Expedição ao Fukai

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

Expedição ao Fukai

Mensagem por Saphira Odin em Qui 21 Maio 2015 - 10:30

Templo Central

Conde Cyrus Vigotski já estava a mais de um mês acampado na Antiga Delfos, seus estudos o obrigaram a ficar nesse lugar. Como Cyrus era uma pessoa muito dedicada a seus estudos qualquer sacrifício era valido, naquele dia em especial ele estava no templo Central uma antiga ruína da extinta cidade que um dia ali existiu. O templo era adaptado para resistir ao ambiente hostil do lugar, assim não precisava de mascaras para respirar dentro do recinto,  Cyrus encontrava-se em um canto do lugar ele andava observando os muitos itens que ali eram vendidos, na sua maioria itens básicos para garantir sua sobrevivência naquelas ruínas, o mercado não se comparava aos grandes mercados centrais das demais cidades, mas tinha sua serventia.

Cyrus havia mandado seus mensageiros a procura dos mais capacitados aventureiros que ele achava que poderia resistir a uma expedição ao Fukai, e proteger-lhe das adversidades e perigos que lá fosse encontrar, como havia escrito no pergaminho o ponto de partida se daria naquele antigo Templo, no momento ele estava apenas a esperar pelos corajosos ou malucos que o seguiriam, não seria difícil reconhece-los seus mensageiros lhe deram todas as informações necessárias sobre cada individuo. Também não seria difícil identificar Cyrus em meio ao pequeno aglomerado de pessoas ele se vestia de forma nobre, mantinha-se impecável em relação a sua imagem em publico, com cabelos eram negros assim como seu cavanhaque bem aparado, Cyrus tinha aparência de um humano na casa dos trinta anos. Por fim seus assistentes ficavam a sua volta seriam reconhecidos pelos aventureiros poie eles foram os mesmos que entregaram o contrato para cada um.

OFF: Podem descrever sua chegada no lugar e apresentação ao conde Cyrus

conde Cyrus:
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Hachimaki em Dom 24 Maio 2015 - 11:03

Ao chegar em Delfos, ainda escondendo meu rosto com o capuz e minhas garras e cauda por debaixo do sobretudo, eu logo fui procurar o tal Cyrus, não o conhecia mas seus mensageiros o descreveram a mim.  Logo avistei um homem cujo se encaixava na descrição e outro perto dele que parecia estar falando supostamente com Cyrus. Então me aproximo e falo "Então. ..Você é o tal Cyrus certo?"


ficha: http://zephyr.forumeiros.com/t2525-zyra?highlight=Zyra


Última edição por jonasle2000 em Ter 26 Maio 2015 - 13:30, editado 1 vez(es)
avatar
Hachimaki
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Saphira Odin em Ter 26 Maio 2015 - 11:26

Conde Cyrus já via a distancia seus convidados chegando um logo após o outro, no templo, o primeiro foi Edwin, em resposta o que ele comentava Cyrus apenas sorria, já estava acostumado a ser questionado sobre suas expedições, mas graças a ela ele já tinha catalogado algumas criaturas e venenos novos para Zephyr. Cyrus esperou todos se reunirem no próprio templo para começar com suas explicações a cada um ele respondeu as suas curiosidades.

Cyrus caminhou até o gruo parando a sua frente -Bom, acho que é só vocês...Eu me chamo Cyrus, sou um estudioso sobre o Fukai e agora mais uma vez estou reunindo um grupo no caso vocês para me levarem com segurança até as extremidades do Fukai onde vou recolher algumas amostras para minhas pesquisas de campo... O Conde chama um de seus lacaios quando o mesmo chegou perto do Conde tratou de abrir uma sacola, tirando dela algumas mascaras -Vocês vão precisar das mascaras para andar pelas ruas deste lugar e também nos arredores do Fukai... Logo ele pegava de sua cintura uma sacola pequena entregava para o grupo a mesma - Aqui tem 100 Peças de Ouro para cada um, se preparem para a expedição comprem só o necessário, a tarde vamos nos encontrar aqui novamente já para seguirmos para o Fukai... Cyrus ficou parado a espera de mais perguntas antes de sair para descansar um pouco.

OFF: Coloquem o link da ficha na assinatura quem não o fez ainda.
 Máscara de Oxigênio
DescriçãoAparato usado para filtrar o ar.Tampa o nariz e boca e é usado por todos que desbravam o Fukai.
Preço15 POs
Nível da Vestimenta1
Defesa0
Defesa M0
Efeito
Enquanto equipar a máscara,torna-se imune ao ar venenoso fukai.
ClasseAcessório
Requisitosnenhum
ProfissãoTodas.
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Hachimaki em Ter 26 Maio 2015 - 14:22

Tiro minhas mãos de dentro do sobretudo expondo aquelas garras afiadas e então pego uma das máscaras, viro as costas e vou mais para frente até que não me vejam muito bem, abaixo o capuz e coloco a máscara rapidamente e em seguida recoloco o capuz então fico por ai andando esperando a tarde.
avatar
Hachimaki
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Saphira Odin em Seg 15 Jun 2015 - 12:54

Conde Cyrus esperou seu grupo no local marcado antes de seguirem para o Fukai, seu pequeno comboio era formado por apenas duas carroças fechadas, guiadas por um Peco cada a criatura já era adaptada para aquele ambiente hostil, claro até certo ponto. Quando o pessoal se reuniu ele mandava guardar os mantimentos nas carruagens e dividindo o pequeno grupo em suas duas carruagens ele já seguia seu rumo.
O caminho até seu objetivo era de dificil acesso, afinal não existia nenhuma estrada que levasse ao fukai, a viagem seguiu-se por toda a tarde Cyrus já tinha ordenado ao grupo se preparar para tal, ele pessoalmente não pararia o comboio seu primeiro descanso se daria somente a noite.

OFF: Bom como é só vocês podem ficar os três na segunda carroça, no momento nada vai acontecer vai ser uma viagem calma pelo deserto durante toda a tarde, um tempo para se conhecerem, a noite vai ser mais agitado, mas isso é no outro post, vocês tem a liberdade de dialogo com o Cyrus perguntando sobre o que quiser aquele que for na primeira carroça com o Conde.
pela demora todos os ativos até esse momento ganha 50 XP, já adicionado nas fichas.Menos o senhor ADM eu não posso editar sua xp.
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Hachimaki em Seg 15 Jun 2015 - 17:30

Por serem pessoas/criaturas que não conhecia fico no cantinho da carroça "na minha" apenas descansando um pouco com os braços cruzados fora do sobretudo e ainda de capuz repouso minha cabeça nas "paredes" da carroça apenas atenta caso conversassem. (segunda carroça)

pensamento: hmm, mal posso esperar para ver como é o Fukai, e os monstros cujos ouvi histórias.
avatar
Hachimaki
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Saphira Odin em Dom 21 Jun 2015 - 21:03

O "passeio" como previsto durou o dia todo a paisagem não era nada agradável apenas um imenso deserto o local da partida da caravana já não era visível a horas, o ar ficava cada vez mais pesado a medida que aproximavam-se das áreas afetadas pelo Fukai, naquela tarde ainda era possível ver o sol e poucas nuvens Zyra permaneceu em um canto da carroça calada, mas não menos atenta que seu companheiro espectro que parecia mais alerta observava cada detalhe do local, queria adaptar-se ao máximo ao ambiente, mas isso era meio que impossível sem suas mascaras eles já sofreriam o bastante naquele ambiente isso ele pode perceber.

naquele maldito lugar não existia insetos, animais nada além da areia e algumas ruinas de antigas casas, na verdade partes de algo que um dia foi uma parede, quando a noite chegou  Cyrus procurou um local seguro para passar a noite, e foi entre duas paredes semi destruídas o ponto mais seguro que ele encontrou no meio do nada para descansar ali posicionou as duas carroças uma do lado da outra e colocou os animais perto da fogueira que ele fez do lado de fora. Fazendo uso da carroça em que ele veio, ele preparou seu alimento junto a seus contratados, com eles combinaria quem seria o primeiro a montar guarda protegendo o acampamento, falou isso somente para o assassino contratado do bando, em sua decisão já tinha excluído a Youkai. Por motivos pessoais ele não achava justo submeter mulheres a alguns trabalhos, a queria descansada para o próximo dia, no fim Cyrus ficou na espera da opinião de seu assassino.
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Saphira Odin em Dom 28 Jun 2015 - 12:58

Cyrus seguia com a sugestão do Espectro, logo ele fez os preparativos para passar a noite, em sua carroça ele se preparou com seus equipamentos para a patrulha da primeira hora, já na segunda carroça Zyra e Espectro passariam a noite, ambas carruagens eram equipadas para suportar o clima e toxinas do ambiente.

Já com as criaturas ele apenas trocava os cilindros de ar de cada uma, manteve elas perto das carruagens, seguido da fogueira a unica fonte de luz em meio ao nada.  A primeira hora do turno foi calma em meio ao ar toxico do ambiente. Por fim Cyrus batia na carruagem onde espectro estava dormindo para ele seguir com a vigia naquela madrugada sonolento Cyrus esperava o espectro se preparar, assim que ele estivesse pronto o Conde seguiria para sua carroça descansar um pouco.

Para o espectro a madrugada nas extremidades do Fukai era algo novo, junto ao frio tinha o ar toxico, caberia ela cuidar das carroças e dos animais assim como manter o fogo acesso até sua próxima troca de turno.

Sem se dar conta Cyrus havia esquecido de mencionar para o Espectro que talvez a noite aparecesse uma outra carruagem conduzindo um segundo grupo de apoio, vendo que quando partiram do templo seu grupo contratado já começou desfalcado, e foi assim em meio ao ar toxico da madrugada Espectro via ao longe uma carruagem se aproximando do seu acampamento, caberia ele fazer algo.

OFF: Bom, os dois novos jogadores vem nessa carroça, agora é com vocês a abordagem, na madrugada sem brigas e mortes tá muito cedo para isso.
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Tenzim em Dom 28 Jun 2015 - 19:04

The Way of Blade


LEGENDA:
«Narração»
Fala
[Pensamento]





«O progresso é, indubitavelmente, algo necessário, porém, isso não o faz mais fácil. Às vezes, a inovação vem através de uma estrada pedregosa e para atravessa-la é necessário derramar um pouco de sangue. Novamente, o famigerado sangue! Parece que antes da invenção do cartão de crédito tudo podia ser resolvido ao atirar-se algumas gotas do líquido ao solo.»

«Mas, no fundo, isso não importava, pelo menos, não para Tyrael. Sangue também significava glória e isso era o bastante para motivar o nômade. Um caso positivo da síndrome de herói, ele não havia pensado duas vezes antes de aceitar o convite do Conde Cyrus para ajudá-lo em sua expedição ao Fukai.»

«Corriam boatos na corte de Pejite que o jovem nobre havia ficado louco, muitas senhoras diziam que Cyrus havia aspirado muito veneno do Fukai e que isso estava turvando seu julgamento. “Ele cheirou muita fumaça” ou algo do gênero. Enfim, Tyrael conhecia pessoalmente o homem, haviam se esbarrado na biblioteca de cidade quando o ruivo estudava para compreender melhor seu dragão. Desde então, haviam construído uma boa amizade.»

«Só que, esse não é o ponto dessa estória. Essa é a estória de como um cavaleiro de dragão e seu parceiro reptiliano estavam se aventurando dentro do miasma assombroso que dominava parte do continente zephyriano. Na retaguarda de uma carroça, o mago seguia embrulhado em seu poncho negro, com um chapéu pontudo enfiado na cabeça. A lâmina rúnica Byfröst repousava a seu lado, embrulhada em seda branca de forma que, à primeira vista, ela mais parecia um instrumento musical guardado com excessiva cautela.»

«O espadachim também se divertia soltando anéis de fumaça vermelhos de seu cachimbo, um truque fácil quando se triturava o tipo certo de ervas. Porém, devido à natureza especial do terreno, ele tinha que alternar entre uma tragada de fumo e uma do oxigênio de sua máscara. Às vezes, ele erguia seu olhar apenas para reconfortar-se ao observar a grande sombra negra que se estendia sobre o veículo de madeira, aquele era seu parceiro de coração e mente, Glaedrimir. O dragão, também equipado com um aparato especial para respiração, seguia voando a média altura, alheio ao grupo para evitar maiores confusões.»
.
«De repente, a carroça cessou seu movimento e o cavaleiro despertou de seu pseudotranse. Animado por finalmente terem chegado ao objetivo, Tyrael pôs-se de pé e bateu a poeira das vestes, em seguida, com um salto, desembarcou da carroça. Observou bem o precário acampamento e decepcionou-se com seu amigo Cyrus, já que o cientista não estava de pé para recebe-lo. Ao invés disso, o conde havia deixado um mero vigia.»

Hey, garoto! Seja bonzinho e acorde Cyrus, por favor.... Diga-o que a cavalaria chegou

«Enquanto esperava, o cavaleiro deu mais uma tragada em seu cachimbo.»

Spoiler:

Tenzim
Lenda
Lenda


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Balin em Seg 29 Jun 2015 - 13:20

*O fukai talvez seja hoje a maior causa de destruição da vida natural, do ecossistema e da natureza que outrora eram abundantes. Hoje nessas regiões inóspitas, delimitadas pelo fukai, se existem habitação são por coisas temidas e igualmente desconhecidas. De todos os lugares seria o último que o golem escolheria aventurar-se ou se quer manter uma estadia próxima. Alias, não só o golem como qualquer criatura inteligente ou sensata o suficiente para entender as consequências. Mas era para lá que o golem aceitava ir, uma expedição, uma exploração, uma aventura, mais ainda: para Balin era uma descoberta pessoal para sua existência. Conhecer talvez seus maiores inimigos, junto ao fukai, encontraria outras existências da destruição da vida e a natureza. Isso motivava sua coragem, ou talvez tolice por outros ângulos descredulos, e o mesmo julgava ser de grande valor na empreitada daquela expedição. Não conhecia o nobre Cyrus, mas desde que aceitou o convite, mostrou lealdade e comprometimento para com o mesmo. Um "compartimento reforçado"* acoplado a carroça, juntamente com um "adendo de grande porte"* para puxar a mesma, eram requisitados para a locomoção do golem durante a expedição. Não podiam ser esforços desnecessários, Balin estava empenhado em fazer o seu melhor naquela expedição para a qual fora contratado.*

*OFF: Não quis tomar a liberdade de alterar o ambiente, por isso caso seja inapropriado desconsidere essa parte. Mas coloquei isso a respeito do meu tamanho e peso incomuns, pensei em um animal de grande porte puxando a carroça, como elefante, ou não sei...Por fim não fiz escolha, deixei só uma menção a isso, a escolha mais sensata, de alterar ou não, deixo com o mestre.

*Ao ver a ausência de movimentos e uma voz se pronunciando, Balin deduz terem chegado ao seu destino, talvez sua chegada mais tardia em relação a primeira carroça se deva as condições de última hora necessitadas para o transporte do golem. O gigante de pedra abre a "porta de madeira" do que mais parecia uma quase jaula metálica, de onde o mesmo saia com a máscara, para se reunir ao grupo e ao nobre contratante da expedição.*

-Boa noite...her me chamo Balin, também gostaria de falar com o lorde Cyrus, ou apenas notificar que estamos presentes reintegrando o grupo ^^
Gertrudes - Invadir o fukai? Tanto lugar pra eu passar férias e você, seu cabeça de pedra, decide se enfiar por aqui e...mas pelas barba do mago januário, é um dragão!
[Um dragão oO isso explica o bater de asas que veio nos acompanhando...surpreendente e igualmente interessante.]

*Balin agia de forma serena e tranquila, apesar das aparências, era bastante sociável e queria se interagir da melhor forma com o grupo que trabalharia em conjunto.*
avatar
Balin
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Rubi Make em Ter 30 Jun 2015 - 15:41

@Todos


Dentre tantos trabalhos que eu já fiz, ode escolta era o mais tedioso e demorado que eu já fiz, e esse não era diferente. Ao longo da vida vários favores eram feitos pelas pessoas para poder alcançar o objetivo seja ele qual for e hoje era dia de pagar uma das dividas que tinha com o exercito de Pejite. Devo lembrar disto antes de pedir favores novamente.

Buscar um soldado perdido no fukai era suicídio, assim como a missão dada para esses despreparados homens que não tinham nada alem de postura e voz grossa, eu avisei que ia ser perda de tempo e foi.

Ao chegarmos no local, fomos atacados por insetos e o equipamento de segurança era ridículo, apenas mascaras e espadas, um massacre ouve e apenas eu e mais um soldados conseguimos escapar com vida, saímos da emboscada mas mesmo assim, o soldados tinha ferimentos graves e acabou morto no caminho.

Já estava caminhando a horas na direção oposta do fukai, estava exausta e uma pequena rachadura na mascara estava me dando problemas.

"Sinto que estou perdendo os sentidos, será esse o poder mortal das toxinas do Fukai? Eu não vou morrer aqui, não assim"

O corpo já estava pesando, as penas estavam indo no embalo, o vidro da mascara estava embasada devido a respiração ofegante, tudo escuro, absolutamente tudo escuro ao meu redor.

"Vamos, mais um pouco e eu saio desse lugar maldito e esquecido por qualquer entidade superio.. Mas o que?"

Ao longe pude avistar um brilho, que a medida na qual me aproximava ia ficando mais intenso..

"Uma fogueira? Impossivel.."

Uma queda violenta ao chão faz a mascara trincar mais ainda, sentia o corpo todo dolorido, mas consigo me manter em pé novamente. A medida que me aproximo, vejo uma espécie de caravana, um grupo de seres estava no local.

Finalmente chego perto o bastante para ser visto por todos. A postura estava horrível, parecia que tinha perdido uma luta  e estava a beira da morte, sangue pelo corpo, porém sem cortes e arranhões, apenas o efeito anestésico do ar toxico do fukai.

Assim que me aproximo, caio com os joelhos no chão, dou umas balanceadas e caio diante dos pés do grupo.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Hachimaki em Qua 1 Jul 2015 - 17:36

Ao perceber que a carroça cessava movimento me levantava de meu cantinho descia devagar da carroça e observava o lugar "É do jeito que gosto, bem simples...bom vo descansa para amanha"  me dirigia perto da carroça e deitava ali no chão mesmo por preferir o chão do que essas camas e agora dormia tranquilamente até o dia seguinte.
avatar
Hachimaki
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Saphira Odin em Dom 5 Jul 2015 - 13:21

Espectro apos entrar em uma breve discussão resolve chamara cyrus, que imediatamente os atente em meio a sua conversa ele repara uma pessoa chegar perto do acampamento e cair sem perder seu tempo ele pede ao espectro que o acompanhe  no chão para sua surpresa estava uma linda mulher debilitada, ele a pega no colo e leva para adentro da segunda carroça, teve o cuidado de largar ela sobre uma das camas improvisadas, vendo seus ferimentos, ele pegou uma poção de cura, assim que tirou a mascara da mulher tratou de fazer ela beber a poção explicando que a mesma era uma poção de cura. Ao lado dela deixava uma nova mascara, por fim a poção fechava seus machucados e ele apenas a cobria com um cobertor pela parte da manhã ela daria suas explicações sobre o que aconteceu e como ela apareceu do nada assim.

já saindo da carroça ele apenas tocava ao ombro de Zyra.
_Vamos durma dentro da carroça, aqui fora é muito perigoso você dormi devido ao ar toxico, e lá o lugar é protegido , não se preocupe que nada vai acontecer, afinal temos mais dois mercenários... com o espectro ele seguia ao encontro dos outros três reunidos perto da fogueira ele começou com sua explicações.
_Obrigado por terem vindo, pensei que chegariam aqui só pela parte da manhã, enfim vamos aos negócios , você domador de dragões e o Espectro podem descansar na terceira carroça o golem vai tirar o resto da noite de vigia já que ele não precisa dormi, logo mais seguiremos nosso destino pela parte da manhã.

Cyrus dava uma de suas poções para o golem o fazendo tomar, em suas explicações ele comentou que a mesma lhe daria todos os sentidos especiais, seria muito útil na vigia. para o Senhor do dragão Cyrus chegou a comentar sobre onde a criatura deveria ficar, queria que ela ficasse atrás das carroças cuidando o movimento assim o golem teria apenas que se preocupar com as outras áreas do acampamento até podendo se afastar além dos limites da fogueira.

O resto da madrugada foi tranquila, sem alteração na vigia, aos poucos o grupo acordava Cyrus já estava acordado a horas antes mesmo do grupo se quer pensar em acordar ele traçava as rotas no mapa, em meio a seus livros via as possíveis criaturas que teria de enfrentar até chegar aos arredores do Fukai.


OFF:
-Bom como saiu um numero par no dado não teve lutas, todos descansaram o resto da madrugada quem o fez, recuperou toda sua vida e magia.
-Vocês estão livres para descrever se dormiram, estudaram na madrugada, tanto faz o importante é o que vão fazer e como vão se organizar para seguir com a expedição, aproveitem para apresentações e manutenção do equipamento, pois agora vocês não terão mais um minuto de descanso ou paz realmente.
-Cuidem as mascaras e seu equipamento de ar, assim como as criaturas que os carregam.
-Tenzim "teste médio Domesticar 8" (Role 1d6 + int ) para trocar o filtro de ar do dragão. Teste vai ficar mais difícil a cada avanço no Fukai.
-Lembrem-se é uma campanha em tempo real, mortes e perdas podem acontecer na mesma proporção de ganhos. Por isso tomem cuidado.
-Balin pode cuidar do teu elefante hauhauahauhauh
-Role seus testes Aqui especificando seu teste e campanha.
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Hachimaki em Dom 5 Jul 2015 - 13:51

Eu ignorei Cyrus e continuei dormindo tranquilamente no chão pois já estava acostumada. No dia seguinte abria os olhos devagar e dou uma leve olhada em volta ainda deitada, me sento ali no chão onde dormi entrelaço os meu dedos da mão direita e esquerda levantando meu braço e os alongando enquanto estalava os dedos, dou uma cocadinha nas minha orelhas por de baixo do capuz e me levanto já alongando as pernas, um leve bocejo, limpo minhas roupas de leve só para tirar aquela sujeira e dou mais uma olhada em volta, e sempre cheirando e ouvindo tudo a minha volta, então vou ao encontro de cyrus ver o que ele fazia e pergunto calmamente "Bom dia... que esta fazendo tão cedo Cyrus?"
avatar
Hachimaki
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Rubi Make em Seg 6 Jul 2015 - 9:47

"Onde estou? Porque tão frio? Não enxergo nada... esta tudo escuro?"

Enquanto dormia na carroça, parecia estar sonhando com nada, absolutamente nada apenas preto, sombras, escuridão.

O longe, um ponto de luz branca surgia e aos poucos ia se aproximando, minusculo no inicio e crescendo gradativamente, porém em uma velocidade gigantesca até finalmente ser sugada por ela e aparecer em outro local.

" Um belo campo florido, mas onde estou? Loriem?"

Ao olhar para o lado uma imagem, uma pessoa, idêntica a mim.

-Ainda não é hora! Acorde.-

Ao terminar de falar ela encosta o dedo indicador em minha testa. Acabando com o sonho.

Na carroça dou um pulo na improvisada cama e me deparo em uma carroça vazia, estou bem, me sinto bem, meu corpo esta completamente revigorado, limpo. Ao meu lado uma nova mascara. Coloco ela, pelo fato de me lembrar de onde estava.

Lentamente saio da carroça e me deparo com algumas pessoas, ereta fico olhando para todos sem fixar em algum em especifico.
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Balin em Ter 7 Jul 2015 - 16:06

*O golem sentiu um leve atrito, mas felizmente este não evoluiu, ao passo em que Cyrus era chamado, uma linda jovem chega em condições bem precárias, não aguentando mais se sustentar de pé. Felizmente, o líder da expedição toma as devidas providências quanto a moça. Quando o mesmo retorna, este falava ao restante do grupo esclarecendo e dando algumas instruções simples. Balin consentia, afirmando com a cabeça e já toma uma postura de guarda. Uma explicação lhe era dada e logo em seguida o golem toma a poção, já que todo auxílio era bem vindo nas condições de vigia. Ao tomá-la, o golem sentia magicamente seus sentidos serem aguçados, era como se ele transbordasse energia. Sua visão estava além do alcance, bem como os demais sentidos estavam devidamente aguçados, ele podia ficar em alerta total. Mesmo assim ele não se gabava em nenhum momento de sua condição, não queria cometer negligências, pois, não sabia que tipo de inimigo poderiam encontrar.*

[A noite vai ser longa...segurança em primeiro lugar.]

*O golem com os sentidos apurados, podia ouvir uma respiração ofegante, o elefante que puxou a carroça, quando o mesmo deveria estar em repouso, o animal estava começando a sentir as consequências do seu filtro de ar que deveria ser trocado. Não desfazendo em nenhum momento de sua função de vigia, o golem usa dos seus sentidos aguçados para também procurar o filtro de ar na carroça. Mantendo a vigilância, o golem tenta trocar o filtro de ar na ponta da tromba do elefante, sua visão se desviava levemente para o elefante, mas os demais sentidos encontravam-se atentos ao ambiente ao redor.*

[Não posso deixar esse animal perecer...além de sua inocência, o mesmo se mostrou fiel em nosso transporte.]

*Com o mínimo de suspeita, ele rapidamente reagiria, se resguardando para averiguar e acionar o grupo. Após tratar do animal, o golem faz uma ronda pelo local, mantendo uma distância o suficiente para que pudesse acionar o grupo com um brado, ou outro tipo de alarde audível. Felizmente não foi preciso, a noite da lugar ao dia e o grupo acordava. Balin poderia ficar de vigia quantas vezes fossem preciso, mas não sabia até quando e quantas vezes os seus sentidos poderiam continuar sendo mantidos apurados. Precisava conhecer as habilidades do grupo, para que compartilhassem do melhor de cada um. A dele era visivelmente notável, com sua lança e seu porte poderiam notar que suas habilidades eram voltadas para o combate direto. Além disso, pouca coisa o golem podia fazer. Não iria conseguir conhecer a todos, mas tentava guardar detalhes importantes de cada um que o acompanhava.*

[O rapaz que veio comigo, com o dragão ele pode fazer ataques aéreos e outras estratégias, ele tem uma espada robusta, provavelmente seja um guerreiro. Esse de capuz parece ser como eu, prefere o relento, mas não da pra deduzir nada além disso, talvez um druida? Não, não parece...é do tipo bem misterioso. Esse homem que estava de vigia que nos recebeu, me tratou muito bem, mas julgando pela aparência parece mais um assassino, pelo porte, equipamento, hum deve ser do tipo que talvez aja mais as espreitas...mas e essa mulher que chegou do nada? Mulheres são bem mais misteriosas, certamente é alguém bem forte pra ter chegado até aqui nessas condições e já estar de pé. Mas o nosso anfitrião, talvez seja o mais habilidoso e guarde as maiores surpresas.]

*Balin pensava a respeito do grupo, mantinha-se cordial, receptivo em relação aos mesmos e se preparava para as próximas instruções.*

Teste de Domesticar o Elefante
avatar
Balin
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Tenzim em Qua 8 Jul 2015 - 15:08

The Way of Blade



LEGENDA:
«Narração»
Fala
[Pensamento]
Glaedrimir





«Um suspiro entediado cortou a noite silenciosa, quero dizer, um suspiro de tédio acabou com a atmosfera preocupada e séria que havia se instalado após a entrada triunfal de Raiza e seu súbito colapso.» 

«O cavaleiro demonstrava um desinteresse absurdo sobre o assunto, na verdade, sua única reação limitou-se a um golpe de vistas. Em seguida, ele e Glaedrimir avançaram acampamento adentro, as garras da fera criavam grandes pegadas na areia, que eram quase imediatamente apagadas pelo vento; seus olhos amarelos refletiam a luz das chamas, brilhando ainda mais belos; o equipamento especial de respiração era de um prateado quase branco e nitidamente contrastava com as cores do animal. Um baque seco pôde ser ouvido por todos quando o dragão se deitou e pôs sua cabeça sobre uma tora de madeira que os expedicionários de Cyrus vinham utilizando como banco. Ao seu lado, sentou-se o cavaleiro-mago que até então havia avançado de maneira silenciosa.»

«O nômade retirou uma chaleira do fogo e serviu para si uma xícara de chá, logo após isso ele ajeitou Byfröst entre suas pernas e elevou o olhar. Em suas andanças, Tyrael tinha aprendido que, normalmente, a beleza das estrelas era inversamente proporcional a quão próximo ele estava de um centro urbano. A regra era simples: “quanto mais perto de uma cidade, menos elas brilharão”. Porém, o deserto morto do Fukai parecia afetar até o extraterrestre. O miasma roxo erguia-se sobre a cabeça dos aventureiros como a bruma da manhã, reduzindo as imponentes constelações zephyrianas a pequeninas bolinhas cintilantes. Sem baixar os olhos, o espadachim questionou seu parceiro de coração e alma.»

Você acha que deveríamos avisar-lhes sobre ela?

Não... Eu até que gosto dela. Além disso, seu amigo Cyrus parece ser bem rico, algumas moedas a menos não lhe fariam mal. Deixe a ninfa ser uma ninfa, Tyrael.

Você tem razão, apesar de tudo, acho que vai ser divertido. Escute, preciso trocar esse filtro... sei que não gosta de usar o equipamento, tampouco me agrada utilizar essa máscara. Mas, você precisa entender, Glaedrimir, que sem elas morreríamos...

Meus ancestrais voaram por todo o grande mar até essas terras, derrotando todo tipo de inimigos até agora. Isso sem nunca retroceder.... Sou um dragão dourado, não temo nada! Faça o que tem que ser feito, pequenino...

«Tyrael levantou-se e cuidadosamente, desatarraxou o cilindro que ficava próximo as costelas de seu amigo. O cavaleiro pôde observar pequenos esporos florescendo sobre as telas cor de cobre do filtro, sinal óbvio de que a vida útil daquele ali já havia expirado. Ao ouvir um ronronar insatisfeito de seu dragão, o ruivo apressou-se e colocou um novo cilindro na máquina fazendo-a funcionar como outrora.»

«Por fim, ficou acordado que o Golem e Glaedrimir montariam guarda naquela noite, algo que desagradava o cavaleiro, já que ele preferia dividir os horários com seu dragão, porém, a fera, orgulhosa havia se recusado. Então, durante as primeiras horas de vigília, Tyrael sentou-se ao lado de seu companheiro para alivia-lo do fardo da solidão.»

«Enquanto conversavam, o nômade esticou um pedaço de couro e, com uma caneta que havia pego emprestada com o Conde, ele o marcou com diversos símbolos. Inelegíveis para a grande maioria dos presentes, aqueles símbolos tribais representavam a magia em sua forma mais pura e antiga. Os últimos ingredientes necessários eram algumas pedras e algum material inflamável, para isso, Tyrael sacou pedaços de lenha chamuscada da fogueira.» 

«Ao colocar-lhes sobre o centro da tira de couro, todos os materiais reagiram como se pudessem sentir a mágica entrando em seus corpos e destruindo seus átomos apenas para recria-los de uma forma mais poderosa. As letras tribais tomaram uma coloração prateada, de uma intensidade capaz de ofuscar os homens; os gravetos foram novamente tomados por chamas, porém, dessa vez elas tinham uma cor semelhante as escrituras e uma textura que lembrava muito algo etéreo, obviamente sobrenatural; as pequenas pedras negras perderam-se no meio das chamas.»

Ó Senhor dos Destinos, que seu sopro de fogo seja o prenuncio de uma nova alvorada neste lugar macabro.... Cristalize sua essência nesta rocha e usarei o poder para banir seus inimigos deste plano, transformando-os em nada além de cinzas.

«Ele pôs a mão sobre o fogo fátuo, mas estranhamente aquilo não o queimou. Ao invés disso, as chamas se extinguiram ao toque do mago, deixando para trás duas pedras perfeitamente esféricas e polidas. Suas superfícies estavam marcadas por um símbolo vermelho, caracterizando-as como Wyrd, a essência do dragão que transforma tudo em cinzas. Um pouco desgastado pelo ritual, o nômade retirou-se para sua carroça onde dormiu o restante da noite.»


Off: Teste pra domesticar o dragão. Preciso de teste pra fazer as duas runas?

Tenzim
Lenda
Lenda


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Saphira Odin em Dom 12 Jul 2015 - 19:58

_ Expedição ao Fukai
Local: Fukai [Arredores]
Part: 03
____________________________________________________________________________

Zyra foi a primeira a acordar, claro não antes do Conde Cyrus, a jovem youkai apenas usou de seus sentidos menos o olfato para se manter alerta aos perigos do lugar, assim ela foi até a carruagem de Cyrus, como a porta não estava trancada ela teve acesso facilmente quando entrou apenas deu bom dia ao Conde Cyrus e já o indagava sobre seus afazeres, antes de responde-la mais alguém adentrava a carruagem era o Espectro, mesmo tendo descansado e passado por uma pequena desavença ele se mantinha focado no contrato com o Conde o servindo de maneira eficiente como sempre.

Ocupado naquele momento, mas não sendo desrespeitoso para com seus contratados ele largava o que estava fazendo em sua mesa virando-se para ambos deu sua explicação -Estou traçando um caminho seguro no mapa estamos ainda na entrada do Fukai longe da cidade e da primeira parte perigosa do Fukai, nós devemos tomar muito cuidado, nestas áreas não existem muitas criaturas...Digo insetos, a paisagem já vai começar a mudar não fiquem surpresos se encontrarem fungos gigantescos ou até cogumelos do tamanhos de ambos... Ele apontava para o mapa ainda não concluído, pois ele não conseguiu mapear ainda o Fukai por completo, só algumas áreas e novamente estava em expedição para ampliar aquele precioso mapa.
- Bom, estou tentando evitar as zonas desconhecidas e os cemitérios existentes nesta área...Nossos inimigos na sua maioria vão ser grandes insetos ou zumbis do Fukai... A medida que estivermos nestas áreas o uso da mascara vai ser vital...

No lado de fora Raiza a misteriosa mulher que apareceu do nada tinha finalmente acordado devido a um sonho estranho que teve e sem pensar em seu sonho assustada agora sem saber onde estava, na verdade ela apenas tinha a certeza de estar no Fukai só não sabia sua localização exata. Raiza colocava a mascara e saia para fora da carruagem a sua frente estava apenas um gigante golem parado de vigia. A ninfa olhava para o vazio ainda tentando entender tudo aquilo. Já Balin estava a pensar e questionar sobre as habilidades dos contratados especulava muito mais além das aparências e impressões que cada um deixou transparecer no primeiro encontro, a noite ele aproveitou para cuidar do "elefante" e por vezes ficava de olho no dragão dourado, estava cem por cento atento a todas atividades acorridas no acampamento improvisado até mesmo escutou a conversa de Cyrus, Zyra e Espectro quando viu os dois entrarem na carroça do Conde.

O ultimo integrante do grupo teve uma noite trabalhosa depois que tratou de sua montaria, gastou metade da madrugada em seus rituais para criar duas runas, quando as terminou foi descansar e até aquele momento de manhã ele ainda não havia acordado. Já dentro da carruagem de Cyrus pedia para Zyra e Espectro o acompanharem até o lado de fora queria ter uma reunião com todos e explicar a situação em que se encontravam e o que enfrentariam, assim como queria explicações sobre o aparecimento daquela mulher no meio da noite.

No lado de fora com todos reunidos era visível o clima do lugar, o ar era pesado e venenoso e realmente não tinha nada além do fungo que tomava conta de tudo. Conde Cyrus pedia para Zyra chamar o Tenzim. Ele voltava sua atenção para  a ninfa e com calma perguntava. -Qual o seu nome? Eu me chamo Conde Cyrus sou um estudioso do Fukai e esta é meu pequeno grupo de expedição...Como você veio parar aqui no meio do nada já bem distante da cidade?

Esperou ela responder como uma pessoa paciente, poderia gastar alguns minutos pela manhã conversando ele já traçou o caminho que deveria seguir bastava preparar o grupo, mas antes daria as devidas explicações sobre as curiosidades do grupo em relação ao Fukai antes de dar a função de cada um sobre a expedição.

Off:
Spoiler:
- Tenzim você criou duas Runas, pode gastar elas aqui ou fora da campanha em outros lugares, mas deve sempre avisar seu gasto.
-No final do post de vocês coloquem seus valores de SP/HP, pois eu não tenho permissão para mudar no perfil.
-Se tiverem alguma duvida este é o momento de perguntar se apresentar e algo mais para o Cyrus ou entre vocês.
-Cyrus tem o mapa incompleto do Fukai, assim como um bestiário das criaturas que ele encontrou e catalogou.
-Podem fazer uso de suas pericias.
-O Ar é venenoso e pode matar, no momento os poros em contato com a pele é seguro.
-Balin continua com os sentidos ativos.
-Qualquer coisa que acabei esquecendo ou errei me avise por MP.
CODED BY: IG de SA
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Rubi Make em Ter 14 Jul 2015 - 11:14

Alguns minutos analisando o local, pude perceber logo do que se tratava. Mais um louco querendo expandir-se dentro desta floresta morta. Simplesmente não há nada lá além disto.

Analiso meu corpo que em sentidos estava impecável, tamanha fora minha recuperação que meu corpo emanava um brilho maior do que o comum. Essa sensação de poder, de independência de saber que eu poderia acabar com qualquer um a qualquer hora, me revigorava cada vez mais, sensação semelhante só senti quando matei Torak.

Na minha frente um Golen, criatura majestosa em sua forma não tão amigável. Ouvi várias histórias, boas e mas, mas jamais me deparei com um. Cheguei a tocar nele para sentir como era. Mais ao fundo um dragão, lindo e majestoso. Já havia visto ele antes e logo pude saber de quem se tratava. Aquele sensação de poder que tive a instantes atras, agora dava lugar a sensação na qual não me agradava, perante a ao dragão e seu dono, me sentia tão impotente.

Caminhos lentos e delicados até o dragão, sem olhar para o pedroso, chego até o inseparável amigo de Tyrael.

-Você por aqui? Bom te ver!-

Faço uma cara de alegria e satisfação ao dragão, e ainda o mesmo pode se deparar com uma atitude que jamais tomei perante alguém. Curvo meu corpo para cumprimenta-lo, reverenciando de forma cordial e respeitosa, sabia do nível de importância dele e sabia o nível de respeito que deveria ser mostrado a tal criatura. 


-Onde esta seu amigo Tyrael?-

Nunca ouvi um dragão falar, conversava apenas por conversar, pois para mim ele não era um animal.

Já com a postura ereta e normal, escuto a palavra de um senhor, tais eram direcionadas para minha pessoa.

-Me chamo Raiza!-

Seca sem mais delongas para com o mesmo continuo falando.

-Coleta de espécimes, uma missão mal sucedida. Fui contratada para fazer a segurança do grupo contra saqueadores e inoportunos, mas ao chegar mais perto do local fomos atacados por uma espécie de aranha, várias. Fui a única a sobreviver.-

Vejo que o mesmo estava acompanhado de mais 2 seres, um ninja e uma mulher misteriosa no qual me chamou muito atenção.

-E a julgar pelo grupo esta querendo adentrar no Fukai não esta ?-
avatar
Rubi Make
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Hachimaki em Ter 14 Jul 2015 - 13:44

-Pode deixar, vou acorda-lo.

Respondi friamente como se não estivesse com vontade de chama-lo e também ignoro a mulher estranha brilahnte. Começo a Procurar o cara mesmo não sabendo direito quem ele é. Passo pelo Golem e pelo dragão e continua até que quando o acho o vejo dormindo e falo meio frustrada :

-OOOO cara acorda, o Conde lá ta te chamando.

Logo depois de chama-lo me abaixo e levo minha garra do dedo indicador da mão direita ao encontro de alguma parte da pele dele com intuito, não de machucar, de apenas acorda-lo com "choque".

"Hi hi acorda acordaa"

Pensei enquanto enfiava minha unha na pele dele.Então começo a forçar mais a unha, praticamente quase entrando sua sua pele para que acordasse logo.
avatar
Hachimaki
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Balin em Qui 16 Jul 2015 - 13:46

OFF:

Sem querer, eu li a descrição de um texto na raça vampiro que me chamou a atenção: "Não possuem batimentos cardíacos, nem necessidades fisiológicas(sede, fome, sono) normais e nem precisam respirar, podendo entrar na selva de Fukai sem problemas."

Não que eu vá fazer uso abusivo disso na campanha, mas essas características também se aplicam a minha raça, então eu posso considerar que não respiro o fukai?(até porque eu realmente não respiro xD)

*Durante a noite, Balin cuidava elefante, Tyrael também fazia o mesmo quanto ao dragão e, adicionalmente, parecia executar um ritual ou uma magia, provavelmente ambos. Balin imagina que então ele teria habilidades místicas, além do dragão e a espada, talvez somasse características versáteis. Já pela manhã, o toque, leve e sutil, da moça somente era percebido e notório para o golem, porque este o fazia lembrar de uma outra jovem. Lembranças que ele permite esgueirar-se, o momento não era propício para tal, se desse por conta voltaria a questionar seus sentimentos mais profundos quanto aos humanoides, quando sua missão ali era estar vigilante e atento para com o ambiente. Balin mantinha a linha de pensamento a respeito de como o grupo se desenvolveria ao longo da expedição. Cyrus tinha uma atenção minuciosa ao mapa, outros companheiros averiguavam o que ele estava analisando. O anfitrião não queria perder seu foco, mas compartilhava as informações com os demais e o golem acaba por ouvir. Como imaginado, um embate com criaturas logo seria inevitável para o grupo. Insetos, Zumbis...as criaturas de certo teriam habilidades letais e dariam trabalho, teriam que agir com cautela, ao menos o golem esperava poder combate-las com determinação sólida como uma "pedra". Por fim, a jovem misteriosa recém chegada ao grupo, apresentava-se dando mais informações ao grupo do que viriam pela frente.*

-Julgando pelos tipos de inimigos que enfrentaremos, além do dragão, gostaria de saber quem mais pode atear fogo nessas criaturas que veremos ^^.
Gertrudes - Contato que não me queimem, já dizia o velho sábio da montanha: criança que brinca com fogo amanhece...
-Como podem ver sou restrito a força bruta, posso perfurar e cortar com minha lança, mas claro podemos ser vencidos em quantidade...
Gertrudes - Obrigado pela parte em que me toca, podem nos vencer em quantidade, mas já dizia o velho sábio da floresta: mas vale uma lança na mão, do que duas montantes voando!
-Quando falo em atear fogo, quero chamar a atenção para possíveis ataques em área...se formos encurralados ou algo assim. Também não sei as habilidades de cada um: quem pode me acompanhar em combate, um protegendo o flanco do outro, quem ataca de longe, quem precisa de cobertura pra fazer uma magia ou algo do tipo...será que só eu vou no mano a mano? ^^'
Gertrudes - Já dizia o velho sábio dos cinco picos antigos: "Vem na mão, sangue bom!"

*Logo eles teriam que trabalhar em conjunto em combate e o golem queria coletar além das informações dos inimigos, características do seu próprio grupo, afinal: conhecer a si mesmo é primordial.*
avatar
Balin
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Tenzim em Sex 17 Jul 2015 - 12:08

The Way of Blade



LEGENDA:
«Narração»
Fala
[Pensamento]
Glaedrimir




«Aos poucos, a noite dava lugar ao dia naquele caricato pedaço de terra esquecido pelos homens e por Deus. Alguns raros raios de sol conseguiam vencer a atmosfera venenosa do Fukai e penetrar dentro do miasma roxo que permeava o ar, chocando-se diretamente contra as escamas douradas de Glaedrimir.»

«O doce beijo de luz o alegrava, afinal, ele era Glaedrimir Coração-do-Sol e, desde seu nascimento, sempre tivera uma afinidade especial com o astro rei. Além disso, o alvorecer também tinha um significado muito menos simbólico, ele representava o fim de seu período de guarda. Pela noite inteira, ele havia ficado de vigília ao lado do golem Balin e, surpreendentemente, nada havia acontecido. Na verdade, a noite passou de forma tão monótona que o tédio e o sono foram seus únicos inimigos.»

«Para espanta-los, o dragão contraiu-se e agitou sua musculosa cauda dourada, desencadeando um movimento em cadeia de balançar escamas que percorreu toda a extensão de seu corpo e emitiu um som característico, semelhante ao chacoalhar de uma cascavel. Ele também esticou suas quatro patas, criando profundos sulcos na areia a sua frente. Por fim, deitou-se novamente, recolhendo as quatro patas; manteve o pescoço erguido, fitando a frente e as asas fechadas sobre o dorso.»

«Quando indagado pela ninfa, Glaedrirmir respondeu a saudação com um aceno positivo de cabeça. Ainda que a maioria da população zephyriana considerasse os dragões seres ferozes e perigosos, aqueles sortudos o bastante para ter contato com essas criaturas os descreviam como animais de absoluta nobreza de caráter e pureza. O que dizer então do último dos dragões dourados, que desde seu nascimento é influenciado pelos ideais de Tyrael?»

Pode se levantar, pequenina.... Não sou um rei, tampouco um deus para exigir que os homens se curvem...

«Glaedrimir aproximou sua cabeça do corpo da ninfa até que seus olhos estivessem no mesmo nível. Ele encarava-a com suas pupilas cor de citrino, fitando-a como se pudesse mergulhar diretamente dentro de sua alma e, num piscar de olhos, desvendar seus maiores segredos. Seu focinho, próximo ao ventre da invocadora, fazia com que a expiração quente e úmida do réptil levantasse as pontas das vestes de sua companheira.»

Você pergunta sobre o pequenino? Não vejo Tyrael desde a madrugada e, a julgar pelo o que conheço dele, ainda deve estar dormindo.

«Do outro lado do acampamento, Tyrael levantou-se com um pulo quando alguém enfiou uma agulha em sua pele. Assustado, o mago cogitou conjurar uma bola de fogo e queimar seu agressor vivo. Porém, ele acabou mudando de ideia quando percebeu tratar-se de uma das capangas de Cyrus. Ao invés de queima-la, o cavaleiro apenas praguejou enquanto rapidamente colocava uma camisa qualquer e vestia o cinto onde prendia Byfröst.»

Pro inferno, Cyrus! Por que precisamos levantar tão cedo!?

Tenzim
Lenda
Lenda


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Saphira Odin em Qua 22 Jul 2015 - 19:07

Raiza estava bem, tanto é que logo após ver o golem, prendeu sua atenção em um velho amigo, como Zephyr é pequena em tantos lugares para se reencontrarem e no final ali estavam, Raiza conhecia o dragão chegou a trocar palavras com ele sem respostas, junto ao dragão também estava um velho conhecido no qual ela tinha um apreço o mesmo não se encontrava ali reunido com o grupo. Ao Cyrus ela tratou de responde-lo sem muito rodeios o Conde via sua mudança aparente perante ele, ela nem parecia mais aquela criatura frágil que apareceu cambaleando na noite anterior em seu acampamento, mas mesmo assim matinha sua beleza exótica, logo Conde Cyrus só a respondia tranquilamente.

-Raiza, prazer em conhece-la... Naquele momento ele apenas deu dois passos para o lado direito chegando mais perto de sua carruagem pensativo sobre o tal ataque no qual ela acabou de comentar.

-Entendo é sempre assim, a concorrência inexperiente não admite que nós da Sociedade de Exploradores estamos mais preparados para estes tipos de missões... Cyrus pausava sua fala encarava o grupo e voltava a atenção para a bela ninfa -Seja bem vinda a Sociedade dos Exploradores... A deixando em paz com o dragão, Cyrus seguia para frente do grupo. Zyra a quem o contratante pediu para acordar o Tyrael, ela  fez sua parte de forma um tanto quanto não convencional. Com um pequeno susto o galante cavaleiro acordava já assustado pensando em atacar o motivo de seu susto, mas  o que ele via a sua frente era a jovem Zyra querendo ou não ela era sua companheira de bando,, mudou de ideai sobre seu ataque quando a viu, só resmungava sobre acordar cedo.

Espectro como sempre se mantinha calado e observava tudo, analisava cada ação, conversa queria aprender mais sobre seus companheiros de grupo e das criaturas que iriam enfrentar, quando escutou Cyrus a comentar sobre alguns monstros antes da reunião ele agora pensava sobre as possíveis fraquezas das criaturas por meio de logica e estrutura na qual se mostravam ao mundo chegando a té mesmo a comentar isso para Cyrus que percebia nele um possível candidato a aprendiz pessoal quem sabe.

Balin manteve a segurança do lugar por toda a madrugada, metade dela acompanhada de Tyrael, na reunião ele foi fiel ao pedido do Conde, o golem deu detalhes de como lutava e um pouco de suas habilidades, em reposta a isso Espectro também dava seu parecer sobre o grupo e suas próprias funções que ele poderia aplicar para auxiliar Cyrus, sem contar que ele também revelava seu estilo de luta e armas assim como Balin. Como previsto o Conde tinha conhecimento das habilidades de todos assim como armas, fraquezas, a unica pessoa que ele ainda não tinha conhecimento era a Raiza, uma indegrante de ultima hora reunida por acaso ao grupo estrategicamente montado pelo Cyrus.

Quando Tyrael e Zyra retornaram para se reunir como grupo Cyrus começou com suas explicações, falou sobre as localidades traçadas no mapa, quais as possíveis criaturas eles enfrentariam e quais ele deveriam evitar suas fraquezas e habilidades conhecidas até aquele momento e assim ele continuou.

-Darei algo único a vocês um item especial ele ainda esta em fases de teste, mesmo assim ele vai ser muito útil não vamos precisar nós preocuparmos com o ar toxico do Fukai... Cyrus pega de sua cintura um tipo de pano na cor vermelha com cuidado ele vai desenrolando o pano até mostrar seu conteúdo, nela o grupo via cinco correntes de um metal estranho o mesmo prendia em sua ponta um pequeno cristal de três centímetros. O Conde pedia para o grupo ao todo pegar um colar e usa-lo sem muita explicação.

-Vocês devem ficar um dia inteiro com este colar sem o tirar, só assim vai ativar o seu poder... No momento estou emprestando para vocês este item foi criado especialmente para expedições como esta... Amanhã no fim do dia estaremos abandonando os animais inclusive o dragão, pois o ar é toxico demais para eles acabaria os matando...

Cyrus se afastava deles e mostrava seu poder, ele pegava sua corrente com o cristal girava a mesma sobre ele o circulo que se formava sobre sua cabeça abria um tipo de portal invocando uma armadura prateada ou algum material similar  que o cobria por completo dando a forma de um belo lobo prateado com uma capa verde ele segurava duas laminas.

-Basicamente o colar vai se adaptar a vocês e lhes proporcionar uma proteção moldando-se em seu corpo de forma a não interferir em seus movimentos...

Assim Cyrus seguia para preparar sua carruagem, ordenou que o próprio grupo organizasse seus equipamentos, não contou sobre o cristal para não alarmar muito e também não tinha necessidades de dar muitas informações. Como ordenado pelo Conde o grupo se organizou da melhor forma possível independente da escolha da ninfa em acompanha-loas ou não. Tendo o próprio contratante guiando o comboio a viagem seguiu calmamente ate que no meio do caminho escutou-se uma pequena explosão vinda da traseira do comboio aqueles que dentro das carruagens teriam de sair para ver o que estava acontecendo, já aqueles que estavam de escolta do lado de fora não tiveram tempo de reagir ao ataque violento que o grande criatura estava sofrendo dos três Mantis.
Spoiler:
-No final do post de vocês coloquem seus valores de SP/HP, para um melhor registro dos combates.
- Cyrus deu a explicação de todas as criaturas do Bestiário.
-Balin continua com os sentidos ativos.
-cyrus tem o item tipo 2, assim como ele existe um Lobo branco e outro Dourado.
-Tenzim e Espectro 15 xp
-Raiza, Zyra, Balin 10 xp.
-Os Valores do colar esta no spoiler, cada um pegue o seu e descreva o efeito permanente da carta ( é uma vantagem de 1 ponto), quanto a forma de proteção é básica e tem que cobrir todo o corpo, nada de um a tiara, braçadeira.
- 3 Mantis (Os numere. Ex: Mantis 1, Mantis 2 etc...) comendo o elefante é assim simples e cruel.
- A iniciativa do combate é de vocês, rolem os dados na minha área de dados e pelo amor de deus especifique quem ou o que esta atacando assim como o status(HP/SP), se não colocar o status no off, eu mesma nem vou me dar ao trabalho de catar seus pontos de vida vou considerar que sofreu todo o dano sem defesa da criatura caso ela ataque o jogador.
-Por ter prejudicado o andamento da campanha cada um  ganha 3 poção de SP e HP, + 30 xp + 20 Po.
-Coloquem o link do seu ganho na sua ficha.
-Qualquer coisa que acabei esquecendo ou errei me avise por MP.
-Coloquem apenas em sua assinatura o link do item de Campanha até o momento o item ainda não é de vocês com exceção do Balin que foi amaldiçoado permanentemente a ser um cristal ambulante o item já é dele na verdade é ele.
Colar:

revisando seu efeito ,mas ele é este colar da imagem.
Balin:

Bom caso queira esta sera sua nova imagem ou escolha outra o efeito do cristal no teu corpo vai ser depois de um dia como nos demais.
Golen de Cristal de Mir. Reformulando os efeitos do item.
Simbolo Guilda cravado na armadura dos usuários:


Última edição por Saphira Odin em Seg 27 Jul 2015 - 16:11, editado 1 vez(es)
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Bones, O lich em Sab 25 Jul 2015 - 1:25

Uma leve pancada na cabeça... Foi a primeira sensação que teve logo antes de despertar novamente. Ja deveriam fazer alguns dias que estava ali, encostado numa ruina, "morto" por um daqueles insetos gigantes quando tentava atravessar por conta própria o deserto do Fukai. Demorou alguns dias para reviver, mais rápido do que da vez anterior.

- Hehehehe acho que to ficando bom nisso

- O senhor poderia da proxima vez tentar não morrer... E se da próxima vez o senhor não se levantar novamente?

- Ah, basta jogar o manto por cima que ninguem vai perceber a diferença hehehe

Eram comuns os dialogos entre Bones e Keeper, seu guardião, por vezes passando noites inteiras falando apenas besteiras, afinal nenhum dos dois precisava dormir...

Quando se preparava para se levantar, ja esticando a mão para alcançar sua foice, sentiu o chão dar uma leve tremida, algo pesado ou pelo menos um impacto moderado acabara de acontecer. Se levantou e se encostou na parede, olhando bem o local e então observando pela fresta da ruina.

Haviam três mantis, uma espécie de inseto gigante, o mesmo tipo que havia lhe matado. No mesmo instante, caso fosse possivel, Bones teria soltado um sorriso macabro, susurrando as palavras "- Ta na hora da vingança...", enquanto decide sair das ruínas e ir ajudar o grupo, pois so conseguiria carona caso eles sobrevivessem... Bem, poderia reanimar o corpo deles, mas isso não vinha ao caso.

- Arqueiro da Floresta dos Ossos, eu lhe ordeno, ataque os insetos gigantes!

Vociferou Bones, invocando um esqueleto arqueiro um pouco mais a frente dali onde estava, entre ele e a caravana, deixando que o arqueiro os atacasse enquanto ele próprio avança para tentar improvisar alguma formação com o grupo, ja gritando para eles.

- Não sou o alvo, não sou o alvo!!! To tentando ajudar!!!

HP: 21/21
SP: 85/89

Spoiler:
Evocação basica

2 SP por ponto de atributo+ pericia evocação OU necromancia,o custo para manter é sempre 1 terço do custo de evocação arredondado pra baixo (minimo 1).

Esqueleto Arqueiro
H2 / B3 = Gastos 4 SP (necromancia 3 + 2 do SP gasto)


[off: desculpe o post pobre, nos próximos melhora... ]

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Balin em Dom 26 Jul 2015 - 5:02

*Balin demonstrava um sorriso, enquanto que espectro relatava suas habilidades, para a felicidade do golem havia alguém que, possivelmente, adentraria com ele nas linhas de frente. E não só isso, mas alguém que podia se locomover da forma que o pesado golem jamais se deslocaria, já que com suas pernas, nem sequer alcançava uma velocidade digna para ser nomeada de "corrida". Tyrael parecia estar com um mau humor matinal, para o golem poucas coisas eram mais ricas que presenciar mais um alvorecer, no entanto naquele momento muito pouco podiam vislumbrar, por conta do ambiente do fukai. Mas de certo tal atitude do rapaz, era por conta de suas energias que precisavam ser retomadas durante o sono. Por fim todos estavam reunidos, o momento era do anfitrião e líder ter a palavra.*

[Ar tóxico...não preciso respirar, inclusive ele havia me dito que isso seria de grande valia nessa expedição, será que devo abdicar do acessório que ele vai me dar? Provavelmente será uma máscara, talvez mais equipada do que a anterior...]
Gertrudes - Já vou logo avisando, se você não ouviu, eu abro esses buracos de pedra, que você chama de orelha, pra você me ouvir: EM FASE DE TESTE! Isso quer sempre dizer algo como: "Ah desculpe pelo seu cabelo ter caído, é que esse produto alquímico estava em fase de testes ainda..."!

*Contudo, ao contrário das especulações exageradas da famigerada arma tagarela, Cyrus não estava lidando com nenhum produto de confecção alquímica duvidosa, ao desenrolar o pano vermelho o mesmo estava expondo para o grupo 5 correntes, aparentemente pingentes, o brilho dos cristais de proporções miúdas, parecia reagir com o golem, fazendo com que o mesmo estendesse um olhar mais minucioso para com o objeto. O metal da confecção da corrente não era reconhecido por Balin, não que o mesmo fosse entendido no assunto, mas o que lhe chamava mesmo a atenção era a "pedrinha" na ponta. Era um cristal, logicamente não era um adorno qualquer, havia magia nele. No golem havia vida por conta do choque de magia pura que um dia o contemplou com esse dom. Então será que havia vida naquele cristal? Ou melhor será que ele podia produzir vida? A magia ali presente reagia intensamente com a "vida" interior presente no golem, será que eram do mesmo tipo, será que havia uma ligação do golem com aquele objeto cuja existência ele sequer cogitava? O fluxo de perguntas em sua cabeça se interrompe facilmente com uma reação espontânea. Por alguns segundos, se não fosse pelo brilho emanado pelo cristal, o golem teria até certa dificuldade para enxergua-lo, olhando para o mesmo tão pequenino em suas mãos. Seguido do olhar ao objeto novo que lhe fora presenteado, o golem "esmagava" o mesmo com suas duas mãos.*

-...Eu...
Gertrudes - Burro...podia ter vendido, ia dar uma grana pra gente viajar por aí numa boa, mas enfim foi melhor assim u_u...ao menos não vou ter surpresas com esse treco em fase de testes...
-...Não sei o que eu fiz...

*Balin fora acometido por uma "força de reação", era como se ele tivesse sido levado a fazer aquilo. Não sabia se aquilo provocou medo nele e por isso tal reação, ou se não queria aquela fonte de poder em mãos erradas, tudo girava em torno de novos questionamentos para entender suas últimas ações. Aquele celebre pedaço de cristal não era apenas um item mundano, o golem não conseguiria reduzi-lo à paçoca daquela forma. Balin, sem saber, foi tomado pela força de reação do cristal com seu corpo. Suas duas mãos ao começarem a se afastar, liberam um pequeno feixe de luz, indicando a nova localização do cristal: "fincado" na palma da sua mão esquerda.*

-Mas eu achei que tinha...
Gertrudes - Ah não, porque que tudo sempre acontece comigo, corram para as montanhas, corram por suas vidas \o\ isso me cheira há uma...maldição! Se você tivesse um nariz ia sentir o cheiro também, já posso até ver você ficando todo roxo feito um repolho podre e desfalecendo até seu último suspiro agonizante!
-Esmagado ela?

*Balin sacode sua mão e via que realmente o objeto estava entranhado a sua pessoa. Suas runas, as marcas que tinham pela extensão do corpo, começavam a transparecer um brilho ainda que este fosse bem tímido, somente um olhar clínico notaria o mesmo. Sentia seu corpo reagir ao pedacinho de cristal, era como se ele estivesse mais enérgico do que outrora. No entanto, era cedo demais para ter qualquer evidência do poder do colar. Ao explicar que o efeito demoraria um dia, o conde diz ainda se tratar de um empréstimo, Balin pensa então que talvez teria que dar um jeito de arranca-lo em outro momento. Os animais não poderiam resistir sem a proteção devida e logo seriam abandonados.*

[Não há como levá-los de fato, mas fico me perguntando o que vai ser deles se forem largados por aqui. Se eu pudesse tomaria conta deles, mas a exploração é importante para mim, tenho uma missão importante cuja a qual me comprometi e não posso abandonar o grupo.]

*Cyrus então tomava uma certa distância e logo faz uma demonstração do que se tratava o poder daquele colar presenteado ao grupo. O golem não esperava por um efeito assim, afinal não era entendido no campo de magias, mas entendia desde o primeiro momento que aquele pequenino objeto era detentor de um grande poder. O colar iria se adaptar a estrutura de cada um, parecia que isso já havia começado a acontecer com o golem, mas não deixava de ser preocupante o que aconteceria, já que o mesmo iniciou um processo de adaptação pouco convencional. Por hora Balin preocupava-se em dar continuidade a expedição, não teria como adivinhar o que estava por vir, o que foi feito, estava feito. Durante o caminho, o golem estava na "caixa", uma estrutura rígida que mais parecia uma cela, sendo puxada novamente pelo elefante. Não podia deixar de pensar no colar e da forma como ele interagiu com o mesmo. Ao abrir a palma da mão, Balin se surpreende não vendo mais o colar ali: o mesmo havia "andado", estava agora no começo do seu antebraço.*

-Mas como será que isso foi acontec...
CRASH!...INHOOORR! (onomatopeias da explosão e o urro do elefante, respectivamente xD)

*Mesmo com os sentidos ainda aguçados, o golem estava perplexo demais pelo que estava acontecendo com o cristal e seu corpo para notar com a devida antecedência a aproximação das criaturas. Ainda que tivesse notado, elas já estavam muito próximas e reagiram rapidamente. Quando o golem abre a porta da estrutura que o carregava, já via a sua frente o elefante preso a carroça, sem chance nenhuma de reação aos ataques dos mantis. As criaturas atacavam com ferocidade, o pobre animal estava começando a ser comido vivo, era uma das leis da natureza: predador e presa. Além do apreço pelo animal que o estava transportando, era injusto demais três criaturas atacando uma que estava presa a carroça, sem reação e sem chance de fuga. Não era justo, o golem tinha que reagir em prol do elefante. O golem ia na direção das criaturas que estavam logo a sua frente(considerando que o elefante puxa a minha carroça) e rodopia sua alabarda demonstrando igual ferocidade perante as criaturas.*

-COUNTER HELIX!

*Balin manuseava sua arma energicamente, tentando usar de toda sua habilidade. Girava sua lança desferindo um ataque num raio de ação que tentava golpear as três criaturas e ainda usava do mesmo golpe para se precaver das ações dos mantis. O seu corpo acompanhava os movimentos circulares que o golpe requisitava, seus punhos empregavam força e perícia para direcionar o ataque. Sua concentração no combate era tanta que não notou a aproximação de mais alguém, por sorte este parecia estar vindo para somar forças na empreitada. Era uma investida feroz, mas igualmente desgastante, não poderia mantê-la no mesmo ritmo caso não tivesse ajuda dos companheiros e as criaturas persistissem no ataque.*

HP: 68/68
SP: 12/22


Talento utilizado:
Uso do talento: Rodopiar lança
Ao usar esse talento passa em um teste de habilidade contra todos seus atacantes a cada acerto ele anula o ataque que seria feito contra ele naquele turno e ainda ataca a todos em um raio de 2 metros (o dano e acerto é rolado somente uma vez)
10 SP
avatar
Balin
Herói
Herói


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Expedição ao Fukai

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum