Vincent Ulstad

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Vincent Ulstad

Mensagem por Trebonidas em Sab 2 Ago 2014 - 20:11

Nome do Personagem: Vincent Ulstad
Raça: Humano
Classe: Alquimista
Nível do Personagem: 1
Idade Real/Idade Aparente: 23/19
Altura: 1,75
Peso: 59 kg

Características Físicas: Um tremendo magricela, de musculatura levemente definida e ossos da clavicular e costelas visíveis caso retire a camisa. Seu olhos são castanho-sem-graça e como se isso não bastasse, não são capazes de enxergar de longe, fazendo necessário o uso de seus óculos redondos. Seu nariz e lábios são finos e sua pele é branca. Costuma se vestir com uma camiseta de manga cumprida preta, calças largas e botas, levando nas costas uma mochila com seus aparatos de ofício e uma bolsa na lateral de seu cinto levando algumas poções.

Personalidade: Apesar de sua visão imperfeita, possui um olhar extremamente analítico para tudo o que acontece ao seu redor. Por sua natureza tímida tende a ter dificuldades em se relacionar com pessoas recém-conhecida e tendo um leve desconforto em grandes aglomerações humanas. Não tem grande apresso pelo combate, fazendo o possível para impedir que certos conhecimentos caiam em mãos erradas, mesmo assim não tem problema nenhum em lutar, muitas vezes usando de soluções altamente inflamáveis. É calmo e de grande força de vontade, costuma ser relutante em fazer algo errado, a não ser que ele acredite estar certo em fazer a coisa errada. Se sente atormentado com a morte de seu pai, fazendo de tudo para impedir que alguém que ele goste tenha o mesmo destino. Não é muito encucado em defender ou refutar a existência de deus, mas defende que todas as coisas tem uma essência única, um espirito e cada um faz parte do todo... Não é tanto como um credo, seria mais uma filosofia em que se estabelece uma visão de mundo em que a forma como o individuo interage com o mundo em todas as suas atividades influenciam sua mente e alma.

História:

Spoiler:

 Vincente era uma criança curiosa, que raramente brincava com as outras, preferindo passar seu tempo observando seu pai trabalhar no laboratório. Anos atrás Dilan era apenas mais um botânico, produzindo alguns remédios básicos, isso foi até descobrir que seu filho tinha uma doença pulmonar incurável, a mesma que sua falecida mulher tinha. Ele mantinha em segredo, mas há muitas gerações os Ulstad estudavam alquimia. Tendo a necessidade, vendeu seus conhecimentos para o exercito em troca de verba e um laboratório melhor equipado. De dia ensinava seu filho sobre a destilação básica e sem deixar que ele notasse, estudava a doença, noite se trancava em um quarto de acesso restrito para realizar seu trabalho. O garoto estava tendo uma recaída, suas dores se tornavam constantes e tossia sangue constantemente quando ele encontrou uma droga que pudesse inibir os efeitos da doença, porém não era uma cura, bastava suspender o uso que os sintomas retornariam. 
 Conforme crescia, melhor compreendia os segredos da alquimia, todavia era incapaz de produzir vida sintética. Para seu próprio mal era um sujeito mais inteligente do que devia e percebeu que seu pai não estava ensinando todo o necessário, parecia que ele queria manter esse conhecimento em segredo. Com a chegada da adolescência está situação ficou insustentável – quando se tratava de elixires com propriedades benéficas, seus conhecimentos estavam muito além dos de um reles aprendiz, mas quanto a reagentes químicos de dano em massa e criação de vida artificial possuía conhecimentos medianos, recebendo informações pela metade, ou simplesmente erradas. Vincent fazia todo o possível para saber qual era o trabalho que seu pai realizava para o governo de Pejite, vez ou outra espiava as conversas de Dilan com os agentes que iam cobrar resultados, mas não falavam abertamente no assunto. Desde pequeno havia o quarto onde nunca havia entrado, por dedução lógica, ali estavam suas pesquisas e já tinha idade para perceber que Dilan passava todas as noites ali, razão para suas olheiras fundas, cabelos brancos e cara de acabado.
 Certa noite acordou com um barulho e logo foi ver do que se tratava. Encontrou a porta do laboratório aberta, entrou devagar se deparando com o corpo de seu pai, com a boca manchada de sangue, já sem vida. Haviam montes de papeis no chão, além de cacos de vidro e restos de alguma solução. Ele entrou em total desespero e com os olhos cheios de lágrimas notou que haviam corpos dispostos nas laterais daquele espaço, todos eles inteiramente brancos e sem pelos, todos em cilindros de vidro cheios de algum líquido. Naquela noite vasculhou as anotações de seu pai, descobrindo que sua morte ocorreu ao experimentar um remédio que poderia curar a doença dele, também que ele estava construindo um exercito de soldados artificiais sem medo e sem vontade própria com o fim de lutar contra o fukai e colonizar Kannin, encontrou textos que diziam como produzir napalm, fogo grego e outras substâncias inflamáveis usadas para ceifar vidas. Tudo aquilo fazia parte de um jogo político que visava conquistar os povos do sul através da luta armada. Claro, que nem tudo pôde ser assimilado, já que grande parte das informações estavam decodificadas, com diversas ilustrações, aparentemente meros trabalhos artísticos, porém fontes de informações absolutamente cruciais para a compreensão do todo.
 Ele recolheu os papeis e cadernos, os colocou em uma mochila, tocou fogo na casa e foi embora da cidade naquela mesma noite. Apesar das construções bem planejadas, das ruas limpas e guardas cuidando da segurança, agora via que a cidade era podre. Que para manter aquela aparente ordem, milhares de pessoas sofriam e morriam.
Viajou com parcos suprimentos, pouco conhecimento e nenhum planejamento até chegar em Jylia. Ali foi “ajudado” por Ágata Conrad, uma youkai de orelhas felinas negras. Tinha um rosto jovial, cara de inocente e parecia bem-intencionada, três coisas que absolutamente NÃO eram verdade. Ela deu ao garoto um emprego em sua loja de itens, o fazendo trabalhar como um escravo em troca de praticamente nada. No pouco tempo que tinha tentava decifrar as anotações de seu pai. Por mais que o tempo passasse não conseguia decifrar completamente os estudos acerca da criação vida artificial. Estava disposto a terminar as pesquisas de Dilan e em sua memória preservar estes conhecimentos para que não sejam mal utilizados. Mas ficou alguns anos com aquela mulher mesquinha, cruel e interesseira, que por sua vez cuidou do rapaz como se fosse seu próprio filho (O que não significa que tenha cuidado dele bem).
 Decidiu partir, viajar pelo continente em sua pesquisa. Ágata, furtou o pequeno caderno com instruções sobre a criação de homúnculos, de grande valor e diminuto demais para que alguém note sua falta. Possivelmente imaginaria que este foi perdido em algum canto.  



ATRIBUTOS:

Força: 1
Habilidade: 5
Velocidade: 1
Resistência: 2
Inteligência: 4
Balística: 1

HP: 2 x 10 +3 = 23
SP: 4 x 10 +7 = 47



Talentos:
- Criação básica de poções
- Aplicação prática de confecção de poções



Pericias de classe:
- Química/Alquimia Nv.03

Perícias:
- Botanica/Herbologia/Agronomia Nv.01
- Medicina/Anatomia Nv.01
- Química/Alquimia Nv.01

Vantagens Raciais:

Vantagens:
- Aprendizado infinito (2 pontos)
- Noção do Perigo (1 ponto)
- Memória Fotográfica (1 ponto)


Desvantagens Raciais:


Desvantagens:
- Código da Gratidão (1 ponto)
- Visão Ruim (1 ponto)
- Sono Pesado (1 ponto)
- Complexo de Culpa (1 ponto)
- Doença (2 pontos)
Spoiler:
Patologia genética pulmonar que causa dores no tórax e tosse com sangue. A doença não tem nome e o único avanço obtido até então é a produção de um droga que inibe os efeitos incômodos (e possivelmente letais) da doença.

Estilo de luta: Caratê

Movimentos do estilo de luta:


Itens: Kit Alquimistas/Médicos 15 PO; Óculos (interpretativo); Manteau 20 PO [Def.+2/Def. M. +0];
(1 PO restante)

Magias:
Nome:Boom !
Classe que aprende: Todas/Elemento: fogo
Descrição: Reverenciadas por muitos como a suprema arte da explosão. É uma magia extremamente simples, mas de conseqüências desastrosas. Ao desejo do
conjurador, ele pode detonar uma explosão a partir do nada.
Efeito: Cria uma explosão de 2 metros de diâmetro. A explosão só pode ser feita a uma distancia de no máximo 5 metros
Dano: 5 + Ataque mágico
Custo: 22 SP
Duração:Instantânea
Valor da dificuldade: 8
Raridade:Comum.

Toque do destino
Classe que aprende: Todas /Elemento: Neutro
Descrição: O conjurador concentra em suas mãos uma esfera de energia de cor branca fria ao toque ao encostar no alvo este ganha um bônus de +2 em qualquer habilidade a escolha do alvo ou +1 em duas habilidades a escolha do alvo.
Efeito: Concede + 2 de atributo ou + 1 em dois atributos a escolha do conjurador.
Custo: 10 sp + 3 por turno.
Duração: Sustentável
Valor da dificuldade: 6
Raridade:Comum


Resumo de Custos:
Raça: x pontos.
Classe: x pontos.
Talentos: x pontos.
Atributos: 14 pontos.
Vantagens: 4 pontos.
Desvantagens: +6 pontos.
Estilos de Luta: x pontos.
Total de Pontos Utilizados: 12


Última edição por Trebane em Sex 3 Jul 2015 - 22:32, editado 7 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vincent Ulstad

Mensagem por Saphira Odin em Dom 28 Jun 2015 - 4:11

Aprovada.
avatar
Saphira Odin
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vincent Ulstad

Mensagem por Trebonidas em Seg 12 Out 2015 - 21:07

Item da campanha Expedição para o fukai


 Máscara de Oxigênio
DescriçãoAparato usado para filtrar o ar.Tampa o nariz e boca e é usado por todos que desbravam o Fukai.
Preço15 POs
Nível da Vestimenta1
Defesa0
Defesa M0
Efeito
Enquanto equipar a máscara,torna-se imune ao ar venenoso fukai.
ClasseAcessório
Requisitosnenhum
ProfissãoTodas.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vincent Ulstad

Mensagem por Cre♥pie em Seg 12 Out 2015 - 21:35

Ok, pode adicionar a ficha ~
avatar
Cre♥pie
Transcendente
Transcendente


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vincent Ulstad

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum