(Campanha) O mistério da mansão Buckler

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Ringo em Ter 17 Nov 2015 - 17:26

Ringo trabalhava concentrada em seus afazeres na cozinha.

Estava extremamente entretida, sua concentração so era quebrada ocasionalmente por algum barulho vindo do andar de cima, ela não fazia ideia de quem estava lá, mas tinha certeza de que tinha um caminhar pesado, visto que cada passo ressoava na cozinha.
Quando finalmente terminou de empilhar todos os talheres da cozinha começou a separar o cabo de madeira da haste de aço, um trabalho simples que lhe renderia no pior dos casos algumas dezenas de rebites e aço bruto para ser trabalhado. Ficava se perguntando se deveria também desmontar a chapa, visto que havia um bom pedaço de aço e algumas dezenas de tubos de cobre ali por baixo, mas se o fizesse, seria depois. Uma pequena gotícula tocou-lhe a nuca, o susto dela foi imediato, estava tão concentrada que o mundo poderia acabar ao lado dela  e mesmo assim ela continuaria trabalhando, em sua cabeça, a pequena armadilha daria conta de um eventual invasor, mas não foi o caso, era apenas água. A água que se infiltrava do teto, Ringo contemplou aquilo por alguns segundos, a tinta que cobria o forro era nova, não parecia ser a base d'água, muito pelo contrario, antes de pingar, houve tempo o suficiente para varias gotas "inflarem" a tinta, deixando o forro com um aspecto irreal e ondulado. A jovem engenhoqueira não havia notado a deterioração do teto, em parte por pressa ao analisar as coisas a se fazer na cozinha, e em parte pela recente demão de tinta. Ela ficou imaginando se o proprietário estava tão interessado em se livrar do imóvel que  resolveu disfarçar as imperfeições da casa ao invés de fazer uma reforma digna.

Fosse o que fosse, agora a deterioração do teto era finalmente visível, mas para se certificar ela subiu em cima da mesa, estendeu o braço e rasgou um pedaço de tinta, agora sim, suas suspeitas eram verdadeiras, a mancha de infiltração oculta sobre a tinta deixou claro, já haviam se passado no minimo duas décadas desdo ultimo inquilino, afinal, o concreto não se degrada dessa maneira em um período menor. Agora ela realmente estava preocupada, se o concreto estava virando pó tão fácil, a armação de aço recozido do teto já deve ter se desfeito a muito mais tempo. - "Eita!E melhor eu sair daqui, esse lugar tá para desmoronar!!"- pensou ela enquanto descia da mesa, nem ocorreu a ela que sobre sua cabeça, Morien, uma estatua viva de mais de 500 quilos estava tendo um monologo surreal com um livro.
Ela rapidamente foi em direção a saída, Morien começou a se mexer de novo, seu passos pesados agora faziam tremer toda a cozinha, a garota so teve tempo para armar sua engenhoca para explodir ao toque, fosse o que fosse que entrasse na cozinha, teria que sair em uma grande explosão.

E assim Ringo saiu da cozinha segundos antes de tudo desabar, tendo apenas tempo de olhar para traz e ver a silhueta de Morien bater sobre o solo.

__________________________________

-"Devia ter morrido mais tarde; então, houvera ocasião certa para tal palavra. O amanhã, o amanhã. Outro amanhã, dia a dia se escoam de mansinho, até que chegue, alfim, a última sílaba do livro da memória. Nossos ontens para os tolos a estrada deixam clara da empoeirada morte. Fora! apaga-te, candeia transitória! A vida é apenas uma sombra ambulante, um pobre cômico que se empavona e agita por uma hora no palco, sem que seja, após, ouvido; é uma história contada por idiotas, cheia de sons e fúria, que nada significa." -






Macbeth (W.S.)

Legenda
Pensamentos-Narração-Falas
avatar
Ringo
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Blakkinho em Ter 17 Nov 2015 - 18:13

Um lerdo. Blake sabia que ele era lerdo, evidentemente, mas ele nunca gostou muito de ataques diretos logo de cara sem saber devidamente como é aquilo que está enfrentando, mesmo que por causa disso ele perda algum tipo de oportunidade. O Grifo começou a ver o fogo se aproximando cada vez mais junto da água, completamente normal como se o fato do liquido estar ali não afetasse em nada as chamas. O Youkai, ainda completamente calmo e tranquilo, como se absolutamente nada estivesse acontecendo, correu até perto da policial, tentando abrir caminho no máximo que sua velocidade permitia, mantendo uma linha reta tentando desviar ao minimo de seu curso devido as estatuas. O Grifo, pegando o impulso que fosse, passou pela policial em direção as escadas, com suas asas assumindo uma especie de amortecedor para Blake em frente de seu corpo enquanto este se chocava contra o grupo de estatuas que bloqueava a passagem, girando seu machado em horizontal para parti-las ao meio. De fato, seu objetivo era abrir passagem mesmo que pelo minimo de tempo que fosse para que pudesse passar, nem que fosse pelo menos a policial. Blake tinha mais evidentemente como foco afastar as criaturas com o impulso, de modo que pudesse derruba-las ou joga-las pelo menos um pouco longe, do que parti-las ao meio.
avatar
Blakkinho
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

"Isso está uma bagunça"

Mensagem por Hai Meili em Ter 17 Nov 2015 - 20:16

A água estava subindo muito rápido, eu odiava esse cenário, era o pior possível, inimigos por todos os lados, e agora a infiltração. Eu precisava sair dali, precisava subir até o segundo andar. Por instinto eu resolvi usar meu sentido extra, o Radar. Sorte ou destino, não importa, no momento em que tive a visão ampliada percebi que a minha falta de atenção tinha atraído as estátuas para mim. Não pensei duas vezes, segurei a soqueira de dragão com força e ataquei o que seria o peito de uma delas, com a intenção de despedaçá-lo por completo, e fiz de tudo para me proteger. A água já começava a me incomodar bastante...mesmo. Meu humor foi de ruim para péssimo, ir até aquela casa foi uma ideia terrível.

- Isso está uma bagunça... - resmunguei enquanto lidava com as estátuas. Não iria gastar meu tempo com elas ali, precisava sair daquele aguaçal o quanto antes. Não demorou muito e as coisas só pioraram. Um barulho extremamente preocupante veio da cozinha, olhei para trás no momento em que as minhas panturrilhas sentiram as ondas de água geradas pelo impacto. Meu coração pulou, parecia ser outra daquelas estatuas, mas essa era de ferro e parecia familiar. "Não, sua burra", pensei na hora, aquele era um dos companheiros, um Golem de ferro, procurei pela mudinha, preocupada. - EI, LIDINHA, VAMOS LOGO! - Eu avisei que era para sair dali, o que diabos ela estava fazendo.

Apontei para a escada, onde o lich agora estava fazendo alguma de suas bruxarias. Eu realmente não conseguia confiar nele, mas de algum jeito achava que ele era a pessoa mais sã daquele grupo. Por algum motivo ele foi arremessado para trás, mas eu não tinha tempo para me preocupar com isso. A policial chatinha e o youkai gostoso estavam vindo na direção da escada. Estava receosa sobre todos subirem, mas eu também não gostaria de morrer afogada. Gritei com a muda mais uma vez e apontei para a escada. - MEXA ESSE SEU ROSTINHO FOFO PARA O SEGUNDO ANDAR AGORA! EU VOU LOGO ATRÁS! - Parei de gritar. - Essas estátuas estão me enchendo a paciência.

Eu iria esperar alguns segundos para que a garota passasse, e seguiria para o segundo andar junto com ela. Caso ela demorasse muito iria partir sozinha. Não queria lutar com as estátuas na água, então tentaria lidar melhor com elas no segundo andar. Não estava me importando com os outros no momento, passaria por Bones mesmo se ele dissesse para parar. Por mais que eu não o quisesse como inimigo, a situação não estava das melhores.

Off:
Vantagem: Radar.
Usei um soco em uma das estátuas que vieram até mim.
Bloqueei possíveis ataques.
Partir para o segundo andar.
avatar
Hai Meili
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por kids em Ter 17 Nov 2015 - 22:44

Munfoulsseen não notou nenhuma irregularidade no telhado, nenhum furo ou vazamento, a água parecia simplesmente surgir do nada e escolher para onde correr, aquilo não parecia ser natural, depois de um tempo a água começou a subir pelas pernas dele, dava a sensação de que queria adentrar seu metal, aquilo de fato não era uma água normal.O lorde já estava tentando pensar no que aquela jovem garotinha tinha feito ali, e que tipo de bruxaria ela usara.


O tempo começava a correr enquanto Munfoulsseen era preso por aquela água estranha e a sensação de estar fervendo não ajudava, o construto tinham que sair dali e rápido.Ele fez a coisa mais instintiva que poderia, segurou sua glaive com as duas mãos de forma que a lança ficava vertical com a parte da lamina para cima, levantou as mãos na altura dos ombros afastando a parte concussiva da lança do chão e colocando todo o seu peso no ponto de impacto com um salto deu um golpe piso que estava abaixo dele.Aquela seria sua porta de saída do sótão.
avatar
kids
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Amy Ellan Luize em Qui 19 Nov 2015 - 14:07

Alice estava pasma, que deselegante. Ali ninguém pensava antes de agir?
Alice notou que Torre iria desaparecer a qualquer hora, e sua última ordem foi a de que ela ajudasse na batalha contra as estátuas, Alice empunhou sua espada e desceu de Torre, fez algumas manobras no ar com a espada apenas para mostrar uma pequena habilidade e avançou contra as estátuas, Alice atacava diversas vezes por todos os ângulos, enquanto a Torre conjurada apenas pulava sobre elas, provocando barulhos estrondosos e tremores enormes.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Cre♥pie em Qui 19 Nov 2015 - 17:29

- Cozinha
Morien quebrou o chão da biblioteca, indo parar direto na cozinha, o impacto fez com que aquelas estranhas sombras que o envolviam fossem jogadas pra longe, mas ao tocarem na água, o líquido começou a ser absorvido por elas, deixando-as maiores.
A água no chão da cozinha já estava próximo aos joelhos.

- Saguão 
Alice e sua invocação tentam passar pro segundo andar, mas são tantos inimigos, que parecem na verdade ter seu número multiplicado pra cada uma que quebra, que eles acabaram avançando apenas metade do caminho.
Por outro lado Drakke e a policial conseguem alcançar a escada, e no caminho até ajudam a Hai a se livrar das estátuas dela.
Ringo estava saindo da cozinha quando de repente uma coisa cai na cabeça dela, fazendo com que ela caia no chão e fique atordoada pelo turno com a dor.
Mulfossen também cai no chão, mas sua queda foi amortecida pela garota então consegue se mexer, apesar de ter tomado muito dano, mas a parte mais preocupadora, era que o construto tinha caído deitado na água, sendo completamente coberto por ela, e, se só com aquela pequena quantidade que havia no sótão ele já sentia que aquele líquido estava tentando domina-lo, agora, completamente envolto por ela, ele não pode aguentar toda a pressão.
Sem entender muito bem porque, Mulfonsseen começou a sentir uma enorme vontade de matar, a água ao seu redor foi se tornando vermelha, ele só via sangue sangue e sangue, tudo que estava molhado parecia na verdade estar ensanguentado, e isso só lhe dava ainda mais vontade de matar.

- Sala de jantar
Kiffe tenta chutar a arma de Júlia pra longe, mas aquela criança estava segurando a sua arma como se ele representasse sua própria vida.
O machado dela sequer chegou a tremer com o chute do rapaz. Assim como as palavras dele não fizeram o menor efeito na garota enlouquecida.
Então, usando do candelabro, do vinho e do pano da mesa, Júlia tacou fogo no chão, o fogo ainda está começando a se espalhar, estando apenas nas regiões próximas a onde o pano encostou na chama, ainda dá tempo de apagar, mas o fogo está fragilizando o chão, nas proximidades a ele, é possível sentir o piso afundando sobre os pés.
Bones, ao ver aquela moça enlouquecida, tenta jogar uma magia sobre ela, mas de nada adianta tacar uma magia de alucinação numa pessoa que já está completamente fora de si.

- Geral
Hai e Ringo ainda estão na saguão.
A água no saguão já está próxima aos joelhos, e agora além de escorrer pela escada, ela também cai pelo buraco do Mulfousseen.
Ringo tomou 28 de dano pelo impacto.
Mulfoulsseen tomou 12 de dano pelo impacto.
A magia do Bones não teve nenhum efeito.
Mulfousseen agora está insano: homicida e fora de si.
Morien conseguiu misticamente resistir nesse turno. 
Se a Júlia tentar virar dragão a cabeça dela vai doer intensamente e ela não vai conseguir se transformar. (Não posso deixar você virar dragão dentro da casa, vai fazer a casa toda cair), e Júlia, tô achando você muito defensiva pra uma maniaca homicida.
Kiffe recebe um debuff de -2 em todos os atributos nesse turno.
A água no saguão tá atrapalhando na locomoção, todos no saguão recebem vel -1.
Ringo não consegue se levantar nesse turno por causa da dor, pode falar/pensar/fazer pequenos movimentos (bem pequenos tipo acenar), mas vai ficar caída no chão nesse turno.

Edit: Escolham um número de 1 a 10, deixem no final do seu post qual número vocês escolheram, não repitam os números dos outros.
avatar
Cre♥pie
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Não é o Diff em Qui 19 Nov 2015 - 17:46

Morien viu aquelas criaturas perto dele, viu que elas cresciam absorvendo o que havia em volta, viu que talvez houvesse encontrado a fonte de todo o problema da casa, e era a biblioteca.

Morien pegou sua espada e fez um poderoso ataque giratório em área na tentativa de destruir toda a parede em volta de si, fazendo com que o andar acima caísse sobre sua cabeça. Morien achava que não iria ser danificado em excesso pela sua ação por estar debaixo do buraco que fez ao cair, porém esperava que as sombras que o atacavam fossem danificadas, tanto pelo seu ataque quanto pelo andar inteiro caindo em sua cabeça.

- Pereçam!

- Vantagem da arma usada: Ataque em área.
- Número escolhido: 7

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Ringo em Qui 19 Nov 2015 - 18:33

A pequena Ringo mal teve tempo de sair da cozinha, se tivesse demorado mais um segundo lá dentro, Morien, o colosso de aço teria a acertado, de fato o impacto dele no chão foi tão forte que destroços acertaram a garota em todo corpo, para ela o que a derrubou foi um grande bloco de pedra, que desprendeu-se do teto, muito provavelmente do piso, que bateu em sua cabeça. Ela caiu sobre a água, seus olhos estavam arregalados e sua boca aperta, como se fosse gritar, mas não era nada disso, as luzes estavam ligadas mas não havia ninguém e casa, e isso era bom, pois se houvesse teria sentido a maior dor de cabeça que se possa imaginar.

Demorou alguns segundos para ela recobrar a consciência,seu corpo dançava sobre as ondas geradas por impactos diversos, era difícil se levantar depois do que aconteceu, mesmo assim ela tentou e falhou miseravelmente, caiu de joelhos antes mesmo de dar um passo,e como não poderia deixar de ser, a dor estava lá, tão palpável que ela levou as mãos ao solo para não não desmaiar. De quatro ela tentava entender o que havia acontecido, simplesmente não se lembrara de nada depois de Morien bater no solo e o barulho de gente gritando e coisas explodindo ao seu redor não a ajudava a se localizar- "eu sai a tempo da cozinha?"- indagou para si.Sua confusão mental era tanta que se a perguntassem aonde ela esta ela não saberia dizer, foi quando uma gotícula rubra atravessou o ar e tocou a água imunda a sua frente que ela percebeu o que havia se passado.




----

Escolho o numero 4.


Última edição por Ringo em Sab 21 Nov 2015 - 13:24, editado 1 vez(es)

__________________________________

-"Devia ter morrido mais tarde; então, houvera ocasião certa para tal palavra. O amanhã, o amanhã. Outro amanhã, dia a dia se escoam de mansinho, até que chegue, alfim, a última sílaba do livro da memória. Nossos ontens para os tolos a estrada deixam clara da empoeirada morte. Fora! apaga-te, candeia transitória! A vida é apenas uma sombra ambulante, um pobre cômico que se empavona e agita por uma hora no palco, sem que seja, após, ouvido; é uma história contada por idiotas, cheia de sons e fúria, que nada significa." -






Macbeth (W.S.)

Legenda
Pensamentos-Narração-Falas
avatar
Ringo
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Não é hora de ser heroína!

Mensagem por Hai Meili em Qui 19 Nov 2015 - 20:49

"Meili...isso não é hora de ser heroína" era o que eu pensava ao ver a garota muda no chão, semiconsciente. Eu precisava correr dali, levar um corpo quase morto só iria me atrasar, mesmo assim não conseguia ignorá-la. "Se for para ficar parada pensando nisso, é melhor fazer logo", com isso em mente peguei Ringo como maior cuidado que a situação permitia, ou seja, muito pouco.

- Você vai ficar me devendo muito mais do que uma noite de amor, lindinha! - disse, irritada com aquela minha súbita bondade. O homem que havia caído em cima dela estava estatelado no chão ainda. Eu não iria esperar ele levantar também, afinal, ele que me causou toda essa dor de cabeça, na verdade, eu estava com um pouco de vontade de bater nele. Tentei colocar a mudinha sobre meus ombros, como se fosse um saco de batatas. Não era a maneira mais confortável de ser carregada, mas ela iria precisar me perdoar pela falta de delicadeza, o objetivo agora era sair o mais rápido possível.

A sorte era que a cozinha ficava relativamente próxima da escada, o caminho não seria tão longo. Suspirei fundo e andei o mais rápido que pude. Aquela água estava realmente enchendo a minha paciência, queria sair daquele maldito lugar o mais rápido possível. Eu já não estava ligando para a missão, pagamento etc. Só queria sair daquela espelunca amaldiçoada, era a única coisa que eu queria. Mesmo com a água, ainda conseguia ser bem mais rápida que um civil comum, além disso a garota não pesava quase nada, não seria difícil chegar no andar de cima antes da situação no saguão piorar ainda mais.

- Você realmente vai precisar usar bem essa língua... - Resmunguei mais uma vez para a muda em meus ombros. Meu humor já poderia ser classificado no seu pior estado!

Off:
Numero 3
avatar
Hai Meili
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Bones, O lich em Qui 19 Nov 2015 - 21:45

Por não ter esboçado qualquer reação diferente, o pior havia acontecido e sua magia havia sido em vão, revelando que a garota poderia ter uma resistência muito forte à magia ou alguma coisa estava interferindo o suficiente para anular seu efeito. Seja como fosse, haveria problemas se ela ficasse fora de controle.

Não satisfeito com haver aquela garota fora de controle, o fogo começava a se espalhar e  o piso logo cederia, forçando-o a recuar alguns passos e voltar ao corredor. Além daquilo, havia uma situação praticamente fora de controle por toda a casa, havendo diversos focos de barulhos e coisas quebrando.

- Vai ser impossível fazer qualquer coisa, esse lugar esta cheio e mal cabe todo mundo! Faltou pouco pros espiritos não precisarem fazer nada para matar, todo mundo morreria asfixiado... Bom, todos menos eu né hehehe

Vendo a situação de uma forma diferente e imaginando as consequências de cada ação, Bones decidiu novamente se voltar ao mundo espiritual, procurando ver se encontrava algum rastro ou novamente aquela presença da escada, falando da mesma forma que havia falado antes com eles.

- Vocês me entenderam errado... Posso ajuda-los... Por favor, me mostrem onde podemos conversar a sós e ganharão um amigo eterno, sou parecido como vocês e compreendo o que acontece melhor do que eles... Onde podemos conversar sem intromissões?

Por mais estranho que para os outros pudesse ter sido aquilo, Bones estava sendo sincero e falou a verdade para os espíritos, queria conversar com eles e como morto vivo sabia como era difícil para eles, e provavelmente ele era o único aqui que não estava destruindo algo ou fazendo algo de errado, estava apenas tentando entender e ajudar como fosse possível.

NÚMERO: 8

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por juliamoreira2004 em Qui 19 Nov 2015 - 22:22

Júlia estava com uma enorme vontade de matar e colocar fogo na sala de jantar ainda atiçou mais a sede de sangue da menina, e ela estava disposta a matar a pessoa que estava naquela sala. E, agora, somente Kiffe estava lá, pois Bones acabava de sair, pois se estivesse ali ela também atacaria, mas aquele homem embaixo da mesa mostrava estar com medo e isso atiçava ainda mais a Júlia.

- Como disse!  Espíritos malignos, eu sou a morte, e eu matarei todos vocês, mesmo que sejam imortais, eu darei um jeito de matar e matar e matar.
Se alguém aparecer na sala de jantar, Júlia olhará de forma séria para a pessoa e irá falar.

- Ei, esse rapaz aqui está possuído, olhe para ele! – Júlia aponta para Kiffe que está sendo transformado em porco. – Ele tentou me matar e agora está dizendo que eu o ataquei. Deixe de ser mentiroso rapaz. – Júlia mente. – Gente, pessoas possuídas por espíritos demoníacos não tem mais jeito de ser salvo, pois o único jeito de aliviar essa dor é matando a pessoa possuída, por isso eu digo que se acontecer de eu ser possuída, peço que me matem, certo? Sem nem pensar, está bem? – Júlia fala com convicção – Ajudem-me a salvar essa vida matando-o para liberar esse corpo para uma vida melhor no futuro. Desculpa por isso garoto, mas tenho que fazer isso. – Júlia fingi estar triste por tal ato que irá fazer, mas por dentro está sorrindo.

“Agora sim, você é todo meu rapaz, e não há nada que possa fazer!”
- Sem corpo, sem possessão para vocês fantasmas!


Júlia utiliza seu machado Berserker novamente no kiffe que estava escondido embaixo da mesa, sem se incomodar nem sentir remorso por tentar praticar tal ato.




NÚMERO: 6

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por kids em Sab 21 Nov 2015 - 19:59

O plano de fuga de Munfoulsseen deu certo, certo até demais, ele não atravessou um andar, mas na verdade dois, quando caiu levou algum dano, porem nada tão grave quanto mergulhar por completo naquela água amaldiçoada, aquilo mexeu com a cabeça dele, que já não era sã o suficiente antes disso, aquela água o tinha feito se tornar mais sanguinário, o desejo de sangue de Munfoulsseen surgia de forma incontrolável, junto com isso alguns aspectos não muito bons da personalidade dele eram acentuados.


Ele se levanta e percebe que não estava submerso em água, aquilo parecia mais sangue, era sangue tão vermelho quanto poderia ser, e para ele parecia mais profundo do que era possível, parecia que tinha um mar, com centenas de pés de profundidade abaixo de si.Ele arruma o cabelo puxando-o para trás, ele olha os seus "colegas de expedição" correndo pelas suas vidas, fugindo do mar de sangue estava subindo e de um grupo de estatuas que os estava perseguindo, então ele sente um pouco do sangue subir pelas suas pernas, continua subindo até o ombro, lá o sangue toma a forma de uma fada, ou melhor uma versão deturpada de uma fada, ela sussurra no ouvido dele "Hihihihi, se você soubesse o que eles fizeram" quando Munfoulsseen ia perguntar o porque a fada estala os dedos e os rostos deles se transformam, parecem mais cruéis ao mesmo tempo em que estavam com um grande sorriso no rosto era como se Munfoulsseen escutasse os pensamentos deles,"Se ele soubesse o que fizemos, hahahahaha.", "Sim. Mas ele é tão idiota que não percebe, eheheheh.", "Se ele ao menos soubesse que fomos nós que fizemos aquilo, haahuahauhauha.".Nesse momento Munfoulsseen havia se dado conta que era tudo culpa deles e isso o encheu de mais pura raiva e ódio, era chegada a hora deles serem punidos.


Quando olhou de novo eles estavam sendo perseguidos pelos soldados do nobre metálico, ele havia pensado que todos haviam morrido anos atrás, mas pelo visto alguns fiéis homens sobreviveram e continuam leais a ele, o construto olha com ódio os seus inimigos, um pequeno campo magnético começa a se formar a sua volta, o ferro do sangue vai aos céus e dança de forma insana e a caótica enquanto ele caminha em direção a seus alvos, o peso de seus passos aumenta a medida que sua raiva aumenta e ele se aproxima, ele começa a escutar vozes, vozes de pessoas que já não mais existem ou de almas que nunca chegarão a ver o nascer do sol elas sussurram em uníssono "mate-os","mate-os" e era isso que ele pretendia, ele ergue sua glaive e brada uma ordem aos seus homens, -PAREM-NOS HOMENS!Mas não os matem, EU quero ter esse prazer.- Ele continua caminhando tendo fé na capacidade de "seus homens" em para os seus odiados parceiros de aventura.


off:
A maior parte do que eu narrei é loucura do Munfoulsseen, da vista de uma pessoa sã ele só gritou ordens para as estatuas do mal(sim, ele realmente fez isso funcionando ou não) e esta indo em direção a hai e ringo e o resto da galera da escada, que devem estar mais próximos


Numero 9
avatar
kids
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Cre♥pie em Dom 22 Nov 2015 - 18:42

Off: Prazo de 4 dias pra postar acabado, Kiffe e Alice serão meus NPCs nesse turno, e se não postarem a tempo do próximo serão mortos e tirados da campanha. 
Blakke me mandou MP explicando que não poderá postar por isso não receberá penalidades. 
Como nenhum deles escolheu um número, eu escolherei por eles. Kiffe será 1, Alice será 2, Blakke será 5 e a Marie será 10.
Já estou digitando o post, em breve ele será publicado.
avatar
Cre♥pie
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Cre♥pie em Dom 22 Nov 2015 - 19:43

- Cozinha
Rodopiando a espada ao redor do seu corpo, Morien destrói boa parte das duas paredes internas da cozinha, fazendo com que o resto da biblioteca desabe, e consequentemente um pedaço da sala de estar. Alguns destroços caem sobre o rapaz, mas no geral ele não se machucou muito pois estava em baixo do buraco que havia criado antes. Quer dizer, não se machucou muito se você ignorar o fato de que destruir as paredes ativou a engenhoca da Ringo, a explosão acabou por acertar o construto e o jogar pra trás um pouco.
Algumas estantes porém despencaram sobre o construto, e boa parte da mobília da sala de jantar vinha em sua direção.
As estranhas sombras estavam soterradas em baixo dos escombros, mas o volume da água aumentara significativamente com tudo aquilo, se antes ela estava pra chegar no joelho, agora já passava do umbigo.
O fogo que consumia a parede da sala agora se espalhava pra dentro da cozinha, visto que a parede que o impedia de prosseguir fora destruída. 

- Saguão
A sala de jantar começou a desabar em cima das pessoas que estavam ali, o chão entortou até que sua extremidade encontrasse o chão, ficando em diagonal e formando um enorme escorrega.
Felizmente ainda é possível passar pras escadas andando agachado por baixo do que antes era o teto, mas logo será preciso nadar pra passar por ali
Como estava parado perto da cozinha, Moulfossen acabou sendo acerto pelo teto, o que acabou por derruba-lo na água novamente.
Hai e Ringo já estavam subindo as escadas e puderam assistir o segundo piso caindo em segurança.
Amy tentava avançar, porém a água a impedia de faze-lo propriamente. Pelo menos o ritmo lento em que avançava a impediu de estar de baixo da sala de jantar, então não correu riscos do teto cair sobre sua cabeça.

- Escadas
Marie e Blakke também estavam em segurança nas escadas.
A policial começou a gritar com todo mundo sobre o quanto eles não poderiam desvendar o mistério ou achar pistas se destruíssem a casa, muito menos sair de lá agora que a porta estava coberta pela água.

-Sala de jantar
Júlia avança pra cima de Kiffe, cortando não só a mesa mas também o rapaz que estava em baixo dela, porém antes que ela pudesse fazer algo a mais, o chão começou a cair sobre seus pés, ela escorregou e caiu, então foi escorregando junto com Kiffe e a maioria dos móveis andar abaixo por um imenso escorregador.
Júlia e Kiffe precisam se segurar e tentar subir, ou pelo menos tentar descer de forma controlada, ou vão bater de cara com uma parede pegando fogo.

-Blake
O youkai estava tranquilo na escada, não teve grandes problemas até agora, até que de repente começou a ouvir algo dentro de sua cabeça.
Era a voz de Zek, ela gritava por socorro, gritava desesperadamente. 
Dizia que todas aquelas pessoas da casa são más, que elas estão o mantendo preso, que vão mata-lo.
A voz gritava, pedindo por socorro.
Pedindo por vingança.
O Blake começou a sentir toda a sua calma se esvaindo, começou a ser tomado por raiva.
Começou a sentir uma enorme vontade de matar.
A água ao redor foi se tornando vermelha, cor de sangue.

-Bones
Ignorando toda a bagunça na cozinha, o lich foi até o sótão tentar novamente conversar com os espíritos, mesmo que não tenha dado muito certo da última vez. 
Não sei se aquilo poderia ser chamado de dialogo, tava mais pra umas vozes na cabeça do Bones fazendo um monologo, mas concordaram em não buscar fazer mal ao lich, desde que ele os ajudassem a coletar as almas de todos aqueles que se encontram na casa.

- Geral 
Kiffe tomou 20 de dano.
Mulfoulssen tomou mais 12 de dano.
Pequeno spoiler: A água no chão não apaga o fogo da parede, mas pode apagar o fogo no chão da cozinha.
Grande parte das estatuas foi destruída pelo teto.
Amy tomou 8 de dano na luta contra as estatuas. 
Kiffe tem um debuff de -1 nesse turno, as características de porco começaram a sumir, no próximo turno terá passado completamente.
Morien tomou 5 de dano pros escombros e móveis, turno que vem pode tomar mais se não conseguir sair da frente dos móveis da sala de jantar. Também tomou 19 de dano pra engenhoca.
Peço a todos os enlouquecidos que evitem usar a Marie como alvo, ela tem um propósito nessa campanha, só não foi necessário usa-lo, e pelo que tenho visto talvez nem se torne necessário, mas de qualquer forma, caso eu precise usa-lo, tenho que tê-la viva e inteira.
Ringo já pode se mexer, o corpo ainda doí, mas pode se mexer, debuff de -1 vel/hab
Kids foi acerto pela engenhoca, mas como não tomou dano eu deixei como se não tivesse sido acerto que facilita minha vida.
Off: Meudeus é muito coisa, peço perdão se eu tiver esquecido algo, e se esse for o caso, por favor me avisem !
avatar
Cre♥pie
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por juliamoreira2004 em Seg 23 Nov 2015 - 15:30

Júlia acerta Kiffe com seu machado Berseker, mas quando ia atacá-lo novamente, o chão começa a desmoronar e uma parte do salão de jantar se inclina fazendo com que Júlia e Kiffe comecem a escorregar.

"Não acredito nisso! Quem foi o imbecil que destruiu o chão da sala de jantar!"

Como se a própria Júlia não tivesse feito nada de errado ao colocar fogo no chão da sala de jantar.



Júlia olha ao redor e usa seu machado para fincar no chão da madeira ou na parede de madeira que está fixa para que ela fique pendurada, evitando assim de cair, e de possíveis machucados que poderia vir a ter com a consequência da queda.

-ALGUÉM PODE ME AJUDAR AQUI!! - Júlia grita pedindo ajuda.

"Tomara que as pessoas venham me ajudar, deve ter alguma boa alma!"

Se ninguém ajudar a Júlia, ela irá usar o outro machado para fincar mais em cima para poder subir.


Última edição por juliamoreira2004 em Ter 24 Nov 2015 - 23:28, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Bones, O lich em Seg 23 Nov 2015 - 22:57

Sua "conversa" com os espíritos não havia demorado muito, eles foram bem atenciosos e prestativos em lhe atender prontamente, vindo com aquele coral de vozes, mas pelo menos concordavam em sua sincronia em colaborar, sua proposta foi bem aceita por eles e restava agora a ele cumprir com o acordo.

Decidiu voltar, buscando ter uma melhor noção do que acontecia naquela casa, estava um caos instalado e basicamente não precisaria fazer muito, apenas ser paciente e aguardar que todos se matassem, mas por garantia, iria agir nos momentos corretos, procurando identificar as oportunidades que poderiam surgir.

Eram muitos barulhos de paredes e tetos caindo, água jorrando e fogo queimando, gritos e insanidade por todos os cantos. A policial gritava para que evitassem destruir a casa pois destruiriam pistas, coisa que no momento Bones ficaria contente se acontecesse, mas também destruiria o lar deles, então era melhor evitar também e conter os mais exaltados.

O primeiro da lista era quem estava no andar inferior, da onde vinham os maiores barulhos, principalmente por estar atacando a base de toda a construção, o que poderia fazer o prédio inteiro cair sobre suas cabeças, enterrando todos ali, algo que não estava em seus planos no momento.

Decidiu descer as escadas e ir ver quem estava la na cozinha, com um pouco de dificuldades pela "reforma improvisada" que o grupo fez no local, mas esperava que os espíritos realmente não fossem lhe fazer mal com suas artimanhas. Avistou o construto, semi enterrado pelo que parecia ser o teto do local, com objetos ameaçando cair sobre ele e sombras querendo cerca-lo. Havia bastante água no lugar, o suficiente para agir. Eis sua primeira oportunidade de agir e provar seu comprometimento.

Estava parado como um observador de perto da porta, apoiando-se em sua foice. Entretanto, da parte submersa de sua foice, lançou suas próprias trevas como tentáculos negros por dentro da água, tentando perfura-lo causando um bom dano e prender o suficiente para atrapalha-lo e deixar que a mobilia e as sombras do local fizessem o resto. Para qualquer possível observador, com toda aquela confusão, era fácil perceber que as sombras o atacaram e Bones havia chegado tarde no local.

Spoiler:
[off: Talento PRINCIPIOS DA MAGIA (ataque com sombras) / Int 10 (2d de dano em vez de 1d ^^) + Pericia Conhecimento em Trevas 2 +Arma Especial (+1 dano magico)
Vantagem: -Noção do perigo (andar pelo local e se posicionar corretamente sem correr riscos)
-Regeneração (curando o dano sofrido da explosão)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Blakkinho em Ter 24 Nov 2015 - 15:32

O Griffo estava aparentemente bem na escada, observando um tanto calmo tudo que acontecia, tentando pensar em algo muito rápido para que pudesse talvez achar alguma solução para tudo o que acontecia, mas não demorou muito para que ele fosse notando algo de diferente ao seu redor. Os sussurros em sua mente, distantes, mas completamente dolorosos, cada vez mais próximos, exalando grande sofrimento. Aquela vontade de Blake de ajudar algum dos seus companheiros de investigação aos poucos foi lhe abandonando, subitamente. Os sussurros cada vez mais altos em sua cabeça, quase que dando a Blake uma sensação de sufoco de tanto que aquilo era doloroso, ouvir aquelas preces por socorro, por misericórdia. Ouvir aquela voz clamar por ajuda. Mas as coisas foram piorando cada vez mais que aquela voz se aprofundava em sua mente. 
Zakarias. Era só aquilo que Blake conseguia pensar. Seu melhor amigo, seu maior companheiro, gritando por ajuda como se a sua vida estivesse por apenas um único fio e isso era quase dizer que a de Blake também estava. 
Primeiro, um estado de choque invadiu o Grifo, ouvindo todos aqueles pedidos agoniantes de ajuda a qual ele não podia atender pois não sabia onde Zakarias estava naquele momento, mas então, um ponto chave veio logo em seguida.

"Eles, Blake. Eles. Eles vão te matar, Blake.. Destrua-os.. Mate-os, Blake. Antes que eles façam isso com você. Veja, meu amigo, veja.. O Sangue.."

Blake desviou sua visão do simples nada para as águas, que antes pareciam simplesmente normais, de aparência cristalina, e agora aos poucos eram inundadas por sangue, puro sangue. Elas eram sangue. Em um vermelho rubro, ostentante de sofrimento, da dor, e o Youkai queria ver mais daquilo. 
A raiva o invadia ferozmente, tomando conta de todo o seu corpo. Aquela vontade de ver o sangue sendo derramado sobre o chão, em um amontado de corpos vazios de todos os presentes naquele lugar. O Grifo já estava em um estado loucamente profundo, com a ferocidade crescendo em seu corpo. As vozes agora gritando em sua cabeça, mas ele estava tão perdido insanamente que era como se ele simplesmente não ouvisse. A única coisa que o Griffo tinha em mente naquele momento, que apareceu tão subitamente,  era de uma antiga cantiga que ouvira, mas a tempos tão esquecida e agora simplesmente voltara para envolver sua cabeça ainda mais a fundo.

 - Geboren in den Bergen, wie die Schaffung eines Gottes .. Von goldenen Federn und poliert wie Gold .. ein Engel. Eine falsche Engel. Seine Güte ist eine Lüge .. Seine Farbe ist eine Farce ... Er gibt vor Licht zu sein, aber es ist nur ein Durcheinander von Schatten. Eine falsche Engel... Die Uhr geht, die Zeit vergeht. Ding Dong, Ding Dong. Er ist immer noch rein. Noch gibt vor, rein zu sein.
(Tradução: 
Nascido nas montanhas, como a cria de um deus.. De penas douradas e polido igual a ouro.. Um anjo. Um falso anjo. Sua bondade é uma mentira.. Sua cor é uma farsa... Finge ser a Luz, mas é apenas um amontoado de Sombras. Um falso anjo. O relógio segue, o tempo passa. Ding, Dong, Ding, Dong. Ele ainda é puro. Ainda finge ser puro.)

O Youkai começou a olhar a sua volta, principalmente na base daquela escada a qual ouvia os passos se aproximando e o teto cedendo logo acima. Todo aquele sangue logo abaixo, a qual o Griffo admirava com seus olhos brilhantes como ouro. Um falso ouro. Blake desceu as escadas lentamente, admirando aquela paisagem vermelha, sacudindo suas asas como as de um Anjo. As asas de um falso Anjo. 

 - Die beiden sagte, als Gott gepriesen .. Aber die Leute waren blind .. Die unter seinem falschen Licht gibt es nur Dunkelheit, dem Tief vom ihr Licht gibt es nur Schmerzen. Die Uhr geht, die Zeit vergeht. Ding, Dong, Ding Dong. Er fühlt sich die Dunkelheit in ihm, beginnend um es zu ersticken.
(Tradução: A tanto dito, louvado como um deus.. Mas as pessoas foram cegas.. A baixo de sua falsa luz existe apenas o escuro, a baixo da sua luz existe apenas a dor. O relógio segue, o tempo passa. Ding, Dong, Ding, Dong. Ele sente as trevas dentro dele, começando a sufoca-lo.)

O Griffo parou por um instante, vendo a silhueta da Youkai de Louva Deus que vira antes, tomando logo a frente sua visão daquele seu pequeno "mar vermelho". 

- Ding, Dong.. Ding, Dong.. Um dia se quer existiu luz "nele"? 

O Youkai, disparado em raiva de alguém atrapalhando sua belíssima visão, ainda mais aqueles que Zakarias avisou a respeito, partiu contra Hai ferozmente, em um grito profundo de raiva. O Grifo "Dourado" brandiu fortemente o machado, onde partiu para uma ofensiva bruta contra a Youkai de Louva Deus. Ele tentou acerta-la com um corte feroz sobre sua cabeça, completamente envolto de raiva. 



avatar
Blakkinho
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Que desperdício!

Mensagem por Hai Meili em Ter 24 Nov 2015 - 20:52

Assim que chegamos nas escadas eu larguei a garota das costas, ela já parecia estar melhor e conseguia andar com as próprias pernas. Não demorei muito e já segurei na mão dela e praticamente fui a arrastando para o andar de cima. Não cheguei a dar dois passos quando metade da sala de jantar e a biblioteca caíram sobre o primeiro andar, alguma coisa explodiu onde deveria ser a cozinha, e um esqueleto passou por mim correndo. Era muita bagunça acontecendo naquela casa, ou todos iriam enlouquecer e acabar se matando, ou a casa iria cair por cima de nós e fazer o trabalho todo sozinha. Era por isso que eu precisava fugir dali, levaria a mudinha se fosse necessário.

- Está tudo certo com você? Temos que nos apressar, ficar aqui não vai nos levar a nada.

Eu virei o rosto para trás para falar melhor com a garota, mas meu radar ainda estava ativo. Percebi a agonia do grifo, a sua movimentação estranha, e principalmente o momento em que ele partiu para cima de mim com uma intenção assassina. Meu corpo se moveu antes mesmo do meu rosto se voltar para ele. Me atacar daquela maneira me deixou muito irritada, ainda mais pelo fato dele estar falando um monte de baboseiras sem sentido. Todo o meu estresse me fez tomar uma atitude mais agressiva do que a de costume. Normalmente me esquivaria e atacaria o oponente com golpes rápidos, mas eu estava sem paciência. Ao invés de desviar, fiquei em sua frente e desferi um golpe no cabo de seu machado, com a intenção de fazer com que a arma fizesse o caminho inverso. Nem preciso dizer que usei a mão com minha soqueira de dragão para fazer isso. Um pouco daquela raiva e vontade de socar alguém até matar ainda vinha das malditas facas da cozinha...eu não conseguia tirar aquela sensação da cabeça. Mais um motivo para acabar com isso rápido.

- Galinha insolente! - Assim que terminei a "defesa" eu desferi um novo golpe com a mesma mão, desta vez usando uma técnica diferente. O golpe "esmagar" que minha mestra me passou deveria ser o suficiente para fazer um bom estrago naquele maldito youkai. Ataquei a área mais fácil de acertar no corpo do grifo, o tronco dele. Minha intenção era fazer com que a dor me desse tempo o suficiente para sair dali com a Ringo.

Informações Tecnicas:
Usei a manobra de defesa "interceptar" para bloquear o golpe do grifo.
A FA do interceptar é Força (6)+Perícia(3)+Arma(6)+1d6
Depois disso eu fiz minha ação de ataque com um golpe normal usando o talento "esmagar"
A FA do golpe é Força (6)+Perícia(3)+Arma(6)+Esmagar(3)+1d6[Lembrando que a arma tem um efeito especial de ataque. O dano do dado ignora resistências do alvo]
avatar
Hai Meili
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Ringo em Qua 25 Nov 2015 - 5:01

Tão logo seus pés encostaram no chão ela pós as mãos na cabeça, ainda estava confusa, não tinha certeza do que lhe acertou, sua confusão mental lhe incomodava tanto, que só agora que as deias começaram a ficar claras novamente que ela percebeu que seu olho esquerdo ardia, o motivo era trivial, uma gotícula de sangue saiu em seu olho causando um ardor incrivelmente irritante,  nada grave e bem verdade, apenas algo irritante.

Enquanto esfregava seus olhos ouviu a louva-deus balbuciar algo, ela ainda estava racionalizando cada palavra, mas quando finalmente os sons tomaram significados e ela abriu os olhos viu o outro Yokai subindo as escadas, eu olhar era tão furioso que se um olhar tivesse o poder de matar, ambas já teriam entrado para os anais da historia.

O movimento de sua nova amiga, se é que ela já poderia ser considerada assim foi tão abrupto e repentino que assuntou a garota, fazendo-a cair de bunda no chão logo atras de sua protetora, isso só servia para ela fazer se sentir impotente não tinha vindo para cá preparada para tamanha loucura, e ainda tinha o problema das vozes sussurrando em sua cabeça, algo baixo e ainda compreensível é bem verdade, mas algo tão palpável e tão presente como cada um naquela casa.

Ela bateu com as mãos nos bolsos da calça, um gesto desesperado, ela não tinha mais sua caixa de ferramentas, esta ficou perdida para todo o sempre os pés de Morien, mas talvez tivesse deixado algo útil em seus bolsos, e de fato havia algo em seus bolsos, uma estranha goma amarelada, tão maleável quanto uma massa de modelar infantil, sim, ela teve uma ideia, pois agora sua outra mão encontrou os rebites dos talheres da cozinha.  

Ringo agora sentada montava algo o mais rápido o que podia, so rezava para que sua nova aliada ganhasse tempo, afinal, certas coisas levam tempo para serem feitas.
Se tudo desse certo, sua nova amiga não teria teria mais que cobrar uma certa divida....


Spoiler:
estou perdendo um turno preparando algo...

__________________________________

-"Devia ter morrido mais tarde; então, houvera ocasião certa para tal palavra. O amanhã, o amanhã. Outro amanhã, dia a dia se escoam de mansinho, até que chegue, alfim, a última sílaba do livro da memória. Nossos ontens para os tolos a estrada deixam clara da empoeirada morte. Fora! apaga-te, candeia transitória! A vida é apenas uma sombra ambulante, um pobre cômico que se empavona e agita por uma hora no palco, sem que seja, após, ouvido; é uma história contada por idiotas, cheia de sons e fúria, que nada significa." -






Macbeth (W.S.)

Legenda
Pensamentos-Narração-Falas
avatar
Ringo
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Não é o Diff em Qui 26 Nov 2015 - 17:51

Morien percebeu que haviam muitos outros ruídos na casa além daqueles que ele causou, ficando confuso, e percebeu que talvez a biblioteca fosse apenas uma pequena extensão de um problema que provinha de outro lugar, porém não podia tomar ação agora, teria que se reposicionar.

Então Morien usou sua espada para atravessar uma parede que não estivesse em chamas evitando qualquer perigo, logo após resolveu dar uma pequena volta na casa em direção a porta da frente observando a casa em busca da fonte do problema, ou pelo menos a localidade das outras ocorrências para que pudesse ser de ajuda para os outros que estavam lá dentro.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Cre♥pie em Qui 26 Nov 2015 - 19:07

Off: Tá tudo tão bagunçado que eu nem sei mais como dividir as áreas.

- Kiffe
Após o chão cair sofre seus pés, o demônio foi simplesmente arrastado ladeira abaixo, chocando-se contra a parede e tento o seu corpo envolto em fogo, acabou morrendo de queimaduras.

- Bones
Bones tenta chegar na cozinha, descendo as escadas rapidamente, mas ao chegar no final destas, ele percebe que era impossível entrar por onde ficava a antiga porta,  visto que agora a rampa tampava o caminho, ele teria que contornar a parede e ir pela lateral, próximo ao fogo caso quisesse chegar lá, apesar de saber que Morien estava lá dentro pois pode vê-lo enquanto descia as escadas .
Também não foi possível atacar, visto que a parede impedia que houvesse alguma visão do alvo.

- Morien
Morien consegue sair sem ter maiores problemas, e felizmente sem causar mais destruição da casa. 
Olhando do lado de fora, tudo parecia tão calmo, o vento batia levemente, balançando as folhas e as flores, promovendo aquele barulho calmo de natureza, além de que o mar podia ser escutado ao longe. 
Rondando a casa, o construto procurava algo que pudesse ajudar, mas tudo parecia perfeitamente normal dali.

- Júlia
Fincando o seu machado na rampa, ela conseguiu impedir a sua queda, ficando pendurada alí.

-Blakke e Hai
Uma batalha intensa entre os youkais começou, Blakke tentou acertar a garota, mas ela rapidamente contra golpeia, desviando o machado do rapaz, fazendo com que ele erre o golpe e ainda por cima deixe a sua guarda aberta, fazendo com que ela acerte o golpe facilmente.
Aproveitando o momento, Hai tentou socar o adversário novamente, recuperando-se Blakke tentou deviar, mas a garota fora mais rápida e o acertara novamente.

- Ringo
Divirta-se bolando coisas.
 
- Mulfounsseen
Enlouquecido, o construto simplesmente anda por entre o sangue e os detritos em direção a grande concentração de pessoas, que seria na escada e ataca o alvo mais próximo, que seria a Ringo.
O rapaz avançou com a maça em direção a garota, mas bem na hora a mesma caiu no chão, desviando completamente.

-Marie
Fugindo de toda aquela bagunça, a policial subiu até o sótão.

-Geral
Flutuando onde costumava ser a sala de estar, um misterioso brilho começou a se formar, vários feixes de luz se vinham dos mais variados locais da casa, flutuavam por ai, voando gentilmente, todos se dirigiam ao brilho, após algum tempo coletando aqueles estranhos feixes, o gentil brilhinho branco cintilou mais forte, fazendo os olhos alheios arderem por um momento, então dele saiu um intenso feixe de luz, que rasgou o ar em direção a Júlia, e a acertou em cheio.
Mesmo depois dessa estranha demonstração de poder, feixes continuavam surgindo, continuando a acumular energia.
- Kids acertou o golpe, mas como Ringo critou na defesa e não tomou dano eu preferi narrar assim que fica mais coerente.
- Alice me mandou mensagem dizendo que está hospitalizada e não poderá postar, seu personagem ficara congelado/inalvejavel na saguão caso ela volte a tempo.
- Júlia está próxima de onde começava a parede da cozinha.
- Júlia tomou 15 de dano do feixe.
- Kiffe ganha 20 XP por participação, teria ganhado mais, só que sumiu né...
- Hps totais:
Kiffe: Morto
Bones: 10/21 
Ringo: 17/48
MVP: 62/86
Blakke: 39/51
Júlia: 80 /95
Hai: 57/57
Morien: 27/58
Alice: 21/28
avatar
Cre♥pie
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Não é o Diff em Sex 27 Nov 2015 - 3:25

Morien analisou o dano estrutural que sofreu, e percebeu que estava bem ferido, não gostava daquela situação, porém não podia simplesmente desistir. Então Morien observou bem a porta da frente e, ao se lembrar de toda aquela água, percebeu que provavelmente não seria uma boa ideia, teria que adentrar o local pelo segundo andar. Porém levando tudo em consideração, Morien sabia que não estava na melhor forma, já havia sofrido um dano considerável, e gostaria de continuar vivo, então procurou a fonte de metal mais próxima.

Após um pouco de procura, percebeu que a fonte com mais abundância era o portão da casa. Morien se aproximou do portão e o arrancou, logo após arrancá-lo começou a amassá-lo de forma a formar um tapete para que pudesse sentar-se em cima e meditar. Após terminar de amassar o portão ele o posicionou no chão e sentou em cima de pernas cruzadas, da mesma forma que aguardou no pé de um vulcão por milênios, e passou a absorver o metal.

"Se ao menos Bob estivesse aqui para me oferecer suas explicações sobre as normas desse mundo, minha passagem por esse mundo é tão mais complicada sem a sua guia"

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por juliamoreira2004 em Sex 27 Nov 2015 - 10:53

- Mas que m&¨% é essa! Está bom..está bom, eu entendi a m%$#@ do recado! Não precisa me atingir de novo, pois eu não irei atacar vocês espíritos. Mas alguns dos espíritos poderia pelo menos me dar uma mãozinha para subir! Eu faço o que vocês pedirem, mas pelo amor de Deus me ajudem!

"Por que eu fui inventar de vir aqui? Se eu não fosse tão teimosa na hora da inscrição dizendo o quanto eu era capaz, eu não estaria nessa situação nesse momento. Mas agora não adianta reclamar do leite derramado, já estou aqui mesmo!"

Júlia tenta fincar o seu machado mais acima e vai tentando fazer isso cada vez mais para continuar subindo até parar no segundo andar em alguma parte que esteja plana. Se ela conseguir ir para o segundo andar ela irá diretamente para o cômodo ao lado.

- Espíritos, podem me ajudar? Eu juro que se me ajudarem eu faço o que vocês mandarem. Mas gostaria que vocês parassem de me perturbar, pois para fazer o que vocês mandam eu preciso estar com a mente limpa. Então, concordam com meu acordo? - Júlia tenta um acordo com os espíritos nesse momento de desespero, talvez não tenha sido uma boa ideia.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Ringo em Sex 27 Nov 2015 - 19:31

Definitivamente sua curiosidade a traiu, a pequena Ringo não estava pronta para toda aquela situação, seus machucados a incomodava muito, mais do que você pode incomodar, sua cabeça estava abaixada, concentrada no seu pequeno afazer, ela nem sequer viu MVP tentando acerta-la com a maça, tampouco viu quando ele em um passo in falso caiu escada abaixo, levando junto consigo a escada em questão. Na sua frente os yokais digladiavam-se e agora para piorar, uma luz estranha apareceu na casa, ela percebeu isso com clareza, mas por hora, aquela luz não era prioridade.

Seus dedinhos moviam-se nervosos compactando aquela estranha massinha, muitas vezes suas mãos entravam em seus bolsos e depois regressavam a massinha, adicionando algo, ou removendo algo, Ringo trabalhava o mais rápido que pudesse, sabia que ficar ali não era nada seguro e precisava dar um jeito de sumir e fio o que ela fez.

Tão logo terminou a pequena engenhoca a jogou no chão, ao que tudo indica aquela estranha mistura pastosa reagiu com o ar de uma maneira instantânea ao impacto, não foi uma explosão, do contrario todos naquele recinto estariam mortos ou bem feridos, incluso a própria Ringo, sim ela estava cansada de tudo isso, mas ainda não era uma suicida, ao invés disso resolveu fazer uma granada de fumaça, que cobriu o recinto inteiro em poucos minutos, ela não sabia se sua pequena cortina de fumaça era potente o suficiente para cobrir a casa por inteira, provavelmente não, mas era forte o suficiente para escurecer todo aquele recinto, o que para ela já era ótimo.


Quando as pessoas a sua frente já eram apenas silhuetas em meio a fumaça ela se levantou e tratou de se esconder.

Ringo precisava de um plano, por hora apenas havia ganho tempo, mas tempo, não salvaria sua vida.


Spoiler:
só fiz uma bomba de fumaça mesmo e fui me esconder. ~


Última edição por Ringo em Sex 27 Nov 2015 - 20:01, editado 1 vez(es)

__________________________________

-"Devia ter morrido mais tarde; então, houvera ocasião certa para tal palavra. O amanhã, o amanhã. Outro amanhã, dia a dia se escoam de mansinho, até que chegue, alfim, a última sílaba do livro da memória. Nossos ontens para os tolos a estrada deixam clara da empoeirada morte. Fora! apaga-te, candeia transitória! A vida é apenas uma sombra ambulante, um pobre cômico que se empavona e agita por uma hora no palco, sem que seja, após, ouvido; é uma história contada por idiotas, cheia de sons e fúria, que nada significa." -






Macbeth (W.S.)

Legenda
Pensamentos-Narração-Falas
avatar
Ringo
Veterano
Veterano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Blakkinho em Sex 27 Nov 2015 - 19:53

- Você..

O Grifo recuou um pouco após os golpes da Youkai a sua frente, com o machado em mãos fortemente, mas ele não atacou logo ferozmente e sem pensar, se é que ele ainda conseguia pensar. Blake parou por alguns centésimos, olhando a água por um instante, aquela água vermelha em tom de sangue. Ele se lembrara do que lhe disseram, do que Zakarias dissera. A raiva se remoendo dentro de si. Talvez em seu subconsciente ainda restasse um pouco da sua sanidade, suficiente para perguntar a ele mesmo porque ele estava fazendo aquilo consigo mesmo, mas o Youkai não ouvia. Ele avançou após o pequenino passe de tempo mais uma vez em meio da fumaça que se formava, mas só de ter um pouco de acesso a silhueta de sua oponente já era suficiente. Segurando seu machado entre suas mãos com todas as suas forças, Blake só queria ver sangue naquele momento, mesmo que em um interior profundo, ele nem mesmo soubesse o porque.  

- Ding Dong, Ding Dong...

Blake avançou em um golpe parecido ao anterior, mas agora visando acertar o estomago da Louva Deus.

(Off: To bem sem fé a respeito do Blake acertar um golpe :v) 
avatar
Blakkinho
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (Campanha) O mistério da mansão Buckler

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum