Belrin Aubergine

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Belrin Aubergine

Mensagem por Belrin Aubergine em Ter 15 Nov 2016 - 23:57

Nome do Personagem: Belrin Aubergine ¹
Raça: Halfling (2 pontos)
Classe: Artista 
Nível do Personagem: Nv. 01
Idade Real/Idade Aparente:  35 anos/25 anos
Altura: 85 cm
Peso: 19 kg

  • ¹ : Aubergine - do francês; significa Berinjela.

Características Físicas:
Dentre gigantes musculosos capazes de deformar cabeças com as próprias mãos, elfos de infinita beleza peritos na arquearia e outras variadas e fantásticas bestas que habitam o mundo, eis que surge entre eles a pequena criatura; Não mais que 85 centímetros de altura, cabelos tom de carvalho, pele rosada, orelhas pontudas, narinas arredondadas, lábios carnudos e feição amigável. Ligeiramente rechonchudo e de aparência inocente, oferece uma imagem de fanfarronice e irreverência. Traja uma cota de algodão com detalhes bordados em falso ouro, uma calça feita de algum trançado artesanal e um largo cinto de couro onde ficam pendurados seus pertences. Ao redor do pescoço um manto grosso com capuz. Nada nos pés - que por sua vez são largos e grossos com pelos em sua superfície.
<br>Personalidade:
É o primeiro a pular no perigo do desconhecido e, ao mesmo tempo, o primeiro a fugir amedrontado. Em sua infinita bagagem imaginária é capaz de armazenar histórias tão incríveis que deixariam reis de boca aberta e o mais poderoso dos guerreiros de olhos úmidos. Um aventureiro em sua essência; muito perspicaz e sempre a procura de tesouros acaba se colocando em situações desconfortáveis e possivelmente fatais, algumas vezes por conta de seu comportamento sarcástico e/ou brincalhão e outras por conta de sua curiosidade incontrolável.

Tem um certo pavor de confrontos e os evita a todo custo, dependendo quase que unicamente de sua lábia afiada para se safar de confusões. Basta poucos minutos em um grupo de pessoas para que se torne o centro das atenções (para o mal ou para o bem). Não tem problemas em fazer amizades mas tende mais para a desconfiança, demorando um tempo para se sentir confortável em dividir sua intimidade. No entanto não tem a menor dificuldade em implorar por ajuda caso precise.

Está sempre inventando façanhas absurdas a seu respeito e costuma sempre dar desculpas esfarrapadas para suas escapadas medrosas. Tem boa índole apesar de tudo; se uma pessoa se mostra realmente importante para ele, procura lutar contra seus medos nem que seja para um discurso de encorajamento antes de se esconder no buraco mais próximo.
<br>História:
Os campos férteis saciavam os olhos daqueles pequenos trabalhadores. Presenciar o verde intenso era o mesmo que apreciar um bom e farto pedaço de torta de abóbora salgada, acompanhado de uma cerveja artesanal do senhor Gildrian. Halflings apreciavam as pequenas riquezas! Sabiam o valor que vinha intrínseco nos momentos mais simples. Mesmo que houvesse aqui e ali algumas grandes preocupações, lidavam normalmente com uma infestação ou outra, alguns bêbados e animais que invadiam a cozinha para roubar frutas. A pacata cidade dos hobbits prosperava tranquilamente graças a diplomacia empregada nos acordos comerciais com o Campo de Vinhedo. Eram eles os que forneciam uma notável quantia dos recursos naturais e animais futuramente comercializados com o Vale dos Ventos.

Na bagagem dos pequeninos, mesmo que por muitas vezes subestimados, havia o peso de seus ancestrais; Guerreiros ágeis e formidáveis que ajudaram no desenrolar de algumas guerras menores do passado. E em sequência os avôs e pais que ajudaram na formação de alianças pacíficas entre variadas regiões - permitindo, inclusive, que alguns amontoados de halflings formassem outros vilarejos em outras localidades. No entanto grande parte da nova geração se contentava com a vida e paz do campo. Alguns tinham coragem de se aventurar nas águas do desconhecido, mas por um tempo determinado até que se cansassem e voltassem ao lar. Outros deixavam a vila unicamente para viagens programadas com o intuito de fazer alianças, trocar informações ou até mesmo comprar ferramentas e produtos que poderiam aprimorar a existência que levavam.

Mas o que ficou marcado na memória de alguns poucos que tiveram o infortúnio de presenciar, foi o dia em que Belrin perdeu sua coragem. Ainda em seus anos infantis corria pelos campos brincando com os outros garotos. Não possuíam ainda idade para ajudar os pais e por isso quase que passavam o dia a vadiar. Curiosos com o brilho que saía de uma pequena caverna afastada da vila, adentraram-na esperando saciar sua bisbilhotice. Belrin sempre portou a alcunha de destemido. Orgulhava-se disso e por muitas vezes exagerava um pouco nas histórias que contava sobre suas inúmeras brincadeiras. Como descrito, foi o primeiro a entrar. Atrás dele seus dois amigos que se esgueiravam num semi medo. Ali, no fundo da alcova, jazia uma esfera transparente que emitia uma intensa luz branca. Quanto valeria? Comida? Festas? Sua ganância tomou conta por breves instantes.

Após arregaçar as mangas e morder a língua numa feição sapeca, tocou o objeto. Seus olhos se tornaram brancos! Seus dentes se apertavam e rangiam enquanto uma espuma escorria no canto de sua boca. Pouco a pouco a esfera se tornou vermelha como o fogo mais intenso. Ao passo que os amigos retornaram com a ajuda, Belrin se encontrava desmaiado e sozinho. A pedra havia desaparecido. Nos dias que se passaram ficou nítido para os pais e amigos que o pequeno já não era o mesmo. A coragem que possuía havia desaparecido por completo. Por fora parecia o mesmo fanfarrão de sempre, mas assim que uma situação de confronto despontava, se encolhia, escondia ou fugia.

O tempo mais uma vez passou. Agora, aos 35 anos, havia se lapidado numa criatura covarde mas muito astuta e perspicaz. Procurava resolver seus problemas com sua poderosa lábia e ainda se considerava rei ao contar suas histórias. Decidido, foi numa numa madrugada comum que se despediu dos pais e conhecidos para enfrentar o mundo. Iria sozinho pois estava em busca de sua coragem e o primeiro passo não poderia ser dado com o medo.


ATRIBUTOS:

Força: 0 [+ 0]
Habilidade: 2 [+ 1]
Velocidade: 2 [+ 1]
Resistência: 2 [+ 0]
Inteligência: 3 [+ 0]
Balística: 0 [+ 0]

HP: 2 x 10 + 4 = 24/24
SP: 3 x 10 + 6 = 36/36



Talentos:
- Ameaçar.
- Carisma Exacerbado. 
- Melodia = Flauta. (1 Ponto)

Pericias de classe:
- Teatro nv.03.

Perícias:
Acrobacia nv.01 
- Camuflagem nv.01
- Arrombamento nv.01

Vantagens Raciais:
- Agilidade.
- Furtividade.

Vantagens:
- Arte (1 ponto).
- Eloquente (1 ponto).
- Sobrevivência (1 ponto).
- Sorte (2 pontos).

Desvantagens Raciais:
- Fanfarronice.
- Modelo Especial (pés e altura).
- Traço Marcante (pés).

Desvantagens:
- Covardia (-2 Pontos).
- Ganancioso (-1 Ponto).
- Sarcástico (-1 Ponto).
- Curioso (-1 Ponto).

Estilo de luta:
- Briga

Movimentos do estilo de luta:


Itens:
30 POs
- Adaga (10 POs)
- Flauta de Bambu (10 POs)

Magias:
-

Resumo de Custos:

Raça: 2 pontos.
Classe: 0 pontos.
Talentos: 1 ponto.
Atributos: 9 pontos.
Vantagens: -5 pontos.
Desvantagens: +5 pontos.
Movimento estilo de Luta: 0 pontos.
Total de Pontos Utilizados: 12 + 5 =  17

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Belrin Aubergine

Mensagem por tabuleiromistico em Qui 17 Nov 2016 - 0:04

Tudo certo. Ficha aprovada.
avatar
tabuleiromistico
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum