O Vulcão Adormecido de Jilya

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Fandopr em Sab 12 Set 2015 - 17:57

Alistair tentava compreender aquele grupo, ele simplesmente percebia que haviam lançado um bando de pessoas talvez até mesmo extraordinárias, como o propio vampiro para aquela tarefa e isso o incomodava. 

Alistair em um gesto meio que anti-natural para o que ele apresentava para o grupo, estalou a língua. Ele se deliciou com o ecoo da caverna, era algo próximo do prazeroso sua habilidade se estendendo até aquele nível de eficiência.- Vou lhe contar uma historia Alistair... Sobre as três irmãs que guardam um certo lugar; Aelo, Ocípite e Celeno.-  Alistair mais uma vez estalou a língua e ignorava Edge que cansou de tentar manter uma conversa civilizada, o vampiro certamente iria se arrepender de não dá ouvidos a Edge. 


Alistair franziu uma das sobrancelhas  e até mesmo Edge gargalhou em tom de adoração para o que seguia na direção dos mesmo. O vampiro observou atentamente as pessoas a sua frente. Ele iria manter o ritmo que eles escolhessem.


OFF:
°Percepção incomum 
° Sonar
avatar
Fandopr
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por tabuleiromistico em Sab 12 Set 2015 - 23:48

@Drinaar olha para Freya e dá um sorriso com o objetivo de mostrar os seus dentes para ela!

- Tens todo o meu respeito Freya, és uma irmã para mim! Pode me chamar de Marca da Espiritualidade que é o nome do meu clã! O único em zephyr que aceita todas as raças sem distinção! Não importa se são drows, elfos, orcs, em meu clã todos merecem respeito e andei por muito tempo estudando as raças com o objetivo de saber como lidar com um clã onde são aceitas diversas raças. Há muito tempo atrás, o clã Marca da Espiritualidade tinham várias raças, mas isso fez com que nós ficássemos fortes o suficiente para que nos temesses e acabamos sendo surpreendido por uma traição de um ser humano. E eu cortei o braço dele fora e o procuro até hoje para me vingar. Mas não é porque um humano é ruim que todos sejam, e assim, penso sobre as outras raças. Não é porque a maioria dos orcs tem má fama que todos sejam ruins. Portanto o meu clã foi quase extinto e quero restaurar meu clã!

"Enfim, um grupo forte, sei que iremos conseguir resolver todos os problemas do vulcão!"

@Drinaar olha ao redor e depois se vira para Malkarius e espera ele andar para poder enfim segui-lo!
avatar
tabuleiromistico
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Jack, The Reaper em Ter 15 Set 2015 - 0:26

Ao que podia perceber naquela escuridão, parecia que havia escolhido o caminho errado, pois caso desse de cara com as criaturas, ja poderia visualizar a cena delas tentando atacar o grupo e possivelmente joga-los contra as estalagmites, para saboreá-los lentamente mais tarde.

Impossibilitado de falar, Makarius deu dois assobios mudando o tom do som entre eles, para sinalizar o grupo num sinal de "voltar", levantando sua mão e rapidamente apontando para trás, ja procurando recuar. O caminho superior parecia a única rota no momento e deveriam se apressar, pois pretendia evitar um combate assim logo tão cedo.

Ao ouvir o estalo do vampiro teve certeza: as criaturas sem sombra de dúvidas agora viriam... Em ambientes como aquele, a visão se torna algo desnecessário para aqueles que ainda não aprenderam a enxergar nela, tendo então que se apoiar em outros sentidos, tornando-os mais apurados, ou seja, era hora de correr.

Como parecia ser o único que sabia por onde deveria ir, procurou desviar deles e seguir em direção ao caminho superior, fazendo dois assobios curtos, num sinal de "prosseguir", levantando sua mão e chamando-os, embora provavelmente ninguém mais veria sua mão. Estava tentando acompanhar o caminho, encontrar a rota, mas sua atenção também estava na chegada das criaturas, procurando encontrar o caminho mais rápido para o grupo.
avatar
Jack, The Reaper
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Balin em Qua 16 Set 2015 - 10:10

Makarius tentava sinalizar para o grupo um recuo, o tempo de resposta para perceberem do que se tratava demorava um certo tempo, se atrapalhavam um pouco, mas começavam a retornar buscando um outro caminho. As criaturas aladas se aproximavam o suficiente para que todos pudessem identificá-las, eram morcegos que se assustaram com o barulho provocado pelo grupo. No entanto, antes mesmo de passar por eles, as criaturas paravam bruscamente, permaneciam paradas se debatendo em pleno ar. Um ruido era audível, revelando um novo túnel abaixo do grupo e a esquerda, de lá saia uma criatura com oito patas e presas robustas.



A criatura possuía em torno de 3m de altura e com as patas abertas chegaria a 8m de extensão, mas naquele corredor estreito para a criatura, tinha dificuldade em se locomover. Podia andar sobre as teias tecidas por cima das estalagmites, mais alguns passos a frente e quem sabe não poderiam estar na situação dos morcegos. Sabendo da presença do grupo a criatura ignora as presas menores e tentava vir mais pra cima mostrando agressividade, mas não era tola o suficiente para subir nas condições da dimensão daquele corredor e talvez a luminosidade ali em cima também acuava a criatura. Ela retorna pelo mesmo túnel que tentou sair.

-Continuam seguindo Makarius, só que agora indo pra cima.
-Infravisão,Radar e outros sentidos especiais eu considero como sempre ativos, embora peço que deixem a descrição dos mesmos em Off para me ajudar.
-Velocidade reduzida qualquer movimento brusco requer rolagens para não sair descendo
-Cuidado com o que vão fazer, daqui pra frente a coisa complica.
-Se precisarem rolem os dados aqui.
-Coloquem tudo o que vocês usam(vantagens e afins) em spoiler, caso contrário não tem como eu saber e não levarei em conta.
-Se esqueci de alguma coisa peço desculpas, qualquer coisa me avisem.
avatar
Balin
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Fandopr em Sab 19 Set 2015 - 13:54

Certamente ali estava a causa de nenhum grupo ter retornado, pelo menos era isso que o vampiro esperava ele não queria pensar em piorar a situação do grupo enquanto não encontrava o real  motivo. Ele deixou Makarius passar para seguir adiante em outro caminho e proferiu. - Não preciso alerta que aquela criatura parecia bastante ansiosa por um confronto, mesmo vendo o quão brilhante era o nosso... Amigo coisa da marca  espirituosa.- Concluiu pelo fato da criatura não ter se adiantado contra o grupo.- Então,  cautela ao tocar em teias sejam transmitido a nossa comitiva.- Terminou seu pensamentos para todos ali presente e continuou a seguir o Makarius.
avatar
Fandopr
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Blum em Dom 20 Set 2015 - 22:07

Cuidado é sempre bom!


- Eitaa Cuzão! - As palavras saiam da minha boca, sem mesmo dando chance de eu pensar. Não conseguia ver direito, mas sabia que ela era enorme e tinha um aura maligna, uma criatura como essa apenas seria mais um obstaculo inútil, apenas para perder o tempo. Queria atingir o meu objetivo o mais rápido possível, mas pelo o visto isso não vai dar, com certeza sou apenas uma presa fácil para essa criatura. Sou menor que um anão. Minhas estimativas para ela me atacar primeiro é entre 17% e 26%, são estimativas bem altas, hein. Não podia abaixar minha guarda.

Mas quem será que tem mais chance de ser atacada pelo o monstro? Talvez a pessoa que estivar mais evidente será atacada por trás, será que eu devo torcer para a pessoa mais desprevenida seja atacada? Assim daria tempo suficiente para eu acabar com a criatura. 

Então tudo será um jogo de probabilidades, huh? Tenho que prevenir ao máximo, caso eu fosse atacado eu não perderia aquele cara de ''vista'', isso não seria nada bom. Vou usar minha altura ao meu favor. Então ficaria ao máximo próximo do homem de capuz, talvez ficar em baixo das pernas dele. Ergueria novamente minha adaga e ficaria atento, se sentisse o monstro se aproximando daria um pulo para frente, enquanto faria um corte na horizontal.
avatar
Blum
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Takamoto Lisandro em Dom 20 Set 2015 - 22:24

Sei lá..

O mascarado liderava o grupo e eu apenas observava as ações de todos, não queria a liderança nem nada do tipo. As tais criaturas aladas eram apenas simples morcegos e pelas assinaturas de calor se dava para perceber que não iriam fazer nenhum mal. O que parecia estranho era os morcegos pararem em pleno ar e ficarem lá trêmulos , dava-se pare ouvir um barulho estranho e vinha de um túnel novo que acabávamos de achar. 

Sabia que coisa boa não viria de lá, uma besta se mostrava do túnel demonstrando sua ferocidade. Tinha oito paras e presas robustas, era bastante grande para o túnel no qual vivia e parecia ter dificuldades ao se locomover pelos arredores. Era uma grande aranha negra que podia se movimentar facilmente em suas teias e que ao ser pegue por elas estaríamos em uma situação bem difícil, enfrenta-la aqui não seria vantajoso tanto para gente ou para a aranha.

A aranha era esperta e sabia que lutar conosco nas condições íngremes do corredor daria uma certa desvantagem, ela chamava a atenção sendo agressiva e voltava para onde era o seu lugar, senti que ela queria nós induzir para um batalha em sua toca. No entanto, era melhor decidir continuar sem batalhas desnecessárias pro enquanto, tínhamos que guardas nossas energias para lutas futuras e que poderiam decidi o destino da cidade.

O mascarado deveria decidir por assim dizer, porém não o seguiria se ele decidisse enfrentar a tal besta. – Não seja tolo, vamos apenas continuar trilhando nosso caminho. – E assim seguiria o caminho adiante mesmo que o “líder” do grupo decidisse lutar com a criatura.

avatar
Takamoto Lisandro
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por tabuleiromistico em Seg 21 Set 2015 - 11:03

@Drinaar segue Makarius, pois só enxerga praticamente um palmo a sua frente, graças a aura dourada brilhante, mas isso não ajuda muito

"Sinceramente, tenho certeza que eu venceria essa coisa de oito patas sozinho, mas não seria bom arriscar a vida dos outros!"

@Drinaar dá um sorriso

- Realmente é melhor voltar, lá dentro deve ter mais dessas aranhas ridículas! Alguém tem como fazer fogo? Tive uma ideia.


Última edição por brunotenan em Seg 21 Set 2015 - 23:24, editado 1 vez(es)
avatar
tabuleiromistico
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Jack, The Reaper em Seg 21 Set 2015 - 14:19

Havia tomado a melhor decisão evitando aquele caminho. Como drow, conhecia muito bem as aranhas e sabia o quão territorialistas elas eram mas infelizmente devido a sua deficiência, seria impossível tentar lhe questionar algo ou lhe negociar a passagem, talvez entregando o baixinho ou o samurai como "oferenda" em troca do acesso.

Deveriam então agora seguir pelo outro caminho, percebendo não apenas que ele estava como guia, mas parecia que era sua a liderança ate aquele momento por falta de quem assumisse tal posto, coisa que não gostava pois não fazia ideia de como usa-los corretamente, quais seriam sua qualidades e pontos fracos, tudo precisava antes ser medido e avaliado para então ser colocado em pratica, pelo menos era seu ponto de vista.

Para evitar problemas, procura seguir o caminho de cima para evitar o confronto desnecessário, tomando cuidado com as teias. Provavelmente os outros grupos anteriores haviam pensado como ele inicialmente, de que se fosse entrar em um vulcão, deveria ir para baixo, e acabaram encontrado sua amiga de oito patas.

Qualquer coisa poderia estar acontecendo naquele lugar, então se começassem do alto, poderia ser mais fácil saber que direção seguir caso não encontrassem nada la encima, sem contar que sempre era mais fácil descer do que subir e eles mal tinham entrado no lugar...

off: VANTAGENS:
- Radar
-Percepção Incomum
Raça drow : acostumado nos subterraneos/ facilidade em ver no escuro (um pingo de iluminação graças ao dinossauro em miniatura porpurinado hehehe xD )
avatar
Jack, The Reaper
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Balin em Ter 22 Set 2015 - 16:12

O caminho de cima era então o novo objetivo a ser seguido pelo grupo, a locomoção por ali era um tanto quanto pior do que a subida do vulcão, já que por todo canto haviam as estalagmites e estalactites, mas na subida por aquele túnel, alguém parecia até que "fez uma trilha" ou talvez aquilo fosse feito naturalmente assim para a sorte do grupo. Depois de um certo tempo de subida, o grupo avançava pelo túnel com mais naturalidade, de certo a iluminação naquele ponto era reduzida a absolutamente nada. A aura natural chamativa do draconato, até então estava se demonstrando vantajosa para todos, Makarius e Alistair podiam se guiar tendo ciência do raio de localização, e Takamoto continuava podendo enxergar com sua infravisão. Não haviam teias, nem sons estranhos. Após uma longa caminhada pacifica por aquele túnel, os 3(Makarius, Alistair e Takamoto) podiam ver que no caminho a frente não haviam mais estalagmites no solo, no entanto as estalactites não permitiam uma caminhada, teriam que "engatinhar" ou avançar de outra forma, já que a distância do chão para a ponta das estalactites variava em pouco mais de 70cm. Talvez o Halfling fosse o único que pudesse andar naquelas condições, então não teria como uma criatura maior, como a aranha gigante, está alojada por ali. Felizmente havia uma luz no fim do túnel, bem ao fundo via-se uma forte iluminação. Como era possível após um caminho tão escuro ter luz? Era fácil deduzir que se continuassem por ali sairiam próximos a boca do vulcão, a fonte de luminosidade que podiam perceber.

-Blum pode seguir "normalmente", com certo esforço ele se curva um pouquinho e pode seguir caminhando. Os demais precisam definir uma forma para continuar, seja engatinhando, rastejando, rolando cambalhota, etc
-Esse caminho tem aproximadamente 18m
-Cabem 3 seguindo juntos lado a lado, definam quem vai na frente ou quem vai junto de quem.
avatar
Balin
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Saphira Odin em Qui 24 Set 2015 - 0:56

_ Nobre Aventureira.
Local: Em algum Vulcão perto de Jilya
Part: 01
____________________________________________________________________________

 Sem muito o que fazer, a não ser apenas esperar o próximo movimento em seus planos de conquista, Eilistraee se encontrava em um  tédio raro proporcionado pelo continente no qual estava. Em meio a rumores e boatos descobria que Jilya sofria por falta de água misteriosamente, provavelmente alguém se achou no direito de ter uma fonte particular, não que isso a incomodasse e na verdade nem a preocupava sobre o assunto.

 Eilistraee naquele dia vestia-se de maneira formal, quem não a conhecia pensaria que ela fosse uma Barda, mas como não deveria de ser diferente, em seus trajes sempre tinha o trabalho artesanal tecido em fios de prata imitando uma teia de aranha, este detalhe se destacava em seu manto no qual em seu centro tinha o desenho de uma aranha bordada de forma delicada e com fios prateados, a mesma cor de seus cabelos que estava solto sem enfeites e muito menos atados protegidos apenas pelo simples chapéu que usava. Carregava sua mochila assim como fazia uso de seus cintos de utilidades e um par de luvas na qual não deveria de tirar por nada. 

 Assim que chegou em Jilya apenas tratou de reunir informações suficientes para seguir até o lugar, queria ter um pouco de ação e aventura em sua vida que ficou pacata por quase duas semanas. Quando conseguiu o máximo de informações sobre o lugar no qual deveria ir, por vontade própria ela partiu sem perder tempo, andou pelas estradas certas até o vulcão graças as informações dos moradores da cidade. Bastaria seguir algum caminho até a entrada do mesmo sem muitas dificuldades, afinal pelo que andou investigando entre os aldeões já tinha um grupo a sua frente explorando o lugar.  Eilistraee apenas teria de encontra-los ou não, andar sozinha naquele continente já estava virando um habito costumeiro da jovem.

OFF: Usando nenhuma habilidade, magia , bruxaria, talento, Vantagem, desvantagem etc... Só a boa vontade de andar e andar.
Simples Roupa. Quer ver elfa pelada, ficava na vila em um bordel.:
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Fandopr em Sex 25 Set 2015 - 21:41

Alistair acompanhava tranquilamente o grupo, ele havia feito breves preconceitos dos integrantes do grupo. O draconator era amigável beirando a falsidade. O hobbit era algo entre megalomaníaco e oportunista. Takamamoto era o racional do grupo. Makarius tinha o posto de líder e desempenhava seu papel com certa hesitação é isso fazia Alistair apreciar o mesmo pelo empenho. Alistair estava como observador, ele não tinha a mínima noção das habilidades dos integrantes, o vampiro não se deixava levar pela aquele ritmo de tranqüilidade.

Alistair se deparou com a entrada e comentou em um tom seco.- Espero que isso seja a luz do sol!!- Alistair se agachou e começou a engatinhar, porém ante mesmo de alcançar 2 metros de distância.

Seu corpo começou a se desfocar e se transformar. Assim em sua forma de corvo prosseguiu pelo túnel andando tranquilamente. Ele estava mais preocupado com aquela luz, por isso tomaria mais cautela ao fim do túnel do que em seu percurso.

Off* considere que os status do corvo é o mesmo do humano. Ainda não tive coragem de fazer a ficha dele no modo animal. Forma de corvo com 40 cm ou algo assim. Bem devo esperar um post para transforma deixo nas mãos do Balin.
avatar
Fandopr
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por tabuleiromistico em Dom 27 Set 2015 - 23:12

@Drinaar tinha pensado em interferir quando vê alistair se engatinhando e do nada vê ele virando um corvo.

"Mas que bruxaria é essa? Dizem que bruxas viram corvos e que trazem mau agouro e que significa morte. Mas eu não acredito nessas baboseiras, não sou supersticioso."

- Deixa que eu vou logo atrás dele, irei verificar que luz é aquela e se tem algo perigoso lá e se tiver eu aviso para não me seguirem, certo?

@Drinaar começa a rastejar para poder chegar ao outro lado de forma coordenada.

"Enfim luz, sem enxergar fica difícil, mas enxergando fica mais fácil desempenhar o meu papel, fazer o que eu faço melhor. Mostrar a minha superioridade. Mostrar que nós draconatos, viemos com tudo sem medo de nada."

- Ikiri Makran Lurian! (Eu não temo a morte)


 
avatar
tabuleiromistico
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Takamoto Lisandro em Seg 28 Set 2015 - 15:19

...

A rota que subia era a nossa melhor opção e foi essa que seguimos, a aranha ficaria para mais tarde ou talvez ela gostaria de dá um "oi" em algum momento, mas não gostaria que isso acontecesse.. O caminho era bem feito que até parecia ter sido trilhado por alguém ou feito naturalmente, nós estávamos na completa escuridão do vulcão e minha infravisão ajudava bastante em minha movimentação e os demais poderiam pelo menos ver algo com a ajuda da iluminação do dragonato que parecia entusiasmado com essa aventura.

Caminhávamos tranquilamente até chegarmos em uma parte cujo só poderíamos passar engatinhando e eu até poderia passar sem muito esforço apenas com a ajuda do teletransporte, porém não acho que deveria gastar minha mana para algo tão simples quanto isso. O baixinho levaria vantagem na hora de passar, pois teria bastante movimentação do que nós teríamos e se algo atacasse... Ele seria nossa opção de defesa.

Eu estava pronto para passar e assim faria com calma, pediria para o Blum me acompanhar se algo acontecer ele pode me defender. Me abaixando e seguindo o túnel dava para ver uma forte fonte de iluminação, não sabia de onde vinha essa fonte de luz e queria descobrir. Pelo menos o grupo ao todo se beneficiaria com a questão de visibilidade que a luz traria fazendo todos enxergarem sem qualquer dificuldade.

avatar
Takamoto Lisandro
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Blum em Seg 28 Set 2015 - 16:04

~ Pagando de Cuzão! ~


Finalmente uma oportunidade para mim desigualar com as pessoas ao meu redor e provar pra todo mundo quem é que manda no pedaço, se é que você me entende. A primeira vez que eu vejo que a minha altura está se destacando entre os outros, sem baixinho também tem suas vantagens, com toda a certeza me destacarei aqui e agora, não vou deixar de forma alguma deixar que alguém tome a minha ''frente''. 


Juntando o máximo de ar possível, falaria alto e claro. - Bem, meus caros cavalheiros, eu sou o único que poderia ajudar, melhor impossível, minha velocidade com certeza supera a de todos aqui. - Pausaria olhando no rosto de cada um, apesar de ainda não conseguir ver quase nada. - Então deixem comigo a responsabilidade de guiar vocês. Eu sou conhecido como o homem que derrotou mais de três dragões sem levar um único arranhão, então tenham respeito. - Tomaria a frente. 


- Ei maluco! - Falaria com o meu ''parceiro''. - Veja, eu, o grande Blum em ação, então de olhos abertos! - Com as duas adagas já nas mãos adentraria o túnel, caso visse alguma coisa suspeita falaria para os demais do meu grupo. Andaria lentamente sempre com minha guarda para cima. 


Agora pensando bem, porque diabos teria uma luz no vulcão? Será que aquilo ali poderia ser...? Larva? Se a vesse ira manda todo mundo dá meia volta. Enquanto estaria correndo.
avatar
Blum
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Balin em Sab 3 Out 2015 - 9:16

Alistair logo se transformava, como corvo, suas dimensões permitiam avançar sem dificuldades. Drinaar e Takamoto rastejavam avançando até o final daquele túnel. Blum se via em vantagens e queria demonstrar isso a todos, após suas declarações ele avançava tomando a frente de todos. Ao final do túnel havia luz, esta vinha de uma cratera que mostrava o céu aberto e logo a luz era refletida por camadas grossas de gelo, em paredes, tuneis, interligados por uma trilha em espiral, aproximadamente 50 metros de altura até o ponto mais baixo. As mesmas goteiras escorriam vulcão abaixo e dessa vez podiam ver uma espécie de "riacho" corrente lá em baixo. De um dos túneis interligados, à esquerda do grupo, surgia uma drow elegante e bem vestida, e de um outro túnel, à direita e a frente do grupo, surge um orc com uma balestra na mão, ao notá-los a criatura se espanta e rapidamente recua resmungando alguma coisa. Makarius não estava mais presente, a luz do sol de certo modo incomodava Alistair, ainda em sua forma de corvo. Abaixo do grupo, um projétil viajava em alta velocidade passando rente a cabeça de Blum.



ao olharem podiam ver três trolls das neves, dois seguravam uma lança congelada, a mesma que quase atravessou a cabeça do Halfling, um outro sacava um machado, também congelado. Eilistraee com esse ataque pode ver que eles estavam a poucos metros abaixo dela e as criaturas, até então não sabiam da sua presença.

-Eilistraee está distando 6 metros e no mesmo nível de altura do grupo, assim como o orc que fugiu.
-Os trolls das neves estão a pouco mais de 4 metros abaixo de Eilistraee e pouco menos de 10 metros de distância do grupo.
-Desculpem a demora, pelo atraso no post: Eilistraee 20 de XP e os demais 50 XP(20 pelo atraso + 30 pelos outros posts). Já adicionei no perfil de cada um o ganho. Alistair passou de nível, post na ficha solicitando as alterações e indicando o link da campanha.
-Rolem os dados aqui.
-Coloquem tudo o que vocês usam(vantagens e afins) em spoiler, caso contrário não tem como eu saber e não levarei em conta.
-Se esqueci de alguma coisa peço desculpas, qualquer coisa me avisem.
avatar
Balin
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Fandopr em Sab 3 Out 2015 - 21:36

Alistair estava tentando desfazer sua forma de corvo, a luz do sol estava atrasando seu corpo a responder como queria, mas nao o bastante para impedir seu sucesso. As penas protegiam aquela forma animalesca, mas deixavam diversos espaços sem proteção. Como um humano era diferente; as roupas serviam como proteção e podiam ser realocados,  bem diferente de penas.

Assim que voltou a forma humana, Alistair arrumou seu casaco grosso e ergueu a mao para tampar seus olhos. Alistair e Edge ficaram com a atenção dividida. Alistair observou os troll e Edge teve sua atenção na Drown. "Orc e trolls juntos nunca é um bom sinal, sem contar a agressividade das criaturas nessa montanha. Alguma entidade poderosa se esconde neste vulcão." Raciocinou o vampiro.

- Hobbit! Não vai fugir agora!- Alistair instigou o hobbit, ele teria de ter cuidado com as lanças ou até mesmo com terrenos altos. Agora ele se virava para a marca da espiritualidade e assentia, não era confiança, mas um sinal que o seguiria no combate iminente. - Takamoto!- apontou para a desconhecida Drown,  se o gesto foi para alerta os troll ninguem saberia dizer comprecisao pois era um fato, Alistair não queria correr riscos.- Cautela!- Advertiu o vampiro. Álistair estava incomodado com a luz e com o Orc desaparecido,  mas por enquanto suas preocupações era o menor dos seu problemas.

HP:35
SP:35
Percepção incomun.
Sonar.
Transformacão consciente. Destransformando
*fotossensível( perco a regeneração da raça, depende do narrador)
avatar
Fandopr
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por tabuleiromistico em Dom 4 Out 2015 - 3:43

@Drinaar utiliza Coragem Mágica.

Spoiler:
Coragem Mágica
Essa magia quando utilizada, faz com que todos os aliados não sintam medo de nada, fazendo com que todas as fobias que seus parceiros tenham sejam eliminadas durante o momento que ela é mantida.
Duração: Sustentável 
Efeito:Concede + 2 em qualquer teste contra intimidação e fobias em todos os aliados. 
Custo: 10 sp + 3 por turno

- Gente, se prepare para batalharem! Eu irei batalhar com eles corpo-a-corpo! Mas, eles estão abaixo de você e vai acabar caindo... não vou não, antes que me façam essa pergunta eu afirmo que não. Alistair, me dê cobertura, Takamoto veja o que pode fazer de longe. Pessoas que podem atirar a distância ou lançar magia aproveitem o que eu vou fazer, pois chamarei a atenção dos trolls para mim, então não percam a oportunidade.  

@Drinaar dá um enorme riso pelo que ele vai fazer... em um castelo uma vez ele caiu em uma armadilha em um castelo que foi tipo um escorrega que dava voltas e ele simula um escorrega fechado para que não haja riscos de cair e que vai dando voltas e direcionando o escorrega diretamente na posição em que dê para acertar mais de um troll.

- EU NÃO TEMO A MORTEEEEEEEEEEEEEEEE!!!!! - Drinaar grita descendo o escorrega simulado com a barriga para baixo.

@Drinaar irá perfurar os trolls com a sua própria garra aproveitando a velocidade que irá pegar com o escorrega para tentar dar um dano maior.

Vantagem Utilizada:
LÍDER NATO 
Spoiler:

Você é um grande líder, um comandante ou algo que o valha,na verdade, você nem precisa possuir um posto de importância e nem sempre as pessoas gostam de você, mas quando está em batalha, você inspira confiança e coragem aos seus aliados, seus gritos de guerra são fortes e suas ações inspiram seus companheiros. Sempre que estiver em batalhando em time,seus aliados recebem +2 de bônus de dano e +2 para qualquer teste de manipulação. Esses bônus só servem se você também estiver na batalha e você mesmo não recebe esses bônus, somente seus companheiros.

Talento Utilizado:
Perfuração
Spoiler:

Ao realizar um golpe critico o jogador perfura o alvo e ataca diretamente o que está atrás do mesmo sem direito a esquiva. O ataque é o mesmo por isso não é nescessário rolar outros dados
2 SP /+ 3 de força
avatar
tabuleiromistico
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por di'Leviathan em Seg 5 Out 2015 - 0:40

Fazia algum tempo que Alice estava vivendo no bosque de Jyllia já que não era bem vista pelos habitantes da cidade por causa de seus feitos no passado, mas mesmo assim ainda adorava a pequena cidade, presenciava os problemas hídricos pelos quais a cidade estava passando, um dia enquanto colhia frutas ouviu a conversa de alguns camponeses, eles diziam que um pequeno grupo seria enviado para explorar o vulcão. No mesmo instante a garota ficou interessada, no dia seguinte bem cedo reuniu suas coisas colheu algumas maçãs colocou em sua bolsa e foi rumo ao vulcão, na base do vulcão escondida entre as árvores observava a multidão endeusando e incentivando os grupo de aventureiros que ali estavam.

[Pensamento]:~ Por ali não vou conseguir entrar- pensava enquanto procurava por um meio alternativo de entrar.

Antes mesmo que o grupo iniciasse a escalada do vulcão, Alice avista uma pequena entrada lateral no vulcão antecipando-se então entra antes que o grupo partisse, já dentro podia se ver grandes estalactites e algumas goteiras, a escuridão há atrapalhava, mas isso não a impedia de prosseguir, sua pele brilhando era a única coisa que a jovem conseguia ver em alguns ponto.

Algum tempo depois de ter entrado, após ter caminhado muito avista uma luz no fim daquela caverna agora mais animada corre até a "saída", quando já próxima escuta uma voz dando instruções e em seguida a mesma voz fala algo como um grito de guerra, assim que sai do túnel vê o grupo um pouco mais a cima agora acompanhada de uma bela mulher, Alice se distrai por um momento admirando como o cabelo da mulher dançavam com o vento. Assim que saí do transe perce que próximo um dos integrantes do grupo estava por rodopiar no ar como se estivesse em um escorregador.

Alice:- Ele está rodando, rodando, rodando, rodando, gente parece o pião do baú.- Alice fala baixinho para sí mesma um pouco impressionada, então repara para onde o homem estava indo com todos aqueles rodopios, ali próximo a vampira havia um grupo de trolls que pareciam incomodados com o grupo e se não gostavam deles provável que também não iriam gostar da sua presença naquele lugar e era melhor combater em grupo aqueles trolls do que sozinha - BOST GEAR - a jovem grita chamando pro sua arma - carrega - ela diz para a arma que responde com uma voz grave e ecoante " boost" a "explosãozinha"que há na pedra acoplada na arma começa a se agitar indicando que a arma estava pronta para o ataque, a jovem sai em disparada rumo aos trolls para lhes atacar, aproveitando que estavam distraídos com o grupo de exploradores que estavam mais acima, tenta acertar um soco em um ataque surpresa o troll que segurava o que pareci-a ser um machado congelado.

[Pensamento]:~ Droga a luz do sol vai ser um problema- pensava já sentindo uma leve irritação em sua pele.

Ddraig:- Esqueça isso, pensa que esse é o seu momento de brilhar, nunca terá outro momento para mostrar seu valor como esse então vai com tudo menina.- o dragão falava na cabeça da jovem o que fazia acender seu espírito de luta.

Off: Com o "carregar" na verdade estou usando o talento esmagar(- 2sp/+3 força), mas resolvi colocar que a arma reage com isso espero que não aja problemas.
E quanto a rolagem de dados, como nunca os utilizei não sei o momento para rola-los por isso gostaria de saber se já deveria rolar para ver se acerto ou deixo para depois?
HP:57/57
SP:43/41
Talento utilizado:esmagar(-2sp/+3forçar)
avatar
di'Leviathan
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Saphira Odin em Ter 6 Out 2015 - 0:12

Seguindo pelo caminho em que escolheu, sem muita dificuldade a drow encontrava o possível grupo que partiu a algumas horas na sua frente, mas antes de começar algum tipo de dialogo ela viu um orc fugindo e três trolls, também percebeu que o grupo que ela encontrou não perdeu seu tempo e já foi para o ataque.

Eilistraee por sua vez apenas conjurou três raízes vindas do chão em um único ataque concentrado em apenas um Troll.
OFF: Adagas de Gaia (magia);
-27 SP [3 raízes]
Adagas de Gaia
Classe que aprende: Druida Elemento: Terra
Descrição: Comanda raízes mágicas a saírem do chão e atacarem os inimigos. O mago pode escolher quantas raízes vão atacar cada inimigo(no máximo 5) e cada uma conta como um ataque separado perfurante.
Efeito: Ataca com espinhos de planta
Dano: 3 + Ataque mágico
Custo:9 SP por raiz criada
Duração: Instantânea
Valor da dificuldade: 4
Raridade: Comum


Última edição por Saphira Odin em Sex 8 Jan 2016 - 6:29, editado 1 vez(es)
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Blum em Dom 11 Out 2015 - 22:53

~Luta!~
Mantenha a mente aberta!

- HAHAHAHAHAHA! Não me subestimem, eu o grande hobbit, o homem que já derrotou 5 dragões irei derrotar todos facilmente! – Deixaria um enorme sorriso na minha boca. Essa era a hora perfeita para provar quem era que mandava nesse pedaço. Os meus oponentes não se passavam de lixos querendo ser alguém, eu ganharei de todos na velocidade, apenas irei mirar minha adaga no ponto fraco deles e pronto, o oponente estará morto.
 
Apontaria para o meu alvo, um dos trolls com adagas. – Eu vou te matar seu lixo! – Indagaria. Na verdade, aquilo era só um plano, a pessoa que eu queria matar era aquele com um machado na mão. Sairia correndo até o troll com o machado, chegando a cinco metros de distância dele, falaria. – Mate-me se for capaz. – Olharia diretamente para os olhos do mesmo, tentando intimidá-lo e fazendo com que ele perdesse a calma. Se ele perdesse a calma eu estaria com sorte. Ele usa machado, seus ataques são lentos e letais, porém eu sou o pior tipo de pessoa que ele se possa lutar, em outras palavras ele irá morrer facilmente.
 
Caso ele fizesse um corte/golpe na horizontal iria rapidamente me abaixar, daria um pulo para frente seguido de um corte na horizontal tentando acertar o joelho do mesmo, assim deixando aquele agente incapacitado de fazer algo. Acertando ou não iria recuar.


Na hipótese se o troll fizesse um corte/golpe na diagonal, iria pular para o lado ao contrário do ataque e então, desviando do ataque rodaria o meu pé para ficar de frente pra ele e em seguida pularia em sua direção, atingiria qualquer local do tórax, depois de efetuado o ataque recuaria.


Na probabilidade do homem fazer um corte na vertical, iria rapidamente dá um pulo para a esquerda e aproveitando esse tempo iria dá seguidamente um pulo em direção as mãos do troll. – VOCÊ É MUITO LENTO! – Então juntado todas as minhas forças faria o golpe rápido, faria um corte em direção o pulso do monstro. O objetivo maior era derrotar ele acertando partes críticas do corpo, assim eu poderia deixar aquela besta aleijada.
 
Quando fizesse meus ataques e caso errasse/acertasse/ o homem desviasse iria dar um grande pulo para trás e dar alguns passos para trás e manter uma boa distância do oponente.
 
Se descaradamente algum dos oponentes tentassem jogar uma daquelas lanças em mim, iria tentar desviar indo para o lado direito, caso não tivesse tempo iria tentar colocar força para cair no chão. Faria qualquer coisa para que ele não acertasse o meu coração ou minha cabeça.
 
Enfim, todas as minhas hipóteses de batalha vêm em base de contra-atacar.
avatar
Blum
Aprendiz
Aprendiz


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Takamoto Lisandro em Dom 11 Out 2015 - 23:37

Batalha

Ao engatinhar o suficiente e chegar ao final, a luz clareava a área a nossa volta e não precisaria continuar usando minha infravisão para enxergar o caminho, nas paredes ao nosso redor existia tuneis interligados e de um deles surgia uma mulher que parecia ser da raça do mascarado, mas agora eu me perguntava para onde ele teria ido porque faz algum tempo que eu não via ele por aqui, ele teria fugido da missão?

Eu não sei se ela veio para nós ajudar ou para nós atacar, porém presumia que se fosse para nos atacar ela já teria o feito antes de sabermos de sua presença. Observei o lugar por mais alguns segundos até que o Blum foi almejado por uma lança vindo e um troll de gelo que estava acompanhado com mais dois aliados que empunhavam também lanças e o mesmo que havia atirado uma lança em Blum agora segurava um machado e tinha uma grande hostilidade com o grupo.

Não sabia se a lança que quase acertava Blum era um aviso ou apenas um erro do troll, mas grupo por si só não queria saber e avançavam contra os trolls de gelo sem nenhuma hesitação e mesmo que eu gostasse de perguntar e depois atacar teria que os ajudar, eu não queria ver ninguém morrer porque seria um grande problema que perdêssemos aliados a essa altura que nem mesmo soubéssemos o motivo do problema da cidade.

Alistair me advertia que deveríamos tomar cuidado, o dragonato apenas lançava suas ordens e ia em direção a batalha, Blum também estava preparado para o combate e parece que a mulher também ajudaria a combater os trolls. Parecia que tudo estava desorganizado, porém achava que tudo poderia dá certo se atacássemos em conjunto, por hora ficaria apenas para dar suporte.

Prestaria atenção nos três alvos e tentaria me aproximar dos inimigos, pegaria a distração do dragonato e tentaria o ajudar aqueles que estavam a frente combatendo os inimigos no corpo a corpo, esperaria o momento certo para lançar uma bola de fogo que acertasse o inimigo e não deixasse nenhum dano em um aliado que no caso seria o Blum e o dragonato e avisaria para eles quando fosse conjurar para que não fossem pegos de surpresa e levassem algum dano.

Bola de Fogo:
Nome: Bola de fogo
Classe que aprende: Todas /Elemento: Fogo
Descrição:A magia mais clichê e conhecida não passa da bola de fogo,que se consiste em...lançar uma bola de fogo que explode ao contato.
Efeito: Lança uma bola de fogo simples, do tamanho de um punho fechado. Pela bola de fogo explodir,qualquer coisa ao redor também sofre dano em um raio de um metro.
Dano: 3 + Ataque mágico
Custo: 14 SP
Duração: Instantanea
Valor da dificuldade: 4
Raridade: Comum
Off:
Sou um novato ao usar dados e não sei quando devo joga-los, sou mais interpretativo e talz. Se caso for para jogar dados me diga que ajudaria bastante. ^^
avatar
Takamoto Lisandro
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Saphira Odin em Sex 8 Jan 2016 - 6:29

Terminou?????
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Vulcão Adormecido de Jilya

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum