Praça de Jilya

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Praça de Jilya

Mensagem por Saphira Odin em Dom 13 Set 2015 - 1:51


____________________________________________________________________________
( Praça de Jilya)

A praça é o paraíso de qualquer criança. Arborizada e tranquila, há vários bancos e, ao redor, vários brinquedos como gangorras, mini-casas na árvore, balanços e gaiolas-labirinto. Não há muitos vendedores nem movimento por aqui.

OFF: (Ichirou)
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Trebonidas em Qui 8 Out 2015 - 22:55

A praça era um dos poucos espaços em que poderia encontrar ervas em abundância. Claro que não tinha um laboratório onde fazer um trabalho de mestre, mas algumas substâncias curativas poderiam garantir a sua sobrevivência durante a viagem que pretendia fazer. Não tinha muito respeito às leis do parque quanto a não pisar na grama, nem se quer se sentia desconfortável por sua rebeldia sem fim.

_ Preciso encontrar um pouco de alfavaca... alfavaca... _  Foi falando para si mesmo. _ alfavaca... alfavaca... talvez não ache uma panaceia por aqui... _ Provavelmente ele seria a figura mais incomum daquele parque, ao andar caçando ervas, com seus óculos largos e roupas amassadas de quem não sabia o que era luxo há muito tempo

Sabia que tinham dois tipos dessa planta, as duas bem diferentes, apesar do efeito e cheiro serem semelhantes, mas só tinha visto pessoalmente uma delas. Se abaixou diante de um pequeno arbusto com a folhagem característica e arrancou uma folha, amassando com os dedos e trazendo até o nariz, sentindo o seu cheiro.
OFF: vamos as potz o/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Convidado em Sex 9 Out 2015 - 0:43

Trebane

Vincent acaba por encontrar duas variedades de ervas no arbusto muito semelhantes entre si, mas sue conhecimento em botânica faz perceber que o odor era levemente adocicado revelando que o segundo espécime seria uma das ervas que buscava a outra provavelmente seria uma subespécie que não possuía as propriedades curativas que buscava nestas plantas. Mas ainda havia outras espécies para buscar neste lugar tendo cuidado para não se tornar vitima de seu próprio erro.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Trebonidas em Sex 9 Out 2015 - 22:53

Ele se abaixou e pegou por volta de 20 folhas de alfavaca e as jogou todas na sua bolsa e as manteve nas mãos, pois não as conservar corretamente poderia fazer com que perdessem suas virtudes. Continuou andando e procurando... "...tomilho... e botão-de-prata..." foi repetindo mentalmente. Pegou uma folha de palmeira no chão para depositar o que já havia pego e começou a analisar mais arbustos, botões-de-prata eram mais difíceis de reconhecer por se parecerem com plantas aparentadas das samambaias, mas casa estivessem em seu período fértil, suas pequenas flores brancas a tornaria impossível de não reconhecer, já as pequenas folhas do tomilho eram mais fáceis de reconhecer pelo tamanho, cor, textura e cheiro.

Cruzou as pernas e com calma arrancou algumas folhas próximas e as cheirou bem.

_ Droga... sem meu remédio eu não duro nem 5 minutos de viajem _ Praguejou sua doença ainda sem cura. Mas ainda tinha que admitir que foi um grande alivio quando soube que podia substituir o alho por botão-de-prata, para não ficar com aquele bafo da morte que a antiga solução dava


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Yuul em Sex 9 Out 2015 - 23:23

                                      .    
Yuul mal sabia quantas noites havia passado vagando pelas ruas, sem rumo.
Obrigada a roubar como um cão vira-lata, dormir na chuva e receber os insultos e a violência dos humanos.
Sua unica alegria era ainda encontrar crianças que possuíam a sua mesma mentalidade, que brincavam até o anoitecer e lhe traziam biscoitos e pães.
Aquilo tudo se tornou uma jornada em vão.
Em sua mente, quase convencida da derrota, cansada, ainda possuíam alguns fragmentos de memória.
A grama verdejante parecia acolhedora, como na floresta, mesmo no meio da civilização.
"Talvez... se eu descansar por hoje... amanha eu encontre o Takeshi..."
Yuul caminhou pelo parque, farejando algo para comer. Ainda podia ser considerada um filhote, e cada vez que permanecia mais tempo como animal, mais reagia como um bicho selvagem.
Rosnava, uivava e latia , para aqueles que confrontavam.

Ela deitou no meio do parque, como um leão delimitando seu espaço e observando as pessoas a volta.
"Humanos são criaturas estranhas... colocam grades em todos os cantos..."
Pensou ela quando viu as crianças brincando nas barras de ferro que Yuul não compreendia como algo objetivo.
avatar
Yuul
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Cre♥pie em Sab 10 Out 2015 - 13:47

- Katarina -

E mais uma vez fomos demitidas, não sei como Kathleen não se cansa de mim, eu sempre acabo estragando as coisas, não me saio muito bem na maioria dos trabalhos que arranjamos e acabo prejudicando minha irmã.
De qualquer forma, vagamos pela cidade a procura de algum cartaz de procurado ou até mesmo algum outro emprego, ou quem sabe um novo rumo, ir pra outra cidade.
Andamos pra lá e pra cá, mas não achamos nada, então acabamos por resolver sentar na praça pra descansar.
Jilya é uma cidade pequena, mas pelo visto a praça estava até que bem movimentada.
A grama verdinha, as pessoas passando, o vento batendo em meus cabelos, até que era um lugar bem agradável, aproveitamos pra sentar em um algum banco que estivesse na sombra, e Kathleen logo pegou sua flauta e começou brincar com ela um pouco, passando-a de uma mão para outra, jogando e pegando, até que seus olhos brilharam, como se tivesse tido um pequeno surto de inspiração, e assim, começou a tocar.
Era uma melodia lenta e suave, mas aos poucos foi se tornando mais intensa, o que provavelmente acabou por a deixar empolgada, levando-a a levantar e sair por ai andando enquanto tocava.
Eu resolvi ficar sentada, estava bem casada, não sei de onde Kathleen tira tanta energia,  mas é claro que não deixei de ficar observando-a, afinal se conheço minha irmã, ela vai acabar aprontando alguma coisa.

- Kathleen -

Pode parecer estranho, mas tocar flauta por ai é uma das coisas que mais me relaxa, aquele parque estava tão agradável, ele parecia estar pedindo por uma boa musiquinha pra ficar de fundo, pra tornar o ambiente ainda mais tranquilo.
Saltitei pra lá e pra cá, até que achei uma menina... Ela estava deitada na grama sozinha... É estranho achar crianças assim, desacompanhadas... Será que está tudo bem? 
Sentei-me próxima a garota, entonei mais algumas ultimas notas da minha música pra depois voltar-me a ela. Tentei sorrir enquanto abaixava minha flauta, colocando-a de volta na bolsa e pegava uma maça dos meus suprimentos.
- Boa tarde, eu me chamo Kathleen. Estou atrapalhando? - Estiquei minha mão, oferecendo a maçã a ela.
avatar
Cre♥pie
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Yuul em Sab 10 Out 2015 - 20:15


Alguem se aproximou.
Uma menina com olhos cintilantes estendia a Yuul uma maçã.
Se levantou no mesmo instante e estendeu a mão meio relutante, sem tirar seus olhos atentos daquela figura que lhe oferecia comida tão gentilmente.
-- A Yuul estava com fome... como sabia?-- disse sentando e cruzando as pernas devorando a maçã em grandes mordidas, sem mastigar direito -- a Yuul não se incomoda... mas... quem é você?
A verdade era que pouco se lembrava dos nomes das crianças com quem ja havia falado, mas sua natureza curiosa sempre fazia com que perguntasse.
Yuul reparou que logo ali perto havia uma outra menina...
" elas são... iguais?"
Seu olhar alternava... olhando para Katarina e em seguida para Kathleen sem entender como era possível.
Se podiam existir dois humanos do mesmo... poderiam existir 2 Takeshis?
Aquela menina havia despertado certa curiosidade que jamais poderia ter imaginado em sua jornada.
Yuul se aproximou e perguntou de forma inocente.
-- Existem duas de você?
Off:



(Apenas interagindo com a personagem, enquanto o mestre nao da continuidade)
avatar
Yuul
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Convidado em Sab 10 Out 2015 - 21:19

Trebane, Yuul e CrepsChan

O alquimista continuava a procurar pela ervas, buscando por cada ingrediente para prepara seu remédio para pelo menos a diminuir os sintomas de sua doença, Vincent começava a sentir em sua boca um pouco do gosto de sangue, o rapaz não havia percebido Katarina sentando em banco de madeira atrás de onde lelé se encontrava observando o movimento das pessoas na praça e sua irmã que após tocar uma bela melodia em sua flauta entrega com a yuul que estava deitada na grama uma suculenta maça para a yokai. Havia crianças se divertiam correndo e brincando sob os olhares atentos de seus pais, enquanto os cantos dos pássaros cantavam enquanto voavam pelo belo parque verdejante.

off:
Cara jogadora Yuul por favor espera pela narração na próxima para não quebrar o ritmo.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Não é o Diff em Sab 10 Out 2015 - 22:30

Engraçado, não esperava encontrar Katarina ou Kathleen por aqui. Elas não me viram ainda, e não vejo porque mudar isso.

Pensou o rapaz, sentado embaixo de uma sombra encostado na parede, dedilhando uma melodia para si mesmo num piano invisível.

Que lindo parque, que lindo movimento, que grande contraste com o sangue e as víceras que pintavam um quadro tão bem pincelado pelos jatos arteriais daqueles que me tentaram tomar aquilo que eu nem mesmo tinha. Digam o que quiser, mas existe uma beleza surreal na violência e na crueldade tão bela quanto aquela que existe na paz e na tranquilidade.

Doug, perdido em pensamentos, continuava tomando notas das pessoas que alí passavam:

Katarina de cabeça baixa, como se houvesse perdido algo que lhe era necessário, mas sempre com um olho levantado para Kathleen; Kathleen falando com uma estranha e ingênua criança deitada sobre a grama, sempre delicada e com essa bondade ingênua; um homem que coleta plantas e ervas como se sua vida dependesse disso, mas com a naturalidade de quem cuja vida já depende disso a muito tempo; uma mulher que atira uma moeda na fonte de cabeça baixa, descrente de ter seu desejo realizado porém ainda o fazendo por aparentemente não ter escolha.

Enquanto a moeda girava, por uma fração de segundo ela refletiu a luz do sol nos olhos de Doug, transformando-a numa estrela diurna por um curto momento, algo lindo nos olhos de Doug.

Seja lá qual for o seu pedido, minha cara, espero que as estrelas o ouçam, pois você criou uma pra mim hoje.

Off: tl;dr: eu só basicamente disse que ele estava alí e narrei seus pensamentos, nada de muito importante.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Cre♥pie em Sab 10 Out 2015 - 23:37

- Kathleen -

Um sorriso formou-se em meus lábios ao ver a menina comendo tão intensamente... Ela devia realmente estar com muita fome... Hm, e pelo visto o seu nome é Yuul, ok.
Apenas achei que comida seria o jeito mais fácil de fazer você perceber que não quero te machucar. - Dei uma leve risada, enquanto procurava outra maça pra entregar a garota, do jeito que parecia faminta, uma só não deveria ser o suficiente. - Quer mais? 
Ajeite-me na grama, dobrando os joelhos e abraçando as pernas, procurando por uma posição confortável. 
- Bom... Acho que sou apenas a Kathleen mesmo... Tem algo mais sobre mim que a senhorita queria saber? 
Logo percebi que Yuul havia visto a Katarina, afinal a menina não parava de desviar o olhar na direção de minha irmã. 
Novamente dei um leve risada ao ouvir a pergunta que a garota me fizera, era tão inocente que chegava a ser fofo e a proximidade que estávamos agora quase que me dava vontade de acariciar a cabeça dela.
Aquela é minha irmã, muito raramente, em vez de nascer um bebê só, nascem dois, e esses dois costumam ser exatamente iguais, eu também não entendo muito bem disso. - Fiz uma pequena pausa, perguntando-me se deveria mesmo indagar as coisas que queria para aquela moça, seria falta de educação? Eu quero ajudar mas... E se ela não quiser ajuda? - Bom... - Finalmente, resolvi continuar. - Mas me diga Yuul, está tudo bem com você? Está perdida?


- Katarina -


Como esperado, Kathleen já achou alguém pra importunar, parece que não sabe ficar quieta, sempre que vê alguém tem que ajudar, ainda mais se for uma criança... Ah, esse coração doce da minha irmã pode custar caro um dia, mas creio que não tem problema deixa-la ali por enquanto, aquela criança parece uma boa menina.
Deixei um sorriso escapar enquanto via as duas interagindo, então joguei o corpo pra trás, apoiando as costas no banco e pensando um pouco sobre o futuro, temos bastante dinheiro então creio que vamos ficar bem por um tempo, mas temos que arranjar algo pra fazer logo.
Um pouco afobada, resolvi caminhar um pouco pra tentar afastar a frustração que hoje trouxera, e foi então que vi algo interessante, um rosto familiar... Um sorriso sarcástico apareceu em meu rosto, rindo da ironia, de todas as pessoas do mundo, nos encontramos de novo justo com ele... Ah, se Kathleen tivesse visto isso. Bom, já que não estou fazendo nada, resolvi ir lá dar um oi.
- Pensei que o senhor era o tipo de pessoa educada que cumprimentaria velhos companheiros, Doug. - Disse enquanto me aproximava, tentando manter a minha típica expressão de desinteresse. - Ou vai me dizer que não lembra mais de mim? 
Assim, fiquei parada em frente ao bruxo, minhas mãos estavam nos estavam nos bolsos do meu short, aproveitei pra jogar o peso do meu corpo na perna direita e jogar o cabelo pros lados, balançando a cabeça. 


Última edição por CrepsChan em Dom 11 Out 2015 - 2:39, editado 2 vez(es)
avatar
Cre♥pie
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Trebonidas em Dom 11 Out 2015 - 1:19

Vincent ficou abrindo e fechando a boca sentindo o gosto do sangue, ele não achava ruim, mas se recusava a gostar dele. Por isso cuspiu um bocado de sangue com saliva e agilizou o preparo, pegou 16 folhas de botão-de-prata e 12 de tomilho.
Pegou o almofariz de seu kit, e depositou tudo, e jogou uma golada de álcool para macerar bem os ingredientes e prender suas propriedades no líquido. Depois jogou metade a solução em um frasco de vidro escuro, e a outra em um recipiente idêntico, completando o que faltava com mais álcool até encher ambos. Segurou um com cada mão e os chacoalho suavemente os guardando na mochila, para que apurassem sem o contato com a luz, pois não dispunha de um destilador para agilizar e melhorar o processo.

_ Preciso dar algum jeito de conseguir algum dinheiro... _ Resmungou pegando ainda mais dos 3 ingredientes, o suficiente para produzir mais duas porções mais tarde e guardou tudo em sua bolsa.

Se sentou no baco da praça já premeditando o pior... se sentira o gosto do sangue, logo logo teria que suportar os outros sintomas. Se lembrou de seu pai, de seu livro de anotações perdido e do laboratório que ele queimou para salvar tantas outras vidas... e agora não poderia salvar a si mesmo.

Estava sozinho e se sentia perdido. Inventava montes de pesquisas, mas nada parecia o aproximar de seus objetivos, muito pelo contrario, estava moribundo dando voltas ao redor do próprio rabo como um cachorro bobo.

"O que poderia fazer contra Pejite..." Pensou decepcionado com tudo. Com os cotovelos sobre as coxas se inclinou para frente segurando seus cabelos com força revivendo a imagem de seu pai morto e a imagem grotesca dos homúnculos sem vida queimando sobre a luz da lua. As lagrimas escorreram de seu rosto. A roda da história girava e a culpa de todas as desgraças sempre voltavam para ele e só para ele, ou porque nasceu enfermiço, ou porque sempre foi tolo e inocente demais para olhar o mundo como ele realmente é.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Yuul em Seg 12 Out 2015 - 0:28

-- A Yuul não esta perdida... a Yull esta seguindo os rastros do Takeshi... -- disse pegando a outra maçã como uma fominha e olhou de relance o rapaz que parecia querer chorar.
Cabisbaixo, como estava a menina a espera de Takeshi no cais a alguns meses...
Seu tom de voz pareceu um pouco mais serio.
-- A Yuu... não gosta da ideia de estar perdida... nem de estar sozinha...
Ela olhou a maçã, e o contraste com sua pele pálida e levemente luminosa. Olhou a grama verde e ficou em silencio por alguns segundos.
Ela se levantou. Seu vestido estava sujo, empoeirado, e ela direcionou-se em passos lentos até a figura que lhe chamara atenção.
"Talvez.... eu não seja a unica..." pensou fechando os olhos e abaixando-se, estendendo a maçã para o rapaz.
Ela com certeza estava com fome... e aquilo foi entregue a ela por alguém de bom coração. Ela ignorou sua barriga  roncando e abaixou as orelhinhas deixando a maçã aos pés do rapaz sem dizer uma palavra.
"Os humanos tem dias ruins assim como os Ancestrais... o sofrimento não é diferente pra ninguém...?"
Ela apenas esperaria alguma reação e voltaria para perto de Kathleen. A presença da menina soava como algo familiar a como era tratada em sua cidade natal. E por um segundo ela conseguia pensar mais claramente, ter um pouco de paz...
avatar
Yuul
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Convidado em Seg 12 Out 2015 - 2:56

Trebane, Yuul, CrepsChan e Diffster

Repentinamente se ouve um grito que quebra a paz na praça as pessoas que se encontravam no local olhavam impotentes para grupo de seis orcs trajando armaduras levas perturbavam um grupo de jovem, eles aparentemente eram mercenários por seu modo de vestir e pelas armas que cada uma empunhava, um rapaz tentava proteger duas jovens garotas que se encontravam caídas ao chão: - Não vou irei permitir façam mal a ela, terão que passar por mim primeiro. – Diz o rapaz de forma corajosa se colocando entre os odiosos orcs e as garotas que aparentavam ter entre dezoito a dezenove anos que trajavam belos vestidos de passeio muito simples. os baderneiros começam a rir de forma cruel pela atitude do rapaz que se encontrava em evidente desvantagem.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Não é o Diff em Seg 12 Out 2015 - 5:39

- Eu sou do tipo de pessoa educada que deixa velhos companheiros seguirem seus caminhos sem minha intromissão, mas é um prazer revê-la Katarina.

Disse o rapaz, aborrecido pelo fato de que Katarina agora tampava sua visão da fonte que estava anteriormente admirando, porém não demonstrando isso em sua voz.

O vento beijava sua face e acariciava seus cabelos, levantado-os carinhosamente como uma dama apaixonada; aquele encontro era um tanto quanto interessante, lhe fazia novamente ponderar a interferência divina na vida mortal, teria o destino juntado 5 pessoas a procura de coisas similares no mesmo lugar a esmo?

Algo iria acontecer, "Deus não joga dados", pensou.

O seus olhos desviaram para o resto do parque a procura de algo que não sabia ainda identificar, a procura do nada talvez, a procura de motivo, circunstância;

- Algo vai acontecer Katarina, isso tudo é muito conveniente.

Antes que Katarina pudesse esboçar sua resposta indiferente e cética, um grito cortou o ar como um navalha mortalmente afiada, e a paz e tranquilidade ali presentes sangraram e morreram sem cerimônias.

Todos os olhos se desviaram ao foco de atenção, seis figuras altas, bem treinadas e, ugh, verdes.

Muitas pessoas tomam desgosto por certas raças por simples e puro racismo, ou rixas seculares, porém Doug simplesmente detestava a cor verde, e orcs eram verdes.

Seis orcs, duas jovens e um herói burro, uma história de amor digna de um bom livro se desabrochava a sua frente, a inocência e a bravura desenfreada do jovem fez Doug sorrir, talvez houvesse verdade por trás da ficção, porém sabia que havia ficção junto a verdade, e o jovem estava encarando muitos hematomas e talvez a morte certa pela sua postura.

Ali estava seu motivo, ali estava a circunstância, apenas 5 pessoas iriam reagir a este ocorrido, assumindo a pura inocência da juventude e a óbvia culpa da má aparência, não importaria no momento, no final das contas todos ali eram apenas diferentes versões daquele mesmo garoto bancando o herói, apenas mais capacitados, foi então que Doug retirou o seu cajado de seu casaco, e o usou de apoio para se levantar.

Logo após, bateu seu cajado com força no chão, fazendo com que todo o chão tremesse como se uma divindade houvesse pousado sobre a terra, criando uma serpente de chão quebrantado que partia de si em direção aos orcs, ele queria desviar a atenção daquele garoto. A inocência e a bravura por burrice tem seu preço, e não seria hoje que aquele garoto pagaria.

uso do talento: Princípios da magia - terra (-1)


Última edição por Diffster em Seg 12 Out 2015 - 15:32, editado 2 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Cre♥pie em Seg 12 Out 2015 - 15:27

- Katarina -

- Seguir nossas vidas sem sua intromissão? - Cruzei meus braços na frente do corpo e encarei o rapaz com aquele olhar de "que desculpinha esfarrapada". - Bom, ok se você não nós quer em sua vida, a vontade. - Então fiz uma leve reverência, como uma plebeia que pede desculpas por importunar a tão corrida vida de um rei que obviamente não teria tempo para seus pobres súditos. Logo após, virei-me e comecei a me distanciar, dei um leve aceno só pra não dizer que eu não disse "tchau".
- Ah, e não precisa se incomodar, pode deixar que eu dou a notícia pra Kathleen. - Rotacionei o corpo, voltando meu rosto ao rapaz novamente por um momento pra poder falar, mas não parei de andar.
Bom... Acho que não tenho outra opção a não ser voltar pro banco que eu estava, certo? Importunar a Kathleen talvez não seja uma boa ideia, ela parece estar se dando bem com a menina.
- Algo vai acontecer Katarina, isso tudo é muito conveniente.
"Hm? Algo vai acontecer? Ok né", apenas dei de ombros e segui meu rumo, mas parei bruscamente quando ouvi o estranho grito, meus olhos correram procurando por Kathleen, suspirei aliviada quando vi que ela estava bem.

- Kathleen -

Tentei sorrir amigavelmente, um pouco compadecida com a Yuul, eu sempre odiei estar sozinha, mas felizmente eu tenho Katarina do meu lado o tempo todo, acho que nunca percebi o quanto eu sou abençoada por ter uma irmã que se preocupa tanto comigo.
Um pouco relutante, estendi minha mão e acariciei o topo da cabeça da menina.
- Por que você não me conta como é esse Takeshi? Podemos procurar um pouco juntas, assim você não vai estar sozinha.
Foi então que a Yuul se levantou, eu estranhei um pouco, será que fiz algo de errado? Fiquei de pé também e observei a menina se distanciar, até que vi ela entregar a maça para um homem que chorava... Nossa que meiga, eu não tinha visto ele ali. Um sorriso formou-se em meu rosto, quase como se eu estivesse orgulhosa com a pequena ação da garota.
Aproximei-me um pouco, mas não sabia muito bem o que fazer ou falar então apenas observei.
Até que, do absoluto além, surgiu um grito.
Eu tomei um susto, dei um pulo pra trás. Olhei ao redor desesperada, procurando o motivo do grito, e a Katarina é claro.
Logo pude avistar tudo que procurava: minha irmã, os orcs, o rapaz e as duas garotas caídas, e tive direito a uma coisa extra: Doug! Não era possível... Seria realmente ele? O que faria aqui?
Balancei minha cabeça levemente, tentando tirar pensamentos bobos da mente e me concentrar, tinha que ajudar aquele rapaz, ou a praça ia acabar suja de sangue inocente.
Corri até a Yuul, será que ela estava assustada?
- Yuul, eu vou tentar ajudar aquele pobre rapaz, não fique com medo ok? Vai ficar tudo bem. Apenas mantenha-se segura, eu volto em breve pra conversarmos mais... Se você quiser, é claro. - Tentei sorrir e manter a calma, mas a pressa estava clara no jeito que eu falava.
Corri na direção de Doug, visto que ele já tinha começado uma investida, mas Katarina me parou no meio do caminho, segurando meu pulso com a mão, apenas me sinalizou um "não" com a cabeça e foi se aproximar do rapaz que estava sendo atacado.
Minha irmã sacou sua espada enquanto andava, tentou se aproximar o suficiente pra poder ajudar caso os orcs atacassem, mas ainda se manteve o mais longe que podia.
- Então rapaz, eu sei que o momento não é oportuno, mas o que está havendo aqui? 
Entendendo que a Katarina provavelmente estava esperando que eu a cobrisse, retirei novamente minha flauta da bolsa e comecei a tocar, usei uma melodia bem serena pra ver se conseguia acalmar os baderneiros.


Spoiler:
Melodia da serenidade - 15 SP gastos (3 alvos mais próximos)
Classe: Artista Elemento: Ar
Descrição: O artista consegue emitir sua energia através de um instrumento ou de sua própria voz enquanto reproduz essa melodia, assim que os alvos ouvem esta musica, começam a ficar mais calmos, perdendo o foco naquilo estivessem fazendo para ouvir a musica.
Efeito: O alvo recebe a desvantagem distraído enquanto estiver ouvindo a melodia, o conjurador pode escolher os alvos a serem afetados, pode “tranquilizar” tantos quantos forem os ouvintes que estiverem no alcance. Caso a musica seja interrompida o efeito passa instantaneamente e o artista precisa focar somente na melodia, não podendo atacar nem fazer movimentos bruscos demais.
Desvantagem distraído: Você tem dificuldade para se concentrar em alguma coisa na qual não está interessado. Qualquer coisa não ligada a uma Devoção, Dependência, Código de Honra e etc Sofrerá 2 pontos de penalidade.
Custo: 5 SP por alvo/ um terço do custo total por turno.
Duração: Sustentável
Valor da dificuldade: 5
Raridade: Incomum


Última edição por CrepsChan em Seg 12 Out 2015 - 17:29, editado 1 vez(es)
avatar
Cre♥pie
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Trebonidas em Seg 12 Out 2015 - 17:13

Ele limpou as lagrimas com as mãos e mirou os olhões azuis da garota corando de leve. Ele segurou as mãos dela. -- Sua mãe esta preocupada com você -- Sorriu para ela, esquecido de seus problemas devido ao olhar inocente dela -- Lobinhas devem andar com o bando --

Então ele ouviu os barulhos da confusão que se formava logo ao lado. Se levantou para observar o que se passava. Viu apenas seis homens verdes enfrentando um homem ferido para proteger duas pessoas inconscientes: a prova que a guarda da cidade come bolinhos enquanto deveria estar trabalhando.

Ele poderia contribuir pouco, no máximo atacando e correndo, já que não dispunha de muita coisa. Logo ele analisou ao redor e viu que a garota de cabelos roxos tinha um clone que usava uma espada para proteger um bruxo sombrio e esquisito que se intrometia no conflito, logo a outra tocava sua melodia para deixar todos os ânimos mais calmos.

-- Volte pra casa, aqui não é seguro! Ache seus pais e não saia de perto deles -- Se abaixou e olhou mais severo para ela. Não iria se perdoar se a lista de pessoas mortas por sua causa aumentassem a incluindo.

Correu até eles, saindo da estrada e indo pelo gramado.  Chegando perto o suficiente ele gerou uma explosão mágica no chão há 20 cm do orc no meio, para danificar suas pernas e levantar poeira para que não vejam nada.

-- ABAIXEM SUAS ARMAS E COLOQUEM AS MÃOS NA CABEÇA AGORA! VOCÊS ESTÃO CERCADOS! -- Gritou forçando sua voz para um tom mais grave e dominador.

magia usada:

Nome:Boom !
Classe que aprende: Todas/Elemento: fogo
Descrição: Reverenciadas por muitos como a suprema arte da explosão. É uma magia extremamente simples, mas de conseqüências desastrosas. Ao desejo do
conjurador, ele pode detonar uma explosão a partir do nada.
Efeito: Cria uma explosão de 2 metros de diâmetro. A explosão só pode ser feita a uma distancia de no máximo 5 metros
Dano: 5 + Ataque mágico
Custo: 22 SP
Duração:Instantânea
Valor da dificuldade: 8
Raridade:Comum.

+1 no blefe épico:
Aprendizado infinito: (2 pontos)
Você é muito inteligente, aprende tudo como um computador e é capaz de adaptar seu pensamento com uma imensa rapidez, seu Q.I não para de crescer. Você recebe + 1 em todas as pericias de conhecimento, mesmo que não saiba do assunto, e recebe + 2 em qualquer teste de aprendizado, como mimica ou aprendendo uma magia.[/quote]

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Yuul em Qui 15 Out 2015 - 2:24

Yuul não compreendeu imediatamente como o rapaz mudou tão rapiamente de um depressivo para alguem na ofensiva daquela maneira.
Uma pequena explosão, mas a menina cobriu os olhos em reflexo.
O que eram aquelas criaturas?
Raças novas enchiam Yuul de curiosidade. Que segredos guardavam e qual seria a sua fonte de poder?
Mas... algo parecia errado.
Na verdade, as figuras ali presentes não pareciam muito amigaveis.
"Sua mae esta preocupada com você..."
Aquelas palavras criaram um vazio e nos olhos de yuul refletia a cena a sua frente. Somente um rapaz defendendo, tolo,  cuja alma se agarrava a  bravura como se fosse a unica maneira de sobrevivência. 
As meninas caidas ao  chão e as pessoas assustadas nas ruas.
Aquilo era o inicio de um pequeno caos.
-- Eu não vou! -- disse recusando-se, irritada, tomando como uma ordem e reagindo de modo infantil. Ela cruzou os braços e foi  voltando para onde Kathleen estava, o centro do furacão, que parecia apto a realizar muitos estragos.
A youkai nao era boa em ouvir conselhos, uma prova disso era seu caminho até ali.
Tomou impulso em um passo jogando seu corpo para frente.
A aura luminosa que cobria sua pele brilhou com intensidade tornando dificil ver a mudança de sua frágil aparência para uma fera ancestral...
Suas patas iam contra o solo sobrepondo a marca de seus pés que haviam passado por ali, pelo gramado onde passava desabrochavam pequenas flores do campo e a grama crescia um pouco mais alta, em contato com a aura branca que emanava de seu corpo.
A loba branca tinha um andar imponente e o olhar fixo deixando bem claro que caso fosse desafiada, se tornaria a predadora.
Off:


Basicamente ela se recusa a ouvir os pedidos e se transforma em lobo indo pra perto da Kathleen.
Pequena referencia ali pra creps rsrsrs
avatar
Yuul
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Convidado em Qui 15 Out 2015 - 22:04

Trebane, Yuul, CrepsChan e Diffster

O tremor provocado pelo mago derruba três dos seis orcs que logos se enguem, mas logos são golpeados pelas explosões que os obrigam a recuar, esta magia executada por Vincent da oportunidade para que as irmãs se posicionem para dar assistência a Doug e aos jovens juntamente Yuul que se posiciona ao lado de Kathleen. Quando a poeira abaixa os mercenários se encontrava dispersos, mas eles estavam ilesos por sua reação rápida, mas sem perder tempo os orcs avançam contra o grupo de aventureiros grunhindo de forma selvagem empunhando seus machados, mas aparente mente a musica tocada pela talentosa artista começava a fazer efeito nos seus atacantes. Os mercenários que possuíam vantagem numérica se dividem em duplas, o líder com um de seus subordinados avança juntos contra o jovem alquimista, enquanto os demais atacavam de forma individual cada membro.

inimigos:
Orc mercenário 1

HP: 30

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Orc mercenário 2

HP: 30

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Orc mercenário 3

HP: 30

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Orc mercenário 4

HP: 30

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Orc mercenário 5

HP: 30

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Líder dos Orcs mercenário

HP: 31

Força: 4 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 3
Resistência: 2 (+1)
Inteligência: 2
Balística: 0

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Cre♥pie em Sex 16 Out 2015 - 8:43

- Katarina -

Explosões aconteceram, orcs caíram e levantaram, muita movimentação aconteceu, mas nenhuma resposta... Esse cara não vai me responder mesmo? Eu não mereço nem um "É uma longa história"? ... E mesmo assim ele quer minha ajuda? Não sou obrigada a ajudar um cara desses não!
Segurei o pulso de minha irmã quase que brutalmente por causa da pequena raiva que o rapaz fez crescer dentro de mim, ele fica querendo se passar por cavalheiro, mas de cavalheiro não tem nada! 
O meu ato provavelmente assustou a Kathleen, porque ela parou sua música sem entoar suas notas finais como costuma fazer, só abaixou a flauta assustada e me direcionou um olhar perdido, provavelmente ela já entendeu que eu estava brava, mas não deve ter percebido que não estava brava com ela mais exatamente.
- Não quero mais ajudar esse cara! Vamos embora Kathleen!
- Mas não podemos deixa-los assim Katarina!
- Se ele quisesse minha ajuda, teria a decência de me responder! E se os orcs na verdade forem a vítima? E se eles tão tentando vingar porque esse cara matou a mãe deles?
Nossa conversa foi interrompida pelos orcs, que vieram tentar atacar, não tive escolha, se não tentar aparar o golpe com minha espada e contra atacar.
Meu espírito ferveu de raiva, esses caras são estúpidos ou o que? Eu to tentando ir embora e eles vem puxar luta comigo é isso mesmo? Se eu saísse ia ser mais fácil pra eles! Qual o problema com esses retardados?
Após tentar aparar o golpe do orc que vinha a mim, olhei pra Kathleen, preocupada se ela estava bem, mas parece que ela conseguiu se virar bem com a magia de gelo dela, criando uma parede em frente de si para parar o machado, e depois contra-atacando lançando espinhos neles.
Aproveitei pra correr pro lado de minha irmã para tentar protege-la, deixando o fato de que aquele rapazinho estúpido não quis me responder de lado, tenho que tratar de livrar Kathleen de perigo, depois posso eu mesma cortar a garganta daquele ignoradorzinho!
Ambas acenamos pra outra com a cabeça, e nos preparamos para a batalha, Kathleen havia recuado um pouco, ficando atrás de mim.


Off: Uso de princípios de magia (gelo) pra defesa/ataque de Kathleen
avatar
Cre♥pie
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Não é o Diff em Sex 16 Out 2015 - 9:16

Ah, a beleza do caos, é hora de mais um banho de sangue, aqueles orcs cantarão uma melodia diferente com 5 metros lâminados de terra atravessando suas gargantas.

Então Doug, usando seu cajado (amplificador mágico, atkM +6), molda o chão em volta a sua vontade e impala o orc a sua frente com duas lâminas de terra separadas, atravessando-o em dois "c"s cruzados, formando um "x"; e o líder do bando com 3 lâminas de terra em formato de "x" cortado por um "l"

Após esse primeiro cast, fez um segundo em seguida mirando os dois orcs que alvejavam Kathleen e Katarina, onde buscava lacera-los violentamente com lâminas invisíveis. (Off: pode acertar qualquer um dos dois, ou os dois, fica a sua escolha, Az)

Então disse em voz alta, sedento de sangue:

- Vocês criaturas desprezíveis se tornam tão mais belas com suas entranhas banhando seus corpos!

Que bela tarde, que belo dia, que belo momento, sangue era tudo que faltava para tornar aquele momento perfeito.

Magias usadas no ataque:
Nome:Adagas de Gaia
Classe que aprende:Classes magicas /Elemento: Terra
Descrição:Comanda raízes mágicas a sairem do chão e atacarem os inimigos. O mago pode escolher quantas raizes vão atacar cada inimigo(no máximo 5) e cada uma conta como um ataque separado perfurante.
Efeito:Ataca com espinhos de planta
Dano: 3 + Ataque mágico
Custo:9 SP por raiz criada
Duração: Instantânea
Valor da dificuldade: 4
Raridade: Comum

Nome: Lâminas de Ar
Classe que aprende: Mago,Clérigo /Elemento: Ar
Descrição: Uma versão melhorada da magia golpe de ar, aumentando a rotação da esfera cria-se um lamina de ar, essa magia é extremamente rápida e necessita de grande habilidade do mago conjurado.
Efeito: Cria uma lâmina feita de ar que corta como uma espada com um alcance de 10 metros.
Dano: 4 + Ataque mágico
Custo: 17 SP
Duração: Instantânea
Valor da dificuldade: 7
Raridade: Incomum

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Trebonidas em Sex 16 Out 2015 - 18:12

Vincent não quis perder tempo. Continuar atacando o deixaria sem energia. Não era inteligente atacar de novo apostando tudo na sorte, ou na ajuda de gente que ele nem conhece. Estava sozinho contra dois orcs e precisava lidar com isso. Correu fugindo das criaturas, na direção da região onde as árvores estão concentras, já formando a esfera de energia magica nas mãos para aumentar sua velocidade.

_ É a sua chance garoto, leve suas amigas! _ Gritou zigue-zagueando e usando das árvores para esquivar dos brutamontes verdes.

Esperava ter vantagem já que eles eram maiores, os deixando mais desengonçados em lugares fechados e seus machados poderiam prender nos troncos os fazendo perder tempo.

HP: 23
SP: 47 - 22 (post anterior) - 10 = 15

Vel 1 + 2 = 3

Toque do destino
Classe que aprende: Todas /Elemento: Neutro
Descrição: O conjurador concentra em suas mãos uma esfera de energia de cor branca fria ao toque ao encostar no alvo este ganha um bônus de +2 em qualquer habilidade a escolha do alvo ou +1 em duas habilidades a escolha do alvo.
Efeito: Concede + 2 de atributo ou + 1 em dois atributos a escolha do conjurador.
Custo: 10 sp + 3 por turno.
Duração: Sustentável
Valor da dificuldade: 6
Raridade:Comum

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Yuul em Sab 17 Out 2015 - 16:41

Definitivamente aquilo nao iria acabar bem.
Yuul viu as duas criaturas corpulentas passarem em perseguição ao rapaz de oculos. Com sua aparente força eles poderiam parti-lo em dois e seus pedaços voariam pela praça tingindo o gramado de vermelho, tao intenso quanto as rosas.
As gemeas a sua frente tinham uma espada... o olhar de Yuul pareceu mais determinado.
--JA CHEGA.... ESSA FOI SUA ULTIMA CHANCE.-- disse a loba com sua voz duplicada, rosnando.
Ela deu um uivo que ecoou pelo parque, enquanto corria  atras dos dois orcs covardes que perseguiam Vincent.
"A presa nunca deve dar as costas para o predador... muito menos quando esta no seu territorio..."
Vincent foi atraves das arvores e Yuul gritou alto o suficiente para que ecoasse entre as arvores a sua volta.
--Grande espirito da terra. Desperte ao meu comando! Eu peço sua ajuda! Detenha essas criaturas!-- a maneira como foi ensinada a utilizar suas magias poderia ser algo incomum aos humanos, mas era a unica forma que sabia.
Conforme corria o gramado tocado ganhava vitalidade instantaneamente.
Com aquela magia, Yull tentava formar uma barreira de raizes logo a frente de vincent deixando espaço para que apenas ele pudesse passar e a mesma se fechar em seguida.
Se isso nao parase os orcs ao menos ganharia tempo.  
O odio crescia em Yuul como uma roseira. Sufocando em espinhos e forçando a gentil criatura de poucos minutos atrás se voltar contra os orcs de maneira que em seus olhos ainda espelhavam os caçadores que destruiram seu lar.
------------------------------------------------//-----------
AGILIDADE

Você é mais rápido em corridas, pulos, esquivas e ataques. Esta vantagem acrescenta 2 pontos no atributo Velocidade sempre que o teste envolver a agilidade do personagem.Você também é capaz de se mover (andar ou correr de um ponto a outro na cena) Uma vez a mais no turno.

-LÍDER NATO

Você é um grande líder, um comandante ou algo que o valha,na verdade, você nem precisa possuir um posto de importância e nem sempre as pessoas gostam de você, mas quando está em batalha, você inspira confiança e coragem aos seus aliados, seus gritos de guerra são fortes e suas ações inspiram seus companheiros. Sempre que estiver em batalhando em time,seus aliados recebem +2 de bônus de dano e +2 para qualquer teste de manipulação. Esses bônus só servem se você também estiver na batalha e você mesmo não recebe esses bônus, somente seus companheiros.

Bio-linguagem:
pode falar não só com qualquer animal,mas qualquer ser vivo como plantas. Criaturas muito simples e/ou pequenos como fungos,peixes ou insetos minúsculos tem uma comunicação restrita e pouco inteligente.

Magias utilizadas:

(Duas raizes entrelaçadas formando uma especie de rede.)

Adagas de Gaia
Classe que aprende:Classes magicas /Elemento: Terra
Descrição:Comanda raízes mágicas a saírem do chão e atacarem os inimigos. O mago pode escolher quantas raízes vão atacar cada inimigo(no máximo 5) e cada uma conta como um ataque separado perfurante.
Efeito:Ataca com espinhos de planta
Dano: 3 + Ataque mágico
Custo:9 SP por raiz criada
Duração: Instantânea
Valor da dificuldade: 4
Raridade: Comum
Sp: 36-18 =18
Off:

Nao sei quanto era o bonus de corrida por metro. Entao nao vou colocar o ataque. E  eu tambem não sei minha distancia dos alvos.
Sei la oq pode rolar com esse bio linguagem ai kkkkkk entao vamos na sorte.
A intenção foi criar uma rede pela qual os orcs tivessem que destruir ou contornar.
Pra poder aproveitar e atacar pelas costas mesmo. XD
Imaginei que fossem bem burros a ponto de se acharem aptos a destruir as raizes que ficariam entre uma arvore e outra pra formar  a rede. Como tentar ultrapassar numa investida. Ou sair cortando igual um bando de loucos mesmo. Se sao espinhos de qualquer forma iriam machucar.

avatar
Yuul
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Convidado em Sab 17 Out 2015 - 23:35

Trebane, Yuul, CrepsChan e Diffste

Os orc que avançavam contra Kathleen e os jovens têm seu taque bloqueado pela espessa parede de gelo bloqueando o golpe desferido com seus afiados machados,  se utilizando do presente elemento cria um contra ataque que acaba por surpreende-los causando danos a seus adversários, neste momento Doug que lutava de forma hábil aproveita a oportunidade ele desfere uma magia lâminas de ar que fere gravemente o orc que com ele lutava, mas isso não o abala ele logo volta avançar contra o mago que acabara de invocar duas raízes que acabam por empala ambos os orcs que recuperados do contra taque de Katarina recebem este ataque inesperado. Enquanto isso Vicent  corria do dois mercenários que de forma implacável o perseguia conseguindo alguma distancia de seus perseguidores, mas logo Yuul vai ao seu auxilio criando com magia uma barreira que interrompe a perseguição dos mercenários, quando chega mas próximo pode verificar que eles se encontrava presos entre as raízes mas tentavam de toda forma de desvencilhar, tão logo conseguiriam se liberta de sua armadilha.


Inimigos:
Orc mercenário 1

HP: 6

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Orc mercenário 2

HP: 6

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Orc mercenário 3

HP: 22

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Orc mercenário 4

HP: 22

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Orc mercenário 5

HP: 25

Força: 3 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 2
Resistência: 2
Inteligência: 2
Balística: 0


Líder dos Orcs mercenário

HP: 24

Força: 4 (+3 )
Habilidade: 3
Velocidade: 3
Resistência: 2 (+1)
Inteligência: 2
Balística: 0 

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Trebonidas em Seg 19 Out 2015 - 23:29

Havia um orc que parecia mandar nos outros e ser melhor que todos os outros. Vincent sabia que se esse fosse gravemente ferido isso iria atingir diretamente na moral de todos os outros.

Eles eram fortes e usavam machados enormes. Se brincasse, poderia acabar dividido no meio. Usou novamente o toque do destino, mas desta vez para aumentar sua força.

_ NUNCA MAIS ATAQUE UM HOMEM DE ÓCULOS! _ Gritou dando uma bença entre as pernas do orc líder, o ponto fraco de todos os homens.

HP: 23
SP: 12

For: 1 + 2 = 3
Toque do destino
Classe que aprende: Todas /Elemento: Neutro
Descrição: O conjurador concentra em suas mãos uma esfera de energia de cor branca fria ao toque ao encostar no alvo este ganha um bônus de +2 em qualquer habilidade a escolha do alvo ou +1 em duas habilidades a escolha do alvo.
Efeito: Concede + 2 de atributo ou + 1 em dois atributos a escolha do conjurador.
Custo: 10 sp + 3 por turno.
Duração: Sustentável
Valor da dificuldade: 6
Raridade:Comum


OFF: Digamos que estou tentando um "Crítico Induzido"  Twisted Evil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Yuul em Ter 20 Out 2015 - 17:18

Yuul correu o mais rápido que pode ao ver os Orcs se libertando daquela sua pequena distração.
-- Cuidado!-- disse saltando ao lado de Vincent e o levando consigo continuando a  correr como se sua vida dependesse disso. Era uma batalha em vão. O numero de oponentes e sua brutalidade não poderiam ser vencidos.
Ela o carregaria para o mais longe que pudesse, adentrando a floresta, o que poderia ser um tanto constrangedor para Vincent ser carregado como um filhote.
avatar
Yuul
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça de Jilya

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum