Pousada Kannin

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Pousada Kannin

Mensagem por Saphira Odin em Qui 10 Set 2015 - 16:25


____________________________________________________________________________
(Pousada)

Um casebre  bem ajeitado, e muito frequentado cujo único dono e proprietário, Lugue um elfo terrestre, cobra caro por serviços, mas entre eles esta qualquer tipo de entretenimento, desde jogatinas regadas a apostas e acompanhantes para esquentar o corpo de qualquer viajante em noites frias. Cada quarto conta com uma cama, uma banheira com água morna ou não depende do valor do quarto, A refeição como sempre assim como todos os serviços prestados depende do quanto o cliente pretende gastar, brigas são frequentes, mas nada que seus seguranças não consigam conter.

Hospedagem: Preço a combinar, mas varia de 7 a 15 PO's.
Serviços especiais: Preço acima de 15 PO's.
Refeições: Preço a combinar, mas varia de 5 a 10 PO's,recuperando 1d6 de HP + (o preço da refeição em bônus)


 Cerveja
DescriçãoSuprimento de mais ou menos 1L de cerveja em uma bela garrafa.Recupera 3 SP por garrafa, mas em compensação...
Preço4 POs
-


Última edição por Saphira Odin em Qua 14 Out 2015 - 6:15, editado 1 vez(es)
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por jokerhills em Ter 13 Out 2015 - 10:31

"De volta para o lar... ou para o tormento"

Aslan chegava à cidade que achara que jamais voltaria. No caminho, após pegar as armas dos bandidos e enterrá-los, ele viera pensando se valia a pena reviver as lembranças da sua "infância" e se realmente seria interessante estar ali para entregar a gênia.

Esse pensamento se desencadeava pelo fato de que, mesmo pensando em lucrar com a entrega de Jamile, ele já estava acostumado com a presença dela, ainda mais porque vivera anos e anos sozinho, somente interagindo com os transeuntes da estrada que lhe rendiam algo. Mesmo ela sendo fria como o bafo de um Dragão de Gelo, ao menos o salvara e, com a viagem, ele acabou se apegando a ela.

Ao chegar na pousada, ele amarra os pecos à entrada, verifica se as suas adagas estão nos bolsos corretos da calça, entra no estabelecimento e pede uma mesa para se sentar com a sua companheira.

-Jamile, que tal ficarmos por aqui um pouco antes de nos despedirmos? Quero ao menos lembrar de você de outra forma que não seja com assassinos por perto... - E Aslan levanta a mão para ser atendido, enquanto observa o local para, quem sabe, fazer negócios com os Pecos ou usar de seu talento com truques para divertir-se.


OFF:

-Aslan pega as armas dos bandidos. As adagas ele leva na roupa escondidas, enquanto que as bestas ficam com os Pecos.

-Preciso fazer algum teste para saber que seria dono da Jamile se esfregasse a lâmpada ou isso é de conhecimento comum?
avatar
jokerhills
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Saphira Odin em Qua 14 Out 2015 - 6:13

-Jokerhills.
____________________________________________________________________________

 
 Aslan e Jamile seguiam até a velha Vila, por fim chegavam ao seu objetivo, mas ainda faltava leva-la ao Sr. Shallah o seu atual dono, conformada com sua situação de servidão a jovem descia do Peco esperando Aslan acompanha-la a pousada, já tinha sido um dia difícil demais para ela e sem contar que o jovem não tinha passado uma boa imagem sobre seus atos.

 Ainda com as algemas de amostra ela entrou no estabelecimento sua beleza chamava atenção de muitos, mas o que a maioria encarava de forma curiosa era as algemas que a prendiam, logo alguém teria a coragem de tirar a devida satisfação sobre escravidão naquela vila ou uma simples pergunta sobre qual o crime que aquela bela bandida cometeu.

 Sentada junto de Aslan ela o respondia de forma educada. -Senhor Aslan, tenho que lembrar ao Senhor que deves me entregar ao Sr. Shallah, ele vai te recompensar por ter me salvado... Mas por outro lado realmente estou cansada, acho que o senhor deve de ter algum ouro vindo da carruagem ou dos bandidos que matou friamente mesmo depois deles se renderem ...

 Ela realmente não estava contente com a forma de agir de Aslan , se ele quisesse mudar isso deveria ao menos tentar demostrar que não era só um simples oportunista sem honra no qual ela acredita fielmente que ele seja.

 Quando o jovem levantava a mão observando o lugar novamente viu-se cercado de olhares curiosos no minimo o dobro do que tinha quando entrou ao lugar, não foi muito inteligente da parte da garota em comentar aquilo e tão pouco mencionar o nome "Shallah".  Aslan poderia estar feliz com o seu roubo, mas naquele momento quando a garçonete venho para atende-lo e anotar seu pedido ele se viu em perigo em relação ao lugar, não pelas mesas de jogatinas e bebedeiras alheias ou a cantoria que empolgava a todos, e sim pelo fato de Jamile chamar muita atenção para si.


OFF:
4 Pecos;
3 Adagas;
-Ainda vou deixar uma rodada sem cobrar o alimento da montaria (4 montaria).
-Como pode ver o clima ta pesado ali, a partir de agora tenha cuidado com o que fala, e da forma de agir também, e tente controlar as informações grátis que a Jamile vai começar a dar, no momento ela é escrava para uns, ladra para outros e os mais perigosos pensam que talvez quem sabe ela pertença ao Sr. Shallah. A premiação de xp e diferente para cada caso e escolha que você fizer.
-Quanto a música ela é de graça uhahauahuahauhauhau
____________________________________________________________________________
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por jokerhills em Qui 15 Out 2015 - 13:08

"Regra n° 1 de sobrevivência: falar somente o necessário."

Aslan percebera a reação geral após Jamile citar o nome do seu "dono". Ele sabia que naquela cidade, mesmo depois de muito tempo, não faltavam curiosos e pessoas que queriam ganhar um trocado. Mas, assim como elas, o andarilho também sabia lidar com as situações.

-Então Jamile, sei que não deixei a melhor impressão para você lá na estrada, mas fiz aquilo por regra de sobrevivência: com certeza aqueles caras não deixariam barato o que tínhamos feito para eles. Mas posso te garantir que não quero te fazer mal... na verdade, até me afeiçoei à sua companhia, mesmo que você possa não acreditar nisso. - Dizia Aslan antes da garçonete chegar. Olhando para a atendente, dizia com um certo charme:
- Você poderia me trazer uma cerveja e dois copos? Também gostaria de saber se poderia dizer ao cantor que ele está fazendo um ótimo trabalho e se ele poderia anunciar que estou vendendo 2 pecos novinhos em folha.

Aslan queria fazer uma grana, mas também queria ter um tempo para conhecer mais da vila que, há tanto tempo, trazia-lhe grandes pesares.

Quando ela já ia saindo, perguntou:
-Ah, e eu poderia fazer uma apresentação com minha parceira? Prometo que os clientes vão gostar...

OFF:

-Que musiquinha hein haha!

-Quanto é a estadia e comida dos animais?
avatar
jokerhills
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Rubi Make em Sex 6 Nov 2015 - 10:32

@Jokerhills


-Posso trazer oque quiser, desde que pague!-

A garçonete respondia educadamente, mas sem deixar brechas para o mesmo continuar a "flertar" com ela, a mesma recebia inúmeros flertes por dia e esse era apenas mais um.

Jamille quieta, apenas observava a situação, e deu uma risada com o que fora respondido ao seu "companheiro".

-Irei falar com o cantor para anunciar assim que possível!

A jovem saiu e em seguida já retornou com sua bebida e dois copos.

-Aqui esta! Tenha bom proveito.-

off:
-Serviços especiais: Preço acima de 15 PO's. (Sobre a alimentação + guarda dos Pecos)
- Cerveja -4POs
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por jokerhills em Sex 6 Nov 2015 - 20:19

"Bares, tavernas, pés-sujos... todos iguais, não importa o século."

Aslan precisava focar-se no que queria naquele momento: reconquistar a confiança de Jamile e ainda sim conseguir algo financeiramente vantajoso naquela pocilga. Como todo bom artista, ver aquele pessoal todo poderia ser algo que tornasse possível tal lucro.

-Ok, eu posso pagar sim, mocinha educada... mas antes queria saber se posso mostrar um pouco da minha arte aqui neste maravilhoso estabelecimento. Venho de uma terra distante e sei que aqui tem bons admiradores de uma boa diversão. - E Aslan dizia isso dando 20 moedas para a garçonete. - E pode ficar com o que sobrar... gosto de ser generoso com as pessoas que me servem.

Aslan mentia descaradamente naquele momento, pois era ganancioso até o último fio de cabelo. Mas precisava da ajuda da funcionária da pousada para fazer seu show e, de certa forma, ganhar a confiança de Jamile. Pensando justamente nela, o andarilho tenta retomar a conversa para saber mais sobre ela. Com um tom baixo de voz, ele olha bem nos olhos dela e sorri antes de falar:

-Jamile, voltando ao nosso assunto, quero que nosso "encontro" traga boas lembranças para nós todos. Por isso proponho que me ajude num pequeno truque que farei daqui a pouco. Sou habilidoso com as mãos e há tempos não me divirto fazendo apresentações dessa habilidade. A ideia é fazermos um showzinho simples, você me ajudar como companheira de palco e deixarmos esse pessoal mais alegre, daí podemos ir para seu "Senhor". O que acha?

Aslan queria ver como agia aquele povo depois de tantos anos. Queria ganhar alguns trocados com um truque que lhe seria fácil. Queria ganhar a confiança de Jamile. Queria vender os pecos. Queria ter respostas...
avatar
jokerhills
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Rubi Make em Seg 9 Nov 2015 - 10:42

@Jokerhills


Jamille


A garçonete recolhe o dinheiro e vai novamente falar com um homem, meio mau encarado que estava atrás do balcão, se esse não era o dono era o responsável pelo local no momento.

Jamille olhava para o jovem que falava sobre seus planos e então responte de igual tom e serenidade.

-Senhor Aslan, já viu alguma ajudante de palco presa? Acredito que serei mais útil com as mãos soltas e só irei te ajudar se realmente cumprir com sua palavra.


Por cima do ombro de Jamile o jovem baderneiro, podia ver a garçonete fazer sinal positivo para que o mesmo subisse ao palco. Uma vez que a atual "banda" já descia a alvoroças palmarias e com os bolsos cheio de moedas de ouro, prata e mais alguns itens de valor.

Jamile esperava uma resposta e ação do mesmo, ela não iria fugir até porque ela mesmo duvidaria que conseguiria.

O local tinha um palco medíocre, mas era o suficiente para que a dupla conseguisse alguma coisa se realmente fossem bons, ou na pior das hipóteses iria receber vaias e seriam encoutados pelos funcionários do local.

A plateia era composta por várias pessoas que, a medida que o tempo passava ia ficando mais e mais aglomerada em frente ao palco devido ao grau de embriagues.

De longe a garçonete já fazia sinal para Aslan se dirigir ao palco.

OFF: JÁ DESCONTEI OS 4 Pos da sua ficha.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por jokerhills em Ter 10 Nov 2015 - 19:25

"Como diriam antes do Grande Fogo... é hora do show!"


Aslan então, lembrava-se dos seus tempos naquela vila onde fazia pequenos truques para ganhar a vida e alimentar sua mãe. Lembrava de sua companheira que agora lhe dava nojo só de lembrar seu nome. Lembrava dos sorrisos que tornaram-se gritos de fúria quando estavam levando sua mãe para a fogueira fatal. Aquilo tudo vinha numa velocidade tão grande em sua mente que, por um segundo, ele teve dificuldades para pensar no que ia fazer no tempo presente.


-Jamile, confie em mim. Creio que o fato de estar algemada até me deu uma ideia de mais um truque, vai ser divertido. Depois daqui poderemos fazer o que você achar melhor e eu seguirei meu caminho, como tenho feito nos últimos 200 anos. Mas creio que, pelo que você fez com as bestas mais cedo na estrada, não sou o único que aprecia coisas "mágicas". - dizia Aslan, com seu característico sorriso irônico.


Então o andarilho dava uma breve olhada para seu público e ganhava confiança que aquilo seria mais fácil que ele poderia imaginar. Ao andar para o palco, passaria perto de um dos clientes mais bêbados e usaria de sua habilidade de fingimento, prestidigitação e carisma para, enquanto sorrisse para tal pessoa, pudesse sorrateiramente furtar algum adereço que usaria num dos truques.


Chegando no local de apresentação, Aslan usava e abusava de suas habilidades inatas para atrair a atenção dos bêbados e outros que estivessem no estabelecimento.


-Olá a todos, sou um andarilho que andou em terras distantes e conheceu o mundo de frente e do avesso! Que já viu as maravilhas do mundo e suas mais tenebrosas augúrias! Conhecido dos Elfos do Norte, dos Nobres do Sul e até dos Magos do Fukai! Estou aqui para alegrar a estadia de vocês e mostrar o poder... da MAGIA!!!


Assim, ele esperava por um breve momento a reação do público para então começar suas pequenas "atuações".






OFF::

Aslan utiliza os seguintes recursos:


-Para falar com Jamile: Carisma Exacerbado.


-Para furtar o cliente: Carisma Exacerbado, Mãos Habilidosas, Surrupiagem, Prestidigitação nv.3, Furtividade nv. 2, Super poder:Reflexos Avançados.


-Para falar com o público: Carisma Exacerbado.
avatar
jokerhills
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Rubi Make em Seg 16 Nov 2015 - 9:28

@Jokerhills
Jamille

002

Show Time

__________________________________________________________


A horas Aslan usava de suas habilidades para se manter ativo e por domínio da situação. Agora ele realmente estaria fazendo o que sabia fazer e tinha feito até então, atuar.

No caminho do palco, já tinha um lucro e começou a ganhar sobre o público antes mesmo de começar a atuação. Seguido pela sua "companheira" Aslan iniciava palavras de apresentação, na qual obteve total atenção da plateia que tinha desde bardos até guardas em folga, todos bêbados.

Uma selva de palmas tomou conta do local, o publico que em seu estado não saberia diferenciar uma piada de um insulto se alegrava com o jovem. Na plateia, a garçonete passava oferecendo os Pecos do Jovem.

off:
-8 Po´s pelos pecos
- + 20 PO´s e 10 PP´s pelo furto.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Keiko Akita em Qua 13 Jan 2016 - 11:39

A viagem do norte ao sul havia sido cansativa, e apesar de conhecer a fama de Kanin e não gostar da ideia de passar a noite aqui, precisava de ao menos um descanso. Fui bem direta com o estalajadeiro, um quarto e uma refeição, nada mais que isso. Séria e compenetrada, deixei o dinheiro sobre o balcão e quando este me deu as chaves fui até o local indicado guardar minhas coisas. Depois de ter deixado tudo que era de peso no quarto, excetuando-se somente minhas armas, voltei ao salão para desfrutar de minha refeição. – Um guisado, por favor. – Pedi a quem atendia no lugar.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Karolee em Qua 13 Jan 2016 - 13:10

Se me dissessem que eu viria para esta ilha para enfrentar uma arvore gigante, e ter que sair correndo, eu não acreditaria. Tudo bem que já havia visto de tudo em minha curta vida, mas uma arvore de quase 10 vezes minha altura e VIVA isso sim era algo bem exótico. Pra me recuperar daquilo, somente indo comer alguma coisa, pois depois de tanta correria por nossas vidas, acabei ficando com fome. O problema era, não tinha uma moeda sequer, como fazer? Pedir dinheiro não estava entre minhas qualidades, mas roubar também não estava. Apesar de faze-lo anteriormente. “É o único jeito, pelo visto...” E caminhando pelas ruas de Kanin, passei em frente a estalagem, lugar de onde costumavam sair os aventureiros e pessoas com algum dinheiro. Até porque não dava pra se hospedar de graça. Ou até dava, mas o que não era pago em dinheiro, era pago de outra forma. Sem hesitar, calculei bem meus movimentos, passando despercebida por entre as pessoas, fingindo estar indo para dentro da estalagem, inocente, sem medo, sem hesitação. O primeiro que passasse ao meu lado teria suas moedas roubadas, tinha que ser rápida, era puxar o máximo que conseguisse de moedas, esconder e continuar disfarçando, como se nada tivesse acontecido.
avatar
Karolee
Novato
Novato


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Não é o Diff em Qua 20 Jan 2016 - 21:44

@Keiko

A espadachim se aproximou do balcão, agora livre de sua armadura, e pediu por um drinque para o atendente. O drinque já fora pago anteriormente, então o atendente apenas entregou-o a mulher e disse mais frase da coleção de frases indiferentes que atendentes costumam dizer, um "Bom apetite" parafraseado para bebidas alcólicas.

@Karolee

A pistoleira agora caminhava pelas ruas de Kanin, buscando uma vítima de quem tomar algo para que pudesse sobreviver nas ruas da cidade. Ao que ela passou do lado de uma vítima qualquer, num golpe de sorte o homem em que ela tentou tomar algumas moedas tropeçou no exato momento em que ela fez a tentativa de roubo, fazendo com que ela tomasse a bolsa do homem sem que ninguém notasse o que acabara de acontecer. Karolee simplesmente resolveu continuar andando na direção que estava andando para evitar mal entendidos.

Mais tarde, quando Karolee resolveu olhar os conteúdos da bolsa, percebeu que tinha nela 20 PO, uma poção curativa e um estranho objeto que era roxo e tinha a forma de uma genitália masculina, não era muito grande e parecia ter uma forma de borracha, ela se perguntou para o que servia.

---- Recebe 25 PO, 1 poção curativa e um estranho objeto em formato de genitália masculina da cor roxo (20 cm de tamanho e 14 cm de circunferência. Efeito: se apertar o botão atrás ele começa a vibrar de leve) ----

Karolee adentrou a pousada a sua frente e deu de frente com um balcão e algumas mesas, havia mais pessoas na pousada incluindo uma famosa espadachim chamada Keiko Akita, entitulada de "A Dama do Tempo".

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Keiko Akita em Seg 25 Jan 2016 - 13:30

Me aproximando do balcão a passos calmos e despreocupados, apenas me sentei num dos bancos e me pus a relaxar, enquanto o rapaz que tomava conta de atender a clientela vinha em minha direção. - Uma caneca de cerveja, por favor. - Foi só o que disse, e o homem ja se aprontava para ir até o barril e tirar dali uma generosa caneca espumante e deliciosa. Não era la a melhor forma de matar a fome, mas ao menos a sede seria saciada. Contudo, minha intenção não era sair dali bêbada, ao contrario de muitos que ja pareciam estar ali há horas. Meu objetivo era um pouco mais complexo, difícil demais até para mim, pois ja estava nisso há algum tempo nem mesmo sinal de estar perto de completa-lo.

- Senhor, pode me dar uma informação? Ja ouviu falar de uma jovem chamada Michiko? Ela é muito parecida comigo. Cabelos loiros e curtos, séria e quase da mesma idade que eu.

Não era do meu feitio perguntar sobre minha irmã em lugares como aquele, mas no nivel de ansiedade que estava com aquela situação, não me restavam muitas opções. Havia procurado as autoridades locais, mas o exercito pouco se importava com moradores desaparecidos, os aparecidos ja lhes traziam problemas demais. Alem disso, minha viagem para o sul estava se mostrando tão improdutiva quanto quando eu estava no norte. E isso estava me deixando ainda mais preocupada. Temia que o pior tivesse acontecido, e que ela não estivesse mais viva, mas eu queria, queria muito acreditar que não. Queria acreditar que ela ainda estava viva e que eu iria encontra-la em breve.

Tomei mais uma golada da cerveja e virei-me para trás para olhar a paisagem la fora. Imaginava qual seria meu próximo destino depois dali, independente da resposta do balconista, eu teria que seguir em frente, fosse para seguir uma pista, ou para continuar a andar por aí a esmo.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Não é o Diff em Ter 26 Jan 2016 - 4:54

@Lysanne

Sentada no balcão estavam algumas pessoas e uma mulher bonita de cabelos loiros, muitos a conheciam como "A Dama do Tempo", Lysanne já havia ouvido falar dos feitos da tal, seu olhar se encontrou com o da mulher por um curto momento. Assim que a lanceira adentrou uma outra mulher passou do seu lado se dirigindo aparentemente ao balcão e quase esbarrou em Lysanne, ela possuia cabelos negros e estava difícil ver mais da sua face. A sua melhor chance de informações parecia ser ou o balcão ou a linda mulher loira a sua frente, afinal ela também era uma viajante se as histórias eram reais.

@Keiko Akita

O homem estava entregando a caneca para Keiko quando ouviu sua pergunta, ele olhou bem para a lutadora e pensou um pouco antes de responder:

- Não, eu nunca vi tal mulher... talvez alguns de nossos outros clientes possam ser de alguma ajuda? Eu não sei, perdão.

O homem então se virou e foi atender outro cliente. Quando Keiko começou a observar o resto da pousada ela viu uma mulher peculiar que acabara de entrar no bar, e por um pequeno momento o olhar das duas se encontraram. Logo após a concentração dela foi quebrada pela outra mulher que estava entrando, uma de cabelo escuro e longo. O resto do lugar parecia o mesmo de sempre, algumas pessoas bebendo, alguns mercantes, nada fora do normal.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Fleur de Lys em Ter 26 Jan 2016 - 9:04

Achar aquele lugar não era difícil afinal Kannin não era uma cidade de grandes atrativos. Um prédio como a principal hospedaria do local não passava invisível. Inicialmente a híbrida pouco se importaria com as pessoas ali, mas graças as suas mais recentes experiências acabaria olhando atenta para quem estava no local e se alguém a olhava de maneira suspeita. Não havia ninguém assim, mas conseguiu reconhecer uma face ligeiramente famosa entre os humanos, erguendo uma sobrancelha quando seus olhares se encontraram. 

Quando uma outra quase esbarrasse em si, Lysanne daria uma reação exagerada até mesmo para ela, saindo de perto rapidamente e apertando sua lança com força, a ponto dos nós dos dedos ficarem brancos. Pelo jeito ter sido atacada daquela maneira a havia traumatizado um pouco, algo que concluía com desgosto. 

Iria suspirar, contente por Cal estar a obedecendo e iria então para o balcão do lado da loira do Tempo. Havia procurado um mural de avisos mas não achara nada do tipo. Assim que a tal "Mulher das Tempestades" - esse era mesmo o nome dela? havia algo de errado ali - pedisse uma cerveja, iria acenar para o taverneiro, mas esse continuava com a outra e pode ouvir ela o questionando sobre uma outra mulher. Nunca havia visto alguém parecido, então não se importaria com aquilo no momento. Apenas esperaria sua vez. 

- Taverneiro, há algum grupo ou caravana saindo para Pejite? E uma jarra de vinho por favor.

Já havia tomado uma cerveja antes, agora era melhor ver outra bebida. Aguardaria o homem traze-la, e responder sua pergunta. Teria ficado assim caso Cal não decidisse que a loira era alguém interessante para conversar. Assim que a lança "abriu a boca", Lysanne já daria um gemido arrependido.


"Oi Loira! Você sabe lutar? Eu sei! E quem você está procurando? A gente também tá procurando alguém...! Porque a gente não procura e luta junto? Eu gosto de eliminar coisas más e você não parece ser má!" 

Lysanne apenas escutaria surpresa a "eloquência" da arma. De alguma maneira, ele havia decidido ter uma conversa quase normal com a mulher. Tanto que nem o repreenderia, apenas olharia para a outra coçando de leve a cabeça, torcendo que ela a ignorasse.
avatar
Fleur de Lys
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Keiko Akita em Qua 27 Jan 2016 - 10:09

Talvez, só talvez, não fosse realmente uma boa ideia perguntar ao taverneiro sobre minha irmã, mas ao menos ele fora gentil ao responder que nunca a vira, ainda tendo o trabalho de tentar ajudar me dizendo para perguntar a outro. Algo que certamente eu não faria, não sairia por aí perguntando a torto e a direito sobre Michiko, não AINDA. – Aaahhhh... – Suspirei cansada, mas não fisicamente, e sim mentalmente. Estava cansada de tudo aquilo, de tanto mistério, tanto suspense, por que tinha que ser tão difícil assim? Será que ela estava se escondendo de mim? Será que ela não quer me encontrar com medo que eu ainda a odeie? Era possível, para eu não tê-la encontrado até então, era uma ótima explicação. Mas se isto fosse verdade, eu jamais desistiria até conseguir encontra-la e convence-la de que estou arrependida de tudo.

Quando me virei para a porta uma jovem acabou por me chamar atenção, sua aparência diferente e sua lança indicavam que não era uma camponesa qualquer, talvez uma aventureira ou mercenária, quem sabe. Ela veio em direção ao balcão e pediu uma caneca de vinho, parou bem perto de mim inclusive, mas foi justamente sua arma que mais me surpreendeu. Não pelo fato de ser uma arma, ou muito bonita, mas sim pelo fato dela simplesmente ter começado a me encher de perguntas simplesmente do nada. Fiquei um tanto atônita com a cena, o choque inicial durou pouco mais que 5 segundos, até que enfim eu dei um sorriso meio torto tentando não rir daquilo.

- ... Errr... Hehehe. Bela arma você tem aí. – Falei sem jeito, mas tentando parecer educada e gentil. Estava um tanto encabulada, confesso, não sabia como reagir àquilo, não era muito boa em lidar com pessoas, era boa em lidar com situações de risco e inimigos perigosos apenas. Decidi ignorar o montante de perguntas feitas pela arma e me dirigi apenas à sua portadora, por ora, mas caso ela insistisse em falar, talvez eu a respondesse.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Karolee em Qua 27 Jan 2016 - 12:16

O furto havia sido um sucesso pleno, mais até do que esperava. Junto dos pertences do homem estavam uma poção, 20 moedas de ouro e... Um artigo bastante peculiar eu diria. Mas que tipo de pessoa sairia com aquilo na rua? De qualquer forma, não queria ser vista com aquilo, então rapidamente entrei na pousada e fui direto a área da taverna, guardando rapidamente as coisas em minha sacola e deixando apenas o dinheiro no bolso para estar disponível quando precisasse.

A taverna estava como de costume, pessoas bebendo, comendo, conversando, nada do meu interesse, apenas queria uma refeição decente e sair dali. Não gostava de ficar muito tempo num mesmo lugar pois isso atraía maus agouros, ou no caso, assassinos altamente treinados e perigosos. Mas algo ali me chamou um pouco atenção, quando cheguei mais perto do balcão, notei duas moças conversando, mas uma delas me parecia familiar. Sim, é claro, ela é a famosa guerreira que dizem ser capaz de controlar o tempo... Como era o nome mesmo? Keiko! Que nome esquisito.

Sentei-me ao lado das duas enquanto conversavam, pareciam não se conhecer, Keiko apenas respondera ao que a... A arma disse? Sério que essa arma fala? Quero ter uma assim também. ;-;

Mas ambas pareciam estar à procura de alguém, e nisso eu poderia ser útil. Com minhas habilidades como rastreadora de alvos poderia ajuda-las a encontrar quem procuravam, e de quebra conseguiria alguma proteção durante minha viagem. Mas antes de me intrometer na conversa pedi também uma bebida e esperei que acabassem a fase de conversa entre as armas, para enfim as humanas começarem a falar.
avatar
Karolee
Novato
Novato


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pousada Kannin

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum