Casa do velho pescador

Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Casa do velho pescador

Mensagem por ADM Ichirou Youta em Sex 9 Abr 2010 - 17:01

Casa do velho pescador Casadovelhopescador

Um barraco no meio do nada. Uma vaca que lentamente come o pasto ao redor e um senhor com sua inseparavel vara de pescar. É tudo a que se resume essa parte do rio. O velho yokai,com suas barbas longas e seu seu jeito caipira ja foi visto por muitos que passam pelo rio mas ele prefere viver sozinho,com sua casa a beira do rio e sua vaca mimosa. Aqui,é o melhor lugar possivel para se comer um peixe frito a beira do Sirius e ouvir uma boa história. E pescar como pode se supor...é um hobbie bem vindo.

__________________________________
Casa do velho pescador Ichi_sing1_2013

Spoiler:

Casa do velho pescador Ativo
Chupem !

ADM Ichirou Youta
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário http://zephyr.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Re: Casa do velho pescador

Mensagem por daniel_lawliet em Ter 22 Mar 2011 - 20:44

Depois de um bom tempo observando o rio, o demônio curioso não podia deixar de escutar um barulho irritante e contínuo,que parecia estar vindo de uma pequena cabana próxima à margem do rio. Alucarel ouvia aquele "ploc . . . ploc . . ploc",até ficar de saco cheio,e ir até o local ver o que ali estaria acontecendo.


Chegando próximo da casa,o demônio via uma bela vaca leiteira,alimentando-se do capim farto no local,parecendo estar vivendo muito feliz e sem outras preocupações. Alucarel podia sentir cheiro do que parecia ser peixe-frito vindo de dentro daquela cabana tão aconchegante; Mas, ele sentia também outra coisa. Sentia uma estranha vibração no ar,uma espécie de energia irradiando do local,indicando a presença de alguém ali. Era o máximo que ele podia sentir,mas esse pouco conseguia lhe informar com sua experiência,que quem ali habitava,não era uma pessoa comum. Isso é,se era realmente uma pessoa.


O demônio tirava a espada do ombro,apoiando sua ponta no chão,e se apoiando na mesma como uma bengala. Ele então bateu três vezes na porta de madeira da cabana,e três vezes poderia se ouvir o ruído oco de suas batidas ecoando dentro da casa. Alucarel esperava então que alguém abrisse a porta,pelo menos que falassem com ele algo,lhe recepcionassem,enquanto esperava naquele ar fresco e com cheiro de terra molhada às margens do rio Sírius.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Re: Casa do velho pescador

Mensagem por Gee em Qui 24 Mar 2011 - 0:36

Assim que você bate na porta o barulho irritante do "ploc...ploc...ploc" para subitamente.
E, após uns dois segundos de tensão, uma voz fraca e falhada diz:

- Estou aqui atrás da casa, dê a volta!

Circundando a casa havia uma pequena varanda feita de madeira.
Além disso também era possível perceber que a casa ficava bem próxima ao rio, e que se o dono da casa quisesse, até mesmo poderia pescar da janela da cozinha; cozinha esta que se encontrava nos fundos da casa e de onde vinha o delicioso cheiro de peixe frito.
Gee
Gee
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Re: Casa do velho pescador

Mensagem por daniel_lawliet em Ter 10 Maio 2011 - 16:59


E desta forma, o demônio Alucarel fazia como o morador daquela casa pedia, e ia até a parte de trás da mesma. Seu olfato apurado permitia-lhe sentir o cheiro de peixe frito, vindo da janela da parte de trás da casa, janela essa que parecia ser da cozinha.
Realmente, aquele Rio que corria praticamente sob a janela da cozinha da cabana dava um ar bem tranquilo àquele lugar. Alucarel estava cansado de todas as confusões que havia vivido no mundo inferior antes de ser praticamente banido para o mundo dos mortais, e um pouco de descanso agora não seria nada mal para ele.
Caminhando lentamente até a varanda da casa, Alucarel sentava-se na mesma, fincando sua espada fortemente no chão, para poder descansar suas mãos. Ele estalava os ossos dos dedos da mão e também os do pescoço. Estava bem tenso.
Alucarel então coçava os olhos com o dedo indicador e o polegar, apertando também o osso superior do nariz que ficava entre ambos seus globos oculares. Aquilo lhe deixava relaxado, enquanto ele tinha que aguardar a pessoa que habitava aquela velha cabana no meio da floresta, para ter finalmente alguém com quem conversas que não fosse um esquilo ou outro animal irracional ( e também pegar informações sobre o local onde estava )

- Bem Senhor, estou sentado aqui em sua varanda, tudo bem? estou um pouco cansado. Fiz uma longa viagem. -

"E põe longa nisso . . ."

Voltar ao Topo Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Re: Casa do velho pescador

Mensagem por Gee em Ter 10 Maio 2011 - 17:55

@ Daniel

- Bem Senhor, estou sentado aqui em sua varanda, tudo bem? estou um pouco cansado. Fiz uma longa viagem.
Velho:
Casa do velho pescador Preto%2Bvelho

- Sem problema meu rapaz. - Após dizer isso você vê o velho saindo pela porta dos fundos com um prato cheio de peixes fritos. Ele veio mancando levemente e um pouco curvado pela idade e lhe ofereceu o prato.

- Pegue quantos quiser garoto, sei como sua viagem foi longa e principalmente turbulenta. Tire também essas botas e molhe os pés no rio, você vai gostar. - Terminou a frase com um sorriso muito simpático.

- Eu estava arremessando algumas pedrinhas, hehe, meu último visitante me ensinou isso e não consegui mais parar de jogar. Se quiser me acompanhar podemos nos divertir bastante.
Gee
Gee
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Re: Casa do velho pescador

Mensagem por daniel_lawliet em Qua 11 Maio 2011 - 23:00


Aquele simpático senhor falava com um sorriso na cara, o que animava cada vez mais Alucarel. Ele parecia ser alguém muito simpático, tanto é, que havia oferecido ao demônio alguns peixes fritos. Como estava faminto, ele não resistiu, e pegando um dos peixes com as próprias mãos, cheirava-o profundamente, sentindo aquele cheiro gostoso de comida que havia acabado de ser preparada, e logo dava uma bela mordida no mesmo.

A carne macia do peixe era deliciosa, fazendo o estômago do demônio roncar de satisfação por estar recebendo comida. Alucarelo cuspia as espinhas do peixe no gramado, e continuava à comê-lo satisfeito. Pegava outro peixe, e logo começava a degustá-lo também, sentindo seu delicioso sabor. Aquele senho esbanjava simpatia, mas ainda assim, Alucarel sabia que muitas vezes, as pessoas mais simpáticas poderiam ser justamente as mais perigosas.

O senhor então convidava o demônio para jogar alumas pedrinhas no rio, algo que ele fazia com uma cara de grande satisfação. Mesmo desconfiado, Alucarel não podia desperdiçar alguns momentos de tranquilidade como aqueles. Ele retirava seus sapatos, deixando seus pés tocarem a grama da floresta. Ele pegava sua espada, arrancando-a do chão, e a colocando em seu ombro enquanto caminhava até a margem do rio com aquele senhor. Ele levantava a barra da calça, deixando seus pés mais à mostra, e sentando-se na beira do rio, molhava seus pés naquela água gelada.
Ele sorria, e junto com aquele senhor, pegava algumas pedras, e começava a tacar no rio da mesma forma que o velho fazia, se divertindo ao fazer aquelas inutilidades, mas que ainda assim eram muito relaxantes.


- Fazem séculos que eu não me divirto assim!! -

Voltar ao Topo Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Re: Casa do velho pescador

Mensagem por Gee em Dom 15 Maio 2011 - 2:31

- Imagino, imagino... - o velho respondeu amigavelmente.

As pedrinhas que ele jogava iam muito mais longe pois iam ricocheteando na superfície da água enquanto as suas logo nos primeiros ricochetes afundava fazendo um som engraçado. Era o ploc...ploc...ploc...ploc do velho e os ploc...shglun...ploc...shglun...ploc...shglun

- Acho que você jogaria mais longe se largasse essa espada e me imitasse, no momento não há necessidade disso aqui. Entendo que você deve ser desconfiado como todo aventureiro, mas lhe asseguro que dentro de minha propriedade nada lhe fará mal!

Você percebe a verdade nas palavras do velho e estranhamente se sente um pouco reconfortado.

- Agora eu gostaria de saber quais seus projetos futuros, o que pretende fazer, para onde pretende ir, Zephyr é muito grande...
- Talvez eu possa ajudá-lo em algo, só peço que deixe algum de seus conhecimentos aqui, me ensine alguma coisa pois sou ávido pelo conhecimento apesar de não ter muito estudo.
Gee
Gee
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Re: Casa do velho pescador

Mensagem por daniel_lawliet em Dom 29 Maio 2011 - 23:35

O demônio ouvia tudo que o velho do rio falava. Ele podia confiar em seu poder sem a espada, então largava a mesa de lado, e começava a fazer assim como velho, tacando as pedras no lago, dessa vez com um cuidado maior. Elas quicavam mais facilmente, chegando perto da maneira que o velho fazia. Alucarel ouvia tudo que ele falava, e resolvia se abrir um pouco, afinal era apenas mais um humano neste mundo, que acharia que ele era louco pelas coisas que seriam ditas em seguida.


- Bem, meu nome é Alucarel. Pelo menos, é o máximo que você conseguiria entender ou pronunciar sendo um humano. Estou vindo de uma viagem do inferno. Está mais para uma fuga, mas mesmo assim estou procurando me divertir por aqui. Fiz algumas coisas erradas lá embaixo, mas nada que faça eles me caçarem até aqui, eu espero. Apenas não posso botar meus pés lá novamente por algum tempo. Estou agora caminhando por aqui, e não sei para onde ir. Apenas quero mais poder, entende? Ganância clássica de demônio. Se quiser fazer um pacto, à propósto, ficaria feliz em ser aquele que lhe providenciaria as coisas por sua alma!-


O demônio parava um instante para pensar no que havia dito. Ele realmente não estava tendo limites. Era apenas um velho, o que ele iria querer trocando sua alma?

-Perdão senhor, acho que exagerei. Enfim, o que eu desejo é poder, e não sei para onde vou em Zephyr. Simplesmente não tenho nenhum plano formado. Bom, o que você pediu estou lhe dando, um pouco de conhecimento, algo que você guarde por toda sua vida. Demônios em sua maioria são traiçoeiros, não confie neles. Eu sou um, mas mesmo assim não tenho nada contra os humanos. Os acho . . . "interessantes", gosto de estudar seus habitos, aprender com eles e lhes ensinar também o que sei com minhas centenas de anos. -


Ele acabava assim aquela conversa, esperando a resposta do senhor, e jogando ainda algumas pedras no lago. Estava cada vez melhor, mas jogava as pedras com tanta força que elas poderiam matar algum animal caso o acertassem. O demônio então parou um pouco, estalando os ossos de seus dedos, e bocejando com a boca bem aberta, deixando seus caninos proeminentes à mostra.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Re: Casa do velho pescador

Mensagem por Gee em Qui 16 Jun 2011 - 2:31

Assim como você, o velho parou de jogar as pedras, ele se aproximou e você pôde sentir um poder emanando dele, isso o deixou inquieto. Ele então disse:

- Alucarel, seus conhecimentos me são bem vindos e eu lhe passo alguns agora, nunca subestime o próximo, mesmo que este lhe pareça um velho em seus últimos dias de vida - ele deu uma piscadinha marota ao dizer isso - ou uma criancinha indefesa.

- O poder meu caro, não é algo a se buscar do lado de fora, ele está dentro de você e de mim, de todos nós e à nossa volta. Você só precisa aprender a canalizá-lo e controlá-lo.

- Bom, era isso que eu tinha a lhe ensinar meu caro, dentro de poucos minutos um amigo meu virá me visitar e poderá lhe dar uma carona. Espere aqui, irei pegar uma bebida, estou com a garganta seca.

E dizendo isso o velho apanhou o prato de peixe frito, comeu o último e entrou na casa.

O tempo estava levemente abafado mas o rio compensava soltando no ar vapores d'água refrescantes de tempos em tempos. Passado algum tempo você pôde ouvir barulho de vidro tilintando dentro da casa.

De repente uma névoa densa se eleva do norte e cobre todo o local, no meio da névoa é possível ver uma bela luz azul cintilante se aproximar calmamente. A forte correnteza do rio antes, agora estava tão calma quanto um lago.

Um barco de beleza sublime apareceu no meio da névoa com uma lamparina azul enorme presa à sua proa.
Casa do velho pescador 3302
Um único homem se via sobre o convés, ele manejava o timão com leveza e graça.
Casa do velho pescador Nick-nolte
O navio foi se aproximando da margem onde você estava e aportou a alguns metros. O homem então tocou um sino que pareceu soar forte apesar do tamanho do mesmo.

O velho então saiu da casa com uma garrafa de hidromel e 3 copos, lhe deu um e jogou o outro ao homem do barco, após servir a você e a si mesmo fechou a garrafa e a jogou para o homem novamente que a pegou com facilidade.

- Bem vindo João, como sempre chegou na hora certa! Hehehe - disse o velho.

- Você bem sabe que nunca recuso uma boa bebida meu amigo! - respondeu-lhe João, o pescador.

O velho então se volta para você e lhe apresenta:
- Alucarel, este é João, o pescador. Ele lhe dará uma carona até onde precisa ir.

Uma escada feita de cordas é lançada da proa do barco e João lhe fala:
- Suba aí garoto! Vamos ver se você se acostuma com um pouco de maresia!
Gee
Gee
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Casa do velho pescador Empty Re: Casa do velho pescador

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum