Makarius

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Makarius

Mensagem por Jack, The Reaper em Qua 5 Ago 2015 - 0:52

Nome do Personagem: Makarius
Raça: Drow (1p)
Classe: Ladino
Nível do Personagem: 1
Idade Real/Idade Aparente: 28 / 30
Altura: 1,83
Peso: 79kg

Características Físicas:
Makarius é um drow que não se importa de mostrar a natureza de sua raça, com um tom de pele cinza e cabelos completamente negros pouco abaixo dos ombros, preferindo roupas e armaduras leves e que não lhe atrapalhem seus movimentos, embora a maior parte do tempo passe coberto por capas e capuz para se abrigar da luz, tendo sempre em seu rosto uma mascara, sem abertura para boca, uma vez que é desnecessaria por não falar e expressa visivelmente tal limitação.

Spoiler:

Personalidade:
Tendo sofrio muito desde a infância, Makarios não possui muita fé nos outros, viu desde tenra idade o lado negro de todos e não acredita em bondade desinteressada, sempre havendo ganhos ao se fazer algo para os outros. Devido a toda sua historia de rigidez, Makarius é muito sistematico, gostando de cada coisa no seu lugar, de forma especifica, atento aos detalhes por serem cruciais ao realizar qualquer tarefa. "Os demonios se escondem nos detalhes..."


História:
Não são todos que podem se orgulhar de dizer que nasceu em um berso de ouro, contudo o hoje assassino conhecido como Makarius nasceu de uma família nobre no vale dos ventos, filho de um Duque que mesmo sendo Drow havia conquistado uma posição relevante devido a seus serviços prestados, primogênito de uma consideravel fortuna, com o nome de Magnus Kalvert Rines Ussel.

Sua educação foi das melhores pelos padrões locais, sendo bem instruido e seguindo disciplinas rigidas de suas babás, com horas e regras para tudo. Seu pai era um homem que vivia ocupado, sendo por vezes rispido, mas mostrava ter alguma atenção para a família, enquanto que sua mãe lhe dava mais atenção, pelo menos para os padrões Drow.

Proximo de completar quatro anos, foi surpreendido com a noticia que ganharia um irmão, ficando satisfeito com a noticia e vendo a felicidade que tal noticia trouxe para a casa. Os meses passaram e tudo parecia perfeito, contudo, ao dar a luz a seu irmão, sua mãe teve complicações e acabou por falecer. Aquele viria a ser o momento que Magnus odiaria pelo resto de sua existencia, pois marcou o fim e o começo de tudo.

Seu pai, agora afogado em bebida e trabalho, já não ligava para sua familia, estava sempre ocupado de mais enquanto que mais e mais os funcionarios começaram a encontrar brechas para tirar vantagem da situação. Uma em particular, Izabelle, sua antiga babá, decidiu que seu pai precisava de companhia e, ludibriando-o, foi gradativamente se apossando de tudo, deixando revelar suas garras para as duas crianças. Seu pai, que um dia mostrava se importar pele futuro da família, agora se restringia a um senhor bêbado que descontava raivas e frustrações em seus filhos, espancando-os quando conseguia acha-los, coisa que Makarius aprendeu bem rápido como se esconder e fugir ate passar o efeito da bebida.

A saúde de seu pai estranhamente foi definhando mais e mais rapidamente, levando a Magnus a ficar desconfiado do que acontecia. Se esgueirando diversas vezes, pode ver que a mulher subornava um médico para trazer-lhe ervas para seu pai, com intenção de agravar o quadro e mata-lo lentamente. Ninguem, exceto seu irmão mais novo, acreditou no que dizia, dizendo ser fantasia infantil. Tal fantasia, quando ele estava com 8 anos, acabou levando a morte de seu pai, deixando toda sua fortuna para ser administrada pela mulher, agora sua madrasta.

Nem bem o corpo de seu pai esfriou no tumulo e a mulher se deitava com varios homens na cama que um dia foi de sua mãe, fazendo Magnus ferver por dentro. Deciu então se vingar da mulher, começando a armar diversas situações na casa e cotidiano para que parecesse um "acidente" com ela, mas não conseguia exito, sempre esquecia algum detalhe, alguma coisa sempre passava despercebida. Os castigos pioraram absurdamente, principalmente quando alguma de suas armadilhas era descoberta, passando frio e fome, apanhando, trancado e encoleirado como um animal, varias e varias vezes tendo que roubar e vender as joias dela para comprar comida para si e seu irmão.

Um dia, obteve um sucesso parcial, pois conseguiu uma morte, mas de um dos amantes da mulher que trocou de lugar com ela, sendo golpeado pelas costas por uma farpa pontiaguda como adaga escondida no estofado da cadeira. Após muita briga, a mulher pegou e segurou pelo pescoço seu irmão, do alto da escadaria e disse friamente "-É assim que acidentes acontecem, monstrinho!" , jogando-o escada a baixo, matando-o instantaneamente com o pescoço quebrado. Magnus partiu para cima da mulher e conseguiu feria na face, mas logo foi contido pelos outros e recebeu uma pancada na cabeça, ficando desacordado.

Acordou desesperado, dentro do que parecia uma caixa, entrando muita agua dentro dela, estando ele amarrado. Lutou como nunca para sobreviver, conseguindo se soltar, pois ja havia aprendido forçadamente como escapar dos castigos de seu finado pai. Estava em um rio, era noite, sem ter o que comer ou onde ir. Desesperado e faminto, teve que se adaptar, aprendeu a se esgueirar melhor do que nunca para poder pegar alguns animais pequenos e se alimentar, embora quanto ao frio não havia muito o que fazer, mas por obra do destino pelo menos era verão, podia suportar.

Enquanto andava perdido pela mata, ouviu barilhos de metal tilintando, havia alguem por perto. Era uma carroça, com apenas um homem nela, viajando lentamente pela estrada. Não foi dificil para ele se esgueirar e subir na carroça, se escondendo em alguns panos velhos. Ao cair da noite, quando o homem parou provavelmente para acampar, estranhamente desceu e disse "-Até onde pretende que te leve, garoto? Vá para casa". Magnus foi surpreendido, parecia que o homem ja sabia sobre ele desde cedo e nada disse, e ao ouvir sobre a casa, serrou os punhos e tentou falar, mas não conseguiu, seja pela pancada na cabeça ou pelo choque de ver seu irmão morrer, se tornou mudo daquele ponto em diante, tendo que escrever no chão para responder ao homem "-Só voltarei para aquele lugar para mata-la!". O homem percebeu o olhar do jovem e deu um leve sorriso, dizendo "-Cuidado com o que desejas..."

Melhor alimentado naquela noite e não mais como um clandestino, o homem deu carona para ele até o lago Vanna, onde foi apresentado a um senhor mais velho, a quem o viajante parecia ter muito respeito, respeito de mais para um simples comerciante. Na verdade aquele era uma guilda não muito grande, especializada em assassinatos e espionagem, sendo o viajante um assassino e o homem idoso um dos superiores. Magnus foi testado diversas e diversas vezes, privado de sono e comida, exigido que raciossinasse mesmo com as piores dores, sendo levado constantemente ao limite para supera-lo, enquanto que ao mesmo tempo lhe eram ensinadas tecnicas secretas, melhorando sua percepção do mundo e suas habilidades, assim como se misturar a ele e praticamente desaparecer a vista de qualquer um.

Rápidamente anos se passaram e Magnus foi subindo de posto dentro da guilda, aprendendo seu funcionamento, sua rede de informações, como os contratos eram adquiridos e que tipo de alvos escolhidos ou negados. Certo dia, a três anos atras, decidiu que ja era hora de voltar a sua antiga casa e realizar sua vingança, decidindo partir mesmo que fosse ordenado a ficar, contrariando a guilda. Partiu em sua jornada a sua terra natal, tomando um tremendo choque ao regressar, pois suas terras haviam sido divididas pelos camponeses como abutres encima de uma carcassa, sendo sua antiga casa completamente depredada e abandonada por ser lar de traidores e ladrões segundo relatos dos moradores locais, não restando nada de sua historia.

Pouco tempo depois de sua chegada, se aproximou dele o mesmo carroceiro que o havia levado, dizendo que aquela mulher, sua madrasta, ja havia sido morta a muitos anos atras, poucos meses depois de Magnus ser encontrado por ele. "-Um presente..." foi o que o homem disse. Contudo, aquilo marcou por completo seu desaparecimento, pois não mais restavam raizes ou sua historia, dado como morto desde aquele dia do rio junto com seu irmão, "encontrado boiando no rio" segundo cidadãos. 

Entretanto Magnus havia desobedecido uma ordem direta, saindo quando lhe foi proibido e seria punido por aquilo. Junto do homem estavam outros três, prontos para lhe levar a força, começando a se afastar um do outro para lhe cercar. Magnus se colocou defensivamente, não havia para onde correr, sabia que suas rotas de fuga haviam sido bloqueadas e deveria derrotar pelo menos dois para conseguir escapar. Um dos homens começou o ataque, tentando golpea-lo com as mãos nuas. Os outros logo partiram para o ataque também, mas aquele homem, o carroceiro, em vez de lhe golpear, começou a ajuda-lo, usando suas lâminas para matar um dos homens pelas costas. Os outros logo sacaram suas armas e um pequeno banho de sangue logo surgiu.

Ao final, restou apenas Magnus, ferido, proximo ao corpo morimbundo do carroceiro, que lhe disse pacificamente "-Daqui instantes, quando eu morrer, pegue minhas armas e use-as. Serão sua maior arma, mas sua mai..." interrompendo antes do final da frase, deixando-o eternamente sem saber o que poderia significar tais palavras. As armas, por sua vez, se desprenderam por conta própria no momento da morte, parecia que algo as ligavam a ele e agora era dele, um "presente de despedida", no inicio recusando, mas logo vendo que a necessidade falaria mais alto e passou então ao usa-las.

Após se recuperar, começou uma jornada de forma errante, trabalhando para sobreviver, tentando "uma vida honesta", mas tudo que via era miseria e exploração, muitas vezes sendo perseguido e discriminado por motivos pequenos como a sua raça ou falta de "colaboração", viu que jamais poderia voltar a sonhar com sua vida da infância, que tudo que lhe restava estava ali: seu corpo, suas armas, seu conhecimento e suas habilidades. Hoje, decidiu mudar seu nome para Makarius, buscando despistar um pouco seu passado mas para sempre se lembrar quem ele realmente era usando tais iniciais de seu antigo nome, tendo agora a oportunidade de aceitar a escuridão do mundo e se tornar alguem superior usando tudo aquilo que a vida lhe ensinou...

ATRIBUTOS:

Força: 1
Habilidade: 1 +1
Velocidade: 3
Resistência: 1
Inteligência: 0 +2
Balistica: 0

HP: 16
SP: 24


Talentos:
- Pericia em ladroagem
- Reflexo esperto

Pericias de classe:
- Furtividade 3+1 : 

Perícias:
- Arrombamento 1 
- Investigação 1
- Arma: Lâminas ocultas 1p 

Vantagens Raciais:
• Habilidade + 1
• Inteligencia + 2
• Vantagem Resistência superior: Trevas (2 pontos)
• Vantagem Furtividade 1

Vantagens:
- Agilidade 2p 
- Ambidestria 2p 
- Arma especial 1p (-2 permanente/ 1 Exotica / 2 Percepção Incomum): Lâminas ocultas - Defesa fisica 2 na forma passiva / Ataque físico 2 com lâmina exposta
- Foco em arma 1p  
- Invisibilidade 3p 
- Radar 1p 
- Teleporte 1p 

Imagem da arma:
Spoiler:


Desvantagens Raciais:
• Desvantagem suspeito (1 ponto)
• Desvantagem Insano: Ganancioso 1
• Desvantagem Ponto fraco: Luz (3 pontos)

Desvantagens:
- Efeito colateral -1 (Calafrios nas pessoas, animais se assustam, sombras surgem e desaparecem) = 
- Má aparencia -1 
- Má fama -1 
- Mania -1 (sistematico) 
- Deficiência -4p Mudo 

Estilo de luta: Ninjutsu

Movimentos do estilo de luta:
- Armas (laminas ocultas) : +2 de dano para armas favoritas da sua classe (ou da pericia escolhida pela classe) 

Itens: Traje Furtivo Def+3/DefM+3/Vel + 1


    Raça: 1 ponto.
    Classe: zero pontos.
    Talentos: zero pontos.
    Perícias: 1 ponto.
    Atributos: 6 pontos.
    Vantagens: 11 pontos.
    Desvantagens: +8 pontos.
    Estilos de Luta: 1 ponto.
    Total de Pontos Utilizados: 20 pontos
    [/quote]


Última edição por Makarius em Qui 6 Ago 2015 - 3:03, editado 1 vez(es)
avatar
Jack, The Reaper
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Makarius

Mensagem por Saphira Odin em Qui 6 Ago 2015 - 3:48

Ficha aprovada, poste em qualquer lugar e me mande o link por mp, recomento a cidade de Delfos/Kannin/Mir leia elas se for do teu agrado.
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Makarius

Mensagem por Jack, The Reaper em Seg 17 Ago 2015 - 12:22

http://zephyr.forumeiros.com/t2643-o-vulcao-adormecido-de-jilya

15 de Exp na campanha "O Vulcão adormecido"
avatar
Jack, The Reaper
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Makarius

Mensagem por Saphira Odin em Seg 17 Ago 2015 - 17:42

já adicionado no perfil.
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Makarius

Mensagem por Jack, The Reaper em Dom 27 Set 2015 - 1:13

10 de EXP ganhos e consequente lvl up

link: http://zephyr.forumeiros.com/t2816-ruas-kannin#50598

Solicito que seja enviado o char para area Inativa (depois decido como gastar esse lvl up dele), pois irei dar um tempo com este personagem...
avatar
Jack, The Reaper
Aventureiro
Aventureiro


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Makarius

Mensagem por Saphira Odin em Dom 27 Set 2015 - 1:19

Exp  e nível já adicionado assim como personagem removido para a área de inativos. Fica faltando apenas escolher onde gastar os pontos.
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Makarius

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum