Campanha: A guerra de sangue

Página 8 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... 7, 8, 9, 10, 11  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Merique em Ter 27 Dez 2016 - 1:57

"Hmm.. droga, cheguei e tudo já está uma bagunça, bem, acho melhor apressar as coisas então, mas me transformar na frente de uma garotinha que acabei de conhecer..."


Merique abre um sorrisinho um pouco hesitante e desconfortável gaguejando um pouco ao falar.

-Eu... e... eu... não gosto muito de assumir minha forma animal na frente de uma estranha... e... e você também pode se transformar não é mesmo? Porque você não me leva na sua forma de dragão? Eu ouvi tudo, inclusive o urro de dragão que você soltou ao ser abatida pelas bolas... e... correntes de ferro... é verdade, eles vão te avistar e provavelmente nos atacar se você assumir sua outra forma...


"Ah, fazer o que, ela é uma aliada, tenho que mostrar mais confiança se quero fazer amizades e ajudar cumprindo minha missão"


Merique dá um sorriso mais confiante e decidido, já mudando de forma, se transformando em um grande lobo branco com um toque acinzentado e dobrando as patas para Julia subir, usando sua biolinguagem para continuar conversando.


-Prazer Julia, pode subir, se segura porque vou correr, mas cuidado para não puxar muito meus pelos hein!


Assim que Julia subisse, Merique dispararia a toda velocidade usando seu sonar e sentidos aguçados para traçar o melhor caminho sem esbarrar nos perseguidores de Julia e percorrer a floresta o mais rápido que sua forma lupina permitisse em direção ao acampamento que ela indicasse.
avatar
Merique
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por di'Leviathan em Qui 5 Jan 2017 - 8:37

Ainda sem compreender o que havia acontecido Scarlet encarava o albino admirada com seus reflexos tão rápidos. 

[Ação ]: Olha para trás tentando ver o que havia quase a acertado.

O albino a sua frente vira-se para a vampira e começa a ameaça-la, mas sem tirar o sorriso sínico do rosto. 

[Ação ] A vampira vira-se para o albino. Scarlet inclina-se para direita apoiando-se apenas em um perna e cruza os braços na frente do corpo. 

[Fala]: - Uau, você tem peito hein garoto. Ameaçar uma arquieduquesa assim sem nem hesitar é digno de admiração, porém, arrogância apenas leva encurta o tempo de vida - diz a vampira com um sorriso sarcástico no rosto - essa sua ameaça seria o suficiente pra te colocar nas masmorras com direito a longos banhos de sol já que está precisando pegar uma cor - pouco a pouco o sorriso em seu rosto ia desaparecendo dando lugar a um expressão sem emoção e séria - e queria apenas ressaltar uma coisa, não sou obrigada a ficar grudada com a rainha e só o faria caso fosse requisitado- retruca a vampira de forma hostil - E não preciso de testemunhas nem álibis, pois em pegite sua palavra não tem valor algum ou acha que acreditariam em você, um mercenário desconhecido que ninguém sabe de que buraco surgiu. 

[Ação]: A jovem descruza os braços, respira fundo e da um sorriso de canto de boca e caminha em direção ao albino, aproximasse pelo lado contrario ao que se encontrava o gato e beija a bochecha do albino afastando-se logo em seguida.

[Fala]: Gosto de pessoas com coragem - diz com um sorriso no rosto.

[Pensamento]: Pronto isso deve ser o suficiente para deixá-lo confuso.

Obs: magia utilizada :
O beijo do vampiro - 4sp.
avatar
di'Leviathan
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por JonasFakeMan em Sex 6 Jan 2017 - 2:50

Grathug havia feito dezenas de cadáveres esmagados por seus temidos punhos, mesmo sendo quase imbatível para as formigas do culto, ele já sentia o cansaço batendo em seu peito. Começava a respirar mais profundamente e suor se misturava ao sangue em seu corpo que quase não havia mais pele exposta, apenas sangue. "Droga...eles são muitos para apenas um...não sei quanto tempo aguento mas tenho que fazer isso por ela!". Pensou. Ele cessa por um momento os ataques, os soldados todos ao seu redor o encaram tremulando por de tras de seus escudos e armaduras ao mesmo tempo que alguns o olhavam com ódio. Morfeu sente a aflição de Grathug e resolve dar uma mãozinha. "Creio que terei de interferir em seus assuntos mortais, Orc". Falou dentro da cabeça do Orc cujo cai no chão apertando o braço de ferro fechando a cara de tanta dor, mas não o suficiente para fazer o Orc sequer fazer um gemido. De seu braço podia ouvir a carne por de tras queimando e Aura de magia negra se esvaindo e se materializando em um espírito negro sem face com longas garras. O Orc se recompõe com pouca dificuldade alongando o braço encarando novamente os inimigos com a energia brevemente restaurada pela adrenalina da dor profunda. "Lembre-se,orc, não sou seu aliado, apenas o ajudo para minha própria sobrevivência". Falou Morfeu ao Orc. Morfeu se posiciona de costas ao Orc para prover assistência à ataques pelas costas. Mais ao fundo Morfeu vê arqueiros se aproximando. "Isso não é bom, Orc arrume algum lugar para se defender...orc?". Ele apenas o perde de vista por alguns segundos e Grathug já estava novamente avançando contra os soldados quebrando o círculo, seu jeito animal e sua brusca e exagerada força estavam as mesmas fazendo os soldados voarem voarem a ada golpe, porém estava ficando lento devido ao cansaço. "Tenho que matar...matar. ...matar...matar!matar!matar!" Gritou rindo maliciosamente. Enquanto continuava sua loucura sem sentido Morfeu continua aras da criatura dando assistência.
avatar
JonasFakeMan
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Convidado em Seg 9 Jan 2017 - 0:53

Todos:

Percebia-se que havia algo de estranho nos supostos soldados que enfrentavam, pois aqueles supostos soldados que haviam sido derrubados se reerguem revelando serem apenas ilusões, por alguns minutos diante de seus olhos pareciam trepidar diante de seus olhos, enquanto o orc fora de controle parecia estar muito cansado por enfrentar as ilusões, quando lentamente. Mal sabia ele que em meio a aquelas ilusões havia alguns soldados que se aproximavam lentamente em suas costas. Enquanto isso lich se utilizando de sua aura e aparência ameaçadora enfrentava seus adversários de forma cruel eliminando um destes mercenários com sua foice embebida com sua energia negativa se transportando para perto de um destes inimigos e com sua arma decapita com apenas um golpe diante dos olhos dos demais, enquanto o minotauro rodopiando teu machado acaba por golpear um inimigo que se aproximava pela retaguarda do necromante. O anão de forma brava avança contra Leroy com seu martelo, mas seu golpe e bloqueado, mas Drinnar o golpeia com sua espada de forma que o seu inimigo não esperava, o transpassando com sua espada causando um grave sangramento: – Você me paga por esta afronta, pode ter ganhado esta com a ajuda deste anão, mas da próxima vez ele não estará por perto para ajuda-lo. – então ferido ele se afasta dando alguns passos atrás, correndo em seguida para mata onde desaparece. Mas antes que pudessem ir atrás e Leroy, dois soldados fica em seu caminho impedindo que prosseguissem. Enquanto alguns metros do combate a vampira que se encontrava em companhia de Phael se utiliza do beijo do vampiro que pega o albino de surpresa, surtindo efeito logo que seus lábios são tocados pelos da bela duquesa o deixando desnorteado.  A ressurgida que tinha perdido o yokai de vista se encontrava agora ecoada por dois soldados que pareciam dispostos a elimina-la a qualquer custo. O yokai segue com Julia em suas costas rapidamente pela floresta seguidos por um grupos de soldados que tinham acabado de avistá-los. E graças a seus sentidos aguçados para se esquivar de alguns soldados que surgem para tentar agarra-los, frustando a tentativa de captura. Então algumas horas percorrendo a floresta ele chegam ao acampamento onde encontram um cenário caótico.


Última edição por Azetlor em Qua 11 Jan 2017 - 2:12, editado 1 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Lord Death em Seg 9 Jan 2017 - 22:30

Os soldados não eram nada a sua frente, simplesmente eram o que era: mortais, criaturas inferiores fadadas a sucumbirem diante de sua presença, mesmo não tendo nem uma fração de seu verdadeiro poder, tomar-lhes a vida era algo fácil e estranhamente divertido, afinal, precisava agora utilizar da criatividade para executa-los, dentro de um contexto limitado de possibilidades de ação.

Mesmo tendo alertado-os, os soldados permaneciam de pé, possivelmente em choque ou quem sabe a estupidez e descrença em suas palavras não os atingiram adequadamente, mesmo tendo dado aquele exemplo, desaparecendo e ressurgindo cortando de forma cirúrgica a cabeça do soldado num golpe só.

Sabia que demoraria um pouco para reunir energia para se transportar novamente, então ganharia um pouco de tempo ate isso.Começou a caminhar lentamente, de forma ameaçadora e assustadora, fazendo surgir as mesmas trevas de sua foice em baixo da cabeça decepada, erguendo-a ate sua mão coberta pelas mesmas trevas, falando alto só que em uma espécie de monologo. 

- "Ser ou não ser, eis a questão: será mais nobre

Em nosso espírito sofrer pedras e flechas

Com que a Fortuna, enfurecida, nos alveja,

Ou insurgir-nos contra um mar de provocações

E em luta pôr-lhes fim? Morrer.. dormir: não mais.

Dizer que rematamos com um sono a angústia

E as mil pelejas naturais-herança do homem:

Morrer para dormir... é uma consumação

Que bem merece e desejamos com fervor.

Dormir... Talvez sonhar: eis onde surge o obstáculo:

Pois quando livres do tumulto da existência,

No repouso da morte o sonho que tenhamos..."



E então ele ergue um pouco seu punho segurando-a e esmaga o crânio ainda moribundo com suas trevas, fazendo alguns restos de carne e fragmentos de ossos espirrarem para os lados, num espetáculo de horror. Então ele parou, levantou a cabeça e olhou ao seu redor, pronunciando para eles.


- Quem entre os que ousam não me reverenciar que será o próximo a dormir?
avatar
Lord Death
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Thordin Ironhammer em Sex 13 Jan 2017 - 14:51

 então ferido ele se afasta dando alguns passos atrás, correndo em seguida para mata onde desaparece.


@Ao ver que seu inimigo ao ser ferido fugiu, o Ana Pragueja:
- Covarde!!!
- Isso mesmo!
- Corra como um guri assustado!!!


Mas antes que pudessem ir atrás e Leroy, dois soldados fica em seu caminho impedindo que prosseguissem

E então meu cumpincha??
O da esquerda é meu e o da direita é teu?
Diz o Anão ao Draconato.

RRRRRAAAAAWWWW!!!!

Thordin parte pra cima do soldado da esquerda e procura golpea-lo na parte posterior do joelho para derrubar seu oponente.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por tabuleiromistico em Sab 14 Jan 2017 - 16:41

- O mais interessante é que estou lutando contra um exército falso inteiro e ainda reclama. Realmente é por isso que não gosto de pessoas traiçoeiras, afinal, estas não são pessoas corajosas.
"É uma pena! Creio que dá próxima vez irei usar Coragem Mágica em você Leroy, afinal não quero que você fuja."
@Drinaar dá uma gargalhada e olha para o anão.
"Que bom que Júlia voltou."
- Júlia, já lhe devolvo seu machado.  Eu daria conta dos dois sozinho Thordin, mas eu deixo você se divertir.
@Drinaar aproveita e ataca o soldado a sua direita com o machado da Júlia.
@Drinaar gargalha novamente
Off: não vejo mais motivos de jogar essa campanha, e por isso estou me retirando.


Última edição por tabuleiromistico em Dom 22 Jan 2017 - 23:47, editado 2 vez(es)
avatar
tabuleiromistico
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por JonasFakeMan em Ter 17 Jan 2017 - 16:28

Expirando e inspirando devagar não entendia oque estava acontecendo muito bem. Já tinha gastado quase toda sua energia e isso era evidente por estar suando muito e respirando de forma brusca. Ele passa a mão no rosto tirando o suor e fica em posição defensiva com os músculos flexionados e braços perto do corpo. Ele tenta continuar mas o cansaço ainda é grande e por experiência sabe que seria muito ruim levar algum ataque direto nessas condições ou ele mesmo atacar pois se exagerar na força pode desmaiar de cansaço, e orcs não tem bom controle. Continua em posição mais defensiva protegendo suas partes mais vitais e mantendo cabeça baixa. 
avatar
JonasFakeMan
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Stained B. em Qua 18 Jan 2017 - 7:31

Após descer da árvore e continuar o dialogo, jogou suas cartas e esperou o contra-ataque da vampira, imaginava o que ela usaria dessa vez para fazê-lo recuar.  Percebe que a mulher não se intimida com suas palavras nem tenta reconsiderar e imaginar o que poderia vir de suas respostas.
 
 - Ameaças? Acha que eu vim para uma guerra para brincar com palavras e me divertir... Talvez seja, mas vai querer arriscar?- Responde, claro que com a feição de sempre. – Masmorra... Quem está ameaçando agora? Como eu disse; você fica melhor quando sorri. – Chega a se divertir com isso. “Masmorra... ” A palavra lhe trás conforto, uma memória de infância, um sentimento pelos abismos do castelo negro que o trouxe ao lugar onde está, e também um déjà vu materno como uma lembrança perdida. “Seria  um sonho ser deixado nas masmorras de Pejite e destruir o reino de dentro para fora.”
 
 O andrógino já havia dito, levando em conta que a abandonou Agness na tenda durante o ataque e depois do orc destruindo os soldados em fúria, o anão que estava ao seu lado, e agora esse encontro... “ A voz de uma arquieduquesa não será nada em um reino já destruído por dentro, o Senhor do Caos já se alojou dentro de Pejite como uma infecção... Azetlor está neste acampamento, está na floresta, está nas tropas aliadas, nas tropas inimigas e nenhuma voz poderia ficar diante a dele.”  
 
 Percebe o avanço, de certa forma não parece hostil, mas vindo de um inimigo o que não seria? Nobert olhou para seu dono vendo a mulher se aproximando, o gato já sabia que o albino evitaria contato como sempre faz com qualquer pessoa, Prehael nunca deixava o tocarem. Entretanto, dessa vez nem se moveu. Enquanto deixava sua companhia fazer sua jogada.  Levou os dedos até o rosto, o lado qual foi beijado, por mais que não sentisse seu corpo, estava claro que este estava mais fraco. Cambaleou para trás até se encostar-se À árvore da qual estava sobre antes, sua vista turva mal podia ver o que estava a sua volta. A principio mostrou falta de ar, até Nobert se assustou, mas mesmo em uma situação desvantajosa Prehael ainda tinha por que sorrir e até rir baixo. – Como havia mencionado... – Dizia com dificuldade. – Até mesmo a vampira com olhar de desprezo pode se mostrar especial, estava imaginando quando iria fazer algo de útil ou só trocar palavras. – Tentava se controlar para manter a forma humanoide, seu corpo estava quase forçando sua transformação involuntariamente. “Cada segundo nos aproxima da morte, cada segundo perdido com palavras nos faz perder oportunidades, enquanto essa conversa se prolongava a morte se aproximava em nossa volta e agora ela se ergue.”
 
 Mesmo sem enxergar o seu redor, podia sentir a energia mórbida dos cadáveres deixados pelo orc. Usando suas magias sombrias, sua aura esverdeada se espalha por torno do lugar como uma neblina caçando os corpos. Do chão, os soldados de Pejite ao redor do brutamonte amarronzado passam a se levantar, os cadáveres feridos e recentemente mortos agora caminham como zumbis para proteger Prehael.  Não muitos, não pretende gastar sua energia com apenas soldados frágeis, esta seria apenas a primeira parte do plano. Agora que jogou a isca, espera pelo orc ver seus inimigos voltarem a andar e caminharem para perto para assim atrair o gigante para uma batalha onde não seria alvo da muralha de músculos a sua frente. - Venha e mostre-se por qual motivo escolho você aos demais, ou falhe e deixe a vampira tomar seu lugar como meu favorito. - Dizia para o orc sob sua alucinação enquanto abria mão dos zumbis para em seguida se concentrar no orc.
 
 Talento utilizado: Evocar Morto (-3SP por turno)
avatar
Stained B.
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Merique em Qui 19 Jan 2017 - 12:48

Merique correu o mais rápido que podia em sua forma de lobo com Julia em suas costas, desviando de perseguidores com seus sentidos, quando estavam prestes a chegar ao acampamento Merique desfez sua transfomação voltando a forma humana e deixando Julia no chão. Usando seu sonar e sentidos aguçados avaliou a situação do acampamento e dos aliados contratados pela verdadeira rainha e tomou um susto.

"Mas que droga de bagunça é essa, puta merda, ta todo mundo lutando, todos os aliados contratados estão lutando contra soldados, e tem dois afastados conversando ou trocando ameaças sei lá. Mas algo está errado, para todos estarem lutando assim contra esses soldados e por eu e Julia termos sido perseguidos na floresta, esses soldados devem ser falsos, acho q era tudo uma emboscada, preciso ajudá-los. Mas quem eu ajudo primeiro, os que estão lutando perto do cara q parece descontrolado parecem ter mais inimigos para enfrentar, mas em compensação eles parecem ter o Lich, que está se saindo bem por lá e até recitando poesia no meio da batalha. Já os que estão mais afastados parecem estar lutando com dois soldados apenas."


-Julia escolha um alvo e vamos ajudá-los, vou primeiro ajudar aqueles dois ali!


Merique tomaria a iniciativa e iria até o anão e o réptil para ajudar contra os dois soldados, quanto mais rápido aqueles dois acabassem, mais rápido poderiam ajudar os outros. Escolhendo o soldado que estava lutando contra o anão, Merique flanqueia o soldado e depois do golpe do anão tenta acertar o soldado direto na cabeça com um golpe colocando todo seu peso no bastão.
avatar
Merique
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por di'Leviathan em Qui 26 Jan 2017 - 20:43

[Pensamento ]: Ataque concluído com sucesso, com isso ele se sentira sem saída a não ser falar o que eu quero, afinal por mais que você seja resistente é impossível resistir aos impulsos carnais - pensou a vampira observando o albino recuando ate a árvore.

Mesmo sob o efeito da magia o albino não retira o sorriso do rosto ou deixa de falar como se estivesse no controle da situação. 

Ação:  A vampira recua alguns passos ao ser surpreendida com uma estranha energia esverdeada que emanava do albino e seguia até os cadaveres, que logo começavam a levantar e cercar o albino.

[Fala] - "Uma vampira com olhar de desprezo tem algo especial", ainda não viu nada meu caro. Essas coisas ai, são seus... escudos? - pergunta a vampira em tom de deboche - Não queria ter que lutar com você,  pretendia resolver tudo na conversa, mas se não tem jeito - Scarlet faz uma pausa dramática- terei que eliminá-lo. 

Ação : A jovem estende a mão direita na direção do necromante.

[fala]: - Reduza-se a destroços, boom. 

Scarlet cria uma explosão entre o albino e seus esqueletos.

Obs: -1sp o beijo do vampiro
         -22sp boom!
avatar
di'Leviathan
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por juliamoreira2004 em Dom 29 Jan 2017 - 9:53

Júlia já sabia que o acampamento estaria um caos e ao ver dois soldados atacando Marca e o anão, ela pega seu machado comum e ataca pelas costas sem nem pensar duas vezes.
- Obrigado Merique! Assim como mostrou sua forma, nada mais justo do que mostrar a minha verdadeira forma.
" Cadê a rainha? Á única pessoa em quem eu confio aqui é Marca, e se ele está lutando com os soldados é porque não são soldados da rainha. Mas onde será que ela está?"
Julia se transforma no dragão demoníaco e solta seu grito ensurdecedor para que todos a escutem.
- Eu sou Safira, a rainha dos dragões-demoniacos, e quero que parem com essa guerra agora, senão serei obrigada a usar minha força máxima. Marca da Espiritualidade, explique-me o que aconteceu?
"Não posso mais nada de ruim deixar acontecer."
- Eu não iria revelar minha identidade, mas foi necessário graças ao sumiço da rainha. Como eu sou uma rainha, não aceito desrespeito entre os membros que vieram ajudar, e se tentarem atrapalhar a missão, não pensarei duas vezes e matarei quem tentar atrapalhar, fui clara? Eu já matei muitas pessoas, matar mais uma não é problema algum.
"Mas que m%=÷ . Não acredito que fui enganada por uma ilusão. Eu tenho que fortalecer minha mente para não acontecer isso de novo."
- Meu nome verdadeiro é Safira e agora se reportem a mim como Vossa Majestade. 
OFF: Estou saindo da campanha.
MOTIVO:
Primeiramente eu li todas as mensagens do grupo do zephyr do zap e não gostei do q li.
O admin Paulo estava querendo balancear o sistema já que está muito desbalanceado. Um jogador nível 1, consegue derrotar um level 10 fácil graças as mil falhas.
E já que não querem mudanças sou contra a volta de skill. já que é para manter ruim que mantenha assim, logo sou contra mudanças e sou contra novas classes. Eu era á favor de mudanças, Mas agora cambiei de ideia.
Logo não quero jogar um jogo em tempo real onde jogador nível baixo pode  me matar facilmente por erro do sistema.
SEGUNDO MOTIVO
Eu li as msgs do ex fundador do zephyr e vi que é uma pessoa arrogante. Estou há um bom tempo jogando e nunca vi ele fazedo nada para  melhorar o zephyr e agora aparece do nada depois de séculos querendo mandar em tudo, mas melhorar o zephyr não quer né?
Educação acima de tudo lonely, isso é importante, sabia, vc não é Deus. Ok?
TERCEIRO MOTIVO
Lord death é evelyn foram extremamente beneficiados na campanha.
FAVOR COLOCAR MINHA FICHA NAS INATIVAS. QUANDO O ZEPHYR MELHORAR, TALVEZ EU VOLTE A JOGAR , MAS ATUALMENTE COMO ESTÁ NÃO DÁ . 

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Azetlor em Sab 4 Fev 2017 - 1:39

Todos

O combate finalmente termina diante dos que se encontravam naquele acampamento totalmente destruído o orc juntamente com os demais membros remanescentes se encontravam desamparados diante dos cadáveres já decompostos dos soldados de Pejite mortas, agora com a ilusão dissipada se percebe que aqueles que enfrentaram eram na verdade soldados de Mir que fingiam serem membros das tropas da monarca de Pejite. Agora podiam se reunir para se reorganizar com a chegada deste novo yokai que se depara com um estranho grupo. Vendo que o Prephael mesmo sob o efeito do beijo do vampiro parecia resistir com seus esqueletos ela conjura uma magia que e lançada entre ele e suas invocações que acaba por eliminar a maioria das criaturas que acaba por fazer o albino cair ao chão, o som ecoa de forma assustadora e ameaçadora chamando a atenção os demais presentes. Todos os que acabaram por entrar neste intenso combate estavam severamente cansados, Merique havia presenciado o combate contra os inimigos do reino vendo a qualidade de cada membro do grupo.
avatar
Azetlor
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Lord Death em Sab 4 Fev 2017 - 15:32

Os soldados fizeram exatamente a única coisa sensata que poderiam fazer: ficaram apavorados. Agora estariam sob controle, como animais encoleirados, o pouco que restava de qualquer vontade de resistir logo seria arrancada de suas cabeças, pois já possuía em mente o destino certo para os que sobraram.

Entretanto ainda haviam aqueles mercenários, destacando a garota que se revelou uma dragonesa, dizendo possuir um titulo que em nenhum momento fazia jus, afinal era um capacho da soberana de um reino humano, quem sabe seu animalzinho de estimação.

Mas sentiu a energia e mesmo tendo sido dado como encerrado o combate, haviam manipuladores das energias das trevas ainda em combate, sentia que era semelhante a que havia sentido na fogueira, emanada por aquele humano que conhecia a irmandade.

- Todos aqueles que me obedeceram, larguem suas armas e se reúnam ao centro. Não me façam ir atras de vocês, não há para onde ir, vocês pertencem a Morte agora...

Falou com tom firme, alto e debochado, ameaçando-os para coloca-los em ordem, esperando o verdadeiro exercito se aproximar e ver o que iria acontecer, diante de todo aquele caos.
avatar
Lord Death
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por znunes em Dom 5 Fev 2017 - 12:30

OFF: Estou saindo da campanha.

Não posso continuar mais jogando por motivos pessoais.

znunes
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por JonasFakeMan em Ter 7 Fev 2017 - 9:57

"Enfim acabou...não sera hoje que beberei com os deuses em Vallhalla". Falou consigo mesmo. Grathug se ajoelha no chão devido ao cansaço, estava orgulhoso por ter enfrentado tantos sozinho pois nunca havia feito tal ato, isso o deixara exausto. Ajoelhado e afogante olhava ao redor, o numero de cadáveres era ridículo e os inimigos sequer derrotaram nenhum mercenário."Pelo menos tenho alguma liberdade vindo para guerra...espero que isso acabe logo, quero voltar para casa não gosto do povo do Sul". Ele ouviu a voz do esqueleto clamando pelos soldados e para o orc parecia que ele estava tentando tomar o poder para si. Morfeu voltava para dentro de seu braço metálico dizendo novamente palavras de um covarde."Não entre no caminho daquele morto-vivo se você preza por sua vida, Grathug...". Como sempre ignorava Morfeu por ser um parasita insignificante que gerava dores em seu braço."Um dia pegarei quem colocou esta atrocidade em mim, e quando pegar ele vai rezar para ter me deixado para morrer naquele dia...". Grathug estava pensativo com os fatos ocorridos no passado enquanto encarava seu braço de metal."Este lugar esta tão bagunçado que fugir seria facil mas..." Ele se senta se apoiando com o braço."...o cansaço fala maior que a vontade de fugir, haha, espero pelo menos ter algum descanso." Grathug permanece sentado olhando para direção dos demais."hmm, onde foi que eu joguei a minha máscara?"
avatar
JonasFakeMan
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Stained B. em Qua 8 Fev 2017 - 13:09

Enfraquecido, o necromante não teve êxito em atrair o orc, algo deve ter interferido em sua magia durante o momento em que tirou os olhos do brutamonte. Além disso, a vampira havia destruído seus servos com facilidade.
"Inúteis" pensou com sigo mesmo.
Estava desprotegido, o som da magia causada pela mulher poderia ter chamado atenção e logo outros estariam a caminho. Estava mais que claro para Prehael que não poderia vencer aquela batalha, mesmo que não pudesse sentir nada, Norbert sentia por seu dono e gato estava tenso. Por outro lado, adorava ver as capacidades de sua adversária, foi por esse motivo que permitiu ser tocado.

Com um olhar, Prehael deu uma ordem para seu companheiro e o gato negro saltou de seu ombro para o alto da árvore, então saltando de galho em galho Norbert deixaria o local e voltaria para seu lar. - Então temos um acordo. - O bruxo ainda sorria. - As tropas de Pejite enfrentaram Simons e o que sobrar tentará voltar a tempo para proteger seu reino. - Ainda afetado pelo Beijo do Vampiro, Prehael deslizou as costas pela árvore até se sentar ao chão. - As crianças e mulheres deixadas pelos soldados estariam indefesas quando as sombras cobrirem os céus sobre seu reino e o caos surgir em sua forma, suas vidas serão usadas para alimenta-lo e o grande dragão lich resumirá suas vidas em... Nada. - Enfraquecido, não pode mais se controlar e terminou sendo deixar ser possuído por sua transformação tornando-se um pequeno gato birmanês branco.

Norbert seguirá de volta para o Castelo Negro, se reencontrar com o grão mestre e relatar a posição da guerra e por fim solicitar um ataque contra a desprotegida Pejite.
avatar
Stained B.
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por di'Leviathan em Dom 12 Fev 2017 - 13:31

Apesar de não ter tido o efeito desejado, seu ataque servil para destruir os soldados do necromante e deixa-lo abalado e quase sem forças.

[Pensamento]:  Acabou, consegui neutraliza-lo, por hora ele não vai mais causar problemas - a vampira pensava enquanto se recuperava do ultimo golpe.

Ação: a garota observa o homem encostar-se na árvore e deslizar até sentar no chão.

Debilitado por conta da explosão, o albino ordena a seu companheiro que recue e rapidamente o gato deixa o lugar e desaparece entre as árvores. Mesmo nas circunstâncias em que se encontrava o albino não deixa de fazer suas ameaças de destruir toda Pejiti.

[Pensamento]: Que pena que não estarei lá para ver aquela cidade ruir, parece tão empolgante a ideia de matar sem motivo, destruir tudo em seu cainho e deixar apenas as ruínas para contar a história- a vampira pensava quase como um lamento- mas acho que ele é apenas um religioso louco, que segue cegamente mandamentos antigos.

Ação:com uma expressão de pena, Scarlet caminha em direção ao albino que transformara-se em um gato branco, e tenta pega-lo no colo.

[Fala] - Vou cuidar de você, e não vou te entregar para os outros oficiais, mas em troca quero que me conte mais sobre esse dragão lich que parece tão interessante.-a vampira demonstrava um interesse estranho pelo albino, sua forma de agir se tornara´amável e carinhosa.
avatar
di'Leviathan
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Azetlor em Dom 12 Fev 2017 - 14:14

Todos:

 Os soldados inimigos que se encontravam diante do necromante, ao ouvir o lich falar de maneira firme para que se entregassem ao sua mercê para não terrem o mesmo fim de seus companheiros os sobreviventes correm de forma desesperada caindo algumas vezes de forma patética para a direção oposta na direção do orc que procurava por sua mascara. Grathug enquanto procurava sua mascara vê aqueles homens desesperados correrem em sua direção era dois sobreviventes que aparentavam estar muito desnorteados. Enquanto Prehael que agora se encontrava em sua forma de felino ainda desnorteado pela magia da vampira se encontrava que o toma em seu acolhedor colo para assim proteger o bruxo e obter algumas respostas. O albino podia observar seu companheiro se afastava em meio a mata desaparecendo rapidamente. Os demais companheiros não se encontravam no lugar se podia ver o cadáver do draconato retalhado próximo os inimigos por ele derrotados, o guerreiro já sem vida parecia ter sido brutalmente mutilado, a alguns metros estava o cadáver de Nill caído próximo a arvore disparava contra os soldados, o rapaz foi atingido por uma flecha que o abatera de forma rápida e limpa. Marique conseguia ver o cadáver do jovem pistoleiro próximo de onde ele se encontrava e Julia já não se encontrava a seu lado ficando obvio que abaronada as tropas de Pejite. 
avatar
Azetlor
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Lord Death em Dom 12 Fev 2017 - 22:57

Os mortais reagiram por puro instinto, quem sabe aquele poder que rondava-os tivesse perdido o efeito, ou quem sabe acabou sendo natural de mais diante deles e eles não aguentaram, fugindo como podiam, temendo pelas suas desprezíveis vidas.


Inicialmente pensou em quem sabe usa-los como escravos, tê-los sob as rédeas da Irmandade para trabalho pesado de construção, mas ao que parece teriam uma nova função igualmente util: o pânico em suas faces seria prova suficiente quando contarem a história de como estiveram cara a cara com a Morte em pessoa, Ele esta no mundo.


Poderia começar com um boato, uma simples história, mas realmente pensava em espalhar sua presença pelos quatro ventos do continente, todos ficariam sabendo que ele estava de volta andando em meio aos mortais e se o desafiassem, um cruel destino os aguardaria.


Sentiu que as energias de uma ultima briga que acontecia haviam sumido, provavelmente chegou ao fim o confronto. Agora, por sua vez, era hora dele agir. Decidiu ir ate o corpo daquele lagarto, havia despertado seu interesse mas a pobre criatura não aguentou simples soldados. Olharia seus pertences, quem sabe algo de útil poderia encontrar ali no que restou de sua carcaça. Caso algum outro de destaque estivesse por perto, olharia se tivesse oportunidade.


Uma vez terminado de vasculhar os pertences, caso não fosse interrompido iria usar o cabo da foice rabiscando no chão, marcando por cima da runa "Espirito "sua runa "Morte" no chão, enquanto falava na língua dos mortos, chamando-a.


- "Veni, dulci virgo, magistrum vocat.
["Apareça, doce donzela, seu mestre a chama."]


Estava convocando uma Valkiria para que viesse ao seu encontro, precisava falar com uma delas. Uma vez feito o chamado, aguardaria aquela que pudesse atende-lo, pois provavelmente teriam algum certo trabalho para fazer ali naquele local, palco de tantas almas a recolher.

[off: vantagem CONTATOS / pericia Runas / Talento Espiritualidade]
avatar
Lord Death
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Thordin Ironhammer em Seg 13 Fev 2017 - 11:55

Um guerra falsa....vidas perdidas...
Uma armadilha....
@Thordin diz de forma triste ao olhar para os cadáveres de incontáveis soldados que haviam perdido suas vidas

O acampamento estava em ruinas...
o mesmo jovem que ele havia visto mais cedo agora jazia sem vida
quantos anos devia ter? 17? 19? já não importava mais...
todos os que vieram com o anão
aqueles que ele partilhou momentos de conversa e tragos e vinho durantes as noites longas enquanto viajavam para lutar por um reino que a maioria ali só havia conhecido por livros...
Agora estavam caídos sem vida
alguns até poderiam ter escapado... Thordin não sabia...
mas de uma coisa ele tinha certeza...
para ele a guerra havia acabado.


-Pra mim chega...
-Sou um ferreiro e não um soldado
-Fui contratado para forjar e não para matar
-Não vou lutar por um reino que engana e mente!

@Thordin apanha sua marreta... a unica coisa que lhe restou de suas ferramentas e vai embora pela mesma estrada que chegou, rumando em direção a Ksherna.


OFF: Estou saindo da campanha e talvez volte a jogar algum dia...
Favor mover minha ficha para a área de inativos.

Motivo: Estou extremamente decepcionado com algumas coisas que ocorreram no fórum nos últimos meses... 

OFF 2: Azetlor se você ainda precisar do material para o fórum que eu escrevi entra em contato comigo.

Bom jogo a todos...
Thordin Ironhammer.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Stained B. em Qui 16 Fev 2017 - 1:07

Não pode fazer nada, foi acolhido sem conseguir resistir. Olhou para a mulher e a encarou com um olhar de nojo tal como todo gato, assim que ela terminou de falar, empurrou seu rosto com a pata para faze-la tirar os olhos dele. "..." Por um instante tentou formar um pensamento, uma conclusão daquilo, mas estava exausto, Mal conseguia ver o que havia ao seu redor, os efeitos da vampira ainda o deixavam tonto. Só consegui pensar um uma palavra antes de cair no sono; "@&#$".

Subiu no topo da árvore, seus olhos procuraram um caminho reto, Nobert sabia bem como retornar para a Irmandade, não perderia tempo com pausas sob a noite. A lua era refletida nos olhos do felino, vagando pela floresta, em seguida pelo deserto, buscou por sua casa; o Castelo Negro.
Encontrou a escadaria no fim da noite, sobre as quatro patas o gatos passou por entre outros membros, seguiu pelo hall até ficar de antes seu grão mestre. Nobert fez uma reverência, esperou permissão para se aproximar e assim que pode saltou para o ombro de Azetlor, no ouvido do lich o gato miou baixo como um segredo lhe dando o relatório de tudo o que viu mas tropas. Assim que terminou, pediu por duas coisas.
A primeira; a invasão contra Pejite agora, no momento em que Agness se preocupa em derrotar Simons, Pejite seria destruída e o exército enfraquecido pela guerra não voltaria a tempo. Independente de qual lado vencesse a guerra, seria fácil exterminar as tropas restantes depois de batalharem.
O segundo pedido do gato negro foi mais baixo, não foi como miados, foi como se fosse um cochichar de palavras.

Off: talvez eu fique sem postar pois meu personagem está dormindo, a não ser que ele seja acordado. Nobert vagou a noite toda, então também não há motivos para postar sobre ele.
avatar
Stained B.
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por JonasFakeMan em Qui 16 Fev 2017 - 15:40

Grathug não achava sua máscara, mas se questionou. "Por que estou a procurar tal coisa que esconde meu rosto? Não tenho vergonha de quem eu sou, que se dane ela". Quando estava indo se sentar para descansar viu alguns fujões mais patéticos que a criança Orc mais fraca indo em sua direção."Patético, o mundo não tem lugar para covardia...". Pensou, e ao invés de se sentar anda na direção dos dois, sendo a direção que o lich também estava, e neste momento Morfeu em ato de medo libera muita magia negra fazendo o braço direito de Grathug doer tanto que quase cai no chão, ainda sem conseguir sequer fechar o punho pela dor com seu outro braço tenta parar um dos covardes, o a sua esquerda, pegando em sua cabeça com força e o jogando contra o chão pressionando seu crânio contra o chão.

Caso bem sucedido, e ainda não satisfeito, levanta o que sobrou do corpo morto do soldado e o arremessa na direção do outro, mesmo que para fazer se cagar. "Hunf, não tem honra em lutar contra bebês inofensivos e desprotegidos".

Sucedido ou não depois vai indo em direção ao lich para ver o porque de todos estarem se reunindo, ainda mandando certa distância, pois quando se aproximava seu braço só piorava então fica a uma distância para Morfeu se acalmar. "Maldito espírito,  não tem coragem nem de chegar perto de tal criatura?! Você é mais covarde que eles!!". Pensou, e Morfeu responde."posso até ter medo, dele, mas são inteligente o suficiente para saber o perigo que ele representa!! E vós mal me deste ouvidos para os alerta que lhes digo!!". Avisos em vão, Grathug continuaria Ignorando, o único que temeu foi a criatura de natureza "Cabral" e esquelética. Permanece observando a cena sentado ao pé de uma árvore qualquer.
avatar
JonasFakeMan
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por di'Leviathan em Dom 19 Fev 2017 - 11:41

[size=35]Com o fim do conflito contra o albino Scarlet finalmente pode ter uma noção dos estragos causados pelas outras batalhas. Ao olhar em volta a vampira depara-se com um inferno, soldados aliados mortos até onde a vista alcançava, o acampamento destruído além de inúmeros feridos.[/size]


[size=35][Fala] - Era a isso que você se referia? - pergunta a vampira para o gato em seus braços, mas o gato a olha sonolento e empurra o rosto da jovem com a patinha e dorme logo em seguida - Acho que não está afim de papo agora.[/size]


[size=35][Pensamento ]: Eu poderia me acostumar com isso, parece bem mais divertido que ficar naquela cidade insuportável. [/size]


[size=35]Ao longe a vampira avista inúmeros soldados correndo desesperadamente alguns caiam e acabavam sendo pisoteados, mas seus companheiros não davam a mínima apenas continuavam a correr, pareciam estar fugindo de alguma coisa. Derrepente um vulto verde passa por Scarlet em direção aos soldados, o orc enfurecido avança, porem ao se aproximar dos soldados cai no chão com uma enorme dor.[/size]


[size=35]Ação:  Com avalanche de soldados correndo em sua direção,  Scarlet rapidamente corre para de trás de uma árvore para não ser levada pelos desesperados soldados fujões. [/size]


[size=35]Quando a multidão passa e a garota consegue sair em segurança de trás da árvore, Scarlet avista o orc ao longe caminhando com uma certa dificuldade na direção oposta da dos soldados.[/size]


[size=35][Fala] - A festa continua naquela direção, então é para lá que nós vamos. - fala a vampira para o gato adormecido em seus braços.[/size]


[size=35]Ação: Scarlet segue o orc, para saber o que estava acontecendo e o que apavorou aqueles soldados. [/size]
avatar
di'Leviathan
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Azetlor em Sab 25 Fev 2017 - 1:06

Todos

Então o anão se dirige para fora do acampamento em ruinas em passos rápidos com seu pesado martelo sobre seus ombros enquanto os demais dos membros que restara daquela unidade se encontravam um pouco dispersos. Vendo que os soldados inimigos vinham em sua direção, Grathug facilmente os mata os levando-os a pilha de corpos onde joga os cadáveres dos tolos humanos junto do restante. Scarlet di'Leviathan que se encontrava a com o albino em sua forma felina em seus baraços acaba por presenciar aquele ato brutal daquele orc brutamontes, inclusive o que assustara os soldados sendo uma testemunha ocular. Enquanto isso o lich vasculhava os pertences do falecido companheiro que agora jazia morto ao chão, com ele encontro sua espada que se encontrava quebrada, além de um saco contendo noventa e cinco peças de ouro. Então tão logo recolhera estes pertences o necromante da alguns passos, onde se utilizando de palavras arcanas para convocar uma Valquiria surge diante dele em forma espiritual depois de muito tempo de espera, logo sussurra em seu ouvido algumas informações sobre a real localização do acampamento, além de outras informações da região. Com era uma criatura espiritual apenas quem possuísse tais capacidades sobrenaturais poderia também interagir com a entidade. Logo o grupo se reagrupa indo para uma clareira em meio a floresta afastado do acampamento destruído onde com o pouco que restara de mantimentos e equipamentos poderia descansar para partirem logo ao amanhecer.

off:
Depois deste post poderemos prosseguir a aventura
avatar
Azetlor
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campanha: A guerra de sangue

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 8 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... 7, 8, 9, 10, 11  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum