diferente.

Yaki se meteu em uma profissão, que apesar de perigosa... As vezes pagava bem. Era seu único modo de viver e devido a isso, nunca foram capaz de rastrear o assassino de diversas pessoas. O Youkai também não era idiota. Alternava entre os locais que vivia, sempre mudando... Era um perfeito nômade.

Não importava quem fosse. Talvez um mendigo, outrora um poderoso político. Ele sempre dava seu jeito... E as pessoas, de um modo ou outro, sempre o encontravam. Foi o que aconteceu naquela tarde.

O Youkai descansava em um dos becos escuros de uma missão na noite passada. Nada especial... Uma mulher pagou 50 PO's para assassinar o bêbado do seu marido que a espancava toda noite. O dinheiro foi rapidamente gasto em comida e suprimentos para cuidados médicos.

Enquanto descançava, alguem entrava no beco e se aproximava do mesmo. Sua audição era boa, e podia ouvir passos pesados e uma respiração ofegante. Logo um voz riscada apareceu.

- Você que é o Youkai... Que... Que... Faz os... Os.. Serviços?

Yaki abriu um dos olhos e observou o homem a sua frente. Se tratava de um de estatura bem baixa, um metro e quarenta talvez. Tinha uma enorme barriga de cerveja e seu rosto assim como suas axilas e pescoço, estavam molhados de suor. Provavelmente o procurou por muito tempo de baixo daquele sol quente. Também pudera, usava um camisa social cinza, um tênis todo surrado e calças de um pano fino que Yaki não soube identificar. O olhou de cima abaixo antes de perguntar.

- O que você quer? - Como sempre, aquela voz fria, seca e mansa saia de sua boca.

O homem pareceu estremecer. Tirou do bolso um lencinho e apressadamente enxugava o rosto e o pescoço. Ainda com as mãos trêmulas, retirou com a outra mão de um bolso de trás da calça uma pequeno bilhete, que dizia.

"Preciso urgentemente de seus serviços. Ouvi boatos de quem já lhe contrato, dizem que você é cauteloso e nunca foi pego. Ótimo. Proximo da Praça Central de Vale dos Ventos, você verá uma casa, com um lenço vermelho e uma das janelas. Por Favor, se apresse."

Ao término de sua leitura rasgou o papel em diversos pedaços e devolveu ao homem a sua frente. O homem, confuso agora, recebeu o papel e olhou desconfiado para Yaki que logo respondeu.

- Pode ir. E não se esqueça de queimar isso.

Quando o gorducho desapareceu, Yaki voltou a descançar, afinal, teria de encontrar aquela maldita casa mais tarde.
-----------------------------------------------------------

Não foi difícil. Sua visão podia não ser tão boa, mas poderia notar algo parecido com uma bandeira completamente vermelha, presa a uma janela no segundo andar. O dono do bilhete foi modesto ao dizer "casa", pois aquilo se tratava de uma enorme mansão.

Liberado pelos guarda costas - pelo menos pareciam - e guiado por uma empregada, o garoto chegou a uma bela sala. Um homem já idoso o esperava sentado em uma poltrona. Antes que ele pudesse dizer algo, Yaki se adiantou.

- Não quero saber seu nome, muito menos o que faz. Só quero saber quem é o alvo e onde posso encontrá-lo, sendo que o pagamento é no dia seguinte. De acordo?

O velhote fez um gesto positivo com a cabeça e ambos se sentaram para conversar enquanto as portas se fechavam e somente o nome pôde ser ouvido.

- Seu nome é Alan Toss...

Então, com um baque surdo. Tudo ficou em silêncio.
---------
Noite do Assassinato
---------
Começava a chover e o céu ficou negro. A chuva só aumentava, já trazendo consigo inúmero raios e trovôes. Foi quando Yaki chegou ao local. Se tratava de uma outra mansão e de cara Yaki estranhou... O portão da frente estava aberto, parecia ter sido destruído.

Com calma entrou no local e se dirigiu a porta da mansão que também se encontrava aberta. Sem fazer barulho entrou no local e naquele momento, ele soube que algo estava errado. Uma trilha de sangue se estendia pelo chão da sala e subia as escadas.

Em um canto uma criança assassinada brutalmente, sem nenhum remorso mexeu na mesma com pés a procura de alguma coisa, mas nada encontrou. Andou mais um pouco e o que parecia o corpo de uma mulher teve sua face esmurrada até se tornar irreconhecivel.

Decidiu seguir a trilha de sangue através das escadas. A mesma continuava pelo corredor do segundo andar até parar em frente a uma porta dupla no final do mesmo. Andava sem pisar no rastro de sangue e sem hesitar abriu a porta com um belo chute. Ao abrir a porta, um homem sentado em sua poltrona, de costas para Yaki olhava para a parede.

Yaki deu a volta calmamente, o homem estava estático. Não se mexia, não falava. Quando ficou de frente para o homem teve uma outra surpresa. O homem que devia suspostamente assassinar aquela noite, o recebeu com uma bala no meio da cabeça. Yaki não estava entendendo mais nada... Foi quando viu que o homem segurava algo. Com cuidado, puxou o papel de sua mão.

"As portas se abriram, as chaves se perderam, os heróis enlouqueceram, mas a sorte é seu triunfo "


Perfeito. Agora nada mais fazia sentido... Ou melhor, tinha um sim. Se aquilo não era uma emboscada, quem fez tudo aquilo, sabia o que Yaki ia fazer naquela noite. Alan Toss era um alvo... E infelizmente, alguem tinha chegada primeiro... Mas quem levou o prêmio da noite, foi Yaki.


Still Rougy
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Nekuro em Seg 17 Jan 2011 - 22:53

Kiel, esse ser caminhava pelas ruas durante uma noite. Aparentava um caçador procurando um alvo fraco para se aproveitar nas ruas. Seus olhos brilhavam na escuridão...Na verdade ele só havia se perdido mesmo e estava caminhando por ali sem ter muita noção de onde passaria a noite, em sua cara um sorriso estampado. Ele caminhava sem parar, olhando para os lados, e acabou em um local apertado em escuro (um beco). Não sabia porque tinha algo assim e qual a necessidade de ter uma rua tão apertada e sem saída...

-Será que é um local para descanso público?

...Pensava e dizia a ele mesmo. Ali era extremamente escuro e não se ouvia uma alma sequer. Era apenas o garoto e ele mesmo. Foi ai que ouviu um som de uma área mais escura, um ruído esquisito. Ao se aproximar, um braço saiu daquela escuridão com um papel na mão, parecia querer que Kiel o pegasse, e assim o fez...Porém...Ele não sabia ler...

-Mas...Mas...O que está escr-

Naquele momento ele sentiu uma tontura, sua visão ficou embaçada e ele apenas ouviu: "As portas se abriram, as chaves se perderam, os heróis enlouqueceram, mas a sorte é seu triunfo...É o que está escrito ai." Quando voltou a sí, olhou para trás e viu um rastro de roupa deixando beco, na escuridão da rua principal...Só não sabia o motivo e o porque entregar algo assim para ele...Será que era o que chamavam de serviços mercenários ou etc? Mas ele nem era mercenário...Mas seu instinto dizia que havia algo mais por trás daquilo...

OFF: Inscrição com novo char =D
avatar
Nekuro
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Shirou em Ter 18 Jan 2011 - 14:54

------------------------------------------------------
Madness!
------------------------------------------------------

Era tarde da noite, e aquele homem continuava a andar sem rumo pelas ruas desertas da cidade. Havia acabado de participar de uma boa briga, tanto que as lacerações e cortes em sua face demonstravam isso. Queria achar um bom lugar para dormir, de preferência protegido contra a chuva e o frio. Era pedir demais para quem não tinha pelo menos uma peça de ouro para gastar em uma taberna, mas quem sabe ele não encontrava algo útil largado em uma das centenas de becos dos quais passava? Após mais algum tempo de procura, desistiu e sentou-se em uma pequena escadaria. Olhou para a noite escura, mas algo estava errado. A lua brilhava com uma intensidade que nunca vira antes, tanto que teve que desviar seus olhos por um breve momento. Sua cabeça começava a doer, fora que sentia seu corpo tornar-se cada vez mais lento e as vezes nem respondia aos seus comandos. — Será que aquele bastardo me acertou mais forte do que eu imaginei? — Talvez tivesse ficado meio zonzo após receber algumas porradas em sua cabeça, e só agora os efeitos começaram a aparecer. Essa talvez era a única explicação que conseguiu achar para aquela estranha sensação. A lua brilhava ainda mais, tanto que mais um pouco e ele poderia compará-la ao sol em um dia nublado. Seus olhos se sentiam irritados, evitando agora de olhar para aquele céu. De repente, um cheiro peculiar, algo que ele nunca havia sentido antes. Por fim, o mais estranho: Uma voz.

— Mas que porr...?! — Levantou-se e começou a olhar ao seu redor. Estava sozinho e não havia ao menos um único bêbado por perto. De onde diabos vinha aquela voz? Sentiu uma estranha sensação, olhando para o céu mais uma vez mesmo que a luz da lua o incomodasse tanto. Nela, dois ponteiros em crepúsculo. — Aquelas porradas que levei devem estar me dando alucinações! Só deve ser isso!— Novamente, a mesma voz vinda do nada. Nameless rugiu e socou uma parede próxima com toda a sua força, fazendo um grande barulho que ecoava pela escuridão. Porém, em sua mente esse barulho era inauditível. Ao mesmo tempo, os ponteiros daquele "relógio" se juntaram e um novo e atordoante barulho de sinos pôde ser ouvido. Nameless estava ofegante, seu rosto pingava de tanto suor. Em sua mão esquerda, ele segurava um rosa roxa. Seu corpo já havia voltado ao normal, recuperando-se lentamente daquela náusea que sentiu a alguns segundos atrás. Porém, mesmo sem os efeitos de antes sua mão esquerda não era capaz de soltar aquela rosa e abandoná-la ali. Ele já estava de saco cheio daquele lugar e queria sair dali antes que mais alucinações viessem lhe perturbar. Ele sentia que aquela estranha rosa em sua mão deveria ter algo a ver com aquilo tudo, mas de jeito algum ele conseguia se livrar desta. Foi então que já irritado com aquilo se levantou, pegou a sua sacola e começou a andar. Era raro vê-lo com raiva, mas depois de passar por tudo aquilo ele realmente queria saber quem era o responsável e socá-lo até que pare de respirar. — Assim que eu encontrar aquela vadia, ela vai se arrepender de ter feito isso! — Disse, enraivecido. Se aquela rosa roxa em sua mão realmente tinha algo a ver com as alucinações, se ele não podia soltá-la Nameless faria uso dela para encontrar a responsável. Agora, ele já estava envolvido e iria até o fim.
avatar
Shirou
Novato
Novato


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Dio em Ter 15 Fev 2011 - 3:32

mimimi, eu quero continuar tia o/
avatar
Dio
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por ADM Lil em Seg 31 Out 2011 - 22:30

Ele suspirou, cansado. Sentado na orla da razão, deixou seus ombros se curvarem uma posição cansada. Coçou o pescoço. Havia perdido novamente. Quantas vezes seriam agora? 57?... 58?

Perdera a conta das vezes. As últimas foram mais cruéis. Ela estava se irritando, o jogo acabaria logo. Abriu seu saco e colocou na boca disforme algo que parecia um besouro. Mastigou.

Crocante....

O Sol ia nascendo. Estava quase na hora. Ele jurava que demoraria mais. Ela estava impaciente...

Engoliu o resto do conteúdo do saco de uma vez só. Jogou para trás, e soltou-se para o abismo.
Suspirou em tom monótono, enquanto caia. Mergulhou novamente nas ondas da loucura, imaginando o que comer no jantar. Aquele almoço fora péssimo....








































































The Crazy game never ends...






OK, phoenix down nessa porra. Voltei, e com a história reformulada. Quem tiver interesse, post aqui como sempre. A seleção dessa vez será um teco diferente. Só quero sondar primeiro quantas pessoas topam... Quantidade de pessoas indefinido. ~

Quem ja tinha postado e quiser continuar, avisa, que eu uso seus posts de introdução no prefacio =T.

As always, será punkzinha =D. Nao ligo pros atributos, quero saber como vcs se saem só com a narração.

Now, GOGO!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Still Rougy em Seg 31 Out 2011 - 22:38

Apresento-me como candidato.

Still Rougy
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Kenichi Koji em Seg 31 Out 2011 - 22:45

Prologo Owned.
Se tiver aberto ainda, me inscrevo '-'

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Inscrições fechadas][Descent into Madness]

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum