Ruas de Kannin

Página 4 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Horo em Sab 27 Ago 2011 - 20:52

Não entendeu muito bem o que Mugin quis dizer mas teve a leve impressão de que dizia sobre ela levar a serio o seu "Deusa" mas ignorou, cada um tinha um pensamento e ideal. Lá, na sua antiga terra, ela era chamada assim, então acostumou-se de tantos anos para cá. É difícil largar algo que vem fazendo tanto tempo.

— Bem, estou cansada. Onde ficar meu quarto? — Por um momento teve a impressão de que não ficaria sozinha no quarto. Seria com a garota que dormiria? que TEDIO seria. Ela não tem entre as pernas o que Horo quer! Irritou-se só com a idéia. Coçou a testa com a cabeça um pouco para baixo fazendo uma cara desgostosa de sempre quando não gostava de algo. É, não seria naquela noite ainda, mas tinha planos para depois.

— Aé, me esqueci. Depois, preciso conversar contigo Hayate. Se tiver uma varanda aqui, agradeço. Mas não agora, pode ser daqui um pouco assim que eu tomar um bom banho quente. Aqui tem, não tem meu jovem? — Disse olhando para Mugin.
avatar
Horo
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário http://lodoss.forumbrasil.net/forum.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Hayate em Ter 30 Ago 2011 - 1:30

Ouviu Mugin, e não se intimidou pela primeira dificuldade.

– Não se preocupe, vamos convencê-lo.

Falou determinado, afinal não parecia que iria desistir da idéia. Ouviu então Horo, e apenas assentiu com a cabeça ao que ela falou. Porém, falando em quartos, lhe veio algo à mente.

– Mugin, este lugar é realmente seguro? Conheço homens covardes, pode ser que algum companheiro dos que enfrentei queira vingança durante a noite. Não vejo perigo para mim, tenho sono leve, mas para Horo poderá ser perigoso se estiver sozinha em um quarto. Possivelmente não virão atrás de Raiza por ela não ter se envolvido na luta.

Mesmo que Mestre Wu tivesse respeito de todos da cidade, a covardia humana era doentia. Hayate não duvidava que pudessem tentar algo enquanto todos dormiam.
avatar
Hayate
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Rubi Make em Ter 30 Ago 2011 - 2:34

— Me desculpe mas você não pode ir adiante. Meu mestre está cansado e resolveu retirar-se, temos que respeitar a vontade dele, peço que tenha paciência e respeito por nossa hospitalidade, agora por favor, sente-se. —


Sem falar nada, apenas dei um passo para traz. A "gatinha manhosa" esta querendo se recolher, o jovem se interessou pela proposta do quarto, mas a preocupação era visível em seu rosto.

– Mugin, este lugar é realmente seguro? Conheço homens covardes, pode ser que algum companheiro dos que enfrentei queira vingança durante a noite. Não vejo perigo para mim, tenho sono leve, mas para Horo poderá ser perigoso se estiver sozinha em um quarto. Possivelmente não virão atrás de Raiza por ela não ter se envolvido na luta.

-Estou com vocês, se vierem atras não será só de vocês.

Termino a frase me direcionando para a porta que dava a rua, antes de chegar na mesma falo:

-Sei que não é necessário, mas aposto que a conversa entre você e a "gatinha manhosa" de alguma forma fará você abaixar a guarda, então como não estou com sono, vou sair para pegar um ar e assim faço a primeira ronda.

Saio pela porta, colco meu sapato dou uma olhada ao meu redor, esta calma, o cheiro não era tão ruim a noite devido ao sol se por, mas da mesma forma era desagradável, olhai ao lado da porta, tinha uma cadeia na qual me sentei.

Sentada me encolho na cadeira, seguro minhas pernas com os braços, encosto meu rosto para traz e fico pensando em como o jovem aturava aquela garota, só mesmo por dever, impossível ficar no mesmo ambiente que ela, realmente impossível. Com esses pensamentos começo a rir baixo, mas foi com vontade.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por GM Nuke em Qui 1 Set 2011 - 5:57

@ Horo, Hayate e Raiza.

Mugin observa as reações e respostas de seus visitantes e quando ve Raiza se dirigindo para a saída da casa a interrompe.

— Espere moça, o raciocínio seu e de Hayate não está errado, no entanto se eu e meu mestre não fóssemos capazes de nos proteger já teríamos caído a muito tempo. — Falou enquanto aproximava-se de Raiza pegando em seu ombro de forma a fazer a moça virar-se para ele. — Nossos inimigos não nos atacarão enquanto estiver-mos aqui, um ritual de proteção protege este lugar. Agora me sigam, levarei vocês até seus quartos. — Terminou de falar abrindo a mesma porta por onde Mestre Wu havia seguido.

A porta dava em uma grande sala, quase tão grande quanto a sala anterior, o assoalho era todo de madeira lisa e encerada enquanto que as paredes eram de alvenaria revestida com uma argamassa branca assim como de todo o restante da casa. Um grande tapete vermelho com o desenho de um dragão dourado ao estilo oriental tomava quase todo o chão desta sala, a mobília consistia em 3 estantes um sofá de três lugares, duas poltronas e alguns suportes de madeira com diversas armas e outros objetos provavelmente usados no treinamento dos alunos de Mestre Wu.

Mugin guiou os visitantes e no caminho guardou as caixas de curativos usadas no tratamento de Horo e Hayate em uma das estantes, todos notaram que essa estante em particular possuia vários fracos e equipamentos de cura.

O jovem então abriu a porta do outro lado da sala, as portas desta casa eram de papel e abriam-se lateralmente. Esta nova passagem dava acesso a um corredor não muito comprido. O corredor tinha 5 portas, uma por onde o grupo havia entrado, uma grande porta dupla lateral que tomava com exclusividade a lateral direita do corredor, uma porta no fim e duas outras que ficavam no lado esquerdo, no fim do corredor também ao lado da ultima porta havia uma escada que subia.

Amigos, a ultima porta é o banheiro, vocês poderão usá-lo para se banhar e fazer suas necessidades, a primeira porta a esquerda é o quarto onde o Senhor Hayate dormirá. A segunda porta é onde a senhoritas Raiza e Horo passarão a noite. Lamento não dispor de quartos exclusivos para vocês. — Falou enquanto apontava para as portas.
Essa outra porta leva para a sala de estar e jantar, se quiserem podem ficar nela para conversarem ou usar nossa cozinha, façam de nossa humilde casa a casa de vocês. — Falou apontando para a grande porta da direita.

Senhores, irei me retirar para meu descanso, em seus quartos nos armários existem roupas limpas que vocês podem usar enquanto estiverem aqui. Eu, meu mestre e minha irmã costumamos acordar cedo para tomar café da manhã se quiserem podem se juntar a nós. — Falou esboçando um sorriso. — Agora devo me retirar. — Dito isso fez uma breve reverência a cada um dos visitantes e saiu subindo as escadas.




Atenção! Agora vocês estão livres para interagir como quiserem, cada quarto de hóspede possui duas camas de solteiro e um armário com roupas ao estilo chinês que vocês podem usar a vontade.

As regras para a livre interpretação é a seguinte: cada jogador só pode postar uma única vez por ciclo, o ciclo se completa quando todos postaram ai pode ser reiniciado por qualquer um.
Por exemplo: Raiza posta, Hayate posta então Horo posta, em seguida Hayate posta, Horo posta e então Raiza posta.

Qualquer dúvida me perguntem via MP ou MSN. Postem a vontade.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Horo em Qui 1 Set 2011 - 10:02

Legal, teria que dividir o quarto com aquela garota chamada Raiza. Mas ora essa! Quem falou que Horo ia dormir no mesmo quarto que ela? Hehe...Ao perceber que era um único banheiro, agradeceu ao mestre e abriu a porta de seu quarto e, antes que entrasse, olhou Hayate.

— Vou tomar um banho e nos encontramos na varanda da sala de estar. — Falou simplesmente e já foi levantando sua blusa antes mesmo de fechar a porta do quarto. Fechou a porta deixando Raiza do lado de fora. Abriu o armário e analisou as opções que tinha. Pegou uma camisola vermelha de alsa e uma toalha que encontrou e foi direto para o banheiro.

Uma vez lá fechou a porta e trancou-a. Encarou demoradamente o espelho enquanto enchia a banheira. O água quente fez o vapor inundar rapidamente e ocultar seu rosto do espelho, deixando apenas seus olhos observando. Tirou a blusa devagar e logo a parte debaixo e entrou na banheira devagar. Estava tão quente! Deliciosa! Encostou a cabeça e fechou os olhos enquanto passava sabonete em toda parte do seu corpo. Suspirou. O cabelo molhado grudava em seu rosto pelo vapor e a essência do sabonete grudava em seu corpo. Gostou da sensação. Abriu os olhos e olhou para o teto. Pensou no que diria a Hayate e sorriu de canto.

Pensou que se algum dia ela sentisse aquilo, seria por aquele Deus que foi capaz de deixar. Sentia-se estranha e irritada pelo sentimento que era nutrido por um rapaz que acaba de conhecer. Ainda mais um humano! Que, por sinal, queria seguir caminho tão diferente. Será que valia a pena tirá-lo do caminho que deseja ou era melhor deixá-lo seguir? Oras, deveria deixá-lo ir embora afinal ele não tem muito tempo na terra. Não é como ela. Baixou os olhos.

Momentos depois saiu da banheira, se enxugou e colocou a roupa. A camisola vermelha deixou suas curvas mais visíveis e seu corpo esbelto. Enxugou o cabelo molhado e deixou-o úmido esparramado em suas costas, ele ia até pouco mais abaixo delas. Enfim abriu a porta do banheiro e olhou para os lados. Entrou no quarto e estendeu a toalha, tirou seu perfume de lírio da bolsa e usou. Fechou a bolsa e colocou-a ao lado da sua cama, que era perto da janela do quarto.

Ele talvez fosse o próximo ou deixaria Raiza ir na frente, mas seria interessante deixá-la ir por último por dois motivos: Primeiro e mais importante: Quanto mais rápidos se encontrarem, seria melhor; Segundo e não menos importante: Ela não ficaria ouvindo nossa conversa. Odiava criaturas bisbilhoteiras e fofoqueiras e parecia que era uma, e das piores e mais mexeriqueiras!

Caminhou até a sala de estar e olhou-a. Foi direto para a varanda e abriu a grande janela e atravessou, sentindo o ar frio da noite encontrar seus cabelos molhados, roçando-os em seu rosto. Observou o deserto e sua grande expansão e suspirou, debruçando-se nao peitoril esperando Hayate. Buscou a Lua.

avatar
Horo
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário http://lodoss.forumbrasil.net/forum.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Hayate em Qui 1 Set 2011 - 12:18

Ficou surpreso. Aquele lugar era maior do que imaginava, e sentia-se seguro apesar da situação da cidade. Confiava nas palavras de Mugin, o dojo não sofreria com invasões, então resolveu relaxar um pouco. Enfim chegaram ao corredor, onde o rapaz indicou os lugares e seus quartos. De fato ali era enorme, e ainda não haviam visto tudo. Sendo a primeira vez que entrara em um dojo, ficou surpreso com tudo aquilo.

– Agradeço, Mugin. – Disse ao rapaz antes de ele se retirar. Ouviu então Horo e concordou com a cabeça, para logo virar-se à Raiza – Pode ir tomar banho depois dela, prefiro ficar por último.

Ainda não estava cansado, e banho era a última etapa do dia, quando se livrava do suor do dia. Entrou no quarto, avistando as duas camas e o guarda-roupa. Encostou a estranha porta dobrável, aquilo era novidade. Logo foi se livrando de seu equipamento, colocando a espada num canto, assim como seus acessórios e protetores. Despiu sua capa, colete e camisa, ficando apenas com sua calça. Ajustou a faixa na cabeça para seu cabelo não atrapalhar.

Desde certo dia à muitos anos atrás, teimoso e decidido a perseguir um sonho, Hayate passou a dedicar-se a alguns exercícios diários. Não sabia exatamente a quanto tempo fazia isso, desde moleque iniciou esse ritual, mas gerou resultados bons ao passar dos anos. Reflexos melhorados, resistência e força eram os principais, mas talvez o melhor fosse sua auto-estima. Em uma hora conseguia algumas centenas de flexões de braço e abdominais, além de treinar golpes de espada. Mal via o tempo passar, sua mente vagava enquanto isso, livre e destemida. Suava bastante mas, graças à sua dedicação, ao final do treinamento pessoal já não ficava tão ofegante. Em alguns minutos estaria recuperado. Energia e disposição sempre o acompanhavam.

Foi então até o guarda-roupa, escolhendo a roupa para usar depois do banho para pelo menos passar a noite. Eram roupas diferentes, mas se contentou com uma calça preta e uma camisa branca sem mangas. Não parecia haver outro tipo de roupa além daquelas que os alunos costumam usar.

Jogou as peças sobre o ombro e caminhou até o final do corredor, parando a alguns metros do banheiro e apoiando as costas na parede, esperando Raiza terminar seu banho. Manteve os braços cruzados e mais uma vez deixou sua mente galopar livre. Quanto mais longe, melhor.
avatar
Hayate
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Rubi Make em Qui 1 Set 2011 - 14:06

Meu projeto de passar a noite quieta e sozinha no lado de fora do dojo, fora interrompida suavemente com as palavras de Mugin, mais uma vez ok, estava em seus aposento farei como ele ordena. Mugin fora gentil e nos mostrou os aposentos, o dojo por dentro parecia maior do que visto por fora, em um grande corredor o mesmo indicou nossos aposento, eu teria de dividir o quarto com Horo, o que por mim não avia problema pois sabia que ela não passaria a noite comigo.

Após uma luta, obvio que daria lugar aos dois em tomar banho em minha frente, antes mesmo de falar algo Horo tomou a frente entrando no quarto pegando alguma vestimenta e fora para o banheiro, permanecendo um bom tempo dentro dele. Migin já havia se retirado do local ficando apenas eu e Hayate, o mesmo me fitou e sedeu digamos assim o segundo lugar para tomar banho, entrou em seu aposento, fechou a porta mas não por completo uma fresta,não muito grande sobrou entre a porta e a parede, o suficiente para que pude-se ver la dentro, a visão era fantástica, não pelo fato de ele bonito e atraente, mas sim pelo fato de vê-lo baixar a guarda e de alguma forma esquecer dos problemas, sua concentração nos exercícios não era pouca, mesmo concentrado parecia estar longe.

Horo saiu do banho, eu continuava no mesmo lugar, vi Horo entrar no quarto a roupa que escolheu para vestir era sensual, fazendo até mesmo com que a minha atenção fosse voltada para ela. Após alguns minutos ela sai do quarto e se direciona para a varanda, local aonde conversaria com o jovem. Logo a sua saída eu entro no quarto abro a armário, as roupas são variadas, desde a mais chamativa(roupa que Horo esta vestindo) até coisas mais simples como um pijama da cor rosa, eu não estava acostumada com roupas largas mas era oque tinha, peguei-as e fui para o banho.

Na passada do corredor olho para o quarto de Hayte e o vejo escolhendo roupas para seu banho, sem parar continuo indo para o banho, fechei a porta, por algum momento pensei em trancar mas não o fiz o banheiro estava quente devido ao banho de Horo, dei uma limpada com a mão no espelho para poder me ver, o cansaço era visível em meu rosto. Rapidamente despi minhas roupas, não estavam sujas, e nem eu, mas estava no final de mais um dia e naturalmente tinha que tomar um banho, tirei a roupa e as deixei dobradas em cima da pia, ficando apenas com as roupas de baixo, logo as tirei tbm, antes de entrar na banheira troquei a água que Horo usou por uma nova, já dentro da banheira a primeira coisa que faço é afundar a cabeça e ficar por alguns instantes submersa, como era bom tomar um banho uma esponja foi usada para o banho. Sequei-me e me vesti, abri a porta do banheiro vi Hayate aguardando minha saída o mesmo me fitou e eu também o fitei, alguns momentos de silencio falo :-Horo, tem um carinho e respeito visível por você, sabia disso não?-

Alguns instantes parado a sua frente, penso na possibilidade de um beijo, mas desisto...o porque de desistir ainda não sei, só desisto e sigo em direção ao quarto das meninas por assim dizer estendo a toalha e me sento na cama mais afastada da janela me encosto e fecho os olhos por alguns instantes.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Hayate em Qui 1 Set 2011 - 17:04

Enfim ela saiu do banho. Na verdade, nem tinha se tocado quanto tempo havia passado. Percebeu que ela o fitava e arqueou uma sobrancelha, até que ela falou algo curioso. Raiza não deu chance de resposta, então preferiu guardar a resposta a si mesmo.

Entrou no banheiro e fechou a porta, logo se despindo. Água quente, ótimo, a tempos não tomava banho dessa forma. Seria bom para relaxar, apesar de não refrescar tanto seu corpo quanto gostaria. Banhou-se rápido, livrando-se da sujeira e do suor, mas cuidando para que o curativo não saísse de suas costas. Não levou mais do que quinze minutos, já saindo da água e se enxugando. Vestiu a calça preta, e ficou surpreso em saber que a camiseta sem mangas era justa. Detestava roupas assim, mas não impedia seus movimentos e deixava seu corpo refrescado. Tinha suas vantagens. Não colocou a faixa na cabeça, só iria dormir, não precisava.

Passou a toalha na cabeça para secar o cabelo o máximo possível, e só então deixou o banheiro. Passou no quarto para deixar sua calça e sua faixa, e enfim dirigiu-se até a sala de estar. Dali avistou Horo na varanda, aproximando-se.

– Queria falar comigo?
avatar
Hayate
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Horo em Qui 1 Set 2011 - 17:57

Horo poderia ser qualquer coisa, mas acima de tudo, era uma Loba. E tinha orgulho disso. Lobos tinham o que era de melhor: Audição. Da varanda ouviu a frase que Raiza disse e baixou os olhos. Sentia o cheiro dela, os hormônios, sabia que ela tinha interesse também. Intrigou-se. Ela estaria afim para provocar Horo ou por simplesmente sentir algo? Ela não sabia nada dele, diferentemente de Horo.

" Mas e se..."

Ouviu a voz de Hayate. Ficou gelada por um momento e sorriu, a franja cobrindo seus olhos. Ficou um tempo quieta, e por um instante desistiu de dizer o que pretendia. Respirou fundo e virou o rosto para dizer que ia embora mas ao vê-lo naquela roupa apertada...mudou de ideia. Sorriu sacana.

— Queria agradecer por tudo que fez por mim até aqui. Se não fosse por você, estaria nas mãos daqueles bandidos que encontramos na floresta, isso se não fosse daqueles da cidade. — falou sincera. A esta altura estava virada para ele, olhando-o nos olhos. Seus olhos não eram mais aqueles sacanas e cativantes, eram suaves e cheios de sentimento. Passou a mão no cabelo e engoliu em seco.

— Amanhã talvez irei embora, logo cedo antes do Sol nascer. — Começou, escolhendo as palavras. — Não posso fazê-lo atropelar o que sonha, o que sempre quis fazer. Mas...O que dizer quando eu preciso dizer? — Suspirou, e se aproximou mais, deixando Hayate entre o peitoril e ela. Quando viu que ele estava encurralado, ficou na ponta dos pés e colocou uma mão em cada lado de seu corpo, só que no peitoril. Sorriu sensualmente, olhando-o fixamente com seus olhos vermelhos.

— Mas o que diria agora, para uma Deusa rendida aos seus encantos de soldado...? — Manteve a distancia para não sufocá-lo. Se fosse outra pessoa saberia como agir, mas com ele era diferente, não sabia como ele reagiria.

— Sempre digo as coisas na lata, mas uma vez que eu mesma sinto, é difícil dizer. Sim, sinto um grande respeito por você, e ainda mais que isso, sinto aquele calor incessante inundar meu corpo cada vez que fica perto de mim. O que isso quer dizer nem mesmo eu sei. Só sei o que quero fazer neste instante...Mas não quero fazer sem ao menos saber que serei correspondida.

Soltou as palavras sem pensar duas vezes. Falava rápido, sabia o que dizia, pois deixava os sentimentos explodirem dentro de si. Exalava Hormônios, mas tinha medo dele não retribuir. Pela primeira vez, Horo, a Deusa, sentiu medo.

Mas estava sendo apressada demais e resolveu parar. Olhou para o lado esquerdo da cabeça de Hayate, para o horizonte, e teve certeza de que ele não sentia o mesmo que ela. Soltou as mãos do peitoril e virou, distanciando-se dele, afastando.

— Sinto muito eu...Falei tudo rápido demais. Estou indo rápido demais. Sei que não sente a mesma coisa, e uma vez que isso acontece...Não devo insistir. Senti sua atração por mim da primeira vez, mas foi só ali. Me enganei... Boa noite. — Olhou para o horizonte. Tentava não pensar em nada, olhar para nada, mas era difícil. Tinha certeza de que ele diria boa noite e sairia da varanda.
avatar
Horo
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário http://lodoss.forumbrasil.net/forum.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Rubi Make em Qui 1 Set 2011 - 21:44

Fiquei ali por um bom tempo, pensando em nada, praticamente meditando, escutei Hayate sair do banho, a porta estava meio aberta, pude vê-lo sair com uma regata por assim dizer, a mesma ficava colada em seu corpo, um corpo bonito, nada exagerado no ponto por assim dizer. A passagem dele pela porta, foi rápida a imagem dele ficava passando em minha cabeça varias e varias vezes, eu parecia estar em transe até escutar a conversa entre eles, Horo parecia gostar mesmo de Hayate, minha audição era boa, mas suas palavras não, começava uma palavra em um tom e terminava em outro, não consegui definir se o que falava sobre seus sentimentos eram verdadeiros ou estava apenas jogando com Hayate, isso não me diz respeito mas sei lá o que tinha em mente para ambos mudou completamente, o porque? não sei, simplesmente sei que não sei mais de nada.

Enquanto escutava Horo falar, me lembrava do acontecido e alguns dias, sim me lembrei de Laylla e sua fiel companheira, era bonito a forma na qual Dimmond era ligada a ela, queria ter noticias dela, pois foi com ela que tive alguns momentos legais, momentos comuns por assim dizer.

Esse flash acabou no estante em que Horo parou de falar, não peguei o final do que ela falava, mas me antenei para o que Hayate iria falar.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Hayate em Qui 1 Set 2011 - 23:29

Enquanto Horo falava, Hayate se aproximou do peitoril, apoiando uma mão ali enquanto ouvia a garota, virado para ela. De primeira ela o agradecia, e ficou feliz com isso, gostava quando era reconhecido e quando fazia um serviço bem feito. Que, no caso, foi protegê-la. Logo ela pareceu se despedir, mas o que veio em seguida foi um tanto confuso. Quando se deu por si, Hayate estava encurralados pelos braços da Deusa. Engoliu em seco, surpreso. Como havia parado ali? Logo ficou mais do que claro as intenções de Horo, e sua declaração o surpreendeu, ao mesmo tempo em que ela se contradizia de forma confusa. Quando ela enfim se distanciou e deu-lhe as costas, Hayate ficou um tempo coçando a nuca, pensando no que dizer.

– Ham... me desculpe, Horo. – Tirou a mão da nuca, fitando a garota, mesmo que ela não o fitasse. Não sabia bem como agira naquela situação, então preferiu ser sincero e direto. – Percebi seus olhares e insinuações, não só para mim como também para outros. Sei de suas intenções, me parecem ser sinceras, só que está claro qual é o seu interesse principal. Me desculpe, não posso retribuir isso. Gosto de você, mas não até esse ponto. Perdão, mas... eu não quero ser usado denovo.

Andou até Horo, hesitou um pouco mas logo apoiou uma mão em seu ombro.

– Ainda assim terminarei meu trabalho, tenho um compromisso com você. – Respirou fundo, demoradamente. – Me desculpe.

E saiu andando em direção ao seu quarto. Concordava que Horo de fato era bela, e a todo momento tentou olhar nos olhos dela para não reparar muito em seu corpo. Era uma garota peculiar e curiosa, tinha um jeito único e coragem de sobra, mas o objetivo dela era bem diferente do dele. Para ele, a deusa buscava apenas o prazer, algo que ele não julgava errado, mas ele mesmo não tinha isso como uma prioridade. Queria cumprir seus objetivos para só então encontrar alguém com quem queira passar o resto da sua vida, ter prazer com alguém que ama. Algo que ainda estava num futuro distante, talvez. Já havia tido experiências desagradáveis o suficiente para só pensar em tentar uma nova daqui muito tempo. Isso se tivesse coragem de tentar denovo. Certas coisas ferem mais do que qualquer corte ou pancada.
avatar
Hayate
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Horo em Sex 2 Set 2011 - 15:31

Tentou a todo momento não olhar para os olhos de Hayate quando ele a obrigou. Engoliu em seco. Imaginava que o motivo era por ela olhar para outros homens. Mas ele não conseguia perceber que para ele era de outro jeito? Ora, que tolice, homens não sabem diferenciar quase nada! Estava levando seu segundo não, da segunda pessoa que lhe interessava, e suspirou. Mas fale a verdade, Horo, achava que ele viraria com tudo e lhe beijaria!? Claro que não né! Tudo bem que poderia só agarrar e nada mais neh? Mas fazer o que, vontade não deve ter faltado.

Ele estava indo embora e Horo ia deixar. Peraí, mas como assim "Ainda tenho compromisso com você?" Do que ele falava? Ah sim! Mas espere, o trato foi de acompanhá-la até a cidade, nunca fez um contrato de levá-la para um lugar seguro ou seja lá o que for. Iria tirar isso a limpo agora.

Antes que Hayate saísse da varanda, pegou em seu braço e puxou. Além de querer saber o que ele quis dizer, ficou revoltada pela forma que ele achava que ela era.

— Espere ai, soldado. — Falou rígida, soltando-o quando parasse. — Olhar não arranca pedaço, e outra coisa, se fosse tão ligado quanto é para perceber ninjas, conseguiria notar que olho de formas diferentes deles para você. Mas isso não importa. Tenho meus motivos para agir assim. Falei o que sinto, o que achei que deveria dizer. Agora, se não gostou, não posso fazer nada, mas agir com indiferença não vai mesmo!

Até este tempo estava apontando o dedo contra o peito de Hayate, empurrando-o contra a parede, incrivelmente ignorando onde estava tocando. Estava com cara feia, irritada, pois estava de orgulho ferido.

— Se quisesse só sexo, já teria conseguido com qualquer um. Nem precisaria dizer tudo que disse a você. Agora, não é assim que se trata alguém que abriu o coração desta forma. Nunca deve ter sido amado de verdade para saber o que é isso! E quando sente que será, foge como um coelho amedrontado, com medo de corresponder! — Falava demais, e agora não respondia por si. Irada, ficava nas pontas dos pés quase com o nariz roçando no nele de tanta raiva. Pela primeira vez, não pensava em seu corpo nem em outra coisa relacionada a isto. Era só ela e ele para a conversa.

— Além do mais — Falou um pouco mais calma, distanciando um pouco. — Por que este compromisso? Nosso trato não foi me levar apenas à cidade? E que, vamos combinar, foi uma brincadeira que fiz e eu mesma te falei. — Deu um sorriso sensual, fazendo charme. Aproximou-se, mas sem tocá-lo. — Me proteger não é a sua única intensão, porque se fosse, já teria seguido o seu caminho e eu o meu. Diga a verdade a si mesmo. Ora, Hayate, sou uma Deusa! Consigo sentir o que os homens querem. Se soubesse que você não queria nada e agiria como usado por outras, acharia que não tentaria algo? Sinto seu seus hormônios mais fortes no ar quando estou por perto. Principalmente quando toco em você... — Ameaçou tocar em seu braço mas não o fez, queria apenas dar uma prova.

— Sei que esconde algo, principalmente que sente algo...Mas, como resistir a isto se nem você consegue se controlar? — Falou mais baixo, olhando com os olhos penetrantes e enfurecidos, sentindo a brisa da noite balançar seu vestido e cabelo, refrescando sua tensão.
avatar
Horo
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário http://lodoss.forumbrasil.net/forum.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Rubi Make em Sab 3 Set 2011 - 21:09

Hayate falou e falou bem, o problema é que Horo não aceitou o que ele falou, queria estar vendo pois em uma relação de soldado e dama, eles parecem mais um casal de namorados, -Vai entender-pensei comigo e dando uma risada baixa me deito na cama ainda rindo por dentro devido a situação, gostaria de ter oportunidade de falar com ambos, mas Horo não me agradava muito, talvez por se sentir ameaçada de alguma forma, claro como ela mesmo falou é uma Deusa, creio que que todos tem que servi-la de alguma forma. Hayate me chamou muito atenção, muito mesmo, tenho que me controlar em sua presença imagina se eu falo ou faço algo com ele ou para ele.

Com esses pensamentos eu me levanto, tento não fazer muito barulho para não chamar atenção dos outros, caminho delicadamente e chego até a cozinha, uma cozinha muito linda e muito pratica, não tinha muitas lembranças de cozinhas então para mim era muito pratica, demoro um pouco para achar o armário aonde estaria os copos, pego um e levo até a torneira enchendo-o.

Fico olhando pela janela que esta logo em cima da pia, a claridade da lua era demais, a paisagem, a brisa, fico viajando ali enquanto tomo minha água.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Hayate em Seg 5 Set 2011 - 3:12

Ficou surpreso quando Horo o puxou pelo braço, e mais ainda quando ouviu as palavras dela. Além de estar notavelmente brava, ela despejava tudo que não tinha ficado claro agora a pouco. Enquanto ela falava, batia com o dedo no peito de Hayate, e o rapaz dava um passo para trás cada vez, fitando surpreso aqueles olhos irados e intensos. Até que ficou contra a parede, e novamente estava encurralado. Só que, desta vez, ela veio bem mais perto, e suas palavras chegaram claras até demais. Aquilo era uma declaração em alto e bom som, e muito diferente das poucas que tinha ouvido. Era uma garota feroz, e notavelmente orgulhosa.

Hayate soltou o ar quando ela se distanciou, e ficou ainda mais surpreso com o que ela o "acusava". Ela até ameaçou tocá-lo, o que por reflexo o fez recolher o braço um centímetro antes de notar o que ela queria.

– O quê? Não, não! Eu sempre cumpro minha palavra, e jurei te escoltar até um lugar seguro, e aqui não é seguro, só isso! – Percebeu que se exaltou, e logo engoliu em seco e pigarreou. – Ham, você viu no que nos envolvemos, ainda tenho a missão de te proteger, mas tem esse problema com a cidade e tudo mais... Não me leve a mal, você é bonita, muito, mas... Olha, estou sendo estritamente profissional. Apenas... isso.

Começou a duvidar de suas palavras, já que Horo falou tudo com tanta certeza e ousadia.

– Desculpe, mas... é repentino demais, a conheço pouco e você também mal sabe sobre mim. Sei que às vezes falo demais, e notei algumas coisas suas que você não precisou dizer, e... bem, você entendeu. – A algum tempo já tinha parado de fitá-la nos olhos. Não por estar incerto do que dizer, mas também porque queria evitar mais certeza vindo daqueles olhos profundos. Coçou demoradamente sua nuca antes de terminar de falar. – Desculpe.
avatar
Hayate
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Horo em Seg 5 Set 2011 - 10:36

OFF: AWN amor, sabia que o Hayate não ia resistir =X Merece até um kisu qdo t ver =X Narrador, meu último post ;D
_________________________________________________

Finalmente! Hayate se desconcertou e se perdeu na explicação. E ali, Horo viu que ele sentia o mesmo por ela. Abriu um sorriso suave pela forma desesperada que ele agia para explicar algo tão simples e olhou para o lado, vitoriosa. Ele gostava dela, só estava com medo. Era questão de tempo agora. Mas, por incrível que pudesse parecer, Horo não se preocupou. O sedutor soldado gostava dela mas tinha medo de fazer algo e se entristecer depois.

Resolveu dar um basta. Quebrou a distância mais uma vez. Ficou na ponta dos pés e sussurrou em seu ouvido, encostando seu corpo no dele. A franja cobria os olhos, sua voz, doce e provocante; seu cabelo roçando nos braços do soldado.

— Os dias podem passar, coisas podem acontecer...Escolha um bom lugar para me escoltar, mas escolha bem...porque durante este tempo sentimentos podem aflorar e se intensificar...Tentarei me segurar muito, como estou agora, para não fazer outra coisa...Mas deixarei que você o faça. Boa noite... — Deu uma mordida suave na orelha de Hayate e distanciou-se. Olhou-o de canto, de corpo virada para a porta, e passou sua cauda pela barriga e cintura de Hayate, sentindo um diferente volume.

— Tenha bons sonhos, soldado...Te vejo ao amanhecer. — Assim, era de hora de ir para a cama. Sentiu o cheiro de Raiza e sabia que ela estava perto para ouvir, quiçá, dar em cima dele assim que voltasse para seu quarto. Mas ignorou isso, ela não era páreo e concorrente descente. Horo já tinha parte do coração e sentimento dele, e isso ele descobriria com o passar dos dias. Perturbaria seus sonhos esta noite, e sabia disso.

Não olhou para trás enquanto seguia para seu quarto. O vento balançava sua camisola mas mal se importava. Fechou a porta do quarto e deitou em sua cama, cobriu-se com um lençol e olhou para fora. Horo sabia que mexia com os sentimentos e instintos mais profundos de Hayate, e ele sabia disso. Deu uma boa e demorada olhada na Lua e fechou os olhos, adormecendo profundamente momentos depois.
avatar
Horo
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário http://lodoss.forumbrasil.net/forum.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Hayate em Seg 5 Set 2011 - 14:14

Mal tinha terminado de falar, novamente Horo veio pra cima e o fez grudar contra a parede. A camisa dele e a camisola dela eram de tecidos finos, logo quando ela se encostou daquela forma ele pôde sentir... tudo. Ficou sem reação enquanto ouvia aquelas palavras lentas e hipnotizantes, até que ela mordeu sua orelha de forma que fez um arrepio descer por sua espinha. Horo se distanciou, sua cauda passeou pelo corpo do espadachim de forma a entregar o resultado daquela investida inesperada. Ele a olhou se distanciar, ainda surpreso com tudo aquilo, até ela sair de vista.

Levou um tempo para se recompor, sacudiu a cabeça para acelerar isso e voltou para o seu quarto. Sentou-se na cama pensando no que acontecue agora a pouco. Ainda não a conhecia bem, isso era fato, apesar de ter sido fácil notar sua coragem e ousadia, além de ser uma garota bastante misteriosa. Tinha a consciência tranquila de que apenas seguia sua missão e a protegia, nada além disso, mas as palavras da Deusa o fizeram duvidar disso pela primeira vez. Tentou tirar isso da cabeça. Se almejava ser um cavaleiro, teria de se concentrar em suas missões e manter o foco. Suspirou aliviado por ainda conseguir fazer isso, apesar de sentir-se um tanto atordoado pelo que Horo fizera. Logo se deitou, e agradeceu por conseguir cair no sono fácil.
avatar
Hayate
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Rubi Make em Seg 5 Set 2011 - 20:57

Spoiler:
off: Hayate, pulou a ordem de post...cuide por favor, pois suas ações podem depender das minhas em algum momento.

Terminei de tomar a água, completamente sem sono me sento a mesa, viajando, sem pensamento algum, a calma da casa era enorme, não conseguia escutar claramente o que Horo e Hayate, nesse ponto já não me importava mais com o suposto relacionamento de ambos. A unica coisa que me pergunto é se isso se tornaria sério ou apenas era um passatempo entre os dois.

Encostada na cadeira, com as mãos na cabeça, na parte de traz da cabeça olhando para o teto escuto passos no corredor, passos leves, certamente eram os de Horo, me pergunto -será que deu tudo certo? ou tudo errado?- Não sabia, mas logo em seguida escuto passos mais pesados, ainda delicados, mas pesados Hayate também fora para seu quarto.

Me levanto saiu da cozinha em direção a varanda, já na entrada do corredor era possível sentir os hormônios de ambos, paro em frente a porta de Hayate, olho para a mesma-Entro? Vou entrar sim, oque me impediria de entrar?- Eu sabia a resposta, claro que é Horo, oque mais seria?. Então desisto de entrar e vou em direção da varanda aonde ambos estavam, a volúpia era tão forte que o ar era denso. Não queria ser um obstaculo entre ambos, afinal não sabia nem porque me juntara a eles, não tinha nada a ver com a dupla, mas Hayate era uma tentação, não olhei muito para ele, mas o pouco que olhei descobri muito, queria descobrir mais...porém não queria também.

Sentada na varanda e completamente sem sono fico olhando para o rua, mais precisamente para uma coruja que ali estava, mesma me olhava fixamente parecia que olhava minha alma, sensação muito estranha.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por GM Nuke em Seg 5 Set 2011 - 22:28

@ Horo, Hayate e Sta. Raiza.

Enquanto Horo e Hayate iam para seus alojamentos. Raiza ficava na varanda onde o casal havia acabado de ter uma prosa, estava sem sono, olhando o céu, a rua, o deserto e uma coruja. Até que em sua distração seus olhos captaram algo, um clarão de luz branca que pode ser visto brilhar momentaneamente no deserto em uma colina distante. O clarão tinha o mesmo brilho e intensidade de um relâmpago mas ao contrário deste não vinha do céu, havia surgido do nada no solo e apagado-se rapidamente. O que seria aquilo afinal? Raiza ficou curiosa, pensou em ir até lá, mas percebeu que não sabia a distância, a única coisa de que tinha certeza é de que era longe.

Enquanto esse acontecimento estranho ocorria tendo Raiza como sua testemunha, Horo e Hayate tinham um sonho incomum. Eles sonhavam que estavam no meio de um enorme deserto, o chão deste deserto era de terra negra e batida cheia de rachaduras que emanavam um brilho vermelho dando a impressão de que o chão estava sangrando, o ar era carregado por um pesado cheiro ferroso misturado ao de enchofre, era o cheiro de sangue. O céus eram vermelhos, puro sangue e completamente tomados por nuvens densas e tempestuosas que descarregavam relâmpagos violentos no solo, mas mais que isso, as vezes não eram relâmpagos que caiam dos céus e sim bolas de fogo que causavam explosões violentas.

Horo e Hayate estavam juntos, lado a lado, se entreolharam com uma expressão de dúvida, será que estavam sonhando? Será que estavam juntos no mesmo sonho? Não sabiam. Apenas viam ao longe uma cena pertubadora, um enorme bosque de árvores negras e retorcidas que recobria todo o horizonte, essas árvores sem folhas possuiam em seus galhos tortos, corpos, centenas de milhares de corpos de pessoas de todos os tipos e raças, esses corpos estavam terrivelmente mutilados com suas víceras abertas e espalhadas como enfeites de decoração. O casal foi tomado pelo terror, estavam completamente desamparados não sabiam o que fazer.

Enquanto suas mentes tentavam assimilar a pertubadora visão e sua sanidade lutava para continuar no controle de suas ações, seus ouvidos captaram sons, pareciam os sons de um enorme exército em marcha, e de fato o era. Viram repentinamente sugir pelos lados e por cima de uma colina um enorme exército de demônios. Eram demônios de incontáveis tipos e formas usando uma infinidade de armas conhecidas e desconhecidas por Horo e Hayate.

O casal estava estupefato, paralisado diante da visão do exército macabro correndo em disparada e assim tomando toda a extenção da planície onde Horo e Hayate estavam. Foi quando viram surgir do outro lado uma única figura, um gigante de 3 metros trajando uma armadura de batalha completa e dourada repleta de espinhos. O gigante segurava com uma das mãos uma enorme espada, a arma tinha 5 metros e a sua lâmina era grossa mas achatada, o cabo da arma era prateado e ornamentado com inúmeras pedras preciosas.

Quando o gigante surgiu o exército de demônios parou com sua marcha, todos eles ficaram ali, parados encarando o gigante e ignorando completamente a presença de Horo e Hayate. Ouviram então um grito.

ASKALANA TAVAZUR KARTEGAR!!!

No momento seguinte ao grito todo o exército de demônios partiu em desiparada na direção do gigante que não recuou, pelo contrário avançou com fúria contra eles. A cena seguinte foi assombrosa, o gigante colidiu-se contra a frente do exército e com um poderoso golpe de sua espada fez voar em pedaços uma centena de inimigos. A batalha seguinte sucedeu-se com o exército de criaturas cercando o gigante e este massacrando-os com sua arma. O casal conseguia ver a brutalidade da cena, as criaturas atacavam por todos os lados fincando suas armas no corpo do gigante, a maioria destas não passavam a blindagem da fenomenal armadura mas algumas sim, o gigante por sua vez ignorava os ferimentos e combatia com fúria avassaladora usando tanto sua espada quanto sua armadura. Não demorou para que sua armadura dourada ficase toda tingida de vermelho e para que os espinhos destas tivesem alguns demônios pregados, pendurados.

Podem ter destruído a vida que habitava este mundo, demônios, mas não deixarei que sejam os senhores desta terra!!! — Gritava o gigante enquanto combatia as criaturas.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Horo em Ter 6 Set 2011 - 9:30

Achava que teria um sonho bom ou, como sempre, nenhum. Mas este foi completamente diferente dos que tivera em toda sua vida. E olha que não foram poucos. Do nada estava em um lugar todo vermelho e com um cheiro horrível. Quase tombou para o lado com o forte cheiro de sangue; era meio frágil para tal. Observou o céu, o chão onde pisava...E Hayate. Hayate?

— O que faz no meu so...nho? — Não escutaria a resposta. Pressentiu seres estranhos chegando e olhou para frente esquecendo da presença de Hayate. Olhou todas as criaturas com o olho arregalado e por um momento pensou que a luta era contra eles. Engoliu em seco, olhando o tanto de armas e seus tipos variados. Em todo tempo de existência nunca viu armas como aquelas, nem sabia o que fazia!

Mas então a atenção daqueles seres se viraram para algo ainda maior, gigantesco. As orelhas e cauda de Horo baixaram e ela olhou para trás devagar e contemplou o gigante. Chegou a abrir ligeiramente a boca sem saber o que dizer.

— Estou sonhando, estou sonhando...! — E então a criatura urrou e o ataque começou. Aquele exército começou a correr em suas direções para atacar a criatura, e Horo só pensou em fugir dali. Seria massacrada junto! O gigante fazia tremer o chão enquanto corria, desequilibrando Horo, não conseguiria correr, cairia igual das outras vezes que andou por uma simples floresta!

O jeito é atacar também. — Quando pensou em fazer o primeiro golpe assim que a criatura os alcançou, percebeu que eles não via o casal. Surpreendeu-se e arqueou as sobrancelhas e começou a se distanciar, andando devagar. Sua consciência dizia que era apenas um sonho, ou então uma passagem de um tempo onde Horo ainda não tinha descido à Terra, ou então...Uma previsão do futuro. Mas era óbvio que isto não aconteceria, mas mesmo assim a cena era deplorávell.

Caminhou até ficar em distância suficiente para observar tudo. Era doloroso ver tal criatura sofrer sozinha por outras e ser tão brava. Buscou Hayate com o olhar e suspirou, sabia que ele ficaria horrorizado com aquilo. Colocou a mão em seu ombro. Se ele estava com ela ou não no mesmo sonho, não importava.

— Hora de acordar.
avatar
Horo
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário http://lodoss.forumbrasil.net/forum.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Hayate em Ter 6 Set 2011 - 13:42

Detestava seus pesadelos, ainda mais quando eram reais. Mas aquele estava exagerando na dose. Hayate podia praticamente sentir o ar tenso e quente, além do forte cheiro de sangue. Quando olhou em volta ficou surpreso ao ver Horo.

– Horo?! – Mal teve tempo de perguntar, ela também falou ao mesmo tempo, mas em seguida avistaram um exército de criaturas. Demônios. Todos armados até os dentes. Eram milhares! Institivamente Hayate procurou sua espada, mas percebeu que usava as mesmas roupas que vestia quando foi dormir. Só poderia ser um sonho.

As inúmeras criaturas avançaram, mas em direção a um gigante poderoso. Ele sozinho encarava aquele exército praticamente infinito, sem nunca dar um passo para trás. Hayate assistia paralisado, surpreso com tamanha coragem daquele ser, deveria ter um ideal fantástico para continuar com aquilo e não ceder. O espadachim cerrou os punhos, detestando o fato de ser fraco comparado ao guerreiro gigante. Não sabia se aquilo era um sonho, uma premonição ou uma visão, mas parecia real o suficiente.

Estava tão concentrado em assistir à luta que assustou-se quando Horo tocou em seu ombro. A fitou surpreso. O que ela fazia ali? Talvez também fosse apenas um sonho, e concordou com o que ela falou apenas com um movimento da cabeça.
avatar
Hayate
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Rubi Make em Ter 6 Set 2011 - 20:23

-Vamos ver quem encara mais tempo sem piscar!- Pensamento maléfico olhando para a coruja, a coruja estava de costas para a imensidão do deserto, meu olhar estava focado nela, obviamente o restante estava embaçado por assim dizer, e mesmo embaçado algo me chamou atenção, logo atras da coruja entre ela e o tronco da árvore pude ver um feche de luz, rapidamente me levanto e com a testa franzida fico olhando o acontecimento estranho, nunca tinha visto algo parecido, pensei em ir até lá mas não sabia quanto tempo eu levaria até chegar no local, e muito menos a distancia, claro não era boba em me arriscar a tal ponto.

Analisando a situação,fico estagnada, apavorada por assim dizer, pois algo assim nunca tinha visto, entro no dojo novamente com a intenção de chamar Hayate, pois certamente isso não era coisa boa, e sendo ele um guerreiro teria de estar acordado para proteger Horo.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por GM Nuke em Ter 6 Set 2011 - 21:48

@ Horo, Hayate e Raiza.


Enquanto presenciavam aquele pesadelo conjunto, notaram com pavor que não eram capazes de acordar, não importava o quanto se esforçasem. Enquanto isso o gigante batalhava sem nunca recuar derrubando batalhões inteiros com os golpes de sua enorme espada.

Até que houve um momento que um demônio maior que o gigante atirou-se sobre ele derrubando-o. Era o fim, imediatamente toda a horda caiu em cima dele com suas armas cortando e dilacerando a carne daquele guerreiro descomunal. Não era mais possível para Hayate e Horo verem o gigante, tudo que viam era apenas a massa de demônios se aglomerar como uma montanha faminta em cima do corpo do guerreiro.

Escutavam apenas suas risadas e gritos de comemoração por terem vencido um inimigo tão poderoso. Hayate e Horo não podiam acreditar no que viam, estavam estáticos diante da cena terrível. Foi quando derrepente sentiram um tremo, um abalo e subitamente viram uma onda de energiar cinética surgir destruindo tudo que atingia. Hayate e Horo por estarem intangíveis não foram afetados mas a força da onda os fez cair no chão. No momento seguinte não puderam ver nada pois a onde de energia além de destruir tudo levantou uma enorme quantidade de poeira tornando o ar denso e carregado de cinzas, sangue e pedras. Tudo o que eles podia ouvir eram os gritos dos demônios sendo dilacerados pela energia que havia saido daquele centro da mesma forma que uma pedra causa ondas na superfície de um lado.

Enfim os gritos foram silênciados, mas ainda era possível ouvir o som da destruição, da terra sendo partida, do ar se deslocando, das pedras que foram lançadas para cima caindo, da poeira se levantando. Horo e Hayate sentiam-se como se estivessem no centro de um vulcão em erupção. Derrepente sentiram outra coisa, chuva? Não era uma chuva comum, era uma chuva vermelha, ferrosa, asquerosa, era sangue!

Subitamente a neblina se dissipou dando ao casal a visão novamente, o lugar havia mudado bruscamente, não estavam mais em uma planície com colinas mas sim em uma enorme cratera que alcançava facilmente 2 quilômetros de raio. O bosque de árvores negras e toda a orda de demônios haviam desaparecido e no centro desta cratera tudo que havia restado era o gigante que se levantava.

Assim que ele ficou de pé a chuva cessou e em seguida cairam as armas e armaduras dos demônios que estavam na batalha. Aquela chuva, não era uma chuva e sim o sangue dos corpos dissolvidos dos demônios destruídos pela onda de energia. Horo e Hayate puderam ver o gigante se aproximar, caminhando até eles, viam os rombos em sua armadura e sua carne cortada, podiam até mesmo ver parte de suas tripas sair por um dos ferimentos. Já o guerreiro simplesmente parecia ignorar tudo aquilo, conforme se aproximava de Horo e Hayate ia arrancando de seu corpo as inúmeras armas fincadas sem se preocupar com sua própria carne que era dilacerada no processo.

Foi então que perceberam, os ferimentos se fechando, as tripas voltando para dentro e a pele se refazendo e por fim a própria armadura se reconstruindo. O gigante estava novamente pronto para mais uma batalha.

Contemplem mortais! Esse é o futuro de teu mundo. — Falou olhando fixamente para o casal. Sim ele podia vê-los. — Porém, não se desesperem, este é apenas um futuro provável de acontecer mas não inevitável. Pensem nisso.

Mal terminou de falar e logo Horo e Hayate puderam ouvir os sons de um enorme exército marchando, não demorou e logo puderam ver um exército 3 vezes maior que o anterior surgindo por toda a extensão da borda da cratera. O Gigante simplesmente puxou seu espadão e deu um salto fenomenal que o fez voar do centro até a borda em um instante caindo com brutalidade em cima de uma horda inimiga. A batalha iria recomeçar.

Foi nesse momento que Horo e Hayate acordaram, ambos ouvindo a voz de Raiza. Horo acordou suada e cansada, ainda era noite mas ela podia ouvir Raiza chamando Hayate no quarto ao lado. Hayate por sua vez acordara no mesmo estado de Horo, suado, cansado e apavorado.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Horo em Ter 6 Set 2011 - 22:59

Hayate concordou em acordar e...Estranho, simplesmente não acordavam! Começou a se desesperar por isso e suspirou, tirando a mão do ombro de Hayate e olhou fixo para frente, a batalha. Por algum motivo era para o casal ver o desfecho da luta. Pouco a pouco o gigante ia caindo e perdendo a luta. Até que de repente ele cai e todos os demônios caem matando em cima.

Suspirou.

Olhando para aquela luta, a desigualdade que havia entre aquilo, chocava Horo. Seus olhos encheram de água e ficou triste com a cena. Começou a rosnar alto sem parar e seus olhos ficaram vermelhos de raiva. Por um momento, se Hayate olhasse para Horo, podia jurar que no lugar de sua pele haviam pêlos.

A luta estava perdida para um dos lados, e aparentemente era o bom, mas antes que pudesse falar alguma coisa ou tentar uma maneira de ir embora, uma explosão surgiu e a cena mudou. Tudo foi tão rápido que até Horo ficou surpresa e voltou ao normal. O cheiro de sangue se acentuou e sentiu em seu braço uma gota vermelha cair. Olhou para o chão a frente e viu que era uma chuva de sangue; não teve nojo, mas pena, por achar que era o gigante. Mas, para sua surpresa, não era. Ele havia acabado com todos ali num piscar de olhos! Incrível sua bravura! Não deixou de abrir um sorriso e tudo parou. Os olhos, os rosnados...Tudo.

Foi então que ele nos enxergou. Aquele gigante, todo o tempo havia nos enxergado? Esse era um pensamento que Horo teve ao contemplar o que ele dizia. Sábio em suas palavras, fê-la ponderar, observando incrédula a forma como agia e as armas que tirava de seu corpo para então recomeçar a luta com um exército que acabara de chegar.

Bravura incrível, mas agora que tinham visto tudo que era pra ver, era realmente hora de acordar, afinal...Alguém berrava descontrolada na casa. Adivinha quem era?

— Demônios!! — Horo acabou gritando em seu quarto de tão assustada que acordou. Estava suada, temerosa, e sentia seu corpo tremer. Ouviu ela gritar Hayate e respirou fundo e sentou olhando diretamente para fora. Ainda era noite! Quanto tempo havia dormido? Algumas horas? Meia hora? Não conseguia saber, só tentava desesperadamente controlar a respiração.

Levantou e foi até o corredor, precisava saber se Hayate tinha sonhado a mesma coisa que ela. Entrou no quarto de Hayate e acendeu a luz, ignorando quem acordaria. Parou na sua frente encarando-o e perguntou, ainda suada.

— Diz que você também sonhou.
avatar
Horo
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário http://lodoss.forumbrasil.net/forum.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Hayate em Qua 7 Set 2011 - 11:52

Tudo aquilo foi muito rápido. O gigante caindo e sendo consumido pelos demônios, a explosão repentina e a chuva de sangue. Hayate estava irado, sua maior vontade era estraçalhar todos aqueles demônios, e se odiava por estar sem qualquer ação. Será que aquilo era de fato uma visão? Real demais para ser apenas um sonho. Foi quando o gigante veio na direção dos dois, e Hayate encarava surpreso suas feridas se curarem a cada passo. Ele os via, não era um simples sonho, e suas palavras pesadas confirmaram isso. Estavam tendo uma visão do futuro.

Hayate mal teve tempo de dizer algo, um exército ainda maior apareceu e o gigante simplesmente continuou sua batalha. Sem jamais desistir ou recuar, um poço de bravura e honra que não seria quebrado por demônios desgraçados. Hayate queria ser dessa forma, forte o suficiente para conseguir defender seus ideais e quem precisar.

Hayate acordou ofegante, sentando-se na cama. Percebeu que estava suando, assustado pelo que vira. Olhou par ao lado e viu Raiza, tomando um susto e caindo da cama, mas logo se levantando apoiando na mesma.

– O que faz nesse quarto?! – Se exaltou, tentando respirar fundo. Aquilo foi estranho demais. Horo logo entrou no quarto e Hayate ficou surpreso com o que ela disse. – Não era um sonho, era? Parecia real demais.

Sentou-se novamente na cama, passando a mão pelos cabelos. Por quanto tempo havia dormido?
avatar
Hayate
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Rubi Make em Qua 7 Set 2011 - 15:08

Nunca o quarto ao lado pareceu tão longe, entrei no quarto de Hayate delicadamente para não acordar Horo, estava preocupada com o que vi, e alertar Hayate era a minha unica opção, pois assim como eu ele entendia do perigo.

Ao chegar perto de cama, sem antes de fazer qualquer coisa Hayate deu um pulo da cama, acordou assustado e caiu no chão.– O que faz nesse quarto?! –, o espanto dele foi tão inesperado quanto o meu, pois o susto que eu tomei foi praticamente da mesma proporção.-Tenho que falar com você sobre algo que vi a pouco.-Respondi olhando ele no chão.

Horo entra tbm com cara de espanto no quarto. —Diz que você também sonhou.- Sonho, mas que diabos estão falando? pensei comigo. Hayate respondeu com um tom de preocupação e de surpresa, por que o mesmo não sabia a resposta, sentou-se na cama e ficou pensativo.-Vocês dormem por 10 minutos e acordam apavorados assim? O que você sonharam? perguntei olhando para ambos.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas de Kannin

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum