Templo de Jilya

Página 4 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Bluesday em Dom 14 Ago 2011 - 20:47

" Esse Bane é muito tolo mesmo, talvez Liv de alguma forma influencio essa criatura e ele acabou esquecendo ou ignorando o que ele eh realmente e o que as criaturas com as intenções que ele tinha antigamente podem fazer. "

Drake continua a falar e se mostra confiante em matar os dois. O arcanjo nao se assusta com as palavras do mesmo, mas sua mente ainda fica focada no qual forte ele pode ser.

Bane, melhor voce falar logo quais sao os pontos fracos dessa cara e que formas tem para acabar com ele, pois como voce disse, ele sabe sobre seus poderes e isso em si ja eh uma desvantagem. E...

Antes de poder terminar de falar o arcanjo e o demonio foram surpreendido pela ação do inimigo com seus morcegos, deixando a visao dificil para ambos. Madruga tambem nao fica parada, antes que os morcegos chegem perto, o mesmo começa a voar para tras fugindo dos morcegos e de algum ataque sorrateiro do adversario. Porem o arcanjo nao baixava sua guarda de maneira nenhuma e sempre estava com seus ouvidos bem atentos a qualquer ruido, esperando pelo pior.
avatar
Bluesday
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Dom 14 Ago 2011 - 21:18

O arcanjo voa para trás na tentativa de desviar dos morcegos, alguns morcegos conseguem se segurar nele causando algumas pequenas feridas, nada que causasse um dano significativo, apenas uma pequena ferida, após isso os morcegos desapareciam.
O arcanjo então ouve um grito, provavelmente a voz de bane:

- Não deixe os morcegos tocarem em você ! Nem por um arranhão !

Agora era tarde, os morcegos já tinham encostado no arcanjo, mas o que poderia ser tão grave ? O arcanjo se sentia bem, apenas um pequeno ferimento, insignificante que nem dor lhe causava.
Agora todos estavam fora do campo de visão do arcanjo, estavam invisiveis em meio a nevoa, a posição de todos era desconhecida, o arcanjo se vê parado no ar sem ninguém por perto.
Até que após alguns segundo o Arcanjo vê uma grande manifestação de chamas a cerca de 50 ou 60 metros dele, as chamas faziam movimentos circulares como se envolvessem algo.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Bluesday em Dom 14 Ago 2011 - 22:31

O arcanjo voava facilmente, porem alguns dos morcegos conseguiram acompanhar ele em sua tragetoria e lhe fazer uma ferida. O arcanjo de imediato achou muito estranho so aquilo para todo aquele teatro do adversario. Mas por enquanto estava ignorando o ferimento ate Bane lhe alertar sobre os morcegos.

Nesse exato momento foi como um colapso na mente do arcanjo, tudo tinha desaparecido e apenas ele restara. Permaneceu sozinho segundo pensava, ate o calor ficar forte e chamas se manifestarem em sua frente.

" hm? Parece que cai no ataque do inimigo. Sera alguma ilusao? Uma imagem distorcida ou uma realidade alternativa?? "

O arcanjo tinha seus pensamento do que poderia ser, pois estava tudo meio obvio, todos desaparecer assim restando ele, assim tao rapido.

Seja o que for, aparece de uma vez!
avatar
Bluesday
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Dom 14 Ago 2011 - 22:37

A nevoa estava cada vez mais densa, isso impedia a visão do arcanjo de ir muito longe.
Logo ele percebera que algum tipo de chama de manifestava a alguns metros, ficava analisando se aquilo seria uma ilusão, ou se realmente estaria acontecendo.
Que tipo de habilidade o inimigo possuiria ?
Após a "Dança das chamas" Vários pontos de centro negro porém flamejantes começam a cair, O arcanjo então os reconhece, seriam morcegos que foram queimados pelas chamas.
Aparentemente que estaria ali seria bane ou liv, para estar enfrentando os morcegos.
A nevoa ficava cada vez mais densa, tornando a visão praticamente nula, até mesmo as chamas ficaram invisiveis em meio a uma nevoa tão densa.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Bluesday em Dom 14 Ago 2011 - 22:55

O arcanjo vendo o pouco que dava e percebendo que parecia ser morcegos sendo queimados, pensou que poderia ter alguem ali por perto. Entao pegou sua espada e se dirigiu rapidamente ate o local do fogo em busca de achar alguem. Com a espada ele movia para o lado e para o outro abrindo espaço e cortando alguns morcegos que tivessem o azar de se encontrar com a lamina do arcanjo.
avatar
Bluesday
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Ter 16 Ago 2011 - 21:58

O Arcanjo avançava dando alguns golpes as cegas, tentando cortar algo que viesse a entrar no caminho de sua lâmina, aparentemente, nada.
Ele se mantém no rumo de onde a "esfera" de fogo havia surgido anteriormente, ao chegar lá ele sente a presença de um ashtaar, que aparentemente não se mexe.
O arcanjo então não se mexe fica fixo sem saber o que seria, logo a sombra do ashtaar se move na direção do arcanjo, o mesmo tenta desviar e sem dificuldade consegue, aparentemente o alvo do ashtaar não era o arcanjo, e assim era, era Bane o tal ashtaar que ali se encontrava, drake tinha atacado o arcanjo por trás mas Bane o defendeu, um raio verde fora desfeito com o soco que bane dera no golpe de drake.
A mão do ashtaar fica claramente ferida, estava queimada, mas ele não demonstrava dor ou coisa do tipo.
Logo bane completava:

- Você realmente está mais forte Drake.... Mas não o suficiente para me matar com uma futilidade dessas.....

Drake responde:
- Esse é o meu ataque mais fraco !

Bane:
Será mesmo ? Arcanjo, você é um sobre-peso para mim nesta luta, retire-se...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Bluesday em Qua 17 Ago 2011 - 1:50

Se esta tao confiante de sua vitoria, entao que lute contra ele como quiser.

O arcanjo muda seu olhar e sua expressao em si. Bate novamente suas asas e começa a voar para longe do templo.

" Espero que eles dois acabem se matando, sera menos trabalho para mim, enquanto isso verei o que posso fazer em prol dos Monookes "

Madruga voava e começava a se concentrar em sentir esses tais Monookes. Afinal como ele pensava, essas criaturas estando em perigo, iriam querer ser encontradas e assim iriam deixar sua presença mais facil de ser notada.
avatar
Bluesday
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Qua 17 Ago 2011 - 9:57

O Arcanjo se afasta, deixando com que os dois se combatam, deixando também, Liv e lesharc para trás.
O arcanjo continua voando durante alguns minutos, até que percebe a presença de uma aura maligna, forte, mas não parecia ser um ser vivo, apenas uma conjuração.
Em meio a neblina forte, é impossível ver qualquer coisa.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Bluesday em Qua 17 Ago 2011 - 11:33

" Estranho... Talvez seja bom eu verificar isso, nunca se sabe onde podem estar esses Monookes, e uma barreira ou prisao poderiam prender esses Monookes eu acho... "

O arcanjo se dirigi ate a aura maligna para verificar o que tem por ali, com muita incerteza do que podera encontrar.
avatar
Bluesday
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Sab 1 Out 2011 - 14:20

O arcanjo se aproximava do local, não tinha uma visão muito clara por causa da neblina, e assim também, uma aura maligna poderosa causava certa repulsão no arcanjo.
Ali ele tinha uma pouca visão de uma entrada de um lugar como uma catacumba.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Bluesday em Sab 1 Out 2011 - 14:37

A aura maligna ficava mais forte cada vez que o arcanjo se aproximava. Mas ele nao tinha escolha e continuo ate a catacumba.

Ja permanecia em guarda para qualquer eventualidade hostil. E assim ele atravessava a entrada da catacumba e olhava ao redor para analisar tudo que havia por ali e se tinha caminhos para seguir, porem ele iria continuar seguindo a aura que acreditava ser caminho para os Monookes.
avatar
Bluesday
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Sab 1 Out 2011 - 19:32

o arcanjo continua seu caminho, até que escuta alguns barulhos suspeitos, olhando na direção ele observa alguns tijolos quebrados e algumas coisas se movendo, mas não sabia do que exatamente se tratava.
Ele ouve uma respiração pesada, apesar de aparentemente, o corpo ser extremamente leve.
Pelas "roupas" parecia um zumbi, mofado, decrépito e pelo jeito de andar, ele seguia na direção do arcanjo com uma espada em suas mãos.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Bluesday em Sab 1 Out 2011 - 20:39

O arcanjo escuta pequenos barulhos e fica em constante movimentação olhando para um lado e para o outro.

Ate que de repente aparece uma criatura estranha. Seu estado era deploravel, estava toda acabado e segurava uma espada. Seu movimentação ia era estranha e seguia rumo ao arcanjo, que ja retirava sua espada e se preparava para lutar contra a criatura que parecia um zumbi.

" Espere, zumbis sao mortos-vivos e por isso nao podem respirar "

Madruga que preparava um ataca, ficou na defensiva e deu um alerta para a criatura.

Nao se aproxime estranho! Identifique-se primeiro. Nao procuro por conflitos.

O arcanjo foi breve nas palavras, e esperava por uma reação positiva, caso contrario teria que lutar.
avatar
Bluesday
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Convidad em Seg 4 Jun 2012 - 22:28

Em meio ao silêncio e a paz que aquela lugar trazia, em um dos cantos do templo e sentado em um banco encontrava-se um jovem. Uma capa velha e bastante gasta cobria o seu corpo enquanto um capuz cobria a sua cabeça, o que tornava bastante difícil identifica-lo. Mas pela posição em que estava e pelo silêncio que fazia, aparentava estar rezando. Ele então abria os seus olhos e erguia sua face, observando as pessoas que estavam naquele local. Em sua maioria eram velhos e crianças, alguns rezavam enquanto outros conversavam bem baixinho em respeito ao local. Seu olhar ainda era bastante aéreo e um tanto melancólico. Era notório que ele chama atenção de alguns presentes pelas roupas que vestia e pelo fato de carregar consigo uma espada, mas não parecia se importar, como se estivesse acostumado com aquela situação. Por fim ele se levantava e caminhava calmamente através do templo, procurava por algum sacerdote que estivesse por ali e chegava a uma distância dele em que mesmo falando baixo pudesse ser ouvido.

_Boa noite sacerdote. Sou um viajante sem dinheiro e já esta ficando tarde. Não quero abusar da boa vontade de ninguém, mas eu poderia ficar aqui essa noite? Estou disposto a retribuir o favor se houver algo que vocês precisem. Sou um aventureiro e possuo algumas habilidades. Oh, o que estou pensando... Não há porque um templo precisar dos serviços de um espadachim não é? -o jovem ria um pouco de si mesmo, mas tomando cuidado para não atrapalhar o silêncio do local. Mesmo assim ele aparentava um tanto triste- Perdoe-me, mas poderia me conceder esse favor? Esta um pouco frio la fora...

Ele aguardava a resposta do sacerdote. Havia chegado naquele local a pouco tempo e não tinha nenhum plano em mente. O dinheiro que seu falecido pai deixara já havia acabado e a dor de sua perda ainda estava presente em seu coração. Ishimura Touta, o seu pai, havia morrido em Pejite. Foi uma morte tranquila, resultado de uma doença que o corpo cansado pelo tempo não pôde curar. O jovem passou algum tempo de luto, mas o dinheiro foi acabando. Ele foi para Jilya para se afastar daquele local que trazia más lembranças e recomeçar sua própria jornada assim como ele havia lhe ensinado.

_Ah, perdoe-me a má educação, ainda não me apresentei. Meu nome é Kuro...

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Seg 4 Jun 2012 - 23:02

Em meio ao silêncio que jazia no templo, o jovem youkai atravessava parte da extensão de todo o pátio do templo em busca de um sacerdote que lhe pudesse conceder certa ajuda em relação ao tempo, o clima e a sua segurança.
Por costume de viagem o jovem também acabara oferecendo alguma ajuda ao templo caso seja necessária, coisa que o mesmo "ridiculariza" alguns segundos depois.

O youkai cruza o pátio do templo até encontrar um homem numa batina completamente branca, quase reluzente, ele chega perto do mesmo que se vira a ele.


_Boa noite sacerdote. Sou um viajante sem dinheiro e já esta ficando tarde. Não quero abusar da boa vontade de ninguém, mas eu poderia ficar aqui essa noite? Estou disposto a retribuir o favor se houver algo que vocês precisem. Sou um aventureiro e possuo algumas habilidades. Oh, o que estou pensando... Não há porque um templo precisar dos serviços de um espadachim não é?


O sacerdote olhava para ele com um sorriso descontraído, apesar da dificuldade em ver seu rosto, era visivel a "felicidade" no rosto do Sacerdote.


"- Pois não caro viajante, será um prazer ajudar um necessitado aqui na casa do senhor."

Apesar de aparentemente não ter planos, kuro parecia bem decidido, pelo menos até o presente momento.
O sacerdote faz um gesto com o tronco de maneira que ficou claro que Kuro deveria seguí-lo.
Com uma pequena corrida, kuro alcança o sacerdote.

"- Ah, peço eu perdão pelo incomodo, mas nossos quartos são todos eles humildes, nada além de uma cama, uma pequena pia e um altar de orações."

O Sacerdote andava até uma escadaria, onde desceria até uma pequena porta, lá começaria a caminhada no interior do templo.

Durante todo o percurso ambos foram observados de maneira estranha, como se os demais presentes rejeitassem o acontecimento.
Nem o sacerdote nem o Youkai se importaram.

O frio começava a andar comforme eles andavam, assim como a noite caía, os fieis foram indo embora.

Sim de fato era uma grande distância do pátio do templo até as acomodações dos sacerdotes.

Finalmente após uma quantitative caminhada, eles chegaram a um corredor estreito de pedras, aonde o sacerdote aponta para a porta do meio.

"- Poderás descansar até que se sinta rejuvenescido novamente e restaure suas forças. Tudo que peço é apenas respeito ao que acontece fora das paredes do seu quarto. E também, ao que faz aqui dentro, não se esqueça que estás em um templo. Que o senhor lhe abençoe Kuro."

O sacerdote então quase deixava o lugar até lembrar que o viajante havia se apresentado e ele não, fazendo com que o mesmo voltasse.
"- Perdão pela minha grosseria, meu nome é Bartholomew, mas pode me chamar de Barth (Bar-f) Algo mais que eu possa ajudá-lo ?"



Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Convidad em Ter 5 Jun 2012 - 0:34

Kuro sabia que os templos eram habitados por pessoas boas e sábias e que os sacerdotes normalmente eram pessoas confiáveis. Aquele era um bom lugar para se buscar ajuda num momento difícil, foi uma das coisas que seu pai o ensinou. Mas ainda sim ele se espantou com a tamanha boa vontade do homem que o ajudava e isso lhe deu um certo conforto.

_Pois não caro viajante, será um prazer ajudar um necessitado aqui na casa do senhor -respondeu alegremente o sacerdote fazendo um sinal para que o seguisse.

_Obrigado -o jovem Youkai sorria com aquela resposta e logo se punha a segui-lo.

_Ah, peço eu perdão pelo incomodo, mas nossos quartos são todos eles humildes, nada além de uma cama, uma pequena pia e um altar de orações. -ressaltava o sacerdote.

_Não se preocupe, está de bom tamanho. -respondia Kuro.

Ambos caminharam pelo interior do tempo até chegar nas acomodações dos sacerdotes, que aliás eram um tanto distantes. Por fim eles chegaram a um corredor, onde o sacerdote apontou uma das portas.

_Poderás descansar até que se sinta rejuvenescido novamente e restaure suas forças. Tudo que peço é apenas respeito ao que acontece fora das paredes do seu quarto. E também, ao que faz aqui dentro, não se esqueça que estás em um templo. Que o senhor lhe abençoe Kuro.

Kuro escutava aquelas palavras em silêncio, apenas respondendo com um "Amem" a ultima frase. Quando se dirigia para a porta de seu quarto percebia que aquele homem voltava ao local.

_Perdão pela minha grosseria, meu nome é Bartholomew, mas pode me chamar de Barth. Algo mais que eu possa ajudá-lo?

Kuro exitava um pouco em responder, como se houvesse algo que queria, mas não desejava incomodar em pedir. Por fim ele resolveu falar.

_O senhor tem... leite? -o jovem sorria ao dizer aquela frase.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Ter 5 Jun 2012 - 18:30

O sacerdote ficava um pouco espantado com a pergunta, não era algo comum a se pedir. Parecia não ter reconhecido o garoto como um youkai.

-"Um pedido um tanto anormal mas farei o possível para trazer."

O sacerdote então volta a andar na direção de onde os mesmos vieram.

Entrando no quarto, Kuro percebe a exata descrição do que o sacerdote dizia.
Com uma adição uma pequena vela no altar ao lado de uma imagem de uma mulher carregando uma criança.
O Local começava a ficar gélido, as paredes de pedra esfriavam cada vez mais.
A cama era simples com um colchão e um cobertor grosso de pano.

Parecia tudo normal.
Havia uma pequena janela na parede paralela a parede da porta, enquanto a cama ficava na parede a esquerda e logo ao seu lado uma pia. o canto extremo direito ao longe uma pequena porta. Um pequeno banheiro com um buraco no chão e algumas folhas.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Convidad em Ter 5 Jun 2012 - 19:12

O sacerdote se retirava para atender o pedido do viajante, embora um pouco surpreso. Kuro então adentrava o quarto onde passaria a noite. Era realmente bastante simples como o homem havia descrito. Ele retirava a espada embainhada da cintura e a depositava ao lado da cama, local onde ele se sentava e aguardava o regresso do sacerdote. Observava o altar com a vela e aquela imagem, se perdendo completamente em pensamentos.

"Pelo menos pude arrumar um lugar pra passar a noite, seria ruim ficar la fora nesse frio. Mas não posso ficar aqui para sempre e muito menos tenho algum lugar para ir. Para piorar tudo eu ainda estou sem grana..."

_O que eu vou fazer agora? Miau... -pensava auto o Youkai, deixando passar um velho hábito que buscava evitar: miar após terminar suas frases. Isso já tinha lhe causado certos problemas no passado...

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Ter 5 Jun 2012 - 20:57

Após a deixa do sacerdote o youkai entrava no quarto e se sentava. Pensava consigo durante um tempo, até ouvir algumas batidas na porta e perceber que o sacerdote havia voltado com uma garrafa de leite e um pequeno copo.

"-Aqui está caro viajante"

Ele deixava a garrafa ao lado da cama em seguida se retirava. Parecia de certa forma apessado.
Ele encostava a porta então o silêncio reinava pelo local.
Era próximo das 8 horas. O local era frio, mas o cobertor parecia esquentar o corpo do youkai um pouco, mesmo que ainda estando por baixo.

Uma pequena nevoa entra por debaixo da porta, deixando o chão completamente branco e frio.
Olhando pela pequenina janela era possível ver que a nevoa havia encobrido todo o chão no exterior do templo também.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Convidad em Ter 5 Jun 2012 - 23:40

O barulho das batidas na porta despertavam o Youkai de seus pensamentos, chegando até assustá-lo um pouco. Logo percebia que Barth entrava no quarto trazendo comsigo uma garrafa de leite e um copo.

_Aqui está caro viajante. -dizia ele enquanto deixava as coisas ao lado da cama.
_Muito obrigado! -respondia Kuro sorrindo.

O sacerdote então deixava o local com certa pressa, causando algum estranhamento no jovem viajante. Porem estava tão feliz por ter conseguido leite que nem dava importância. Mais que depressa pegava a garrafa, colocava um pouco no copo e começava a beber. Apesar de tudo aquilo o havia deixado bastante feliz, parecia uma criança que acabara de ganhar um doce. Já era por volta de oito horas e uma névoa começava a se formar, possivelmente devido ao frio. Ela cobria o chão do quarto e olhando pela janela Kuro pode perceber que também tomava o todo o exterior do tempo. O Youkai descalçava suas botas o punha-se embaixo do cobertor enquanto terminava de tomar o resto de leite que sobrara.

"Seria mais confortável se eu pudesse tirar esse manto, mas eu não posso arriscar que me vejam. Não quero atrair atenção desnecessária." -pensava ele.

Kuro permanecia acordado algum tempo. O silencio do templo o ajudava a relaxar e embora simples, para ele aquela cama era extremamente confortável, lembrava que já dormira em situações bem piores. Mas ainda assim dormir em local desconhecido causava certo desconforto. Sua espada se localizava ao lado da cama, na mesma ponta em que descansava sua cabeça de uma maneira que poderia ser pega facilmente. Mesmo dentro de um templo o aventureiro não perdia certos costumes. Mas se aquela calma continuasse provavelmente ele cairia no sono.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Qua 6 Jun 2012 - 13:18

O Silêncio permanecia durante bastante tempo, e logo o youkai acabara por dormir. Pudera, o frio, o conforto, o silêncio.
Nenhum mortal resistiria a tal aconchego.

Ele dorme tranquilamente, enquanto dormia, se mexia e acabava por muitas vezes se descobrir e logo se puxava pra baixo do cobertor.
Havia certo leite ainda na garrafa que agora mais gélida do que antes, pelo frio.
O rapaz acordava de noite, assustado ao ouvir um grito de uma dama.

A vela havia se apagado, o escuro era completo, mas sabia que aquele grito não havia sido em seus sonhos, havia sido real.
Assustado o youkai ficava atento, logo escutava outro grito, dessa vez bem parecia um homem.

"- Mas o quê? Argh!"

Apesar de distante, os gritos assustavam o rapaz.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Convidad em Qua 6 Jun 2012 - 14:34

Inevitavelmente, a calma e o conforto do local levaram o Youkai a pegar no sono. Sempre que seus movimentos retiravam o cobertor de cima dele, rapidamente o rearrumava para evitar o frio. Essa tranquilidade permaneceria ainda por muito tempo, até que a certo ponto da noite era acordado pelo barulho estridente de um grito feminino. A vela não estava mais acesa e a escuridão tomava o local, porem sua erança felina o permitia enchergar muito bem no escuro e portanto não tinha muitos problemas. Ele levantava assustado e seus instintos logo o levavam a puxar sua espada.

_Isso agora foi um grito, tenho cer... -falava baixo consigo mesmo. Antes que terminasse a frase, era interrompido por mais um barulho.

_Mas o quê? Argh! -dizia uma voz distante.

Agora estava confirmado, algo estranho estava ocorrendo naquele lugar. Kuro não tinha tempo para se questionar o que era, preocupava-se mais com a sua segurança e com a das pessoas dali. Ele calçava novamente as botas, ajeitava o capuz do manto e prendia a bainha na cintura, junto com a espada. Buscava fazer o mínimo de barulho possivel sempre. Aproximava-se então da janela e observava o exterior do templo, usando a sombra da noite como cobertura para que não pudesse ser visto. Caso ovisse mais algum barulho, se certificaria de confirmar a direção. Se não, permaneceria ali um pouco, aguardando. Não havia sentido sair andando sem rumo por um local que nem conhecia.

Observações:

Vantagem racial: Infravisão
Creio que isso va interferir na situação agora... Desculpe os erros de português, fiz o post com pressa e sem correção ortográfica. Ah, mais uma coisa, meus atributos nessa ficha que colocaram no meu avatar tem um errinho, eu tenho 5 de Velocidade (4 pontos gastos +1 da raça), poder conferir na minha ficha.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Qua 6 Jun 2012 - 18:10

O youkai se arrumava e então saía do quarto.
O local estava escuro, mas sua vantagem racial o permitia enxergar bem mesmo assim.
O corredor parecia normal, sem grandes movimentações, sem mais barulho até ouvir novamente:

"- Aqui!"

Em seguida alguns passos parecia 2 ou 3 homens, então alguns sons de passos correndo então mais gritos de dor.

"- Ahhhhhhhhhh"

Seja lá o que fosse parecia assustador.
O som se confirmava vindo do lado de fora do templo, por onde o mesmo havia entrado.
Seguindo até lá, ao sair a porta, ele via sangue escorrido pelas escadas e um corpo estirado, parecia ter tido o peito dilacerado.

Lá fora um ser alto, tinha garras, pele azul, extremamente musculoso e chifres como de bode. Usava algo como uma toga grega, seus cabelo e barba mais pareciam uma juba única.

"-Onde está Azazel?!"

Dizia o ser enfurecido.
Estava segurando um corpo, até então sem vida, mas ele parecia não ter reparado isso ainda, então ele ficava sacudindo-o mais e mais.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Convidad em Qua 6 Jun 2012 - 22:49

Kuro mal podia acreditar no que via após seguir os barulhos de passos e gritos que ouvia. Ele agora estava do lado de fora do templo e a criatura em sua frente botava medo até em alguém acostumado a ver coisas estranhas, até mesmo em um Youkai. Ele imediatamente procurava algum lugar para se esconder enquanto ainda não havia chamado a atenção do monstro, algo como uma pilastra ou parede grande o suficiente para cobri-lo. A escuridão da noite certamente o ajudaria.

"Mas que diabos é aquilo? Um demônio? Por que uma coisa dessas está aqui. Certo, preciso me acalmar..."

Ele respirava fundo e olhava ao seu redor para ver se mais algum humano estava naquele local. Já era um pouco tarde para alguns, mas ele ainda podia evitar mais vítimas. Se alguém fosse ser atacado, ele imediatamente chamaria a atenção do monstro para si e não permitiria que ninguém se machucasse.

"Queria muito ficar aqui e esperar ele ir embora, mas parece que não vai ser tão simples. Acho que terei que enfrentá-lo... ou talvez distraí-lo." -ele pensava.

Ele não queria lutar mas não tinha escolha, não se perdoaria se alguém fosse ferido na sua frente. Também não era o tipo que realizava ataques furtivos. Então ele se revelava do alto das escadarias, de maneira que ficasse num nível mais alto que seu possível oponente.


_Quem é você e o que deseja nesse templo? -dizia ele em voz alta enquanto sacava sua espada

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Kenichi Koji em Qui 7 Jun 2012 - 12:10

Spoiler:
Algumas imagens que talvez melhorem a "visualização" do bixo




O garoto se escondia voltando a escadaria, que ao contrário das demais, era pra baixo, ficando apenas observando e refletindo sobre suas futuras ações, enquanto isso o demônio continuava a sacudir aquele corpo mais e mais, até que os membros começassem a se desprender, mostrando tamanha a força do monstro.
O youkai após alguma reflexão resolvia atacar para tentar eliminar o bixo, antes que mais alguém fosse ferido, talvez não a decisão mais sensata
para si, mas a mais heróica.
Ao vê-lo o demônio jogava o corpo para longe e gritava ao youkai.

"- ONDE ESTÁ AZAZEL?!"

A criatura deveria medir algo próximo a 3 metros, tanto na altura quanto na largura era enorme, mas como tal criatura teria chegada "Despercebida" ao templo?

A criatura após o grito investia contra o youkai que estava entre um pilar e as escadarias, não tinha pra onde correr.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Templo de Jilya

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum